Destaques

Fundação Calouste Gulbenkian e STP reforçam qualidade do ensino básico 

Há cerca de 3 anos que a Fundação Calouste Gulbenkian em parceria com o Estado são-tomense através do Ministério da Educação, está a implementar o RIQUEB – Reforço Institucional e Qualitativo do Ensino Básico.

Com assistência técnica da Escola Superior de Educação de Santarém-Portugal, o projecto termina no final de 2015. Um projecto que nasceu da solicitação feita pelo então Ministério da Educação, Cultura e Formação, e que permitiu a a assinatura de um memorandum com a Fundação Calouste Gulbenkian.
professoresO projecto nasceu com o objectivo de contribuir para a requalificação e promoção de um ensino básico de qualidade em São Tomé e Príncipe, com ações ao nível da formação inicial e contínua de professores e elaboração de guias de apoio, da formação de responsáveis pela direção de escolas do ensino básico e da organização de centros de recursos para apoio à formação.

Segundo Maria Manuela de Oliveira Jacinto, quadro expatriado que assistência técnica ao projecto, trata-se de uma mais-valia apoiar os técnicos de São Tomé e Príncipe na conceção, criação de documentos/instrumentos de (auto) formação, na sua utilização, avaliação e desenvolvimento. «Através deste trabalho pretende-se chegar à definição de linhas gerais de um modelo de formação nacional, coerente com as capacidades e necessidades do País, de forma a garantir a sua sustentabilidade», precisou.

Já na recta final do projecto, uma equipa de missão da Escola Superior de Educação de Santarém está no terreno para em conjunto com as equipas técnicas do Ministério da Educação, Cultura e Ciência, «proceder a validação dos guias de apoio à formação dos professores e diretores do Ensino Básico. No próximo semestre, e após a o trabalho de reformulação dos guias, proceder-se-á à publicação e distribuição, de acordo com as necessidades de utilização em S. Tomé e Príncipe», explicou Maria Manuela de Oliveira Jacinto.

A equipa técnica da Escola Superior de Educação de Santarém, prossegue os seus trabalhos em parceria com a equipa são-tomense até 5 de junho.

Abel Veiga

    1 comentário

1 comentário

  1. fiafede

    3 de Junho de 2015 as 18:59

    Muito bem.
    ‘E isso que precisamos a todos niveis do ensino.
    Para ter mais qualidade, nao se esquecam introduzir -Etica e moral- como discilpina a partir da 5a classe e empreemdedorismo a partir do liceu.

    pedir tambem aopio ao INQF de portugal

Deixe um comentário

Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo