Advogado Flávio Pinto é arguido

Publicado em 11 Nov 2009
Comentários; fechado

flavio-pinto.jpgO advogado Flávio Pinto foi ouvido na última semana pelo Ministério Público no âmbito das declarações proferidas nos finais de Outubro último, em que acusou o Procurador-geral da República Roberto Raposo de ter arrombado o gabinete do Procurador Adjunto Rafffel Raposo tendo retirado o processo-crime da STP-Trading que estava na posse do Procurador Adjunto. O Téla Nón apurou que o advogado Flávio Pinto, foi constituído arguido no processo-crime de difamação e injúria contra a Procuradoria-geral da República.

No dia 18 de Outubro último, em declarações a imprensa diante do edifício da procuradoria geral da república, o advogado Flávio Pinto que defende um dos membros da STP-Trading envolvido no escândalo financeiro, disse que «Hoje precisamente assinala os dois meses deste processo. Uma situação de todo anormal e irregular e que nós os advogados não podíamos ficar indiferentes. Findo este prazo de 60 dias os arguidos que estão presos preventivamente terão que ser postos em liberdade. O incidente envolveu as duas figuras mais importantes da procuradoria-geral da república. O procurador-geral da república pretensamente teria mandado invadir o gabinete do Procurador Rafer Raposo, tendo arrombado a gaveta do procurador adjunto, e colher o processo, porque este não conseguia reunir elementos para que pudesse deduzir a acusação. Trata-se de uma situação anormal que nós os advogados tínhamos que denunciar», referiu o advogado em Outubro último.

Flávio Pinto disse mais «Perante uma situação de pressão, perante uma situação em que ele (Procurador Geral) não tem solução teve que fazer este expediente».

O Téla Nón apurou que a Procuradoria-geral da República, ficou chocada com tais declarações que segundo fonte do ministério público põem em causa a imagem da instituição judicial. Por isso, assegurou a fonte foi movido um processo judicial contra o advogado que na ocasião falou em nome de outros colegas advogados que estavam presentes nos arredores da Procuradoria-geral da República.

A fonte garantiu ao Téla Nón que tudo o que a história contada pelo advogado é falsa, e vai ficar provado em tribunal.

Na última semana o advogado Flávio Pinto foi interrogado no Ministério Público, e foi constituído arguido, apurou o Téla Nón junto ao ministério público. Agora advogado deverá provar em juízo as declarações alegadamente injuriosas que proferiu contra o Procurador-geral da República.

Abel Veiga