Destaques

Extracção ilegal de areia provoca rixa entre militares e populares

O bairro da Praia Nazaré localizado na marginal 12 de Julho e próximo do aeroporto internacional, foi na tarde de segunda – feira palco de rixas, entre os habitantes e militares da guarda costeira.

Tudo por causa da extracção ilegal de areia. Apesar da força militar os jovens da praia Nazaré garantiram que vão continuar a extrair areia no bairro, porque não têm outra alternativa para ganhar o sustento.

Praia Nazaré já se transformou num garimpo. Areia é a matéria-prima preciosa que está a ser extraída do subsolo, pondo em causa a existência da própria comunidade.

praia nazaré água verdeAs escavações para extracção de areia, criaram dezenas de poços de água parada e esverdeada na comunidade. Poços, que ajudam na proliferação do mosquito, e consequentemente o crescimento do paludismo.

Na tarde de segunda – feira, uma patrulha da guarda costeira apreendeu uma carrinha que transportava areia a partir da Praia Nazaré.

Os populares envolvidos no negócio de venda da areia, reagiram para impedir a detenção da carrinha. O efectivo militar da guarda costeira era reduzido, e no meio da confusão um pneu do carro patrulha furou.

Reforços militares foram enviados para o bairro incluindo fuzileiros navais, empunhando AK-47 e uma espingarda de assalto brasileira.

José Luís Albuquerque, porta-voz dos moradores da Praia Nazaré, criticou a intervenção militar, que pôs em causa a venda de uma carrinha de areia, extraída pelos moradores, do subsolo da Praia Nazaré. «Aqui tem muitos jovens mais de 100, e temos falta de emprego. Se não tirarmos areia o que vamos fazer da vida? Militares vieram, dispararam para o ar, partiram vidro do carro, e até uma mulher grávida começou a sentir-se mal, queria desmaiar», referiu o jovem da Praia Nazaré.

praia nazaréA juventude de Praia Nazaré, que se rebelou contra os militares da guarda costeira, garante que a extracção de areia no local não tem fim a vista. «Vai ser difícil parar com a extracção de areia porque não temos outra alternativa. Só pára se o governo resolver o problema da população daqui. Aqui tem jovens que terminaram os estudos liceais, outros saíram da tropa, como é meu caso, e outros mais. Temos família. Como é que vamos sustentá-la?», interrogou.

Os militares foram acusados, de serem também traficantes de areia extraída ilegalmente no subsolo da localidade. «Os militares também são corruptos, porque eles também fazem negócio connosco cá. Podemos indicar os militares que fazem negócio connosco cá», denunciou o porta-voz José Luís Albuquerque.

Extracção anárquica de areia já descaracterizou grande parte da marginal 12 de julho perto do aeroporto internacional.

Uma autêntica zona de garimpo na porta de entrada do país. Na busca de dinheiro fácil e rápido por via da venda de areia, os moradores estão a deixar as suas próprias residências sem suporte. A área de garimpo se alarga e as casas não param de cair na Praia Nazaré.

Abel Veiga

 

    21 comentários

21 comentários

  1. Perto mais distante

    17 de Janeiro de 2017 as 8:57

    Ora cá está mais uma demonstração de que pensar apenas na campanha não dá resultado nenhum, os sucessivos governos tapa peneiras que não fizeram nada para além de destruir e enfraquecer o estado, o atual também no mesmo caminho, os senhores estavam mais preocupados com titulo pessoal do que outra coisa, só que se esqueceram que são os nossos filhos que terão de conviver com essa nova sociedade de ganhar dinheiro fácil e estarem bem vestidos sem saberem como, comer e beber tomou conta de nós, «Vai ser difícil parar com a extração de areia porque não temos outra alternativa. Só para se o governo resolver o problema da população daqui. Aqui tem jovens que terminaram os estudos liceais, outros saíram da tropa, como é meu caso, e outros mais. Temos família. Como é que vamos sustentá-la?» Claro abandonaram as roças e ninguém vos fez nada ainda preferiram ir comprar as parcelas de terras aos senhores “melhores trabalhadores de São Tomé e Príncipe“, se ontem não tinham trabalho hoje quando têm encontram sempre algo para fazer, ora meu filho se encontra doente, ora minha mulher deixou me tenho que ir mais cedo para cozinhar.
    Os sucessivos governos são mais uns babá do povo do que outra coisa, não vale de nada governar sem alterar leis que possam gerir o cidadão a todos os níveis, hoje a população de praia nazaré depois a população de raio que os parta até quando virão as medidas serias, até quando chegara a justiça e a verdadeira democracia, não a anarquia vivida nos dias de hoje graças aos senhores dirigentes (peço desculpa doutores)!?

  2. Emiliano

    17 de Janeiro de 2017 as 9:49

    Falta de emprego,ou de meia duzia de indisciplinados e preguiçosos que só querem vida facil, pondo em causa os esforços dos sucessivos governos, para terminar com o paludismo.Hoje a Praia Emilia é um atentado a saude pública.
    Onde está à direção de ambiente? aonde está o ministro do Ambiente,onde está o Estado Santomense?
    O governo não atua, porque está à procura de voto.
    Enfim, serafim sem fim.

  3. rapaz de Riboque

    17 de Janeiro de 2017 as 10:06

    antes de tudo estas fotos mostram que os militares estão mais empenhados a aparecerem todos vaidosos de óculos de sol para se mostrarem, parece que vão para uma festa . Quanto a extração ilegal de arreia tem que se combatido, porque na mentalidade destes ladrões de arreia esta tudo bem desde que ganhem dinheiro para eles esta tudo bem esquecem ou não sabes as consequências futuras, a muita maneira de ganharem dinheiro como por exemplo cultivo do café, cacau etc mas não querem porque da muito trabalho. nesta caso achoa a intervenção da guarda muito bem ainda recordam que a coisa de um ano e qualquer coisa morreu baleado um ladrão de arreia houve tanta polemica por causa da morte do ladrão mas a prova esta a vista não se emendam continuam meus senhores o que sei dizer é que o nosso país qualquer dia entra numa confusão que ninguém respeita a lei nem aos outros o governo que deixe de o seu líder andar a passear de avião de um lado para outro e esteja mais atento ao que se esta a passar no país. Quanto aos militares também a muitos ladrões e corruptos dentro das forças armadas isto é verdade prisão com eles.

    • Maria de Fátima Santos

      17 de Janeiro de 2017 as 19:40

      A reposição da ordem não se impõe comm homens armados contra cidadãos desordeiros. No dia seguinte a desordem continu…o problema persiste! Onde anda o sábio numero um desta parada com as suas soluções miraculosas e inovadoras?

      • rapaz de Riboque

        19 de Janeiro de 2017 as 16:54

        percebes bem da manutenção da ordem pública. Pois pela tua maneira de criticar a reposição da ordem pública contra os desordeiros impõe-se com violas e tambores . devias estar lá mas com policia ou militar desarmada depois queria ler as tuas criticas

  4. EX

    17 de Janeiro de 2017 as 10:42

    Mas que gente sem noção.
    O dinheiro já, o futura que se lixe.

  5. Precisamos de pessoas serias

    17 de Janeiro de 2017 as 10:54

    Olha não concordo com a atitude do estado. Se PT diz que quer acabar com ladrões é bom que pense bem a respeito, porque até hoje não sabemos onde entrou o 30.000.000 de Dolares. Você dirigentes roubam muito o dinheiro do povo, mais cá em s.tomé nunca que nenhum que foi preso que provas nunca faltaram.
    Se hoje os jovens roubam areia é porque estamos a acompanhar vosso exemplo.
    Areia é petróleo deles. Areia é petróleo de povo pequeno. Deixa-nos roubar.

    Faça drenagem lá no fundo de mar para solucionar o problema ou arranja trabalha. Porque JOVEM EM S.TOMÈ só “SOBREVIVI COM ESSA AREIA”.

  6. Maria Silva

    17 de Janeiro de 2017 as 11:04

    Falta de Formação e Informação = Pais sem futuro , as pessoas estão a por em causa sua própria vida, saúde etc…
    Por outro lado : Governo sai , Governo entra e ninguém faz nada ( criar postos de serviços , melhorar condições de vida ) , corrupção ao mais alto nível desde governo até um cidadão comum!!
    Sumú ê livlà anca n’boca di cassô êêê

  7. Martelo da Justiça

    17 de Janeiro de 2017 as 11:18

    Andaram com paninhos quentes a promover a indisciplina e a preguiça apenas para ganharem votos e agora?…Deixaram a situação degredar completamente e querem corrigir agora? Bem, antes tarde do que nunca, não é? Mas por favor, parem com essa história de passar a vida a acusar os Governos anteriores porque eles já foram castigados nas urnas. O preocupante é que com esse Governo as coisas estão a piorar em vez de melhorar, conforme a promessa eleitoral do ADI. Sou da opinião que em alguns casos, esse Governo de ADI devia ser responsabilizado criminalmente. Não se vislumbra solução a breve trecho para os problemas do Pais. O Patrice Trovoada está de tal forma desorientado que só passa a vida a falar coisa sem sentido e dos assuntos que desconhece. Só pode ser alguém com tiques de ditador, porque ele nem sequer deixa os seus Ministros falar de assuntos dos seus Ministérios que certamente dominam melhor.

  8. STPAlerta

    17 de Janeiro de 2017 as 11:43

    Há menos de um ano morreu uma criança afogada neste poço, e outra estava no mesmo rumo e ninguém diz nem faz nada.

  9. Fernando

    17 de Janeiro de 2017 as 13:32

    Aos jovens que querem extrair areia: Há muita roça sem estar cultivada. Extraiam os produtos que a terra dá, sem comprometer o futuro do país. É fácil tirar a areia. Já trabalhar a terra exige isso mesmo: trabalho!!!!

  10. Tó Chiguandidi

    17 de Janeiro de 2017 as 15:03

    Força militares! Porrada e tiro nos ladrões de areia, bando de vagabundos e preguiçosos.

  11. Manuel Jorge de Carvalho do Rio

    17 de Janeiro de 2017 as 15:41

    Meu Deus que situação! O Estado só agora age perante esta gravíssima situação que vem alastrando há muitos anos? Mais diz o velho ditado que: “mais vale tarde do que nunca”. Nesta estrada do aeroporto todos nós assistimos a extração de forma desordenada da areia pelos populares e de empresas que comercializam areia. Camiões carregados de toneladas e toneladas de areia transportam areia subteranea diariamente e passam de fronte do quartel das Forças Armadas e a olhos nus de todos nós. Ninguém faz nada porque somos todos amigos e ou parentes.
    Acredito que a recuperação da zona de praia lagarto, praia Nazaré, Poto-Poto vai ser muito difícil devido ao nível de degradação nestes locais. Logo como medida séria, deve-se interditar esta practica a todos sem excepção. Vimos nas fotografias acumulação de agua podre com côr verde, constituíndo verdadeiras minas de doenças pondo em risco as populações circundantes em particular e do país em geral. Afinal de contas todo este processo da luta contra o paludismo que todos nós abraçamos, não correrá o risco de ser um trabalho de agua com cesto? Ademais, sabemos que a recuperação vai ter custos para o Estado e logo, dinheiro que o Estado deveria utilizar para fazer outras obras sociais vai ser canalizado para este fim e com o risco da estrada do aeroporto vir a desaparecer de um momento a outro.
    Mais ainda se formos ver a situação de muitos bairros residenciais, dileniados pelo Estado, são alvo de actos de extração anarquica e abusiva do basalto e argila por algumas empresas de extração e transformação do país com repercussões muito negativas para a saúde das pessoas que lá vivem e da degradação do meio ambiente.
    Senhores Membros do Governo a situação não está pra menos. Existem vários relatórios da DGRN e de comissões de avaliação multisectoriais criadas para análize da exploração de inertes, que revelam a preocupante situação da má gestão e exploração dos recursos minerais do País.
    Perante tais factos, medidas urgente vão ter que ser tomadas porque senão um dia, a desordem e o desmando, vai tomar conta deste nosso Santo País.

  12. Mé - Zemé

    17 de Janeiro de 2017 as 17:38

    Olhando para essas imagens, fico chocado…que tipo de gente temos na nossa terra!!?? Tudo não pode ser culpa do governo. Retirar areia que serve de suporte para sua própria casa…só com Cristo! Depois quando a casa cair vêm para televisão pedir ajuda de governo e pessoas de boa vontade. Mas, isso que estão a fazer é boa vontade para com o ambiente e para com vocês próprios? Não se pode alegar falta de dinheiro para atos desses. As pessoas perderam a noção e fazem qualquer coisa para ter dinheiro rápido e fácil. Educar a nossa população é um desafio enorme.

    • Martelo da Justiça

      18 de Janeiro de 2017 as 11:18

      Sim, a culpa e dos Governos porque tal como acontece em Países civilizados, para esses casos, tem que se ter mão durra. Aqui não fazem para não perderes votos. Uma brincadeira!!!

  13. realista

    18 de Janeiro de 2017 as 4:50

    Com tanto milhoes k estado recebe investe na agricultura criando posto d trabalho.

  14. Original

    18 de Janeiro de 2017 as 8:23

    O Problema é que O PT utilizou os jovens como arma de arremesso contra a sociedade,conta os mais velhos e agora está a colher os frutos.Onde é que se viu alguém a dizer que vai continuar a fazer isto ou aquilo desafiando a autoridade?( que não existe)
    O reflexo disto tudo é fruto do desmando do País porque quem está lá em cima está a fazer o que quer e que lhe apetece passando por cima de tudo e todos enquanto a população está a acompanhar em silencio e quando vêem cá abaixo dar ordens,é isto que vemos e vamos ter situações piores se os de cima continuarem a ter esta conduta.Corrijam-se primeiro,que tudo acerta cá em baixo.

  15. Claudio scrutinio Mer

    18 de Janeiro de 2017 as 8:49

    É triste que isto só chegou agora. Esta mina de areia está a paredes meias com a Manção do Ministro das Infrasestruturas e Meio Ambiente.

  16. Ralph

    19 de Janeiro de 2017 as 5:42

    Qual é a razão pela extração? A areia tem algum valor especial? É muito difícil imaginar que qualquer pessoa fosse ameaçar a integridade da terra na qual a sua casa é construida, mesmo que se possa ganhar algum dinheiro da colheita. É um exemplo extremo de pensar no curto prazo. Esta areia deve ter mesmo muito valor para continuar a dar razão por extração apesar dos perigos claros. Deve haver outras maneiras para se sustentar que não envolva pôr em perigo a própria segurança. Não entendo o motivo por estas ações.

  17. Mitroglou

    19 de Janeiro de 2017 as 8:51

    De facto é uma situação muito triste que vem acontecendo a anos. Esta na altura dos nossos governantes por um fim nisto e tentar encontrar junto com a DGRN uma forma de recuperar a degradação existentes nestas zonas. Sugiro que, primeiramente, o governo tem que criar e aprovar uma lei dos inertes do país o quando antes, caso não continuaremos na mesmo situação. Os militares não vão conseguir proteger estas zonas por muito tempo. Isto já aconteceu antes e não resultou em nada. Sem lei não haverá nada. A lei será base, o alicerce para por cobro a esta triste situação.

  18. Mena Santos

    20 de Janeiro de 2017 as 12:39

    Caro amigo Mitroglou, o cerne do problema não esta na inexistência de leis. O Pais tem leis, o que falta é receio de as aplicar. O problema esta na fragilidade do próprio Estado em fazer valer suas autoridades. Mesmos que se crie mil e uma leis, se o Estado não as aplicar e fazer valer da sua autoridade, tudo continua inalterável. Num País serio, como pode indivíduos isolados sobreporem seus interesses particulares em detrimento de interesse geral ( a vida, a saúde, o ambiente). E não se faz nada por inexistência da lei? Com devido respeito, não subscrevo o seu ponto de vista.

Deixe um comentário

Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo