Destaques

TAP reage ao caso dos nigerianos transportados para São Tomé

COMUNICADO

 

A TAP PORTUGAL, vem informar que só recebeu do Ministério da Saúde e dos Assuntos Sociais uma carta no dia 8 de Setembro de 2014, emitida na mesma data, a informar da proibição de entrada e saída das embarcações e aeronaves, incluindo os passageiros, de e para os países afectados com o vírus da Ébola, nomeadamente Libéria, Nigéria, Serra – Leoa, Guiné Conacry, Senegal e República Democrática do Congo nos aeroportos e portos de São Tomé e Príncipe.

Até o dia 8 de Setembro, tanto a TAP Potugal como a STP Airways, que é o seu prestador de serviço, não tinham recebido qualquer notificação oficial da proibição.

Neste contexto a TAP Portugal vem demonstrar o seu descontentamento em relação a forma como está sendo divulgada a notícia sobre o transporte dos dois cidadãos Nigerianos num dos voos provenientes de Accra.

A acusação feita pelas autoridades sanitárias santomenses em relação a não colaboração na tentativa de recambiamento, deve-se ao facto a falta de cumprimento da regulamentação por parte desta.

O recambiamento só poderia ter sido feito mediante uma notificação oficial que até a data não tinha cegado aos escritórios da TAP PORTUGAL em São Tomé.

A TAP PORTUGAL é uma companhia que respeita as normas nacionais e internacionais e que serve de elo ininterrupto de ligação entre São Tomé e Príncipe e Portugal, há mais de 30 anos.

A empresa tem como maior preocupação a segurança e a integridade física dos passageiros que transporta e durante vários anos colocou a sua unidade de cuidados de saúde à disposição de um grande úmero de santomenses.

Nunca tomaria qualquer atitude que pusesse em causa a segurança e a saúde dos seus passageiros, da sua tripulação e das pessoas que residem nos locais para onde opera.

São Tomé 10 de Setembro de 2014

    8 comentários

8 comentários

  1. Artimizio Mendes

    11 de Setembro de 2014 as 16:09

    O Vosso avião não pode infetar. S.Tomé e Principe que se dane. os Europeus são mesmo assim. Quando vieram a África vieram com armas e impuseram a vossa presença. Agora os africanos que querem penetrar na europa vocês levam até diserto e deixam lá sem água para morrerem a fome e sede para não vos incomodar no vosso continente. Malvados.

    • luisó

      11 de Setembro de 2014 as 22:11

      Eu acho que o amigo Artimizio está a ver o filme ao contrário ou então as noticias que correm este mundo não passam na tv lá da sua casa e lê os jornais do ISIL ou EI como agora lhe chamam.
      O caro amigo deve informar-se primeiro, ficaria melhor.

    • Fernando

      12 de Setembro de 2014 as 13:54

      O caríssimo Artímizio é vítima de uma campanha de desinformação! Alguém leva alguém para o deserto? Volte à escola!

    • Atento

      19 de Março de 2015 as 12:30

      Meu caro Artimizio Mendes.
      Tem que ter cuidado com a maconha que anda a fumar, olhe que ela está a fazer-lhe mal.
      Tenho dito

  2. Nico

    11 de Setembro de 2014 as 16:20

    Na noticia acima, nao vejo reaccao nehuma.

  3. elton

    11 de Setembro de 2014 as 19:37

    Artimizio Mendes ate agora não entendi a lógica do teu comentário relacionado com a noticia.isso tem a ver mas com racismo, do que a propia noticia.

  4. luisó

    11 de Setembro de 2014 as 22:15

    Realmente também não vi nenhuma reação mas sim uma informação, mas isto fica ao cuidado do télanon.
    Agora em relação ao conteúdo da informação parece-me que alguém não fez as coisas como deve ser e depois tentou “passar a bola para o lado” ou “sacudir o capote” e agora fica mal no filme.
    Enfim….

  5. Ali Baba

    12 de Setembro de 2014 as 19:05

    A TAP devera pagar os custos de analises de condicoes de saude destes passageiros, e financiar todo e qualquer equipamentos e produtos sanitarios no caso medicos e tecnicos de saude santomense detectar alguma doenca contagiosa nestes passageiros. Se medidas urgentes nao forrem tomadas, os passageiros deveram ser transportados para a embaixada de Portugal com o objectivo de acomodacao sob vigilancia da seguranca publica e/ou policiais ate que a TAP transporte-os de novo aos paises de origem. Entretanto, se autoridade santomense bem como os medicos de raiz santomense, medicos de confianca com integridade moral, os compatriotas nao detetarem nenhuma doenca como a Ebola, etc., eu penso entao que os citados passageiros deverao ser bem vindos em STP. Pao pao, cheijo cheju cu inem —povo bili ue!

Deixe um comentário

Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo