Sociedade

Polícia Federal Brasileira está a caminho de São Tomé e Príncipe para investigar STP-Trading

O caso já se transformou num escândalo. A Direcção da STP-Trading demitiu-se em bloco no último fim-de-semana. As declarações tornadas públicas por António Quintas, em nome do grupo de 7 membros da STP-Trading, exigindo a intervenção das instituições judiciais dos dois países para esclarecer algumas suspeitas de corrupção no processo de utilização dos 5 milhões de dólares cedidos pelo Brasil para importação de bens alimentares, provocou a demissão de Armando Correia (director geral), Osvaldo Santana (director comercial) e Delfim Neves (directos administrativo e financeiro). A STP-Trading está desfeita, mas a justiça não larga o processo. O Ministério Público continua esta segunda – feira a ouvir pessoas implicadas no caso da importação dos produtos alimentares, depois de na última sexta feira ter ouvido a brasileira Mercia Radicchi e António Quintas um dos membros da STP-Trading que se revoltou contra a direcção da empresa. Fonte segura do ministério público, garantiu ao Téla Nón que há indícios suficientes de corrupção, pelo que alguns declarantes vão ser constituídos arguidos. Para reforçar a investigação o Téla Nón apurou que a polícia federal brasileira já pediu autorização das autoridades são-tomenses para enviar seus agentes a São Tomé a fim de investigar o caso em parceria com a justiça são-tomense. Estão em causa 5 milhões de dólares cedidos pelo governo Brasileiro a favor de São Tomé e Príncipe, para travar a constante rotura de bens da primeira necessidade no mercado.  

Recentemente

Topo