Sociedade

Quadros superiores da administração pública incluindo membros do governo estão a ser formados em matéria de liderança e gestão estratégica

A carneiro.jpginiciativa apoiada pelo Programa das Nações Unidas para o desenvolvimento (PNUD), pretende incutir nos dirigentes são-tomenses uma nova visão para o futuro. Um futuro que implica motivação e inovação de valores. Professor Roberto Carneiro(na foto), antigo ministro da educação de Portugal, está a ministrar o primeiro módulo do curso.

O primeiro ministro de São Tomé e Príncipe, Rafael Branco, que presidiu a abertura do curso que nesta primeira fase vai demorar 3 dias, destacou a importância do evento numa altura em que o arquipélago carece de líderes e de competências em termos de gestão de projectos de desenvolvimento. O chefe do Governo, declarou que o país precisa urgentemente de novos líderes.

Gestão estratégica e liderança, domina o curso que está a ser orientado pelo professor Roberto Carneiro da Universidade Católica Portuguesa. «Vou tentar transmitir os vários conceitos de liderança, um curso mais académico. Como é que as pessoas podem definir visões, sons, definir posicionamento estratégico no mercado, como é que podem bater a concorrência. A ideia fundamental é criar riqueza e valores. Sem criação de riqueza para o país e para o consumidor, o país está parado», explicou, o professor.

Num país onde a coloração política sobrepõe-se a competência, o professor que está a formar os quadros da administração central do estado bem como o primeiro ministros e os membros do seu elenco, diz que «A política pública não pode excluir. A visão deve ser a mais consensual possível, não deve ser de uns contra os outros», referiu.

Roberto Carneiro acredita no desenvolvimento de São Tomé e Príncipe e garante que o curso de formação sobre a liderança e gestão estratégica é mais um contributo para se alcançar tal objectivo. «O país é pequeno é pobre mas pode desenvolver-se rapidamente, tem grandes possibilidades, tem grandes oportunidades. Agarrar as oportunidades agarrar os seus líderes, e o seu talento, com isso dará volta. Hoje tudo se faz com pessoas, em talento e em competência não se faz mais com base em recursos naturais. É o conhecimento e inovação que faz com que os países ganhem e São Tomé tem essa possibilidade», concluiu.

Até Julho próximo, os quadros são-tomenses vão beneficiar de mais duas sessões de formação, nomeadamente Performance, Planeamento e Controlo de Gestão (Junho), orientado pelo Professor Paulo Pardal, e Liderança, Motivação e Coordenação de Equipas (Julho), administrado pelo Professor Luís Caeiro.

Para já os ministros e outros dirigentes do país, estão na sala de aulas sob o comando do professor Roberto Carneiro, para descobrir Gestão Estratégica e Gestão do Conhecimento.

Abel Veiga

.

Recentemente

Topo