Estudos

Procuradora Geral da República com pernas de barro

Elsa Pinto, a nova Procuradora Geral da República, a quem compete entre outros, pôr a justiça nos carris da democracia e limpar os tribunais da malha de corrupção, vê a sua nomeação e investidura contestadas pela opinião pública e até pela Bastonária da Ordem dos Advogados, sucessora de Gabriel Costa, por destacadas razões:

– Deputada e dirigente partidária do MLSTP/PSD;

– Antiga Ministra da Defesa que ameaçou com ordem de prisão ao Presidente do Governo Regional do Príncipe;

– Familiar de Pinto da Costa, o Presidente da República e esposa de Alcino Pinto, o Presidente da Assembleia Nacional;

– Candidata as presidenciais de 2011, que recaí sobre si um crime na justiça

Deixemos, por agora Elsa Pinto e entremos pelos meandros da política, se possível a separação, com Gabriel Costa a cabeça.

O 1º Ministro do XVº Governo Constitucional escolheu a diversão para entreter a opinião pública com o caso de branqueamentos de capitais nas ilhas verdes. Enfim!

O Governo precisa de dinheiro para compor o seu Orçamento que depende em mais de 90% de ajudas dos parceiros de cooperação internacional, não é a blablar de dinheiro sujo que o dinheiro limpo entra nos cofres do Estado. É de investimentos estrangeiros que a economia precisa para animar o desenvolvimento. Chegou a hora da África.

Nos chamados países desenvolvidos e ocidentais, cuja globalização submete-nos a cópia, não se ouve falar de dinheiro sujo. Todo ele, é limpo piéné-piéné e até de brilho que nem o diamante. Aliás, nem é preciso chegarmos até lá em cima no Ocidente.

Os Governos devem dar condições de trabalho a equipas especializadas para caírem em cima dos milhões branqueados e os bens dos caçados, são revertidos na hora ao Estado. A cantiga é antiga.

Será que o 1º Primeiro-Ministro, Gabriel Costa, pretende tão e somente atingir ao seu antecessor, Patrice Trovoada? Assim, non dá, não!

O Estado embora padecendo de todas as enfermidades, há que corrigir os erros e encontrar a cura, dando continuidade no melhoramento do Estado, mesmo com o sumiço das papeladas. Estamos na era da informatização.

Na discussão do Estado da Nação na Casa do Povo, já recomposta na última semana, decorridos os dois meses do Governo, Gabriel Costa, volta com o caso de Kosovo, sem meias palavras com olhos nos olhos silenciosos dos retornados de ADI, direccionando, uma vez mais, ao Patrice Trovoada que usurpou das competências do Presidente da República.

Não ficou por aqui! Gabriel Costa disse mais: “Houve um acordo com uma sociedade sobre a questão de Croud Oil Alocacion e nós ainda estamos a descobrir nos meandros da administração algumas coisas que foram feitas.” Claro, uma vez mais, batotas com o petróleo que tem enchido a barriga de gatos pintados? O PM ainda vai ao caminho de descobrir as falcatruas. Esperemos que não lhe venha a faltar é tempo e disponibilidade política.

As vozes autorizadas da RDP-Africa disseram-nos que Patrice Trovoada teria fugido para Gabão, onde reuniu no início do mês com cerca de meia centena dos seus seguidores, incluindo antigos Ministros do seu Governo, pilotados desde STP por aeronaves de fretes pagas por antigo Primeiro-Ministro, porque, não só, temia da sua segurança nas ilhas como pessoas ligadas à si têm sido chamadas a interrogatórios obscuros pelo Ministro da Defesa.

Ao ser verdade esta perseguição às pessoas ligadas a um partido político, todas as vozes devem ser levantadas para condenar o acto e alertar ao Ministro da Defesa e Ordem Interna, que não teria caído de paraquedas no Governo por simples razão de, com as mãos de ferro meter ordem no país, (é bom ter o inimigo por perto e debaixo de atentos olhares) de que, a democracia tem regras e há os Tribunais, sede própria e com os juízes para comporem o que toca com as investigações de actos lesivos ao país através da polícia vocacionada.

Não faltam cordeiros de Trovoada a defender o Salvador que garantem ser o bilionário santomense. Só falta ao nosso dirigente político entrar na lista da revista americana Forbes, viciada a por na rua as contas dos endinheirados africanos a custa da pobreza do povo que, mais recentemente deu-nos a conhecer da inclusão no seu ranking de bilionários, o nome de Isabel dos Santos, como a primeira africana dos kumbus gordos.

Patrice Trovoada escapuliu-se das ilhas esquecendo-se do povo pequeno? Não! Voltará na hora certa com o povo em banho da consciência para o receber em apoteose logo que acalmar o mar. Ninguém tem dúvidas de que as viagens, quase que diárias de Patrice Trovoada ao estrangeiro e que, enquanto 1º Ministro chegou até a afirmar “gosto de viajar”, não eram para missões do Governo ou somente para esse efeito. A actividade privada sobrepunha a responsabilidade executiva? Não faltarão por aí Khadafi, a oferecer malas de dinheiro que se evapora pelo Atlântico, porque nos cofres do Estado são-tomense é que jamais entrou um tostão?

Ainda não ouvimos o pai, Miguel Trovoada, político são-tomense e respeitável pelas palavras, cujo silêncio é ensurdecedor a volta da maka que nos fechou 2012. Lemos sim no Parvo, passo a publicidade, um jornal fundado pelo saudoso professor Armindo Cardoso, onde impressionou-nos pela negativa a carta «Que culpa tens como filho de um “terrorista”, político, nacionalista, golpista, prisioneiro político, …?» de Mário Bandeira (quem conheci em 1990/91 na qualidade de fundador de CODO e sempre comunguei das suas críticas aos desgovernos da República). Tornamo-nos todos subservientes dos políticos ao ponto da sabedoria facultada pela docência do conhecimento descer-nos ao reli? Com todo o respeito pelo contraditório, a carta pública em questão mendiga os limites da decência.

Agora sim! Voltemos a Procuradoria-Geral da República.

Elsa Pinto, cristã de tradição familiar podia até dar uma boa Procuradora como demonstrou no Ministério da Defesa chamando os homens de armas a sua volta para comporem a casa de leis de defesa e segurança nacional. O actual Ministro da Defesa, Óscar Sousa, conhecedor dos militares tem matérias para dar continuidade que possam adequar o exército a dimensão e a situação insular e geoestratégica cobiçada das ilhas e não apenas gerir os jovens que se refugiam nos quartéis em busca do primeiro emprego.

Não resta qualquer incerteza de que a imparcialidade que se julga querer do Ministério Público fica bastante beliscada com a figura política de Elsa Pinto na qualidade de personalidade partidária com pretensão até de líder do MLSTP/PSD. Só que, para cargos de nomeação e de confiança, mesmo recorrendo aos nacionais no estrangeiro, estes facilmente caem no reino dos males e virá a tona, a coloração política. Pena! Nas ilhas, tornou impraticável sobreviver-se sem política. É só revermos os ficheiros.

Ao ameaçar o Presidente do Governo Regional do Príncipe, aflito na altura com os populares que estavam impedidos de acompanhar as emissões de rádio e televisão na região autónoma que prometeu desligar as antenas de radar dos militares na região, a então Ministra da Defesa para exibir a autoridade do Estado e sem meias medidas levantou alto demais a cruz. Se levar a mesma voz consigo e mandar prender todos quantos lesaram e lesam ao povo são-tomense? Ah! Isso é bom de ver os bens regressarem ao Estado.

A terceira cruz, a questão familiar, qualquer são-tomense de bom juízo sabe que Pinto do casal Elsa e Alcino de longe tem a ver com o do Presidente da República. Nem tão pouco Costa do Gabriel tem algo de perto com o do PR. Todavia, porque estamos no país de Somos Todos Primos, tudo dá para levantar poeiras.

Aliás, nem é de vir ao baile o caso do marido que a ADI pateticamente ofereceu o lugar constitucional de Presidente da Assembleia, tendo em conta que Elsa Pinto foi candidata as presidenciais e num caso hipotético, já pensamos se fosse ela actualmente na cadeira do Palácio cor-de-rosa? Nos países com Estado na plenitude da palavra, muitas das vezes, os casais têm de divorciar-se a luz da lei para terem benefícios sociais e jurídicos. Deve ser assim na nossa moral política?

Em última análise, trazemos a cruz das cruzes de Elsa Pinto, a criminosa na própria casa por ter passado um cheque de 270 milhões de dobras, sem cobertura em 2011 que foi parar misteriosamente a empresa Prestígio com a qual tinha dívida e que, garantiu dirigir o Ministério Público com rigor e imparcialidade rejeitando as críticas, as condenações e até aconselhamentos que a tinta já fez escorrer.

O Primeiro-Ministro não deve queixar-se da pressão nem do PR nem dos partidos do Governo, porque é ele o chefe executivo. Jurou perante a Nação e ao Mundo que é ele o chefe e tudo faria para cumprir as normas democráticas. Podia até ser compreendido se fosse com algum Ministro que lhe foi cair as mãos que nem batatas quentes. Não teve o necessário timing. Se é comissário do Presidente da República, agora aguenta!

Será que Elsa Pinto, igual a maioria dos políticos são-tomenses padece da falta da higiene mental?

Há momentos em que, para casos excepcionais devem existir medidas compatíveis com a realidade. Estamos todos recordados aquando do seu antecessor ter dado ordens de prisão ao colega do partido, o advogado Adelino Izidro. Porque estava em jogo a vida de um cidadão “mandado a balear” pelo advogado, ninguém reclamou da decisão de Roberto Raposo. Será que um cidadão que, eventualmente venha a lesar o Estado em valores astronómicos e que passa um cheque sem cobertura e, na tentativa de abandonar o país, quer ele nacional ou estrangeiro, a doutora Elsa Pinto, para este caso excepcional seguirá as pisadas do antigo titular do MP? Com que moral?

Na última semana o Papa Bento XVI, Chefe de Estado e Chefe Espiritual do mais pequeno Estado do Mundo, o Vaticano, o grande teólogo, pela primeira vez na Santa Sé desde 1415, resignou-se a cadeira episcopal, o lugar sempre conservador apesar das mudanças democráticas do Mundo, deixando ao César o que é de Deus ou vice-versa conforme os espíritos.

Elsa Pinto, de fé evangélica, vem na quinta-feira e em contramão do doutrinário e numa declaração pública precipitar a pretendida estabilidade governativa. No mínimo, porque não apagar as tintas avermelhadas a volta do seu bom nome de mãe? Senhora Procuradora, deixe cair a cruz de Procuradoria-Geral da República! Nem que, por uns dias, o seu nome já lá está em pedra de mármore.

Vox Populi, vox Dei.” Voz do povo, voz de Deus.

18.02.2013

José Maria Cardoso

    21 comentários

21 comentários

  1. C.Semedo

    18 de Fevereiro de 2013 as 15:35

    Todo o homem erra e o Senhor Pinto da Costa como homem que também é não está livre de errar a não ser que seja por capricho. Portanto pensa-se que o Senhor ainda vai a tempo de demetir a Senhora Elsa Pinto. Admira-se o silêncio total da Presidência da República, será que os Juristas da Presidência lavaram as suas mãos? Por mais que eles se refugiem no silêncio jamais deixarão de ser verdadeiros cumplices.Estão lá e são pagos para aconselhar para o bem deste nosso belo País.De instabilidade estamos cansados.

    • ecuatorial guinea

      19 de Fevereiro de 2013 as 14:54

      Em Portugal, o presidente Cavaco Silva condecorou o ex-PGR, Pinto Monteiro, pelo árduo trabalho desempenhado. Enquanto que em Sao Tome o presidente Manuel Pinto da Costa e Sra Elsa Pinto perseguem o digno Procurador-Geral Adjunto Roberto Raposo, depois de ter trabalhado arduamente esses anos todos com bons feitos no Ministério Público. Assim vai a nossa república das bananas.

  2. são tome

    18 de Fevereiro de 2013 as 15:40

    O autor diz “Gabriel Costa, volta com o caso de Kosovo, sem meias palavras com olhos nos olhos silenciosos dos retornados de ADI”. Pois enganas-te. Os deputados so foram a AN na sexta feira, não estiveram lá na qunta para não ouvir o Gabriel falar…

  3. Camuenda

    18 de Fevereiro de 2013 as 15:42

    Meu povo não se preocupem, o homem manda com tempo e Deus, manda para sempre.

    • O Revolucionário

      19 de Fevereiro de 2013 as 10:38

      Com tudo isto que vem se passando a volta do povo, resta-me apenas uma questão: Quem de fato tem o poder nas suas mãos? Quem de fato coloca esses cabrões, ladrões e desgraçados no poder para administrar a justiça em nome do povo? Logo, reflita-mos no seguinte lema dos Santomenses: “Povo põe, povo tira”, por isso, cabe ao povo decidir o que fazer… Pois, se fechar-mos os olhos a su«ituação e continuarmos apenas a falar e não agir, um dia ainda chegaremos à epoca da ditadura em S.T.P, porque o que esses cambardas la todos tanto do Governo como da Presidencia, querem é reunir as suas tropas para dominarem o povo com um poder único e ditador… Abramos os olhos e encaremos a realidade, não nos deixemos levar pelo discurso do Sr Presidente nas proximas eleições nem das ações idioticas do ex primeiro Patricio desobediente Trovoada nos cegar novamente, porque eles todos não valem nada….

  4. Santomé Plodôsu

    18 de Fevereiro de 2013 as 16:30

    Resumudamente, foi posto o gato a tomar conta do peixe. Ah ah ah! Só não come se não quiser.
    Que falta de vergonha!
    Que falta de respeito!
    Que falta de ética!
    Que política suja!
    Que baixeza!
    Credo!!!

    • Chocolate-Biológico

      19 de Fevereiro de 2013 as 8:54

      Só com CRISTO…!!!

  5. André

    18 de Fevereiro de 2013 as 17:14

    Dra. Elsa, já leu este comentário ? Se ainda
    não o leu, por favor, alguém que a faça entender.
    Estamos num Pais Democrático e não numa
    Ditadura. A senhora ainda vai a’ tempo de renunciar o cargo tendo em conta a situação aqui
    relatada. Deixa de ser EGOÍSTA para bem desta
    Flagelada Nação POLITICAMENTE.
    Ao Senhor Dr.Gabriel Costa e ao Sr Dr. Manuel Pinto da Costa, agradeço-vos que esqueçam os
    primeiros anos da vs Ditadura e analisem bem e muito bem a questão em causa. Já chega de meter
    irmãos, primos, cunhados e sobrinhos. São Tome e
    Príncipe, e’ a Nação de TODOS NOS e não Propriedade familiar.

  6. Petroleo bruto

    18 de Fevereiro de 2013 as 18:54

    Foi uma armadilha para a Elsa Pinto, ela sabe, desconfia, ja disse a uma amiga tudo.
    E dai qual é a solução.
    Esperar o desfecho da coisa leve leve.
    Mas para mim a solução é mesmo sair e ja!!´
    Prima deixa este cargo, é muito forçado.

  7. Sacode puera

    19 de Fevereiro de 2013 as 2:59

    ADI ladroes do povo vão para casa pensar um outro assalto ao pais só dão para isso o povo já vos conhece bandidos .AD I afasta diabo no inferno .

  8. ze maria gomes

    19 de Fevereiro de 2013 as 9:05

    E está tudo dito. Desistir é uma palavra que não existe no vocabulário desta senhora. Nem com a candidatura do dito Pai Grande ela desistiu das presidenciais que fará agora com este TACHO garantido. Nunca. Força Elsa, continue a cavar a tua propria sepultura.

  9. PÓLVO de MAR BRAVO

    19 de Fevereiro de 2013 as 11:47

    DEIXA ELSA PINTO AJUDAR A PENALIZAR QUEM DELAPIDOU OS BENS DO ESTADO E DO POVO.
    ESLA PINTO NÃO DEMITE, MAIS SIM ABATE OS FALSOS PROFETAS. ESTE GOVERNO DE GABRIEL COSTA, VEIO PARA PÔR NA JUSTIÇA TODOS DAQUELES QUE ENGANARAM O POVO.

    • E. Santos

      19 de Fevereiro de 2013 as 12:39

      Já viu juíz em causa própria? Se for esta a missão de Elsa Pinto, tinha de submer a si própria a julgamento, o marido a julgamento, os amigos do partido a julgamento.
      É sureal, não? Por esta e por outras é que achamos incompatível o seu perfil e percurso com o cargo em questão.

    • E. Santos

      19 de Fevereiro de 2013 as 12:51

      Se o objectivo fosse de facto dignificar a justiça, ir atrás de todos os delapidadores do erário público (mas todos sem excepção) não tinha de ser necessáriamente Elsa Pinto a PGR e constatando as incompatibilidades, a recusa de todos os Santomenses de bem pela escolha da Sra para o cargo, quer o 1.º Ministro, quer o Presidente da República já teriam vindo não só pedir desculpas ao povo, mas sanado a inconformidade da situação sem que isto deixasse sequelas no país e nas suas gentes espalhadas pelo mundo.
      Mas, assistindo a uma insistência quer de uma parte, quer da outra, contra tudo e todos e mesmo sabendo que a Sra. Elsa Pinto não reune as condições necessárias para ocupar o cargo, isto deixa-me pensar que existe muito mais coisas por detrás desta nomeação do que julgamos nós, meros espectadores.
      Não é normal, que um PR e um PM, os dois estejam a passar claramente por cima da Constituição e das Leis de forma deliberada.
      Só por isso, nós cidadãos já poderiamos mover um processo contra o PM por quebra do juramento feito de cumprir e fazer cumprir a constituição e as leis.
      Que moral tem quem não cumpre, querer exigir que outros cumpram.
      Como já disse em tempos, o PR deu o pontapé de saída para a desordem e agora é o que é.

    • de Ceita

      19 de Fevereiro de 2013 as 14:54

      Espero que a Srª Procuradora, contribua também, e tenha coragem para colocar alguns colegas seus do partido e de coligação com queixas crimes e indiciados em actos de corrupção na cadeia, e espero que não seja só os do ADI.

  10. POVO É QUE MANDA

    19 de Fevereiro de 2013 as 12:08

    Senhores deputados e senhores Ministros, ja chega de bla bla bla. Ja sabemos que o Governo de P.Trovada delapidou Tesouro Publico. Agora é ação, SÓ TEMOS 10 MESES PARA TERMINAR O ANO. VAMOS MOSTRAR O SERVIÇO!! SÓ ASSIM TEREMOS RAZÃO NAS PROXIMAS ELEIÇÃO. APROVE O ORÇAMENTO…O PAIS ESTÁ PARADO…TEMOS QUE GANHAR O TEMPO..

  11. Pina

    19 de Fevereiro de 2013 as 12:57

    Renuncia ao cargo, senhora PGR, é sinal de “MODERNIZAÇÃO”

  12. abaju

    19 de Fevereiro de 2013 as 15:16

    nao esperre ser humilhada amiga dimita te antes que sejs tarde para te e em nome de tua familha

  13. azemo andrade

    19 de Fevereiro de 2013 as 16:43

    Ok
    E agora
    O que será
    OHHH

  14. Sara

    20 de Fevereiro de 2013 as 13:06

    Realmente a gente que nada tem a fazer a não ser persseguir aqueles que tentam de algum modo ajudar o pais. Aproveitam-se da declarações para darem o seu show
    O Senhor José Maria Cardoso devia ser chamado a provar os laços sanguíneos das entidades referidas Elsa, Alcino e Manuel.
    Realmente o nome da senhora termina em Pinto por ter herdado o nome de família do marido…..o resto investigue em vez de ser agitador sem causa própria.

  15. ze maria gomes

    21 de Fevereiro de 2013 as 9:51

    Cara Sara, tens alguma dúvida que esses três têm LAÇOS FAMILIARES? São todos do “MLSTP”.

Deixe um comentário

Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo