Economia

Air Nigéria liga São Tomé à sub-região africana

O Boeing 737 da Air Nigéria que na última semana começou a ligar São Tomé à Lagos, com escala em Libreville e Yaoundé, tem capacidade para transportar 116 passageiros. Com dois voos semanais a Air Nigéria pretende promover o turismo são-tomense.

O Ministro das Obras Públicas e Infra-estruturas, Carlos Vila Nova que inaugurou o voo da Air Nigéria em São Tomé, considera que a nova ligação aérea vai promover duas componentes importantes para o desenvolvimento do país, nomeadamente negócios e turismo. «Vai permitir maior vai e vem de homens de negócios, e sobretudo a componente turismo», referiu Carlos Vila Nova.

A ligação da Air Nigéria, acontece as quintas e sextas-feiras. Parte de Lagos, escala Camarões e Gabão e depois aterra em São Tomé. Uma ligação aérea que aproxima São Tomé e Príncipe de três capitais africanas. «São Tomé e Príncipe também tem a sua potencialidade e também abre caminho para o desenvolvimento de São Tomé e Príncipe junto com os países da sub-região africana. Estamos a trabalhar duas vezes por semana, e com três mercados», declarou Américo Cabral, Director da agência da Air Nigéria em São Tomé.

No voo inaugural pelo menos 40 passageiros vieram de Lagos e outros 15 seguiram para Lagos.

Note-se que para além da Air Nigéria, São Tomé e Príncipe conta com a companhia aérea da Guiné Equatorial, CEIBA, como outra ponte aérea para a sub-região africana. A CEIBA da Guiné Equatorial, realiza também dois voos semanais entre Malabo – São Tomé-Libreville, enquanto a transportadora angolana TAAG, assegura a ligação entre São Tomé -Luanda e Cabo Verde.

Abel Veiga

    30 comentários

30 comentários

  1. Filipe Samba

    23 de Agosto de 2011 as 5:55

    Ao
    corpo de vigilancia e protecção dos aerportos de Portugal que sejam mais severos com os passageiros provinientes de S.tomé .
    Concomitantemente os agentes de segurança das Ilhas.
    A nigeria tem um principio ou tudo ou nada
    Nota bem: O Pai da Mafia de substançias estupefacientes
    O departamento de controlo de infecto-contagioso de Sao tome e Principe, que tenha maior vigilancia.

    • luisó

      23 de Agosto de 2011 as 14:07

      caro filipe,
      concordo plenamente consigo mas também estou ciente que outros nos chamarão de racistas…
      mas a verdade é essa mesma da nigéria só vem bandido, drogas, e doenças como a sida.
      espanta-me é que vila nova diga que é bom para STP!!!!
      o que é que os santomenses vão fazer á nigéria? só se for os do petróleo para terem voo mais rápido….

  2. valentim cravid

    23 de Agosto de 2011 as 7:03

    A sida e a corrupção em STP vão aumentar em flecha!

    • OP Angola/STP

      23 de Agosto de 2011 as 19:05

      Particularmente vejo que o fato trará pontos positivos e negativos cabe ao governo de STP, as instituições envolvidas no processo e a sociedade tomarem as medidas cabíveis para minimizar impactos negativos.

    • london

      24 de Agosto de 2011 as 9:45

      caro,

      Realmente, nao querendo desvalorizar a boa intencao dos negerianos, nos os santomenses deviamos escolher melhor os nossos parceiros.Por que nao fazer parcerias com paises com que nos identificamos mais( paises europeus), pois acredito, que desse jeito, para alem de aumentar a taxa de hiv e outras duencas , estamos tambem a perder a nossa identidade.
      Na africa, os nigerianos sao os mais trambiqueiros, porque um pais tao pequeno como STP, vai justamente meter com esses gajos?
      Sinceramente, por essas e por outras digo, afirmando “estamos entregues a bixarrada”.

  3. Biboss

    23 de Agosto de 2011 as 8:06

    É de se parabenizar o governo por este efeito,m aconselho uma maior eficacia e rigidês na segurança nos serviços alfandigarios de STP,por causa das drogas,criminalidades,doenças,etc.
    Agora sim,STP também precisa sair da cauda do continente Africano.Tenho dito.

    • fakire

      23 de Agosto de 2011 as 12:44

      Da maneira como o nosso aeroporto e operado não tenho duvidas que muitos inocentes pagarão por culpa daqueles que tem acesso ao terminal a qualquer altura, interferem nos serviços de checking e ninguém diz nada. Aeroporto sem controlo a deriva como o Pais. Salve-se quem puder.

  4. Filho da Terra

    23 de Agosto de 2011 as 8:07

    Caro Valentim

    Tu deixa de ser burro ;Essa companinha é o principio do desenvolvimento ,se tu queres ver o nosso pais a crescer tera que aparecer esses tipos de negocios porque só assim os filhos de São tomé tera opurtunidades de conhecer outro mundo entendes-te , não aquilo que estas a dizer que vai aparecer sida .

    • valentim cravid

      25 de Agosto de 2011 as 6:55

      Se conhecer outro mundo é a Nigéria, vai lá vai. 🙁

  5. l

    23 de Agosto de 2011 as 8:36

    Esta e a segunda fase “da invasao pacifica” das ilhas. Mais Nigerianos? Estamos a massificar entrada desses tipos nas ilhas? CUIDADO Pinto.

  6. sara

    23 de Agosto de 2011 as 9:23

    amigo Valentim! a melhor forma de combater a sida é deixar de usar mulheres atoua.
    seja fiel a aquela que tens em casa ok!
    E para combater a corrupção deves falar é com o seu governo

  7. O Visionario

    23 de Agosto de 2011 as 10:00

    Acho que os Vôos da Air Nigéria sao as:
    Terças e Quintas feiras isto falando da
    rota Gabao- Sao Tomé.

    Desculpem-me se estou errado.

  8. povo

    23 de Agosto de 2011 as 11:57

    Acho ser o tempo dos serviços de migação e fronteira estar bem atento com o fluxo de estrangeiro no páis, principalmente com esses chamado amigos Nigeriano. Eles pintam muita manta!! Sao grupo que em muitos ponto imigratorio tenhem vigilancia maxima. E o estado tem que preparar lei para emigrante, pergunta os santomense que estao no estrageiro.

  9. Anca

    23 de Agosto de 2011 as 11:58

    Artigo desenvolvido por;

    “Jeffrey D. Sachs – © Project Syndicate, 2008.”

    “Um mundo de regiões”

    “Em praticamente todas as regiões do mundo, inúmeros problemas latentes e persistentes podem ser solucionados através de uma cooperação mais estreita entre os países vizinhos.”

    “A União Europeia apresenta o melhor modelo sobre como é que vizinhos que durante tanto tempo lutaram entre si podem acabar por se aliar em torno de um benefício mútuo.” “Ironicamente, o actual declínio do poder global da América poderá levar a uma cooperação regional mais eficaz.”

    “Esta poderá parecer uma altura estranha para elogiar a União Europeia, atendendo às crises económicas na Grécia, Espanha, Portugal e Irlanda.” “A Europa não solucionou o problema de equilíbrio dos interesses das economias fortes do Norte e das economias mais fracas do Sul.” “Ainda assim, as conquistas da UE compensam enormemente as suas actuais dificuldades.”

    “A UE criou uma zona de paz onde antes havia uma guerra sem tréguas.” “Providenciou a estrutura institucional para reunir a Europa Ocidental e Oriental.” “Promoveu uma infra-estrutura à escala regional.” “O Mercado único tem sido crucial para fazer da Europa uma das regiões mais prósperas do planeta.” “E a União Europeia tem sido uma líder global em matéria de sustentabilidade ambiental.”

    “Por estas razões, a UE constitui um modelo único para outras regiões que continuam enredadas em situações de conflito, pobreza, falta de infra-estruturas e crise ambiental.” “As novas organizações regionais, como a União Africana, vêem na UE um modelo para a resolução de problemas e para a integração.” “No entanto, até ao momento, a maioria dos grupos regionais continua a revelar-se demasiado fraco para solucionar os problemas prementes dos seus membros.”

    “Na maioria das restantes regiões, as contínuas divisões políticas encontram as suas raízes na Guerra Fria ou na era colonial.” Durante a Guerra Fria, os vizinhos competiam frequentemente entre si, ao “escolherem o seu campo” – aliando-se aos Estados Unidos ou à União Soviética.” “O Paquistão pendeu para o lado dos norte-americanos; a Índia para a o lado dos soviéticos.” “Os países tinham poucos incentivos para criarem climas de paz com os seus vizinhos, desde que continuassem a usufruir de apoio financeiro por parte dos EUA ou da URSS.” “Pelo contrário, os contínuos conflitos conduziam frequentemente à obtenção de mais ajuda financeira.”

    “Com efeito, os EUA e a Europa agiam muitas vezes no sentido de fragilizar a integração regional, que acreditavam que limitaria a sua capacidade de influência.” “Assim, quando Gamal Abdel Nasser fez um apelo à unidade árabe, nos anos 50, os EUA e a Europa viram-no como uma ameaça.” “Os Estados Unidos tentaram fragilizar o seu apelo em prol de uma forte cooperação e nacionalismo árabe, receando uma perda da influência norte-americana no Médio Oriente.” “Isso fez com que Nasser alinhasse cada vez mais o Egipto com a União Soviética, tendo acabado por fracassar no intento de unir os interesses árabes.”

    “No entanto, a realidade actual é a de que as grandes potências já não conseguem dividir e conquistar outras regiões, mesmo que tentem.” “A época do colonialismo terminou e estamos agora a abandonar a era do domínio mundial dos Estados Unidos.”

    “Os recentes acontecimentos no Médio Oriente e na Ásia Central, por exemplo, reflectem claramente o declínio da influência norte-americana.” “A incapacidade, por parte dos Estados Unidos, de conseguirem uma vantagem geopolítica duradoura através da utilização da sua força militar no Iraque e no Afeganistão, sublinha os limites do seu poder, ao mesmo tempo que a crise orçamental norte-americana assegura que o país irá reduzir os seus recursos militares muito em breve.” “Da mesma forma, os EUA não desempenharam qualquer papel nas revoluções políticas que estão em curso no mundo árabe e ainda não reagiram com qualquer tipo de política clara perante a situação.”

    “O recente discurso do presidente Barack Obama sobre o Médio Oriente constitui uma demonstração suplementar do declínio da influência dos norte-americanos naquela região.” “O referido discurso chamou a atenção sobretudo por apelar a Israel que regresse às suas fronteiras de 1967, mas o efeito foi anulado quando Israel pura e simplesmente rejeitou a posição dos Estados Unidos.” “O mundo pôde constatar que não iria ser dado grande seguimento a este apelo.”

    “O resto do discurso foi ainda mais revelador, apesar de ter passado relativamente despercebido.” “Quando Obama se referiu aos tumultos políticos no mundo árabe, salientou a importância do desenvolvimento económico.” “No entanto, no que diz respeito às acções norte-americanas, o máximo que os EUA puderam oferecer financeiramente foi um ligeiro alívio da dívida do Egipto (mil milhões de dólares), magras garantias de empréstimos (mil milhões de dólares) e alguma cobertura seguradora para os investimentos privados.”

    “A verdadeira mensagem foi que o governo dos EUA iria contribuir de forma pouco significativa em termos financeiros para a retoma económica da região.” “A época em que um país podia depender em larga escala do financiamento norte-americano acabou.”

    “Em suma, estamos a caminhar para um mundo multipolar.” “O fim da Guerra Fria não conduziu a um maior domínio dos EUA, mas sim a uma disseminação do poder global por muitas regiões.” “O Leste Asiático, o Sul da Ásia, a América Latina e o Médio Oriente têm agora uma nova influência geopolítica e económica.” “Cada vez mais, cada região tem de encontrar o seu próprio caminho para o desenvolvimento económico e para a segurança alimentar e energética, bem como para uma infra-estrutura eficaz, e deve fazê-lo num mundo ameaçado por alterações climáticas e por escassez de recursos.”

    “Assim, cada região terá de garantir o seu próprio futuro.” “É evidente que isso deve suceder num contexto de cooperação entre regiões e dentro delas mesmas.”

    “O Médio Oriente está numa posição suficientemente sólida para o conseguir.” “Existe um elevado grau de complementaridade económica entre o Egipto e os Estados do Golfo ricos em petróleo.” “O Egipto pode fornecer tecnologia, mão-de-obra e conhecimentos periciais à região árabe, ao passo que o Golfo pode fornecer energia e financiamento, bem como alguns especialistas.” “Há que reconsiderar a visão há muito rejeitada de uma união económica árabe.”

    “Israel também deveria reconhecer que a sua segurança e prosperidade de longo prazo serão em parte melhoradas com uma região economicamente mais forte.” “A bem dos seus próprios interesses nacionais, Israel deveria entender-se com os seus vizinhos.”

    “Outras regiões irão também descobrir que o declínio do poder dos EUA intensifica o carácter de urgência de uma cooperação mais sólida entre vizinhos.” “Algumas das maiores tensões a nível mundial – como entre a Índia e o Paquistão, ou entre as duas Coreias – devem ser resolvidas, a bem de um fortalecimento de toda a região.” “Conforme o demonstra a União Europeia, as inimizades e as linhas de batalha de outrora podem ser transformadas numa cooperação mutuamente vantajosa se uma região optar por olhar em frente para colmatar as suas necessidades de longo prazo, em vez de olhar para trás, para as suas rivalidades e conflitos históricos.”

    “Jeffrey D. Sachs é professor de Economia e director do Instituto da Terra da Universidade de Columbia.” “Sachs é também conselheiro especial do Secretário-Geral das Nações Unidas para os Objectivos de Desenvolvimento do Milénio.”

    In Negócio Online

  10. fakire

    23 de Agosto de 2011 as 12:35

    Estreitam-se os laços com a Nigéria e fracassam noutros lados (Europa). Agora sim vamos ver como serão os visto para Portugal. Vamos todos perder. A Nigéria e considerada o País mais corrupto da Africa, e é ali onde o desenvolvimento vai começar. Talvez no próximo governo as coisas vão mudar.

  11. Digno de Respeito

    23 de Agosto de 2011 as 13:26

    Criação de unidade de polícia cientifica para nosso STP. Aproveitar mais valia do capital humano nacional.

  12. Digno de Respeito

    23 de Agosto de 2011 as 13:28

    Senhor editor-jornalista, porque não publica comentários? justifica!

    • Téla Nón

      23 de Agosto de 2011 as 16:48

      Porque a maioria dos comentários aguarda por moderação. Porque o pessoal do Téla Nón, não tem acesso a internet quando está no terreno ou em outras actividades do dia a dia e por isso mesmo só pode moderar os comentários quando se encontra na redacção do Jornal. Porque muitas vezes falha energia. Porque a equipa do Téla Nón não pode ficar 24/24 diante do computador para moderar comentários.

    • lupuye

      24 de Agosto de 2011 as 2:58

      A paciencia e’ uma virtude, ou se nao e’ devia ser. Seja paciente!

  13. Digno de Respeito

    23 de Agosto de 2011 as 13:29

    Abel pretendo justificação

  14. Digno de Respeito

    23 de Agosto de 2011 as 13:30

    Por acaso foste alguma vez insultado? ou algum termo indigestível a sua pessoa?

  15. Digno de Respeito

    23 de Agosto de 2011 as 13:32

    sabes o que é PC?

  16. ZR

    23 de Agosto de 2011 as 13:32

    Gostaria em primeiro lugar parabenizar o Governo por esta iniciativa, e dizer que continuem que estão no bom caminho, e em segundo lugar, dizer para aqueles que so sabem ver o lado negativo das coisas que o desenvolvimento tem também as suas consequências, que o Governo arranje mecanismos de os combater, e não começarmos a ter ideias negativas, porque isso so serve para atrasar, Viva o Povo de S.T.P.

    • Biboss

      25 de Agosto de 2011 as 9:13

      Caro Compatriota ZR,apreciei o seu comentário,e devo acrescentar dizendo:todo e qualquer país que quer alcançar o crescimento e o desenvolvimento,deve se abrir ao mundo capitalista em que vivemos hoje. O nosso governo é que deve criar políticas rigorosas de fiscalização, para pôr barreira de impedir que tudo ilegal não entre no País…Vamos ser claro, se o nós queremos sair do momento crítico que vivemos,temos que ariscar,abrir o País e atrair investidores externos e está é a melhor via,sem duvida.

      Por outro lado, não devemos apenas criticar o governo,cada um de nós temos a missão de ajudar e ser um fiscalizador de tudo ilegal que acontece no País.Tenho dito.

  17. Digno de Respeito

    23 de Agosto de 2011 as 13:34

    É triste quando o santomense destrói santomense e não questiona sobre as coisas que desconhece para desenvolver conhecimento…

  18. a verdade

    23 de Agosto de 2011 as 23:13

    Com um montao de Americanos, Asiaticos e Europeus na Nigeria so Santomense e que esta com medo de Nigeria, que raca somos nos? Deixa de discriminacao, sida esta no mundo nao so na Nigeria, o que e que os Srs dizem do Gabao, os Srs tambem nao falam de Hipatite B que vem da Europa, nos somos muito bom por isso que tamos sempre a andar pra traz, cabo verde venho de traz passou-nos, agora vem Guine Equatorial esta preste a passar-nos, somente estamos aqui nas criticas. Bado de preguisosos e fala barato.

  19. Digno de Respeito

    24 de Agosto de 2011 as 3:54

    Obrigado pelo esclarecimento e a justificação. Os motivos que o Tela Non apresenta já me convencem. Compreendo também que o factor humano e a falta de energia (por vezes) condiciona o vosso trabalho. Acho essa justificação também serve a muitos cibernautas do Tela Non.

  20. Mimi

    24 de Agosto de 2011 as 15:46

    Estamos tramados! Já nao bastam os que chegam de pirogas e outros meios sei lá como, adquirem vistos de residência e por fim a nossa nacionalidade, depois vao como santomenses para onde quer que seja fazer das suas. Além disso e ainda por cima corrompem a nossa populaçao, arranjam filhos, levam-nos para a Nigeria sabe-se lá para quê (assimilaçao de novos conceitos africanos/culturas?). Como se nao bastasse, convencem aos nossos que chegam de boa fé. Chamem-me de racista ou do que quer que seja, mas nao vejo e nunca verei nigerianos como parceiros, amigos e nada disso. Nao fazem parte simplesmente!

  21. sousastp

    24 de Agosto de 2011 as 20:30

    Nós os santomense sempre tivemos numa cadeia com portas aberta, muitos dos jovens santumenses que quiseram sai do país, a procura de melhores condições de vida, não poderamm fazer pq não tinha condições de pagar devido poucas companhia aerea que o no país oferecia e dessas pouca que tinham praticam um preço abisurdo, e depois, ainda tinhamos que enfrentar outros processos burocrático, como, visto, que muidas das vezes eram negados, pra maior decepção dos jovens .
    Nós precisamos de outras companhia aerea de forma a praticar um preço mas acessivel para os santomense, assim, podemos contribuir e desevolver esse país.N Não podemos continuar a depender somente de Portugal e de Angola como nosso parceiros estrategico ou bilaterais, temos que procurar outros parceiros bilaterais, com objetivo de invetirem no pais, de forma que o governo poça errecadar mais impostos, e assim, criar condiçoes para melhoramento de alguns indice , como , infraestrutura, educação, Tranportes, Saúde, etc..,
    Quanto a doença que muitos estão comentando, eu deria qualquer pessoa pode estar afetado com virus de Sida, independente do lugar onde vc vier. Acho o que nos temos que fazer é, fazer campanhas de sinsibilização, tomas medidas que poderão nos ajudar a protejer da eventual diença, medida essa que eu não sei!! e ai sim, precisamos de ideas de todos!
    O que eu deparei nesse site, é que os santomense só sabem criticar, fazer algo poça nos ajudar, como, apresentar ideias, projetos, se não tem ideias pelo menos apoia , insentivar, ideias dos outros assim, estará em condiçãoes de poder de uma forma contribuindo para desenvolvimento desse país que tanto precisa!

  22. Biboss

    25 de Agosto de 2011 as 13:41

    acrescentar dizendo:todo e qualquer país Todo e qualquer País, que quer alcançar o crescimento e o desenvolvimento,deve se abrir ao mundo capitalista em que vivemos hoje. O nosso governo é que deve criar políticas rigorosas de fiscalização, para pôr barreira de impedir que tudo ilegal não entre no País…Vamos ser claro, se o nós queremos sair do momento crítico que vivemos,temos que ariscar,abrir o País e atrair investidores externos e está é a melhor via,sem duvida.

    Por outro lado, não devemos apenas criticar o governo,cada um de nós temos a missão de ajudar e ser um fiscalizador de tudo ilegal que acontece no País.Tenho dito.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo