Desporto

A selecção feminina de futebol 11 deixa hoje o país com destino a Banguí, capital da república Centro Africana

futebol-feminino.jpgA Selecção  feminina de futebol  viaja este fim de semana para a República Centro Africana. A equipa nacional irá participar na pré-eliminatória do mundial de Alemanha 2010. Desde de 2002 que o país não participa numa competição internacional no escalão feminino.

Está tudo apostos para a partida da selecção feminina de futebol 11.  A equipa está motivada e confiante numa vitoria. Desde 2002 altura em que defrontou a República do Mali, que a selecção feminina não competiu a nível internacional. «Como já temos esse campeonato em dia e tem havido essa emancipação toda do futebol feminino no país, e havendo essa possibilidade seria uma mais valia. Elas estão mais animadas e já podem apresentar o futebol a nível internacional. É uma forma de fazer ver as senhoras de outro canto do mundo que as mulheres são-tomenses continuam a dedicar o futebol», disse Ricardino Neto Secretario Geral da FSF.

O primeiro jogo terá lugar em Banguí, capital da República Centro Africana, e duas semanas depois a selecção nacional, receberá em casa a adversária centro africana. Quem tiver mais pontos passa a outra fase, e joga com a República Democrática do Congo. Apesar da pouca experiência São Tomé e Príncipe, está confiante num bom resultado. «Da parte administrativa as coisas , o governo tem dado tudo para que isso se torne uma realidade. Tenho estado sempre com a equipa técnica e não só. Todas as jogadoras estão motivadas. Mas é claro que entenderá que isto é o nosso nível , não vamos nos comparar com outro país mais desenvolvido mas vamos ter uma boa apresentação» sublinhou Ricardino Neto.

Ana da Conceição, capitã da selecção também se mostrou confiante nos resultados «vamos para ganhar, estamos confiantes. Estamos a trabalhar mais o passe, alguns domínios, estamos a treinar algumas atletas em termos de velocidade. Mas temos força de vontade e vamos lá para tudo ou nada. Temos um pouco de receio porque não conhecemos a equipa, não sabemos que tipo de comida vamos encontrar, mas vamos passar por cima de tudo isso», pontuou.

A participação do país neste jogo também é uma forma de ganhar prestígio junto a FIFA. A Caravana santomense é composta por trinta pessoas dentre os quais dirigentes e atletas.

Ectylsa Bastos

Recentemente

Topo