Sociedade

As Ilhas de STP ficaram mais pequenas

A dimensão territorial das ilhas de São Tomé e Príncipe, já não é de 1001 quilómetros quadrados. Dados divulgados no âmbito do plano nacional de ordenamento do território, indicam que o avanço do mar sobre a terra e outros fenómenos das mudanças climáticas, reduziram, a dimensão das duas ilhas para 991 quilómetros quadrados de terra.

Ao mesmo tempo o plano nacional de ordenamento do território, que começou a ser elaborado no ano 2017, por um consórcio de empresas israelitas e portuguesas, prevê um crescimento demográfico acelerado.

Actualmente segundo dados da Direcção do Instituto Nacional de Estatísticas a população de São Tomé e Príncipe, atinge 200 mil habitantes. Mas, segundo o plano nacional de ordenamento do território, até 2040 a população do país vai ultrapassar os 300 mil habitantes.

A dimensão da terra diminuiu, e o número de habitantes continua a aumentar. «Há uma previsão para muito mais de 300 mil habitantes para 2040. Devemos optimizar o uso do nosso território, que como tomamos conhecimento já não tem 1001 quilómetros. Por causa das mudanças climáticas subidas do nível do mar, e outras acções nossas mesmas, em relação a terra….», alertou o Ministro das Infra-estruturas e recursos naturais, Osvaldo Abreu.

O plano nacional de ordenamento do território, é um instrumento fundamental para a tomada de decisões para o desenvolvimento do país. O plano em fase de execução, foi apresentado ao Governo no mês de Agosto último.

Financiado pelo Fundo Africano de Desenvolvimento, no valor de 2 milhões e 400 mil euros, o plano nacional de ordenamento do território, prevê para o futuro a construção de mais um aeroporto na ilha de São Tomé, desta vez na região de Porto Alegre.

«Já havia um aeródromo naquela parte do nosso território…. Agora com o crescimento do turismo naquela parte sul da ilha de São Tomé, vem esta recomendação. É qualquer coisa que o Governo, deve ter em consideração e chamar o sector privado a intervir», precisou o Ministro das Infra-estruturas e Recursos Naturais.

O plano em elaboração, vai permitir ao país ter um novo pacote legislativo em matéria de ordenamento do território.

Coisa que segundo Felipe Moniz, responsável do sector, o país não dispunha. «Teremos uma nova cartografia, a existente tem mais de 50 anos. Teremos uma rede geodésica de primeira ordem renovada, porque a rede geodésica anterior data de 1915 e 1919», acrescentou o responsável do sector do ordenamento do território.

O Plano Nacional de Ordenamento do Território deve ficar concluído ainda neste ano 2020 e submetido ao parlamento para a devida aprovação.

Abel Veiga

    5 comentários

5 comentários

  1. Púmbú

    24 de Setembro de 2020 as 8:00

    Este ministro foi casar-se em Portugal? Alguém pode dizer quanto dinheiro é que Abreu gastou para as cerimónias, viagens deste seu casamento? Donde é a proveniência de tanto dinheiro gasto???

  2. Gregorio Martins

    24 de Setembro de 2020 as 9:06

    Foi o Ministro das Obras Públicas Osvaldo Abreu que o disse na sua entrevista a TVS

  3. Barão de Água Izé

    24 de Setembro de 2020 as 10:47

    Quem construiu o primeiro aeródromo em Porto Alegre?

  4. bom só

    24 de Setembro de 2020 as 10:51

    a subida do mar acontece não é só pelas alterações climáticas como sobretudo pela retirada constante e selvagem de inertes!!com tanta extracção de areia esperam o quê?

  5. luisó

    24 de Setembro de 2020 as 11:04

    Só quem é cego é que não ê isso.
    Basta ver o que se passa na praia lagarto quando há marés vivas….a estrada desaparece e a água do mar invade os terrenos com casas.
    No pacifico já se evacuaram ilhas por causa da subida do nível do mar.
    Todas as ilhas com populações ao nível do mar estão em risco nos próximos 50 anos ou talvez menos.
    Quem não estiver preparado vai ter problemas de existência.

Deixe um comentário

Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo