00 239 - 9906263 contact@telanon.info

Get Adobe Flash player

Taiwan busca intervir na luta contra o aquecimento global

 

Dr. Ying-Yuan Lee
Ministro daProteção Ambiental da República da China (Taiwan)
24 outubro 2016

 

O aquecimento global eo fenómeno El Niño têm contribuído para temperaturas recordes e eventos climáticos extremos em todo o mundo. Em julho deste ano, as temperaturas médias globais tiradas sobre superfícies terrestres e oceânicas foram as mais altas para qualquer mês em 137 anos de manutenção de registos. Em junho, a temperatura em Taipei atingiu 38,7 graus Celsius, o mais alto num século. Outra anomalia recente é um declínio acentuado na frequência de precipitação constante. Em vez disso, fomos atingidos com uma série de chuvas torrenciais que causou muitas inundações, prejudicando significativamente as nossas infra-estruturas, ecossistemas, bem como culturas. Mais e mais provas estão mostrando que a mudança climática já está acontecendo. Se não tomarmos medidas para reduzir as emissões de gases de efeito estufa agora, vamos acabar por pagar muito caro mais tarde.

O crescimento económico ilimitado e exaustão excessiva levaram à mudanças climáticas que ameaçam a sobrevivência humana. Governos de todo o mundo percebem isso, e é por isso que o acordo marco de Paris foi adoptado em dezembro de 2015, trazendo todas as nações juntas sob uma causa comum que impulsiona ações de mitigação globais com metas de longo prazo. A mudança climática é sem dúvida a questão mais importante que coloca o futuro da humanidade em jogo. Como membro da comunidade internacional, Taiwan não pode ser um mero espectador diante deste problema e precisa de buscar soluções viáveis para viver de acordo ao nome de “Formosa”.

Nós promulgámos a Lei de Gestão e Redução de Gases de Efeito Estufa em Julho do ano passado, definindo o nosso objectivo a longo prazo para reduzir as emissões em pelo menos 50% abaixo dos níveis de 2005 até o ano 2050. Taiwan está entre poucos países que têm escrito na lei uma meta para redução de emissões de gases de efeito estufa. Além disso, temos vindo a perceber a necessidade de aumentar ainda mais a nossa eficiência energética e poupar energia, transformar a nossa estrutura industrial, bem como diversificar a nossa oferta de energia tocando em energias renováveis, como a solar, a eólica, a produção de biogás usando resíduos de criação de porcos com base no conceito de economia circular. Prevemos que até 2025, 20% da nossa energia vaiter a fontenas energias renováveis.

Temos também estabelecido ao abrigo do governo Executivo,o Escritório de Energia e Redução de Carbono, cuja principal tarefa é planear política geralde energia nacional e promover a conversão para novas formas de energia, bem como de redução dos GEE. O escritório coordena esforços entre agências governamentais e também estabelece parcerias entre o governo central e os locais para reduzir o carbono e desenvolver a energia limpa.

No discurso de posse em maio último, a presidente Tsai Ing-Wen deixou claro que Taiwan não estará ausente nos esforços globais para mitigar as alterações climáticas e que o seu governo vai rever regularmente metas para cortar as emissões de gases com efeito de estufa, em conformidade com o Acordo de Paris. Com esta ambição e na base da Lei de Gestão e Redução de Gases de Efeito Estufa,fixamos os objetivospor cada 5 anos que pretendemos alcançar, alinhando os nossos esforços emmelhorarascapacidades de resposta às mudanças climáticas e promover uma gestão eficiente na redução das emissões de gases com efeito estufa em todas as agências governamentais. Esta abordagem está em conformidade com os objectivos do Acordo de Paris, que incentiva todos os países em reforçar a determinação dereduçãodas emissões com o objectivo de atingir a meta de longo prazo em 2050.

Temos somente uma Terra e existe apenas um Taiwan. Portanto, não podemos levar a questão de mudança climática de ânimoleve à medida que nós de forma proativa respondemose apoiamos as iniciativas globais. A mudança climática é um problema global que transcende as fronteiras nacionais. As medidas que tomamos hoje poderão ter impactos profundos sobre a vida nas gerações futuras. As mudançsa climáticas requerem não apenas soluções nacionais, mas globais.

É por isso que os governos não podem atuar sozinho. Eusinceramente apeloà comunidade internacional para reconhecer e apoiar a determinação de Taiwan em obter uma participação significativa na UNFCCC e fazer parte da rede global do clima. Estamos dispostos a partilhar as nossas experiências de protecção do ambiente e contribuir nos esforços internacionais. Juntamente com as nações amigas, vamos juntar as mãos para proteger a terra sustentável.

Para mais detalhes veja o vídeo

https://goo.gl/TU8ZNK

Notícias relacionadas

Deixe um comentario

*