Economia

Mais uma ronda de apagão por tempo indeterminado

Nos últimos dias o fornecimento de energia a população conheceu grave degradação. Cortes constantes e prolongados, têm marcado o dia-a-dia do país. A escuridão regressou às localidades.

Para já o corte no fornecimento de energia eléctrica a população, segue a tabela de um dia sim, outro não. Fonte da Direcção da EMAE, explicou ao Téla Nón as razões de mais esta racionalização no fornecimento de energia. Afinal de Contas a EMAE tem cerca de 8 grupos geradores inoperantes. Dos 7 grupos de geradores instalados na central térmica da capital, apenas 3 estão a funcionar. Os outros 5 estão avariados ou a precisar de manutenção urgente, explicou a fonte.

Por outro lado na central térmica de Bobô Fôrro, dos 5 geradores instalados, apenas 1 está a funcionar. Os outros estão inoperantes por falta de manutenção ou avarias. A Fonte do Téla Nón acrescentou que até Agosto último a EMAE produzia mais de 12 Megawatts de corrente eléctrica. Actualmente a produção baixou para cerca de 11 Megawatts, em consequência da inoperância de vários grupos de geradores.

A penúria de energia não é mais grave, graças a construção com fundos de Taiwan, da Central Térmica de Santo Amaro, que segundo a fonte da EMAE, garante neste momento mais de 8 Megawatts de energia. Por outro lado, a central hidroeléctrica do rio Contador no norte de São Tomé, que garantia 2 mil quilowatts de energia, viu a produção baixar para 850 por causa da redução do caudal do rio.

A fonte do Téla Nón fez questão de referir, que a EMAE é uma empresa tecnicamente falida. Por isso mesmo não tem tido capacidade financeira para comprar gasóleo para alimentar os grupos de geradores. «Por exemplo se todos os grupos de geradores estivessem operacionais, não temos dinheiro para pô-los todos a funcionar ao mesmo tempo. Não temos capacidade financeira para compra de gasóleo suficiente para todos os geradores», precisou a fonte.

Por isso, segundo ainda a fonte do Téla Nón, gasóleo é outro factor que força a EMAE a racionalizar o fornecimento de energia eléctrica.

A fonte avançou alguns dados que demonstram a dependência da empresa em relação ao gasóleo. Por dia a central de Santo Amaro gasta 35 mil litros de gasóleo para garantir os cerca de 8 quilowatts de energia, e a velha central térmica localizada no centro da capital, consome mais de 15 mil litros de gasóleo por dia, sem que outros grupos de geradores estejam operacionais.

Note-se que a última missão do FMI que veio avaliar a situação macroeconómica do país, questionou o facto de persistir a dívida da EMAE para com a empresa fornecedora de combustíveis a ENCO. A EMAE deve a ENCO qualquer coisa como 20 milhões de dólares. A equipa do FMI, orientou o governo a actualizar o preço dos combustíveis conforme a oscilação no mercado internacional, e defendeu a actualização das tarifas de energia para garantir a estabilidade financeira da EMAE.

Abel Veiga

    29 comentários

29 comentários

  1. Nando Vaz (Roça Agostinho Neto)

    20 de Setembro de 2011 as 13:18

    Enquanto governo não criar as condições interna para dinamizar a económia logo gerar riquezas1…

  2. Nando Vaz (Roça Agostinho Neto)

    20 de Setembro de 2011 as 13:25

    A solução para resolver o grave problemas de energia eléctrica de stp, estão nas centrais hidroeléctrica das roças.
    Tudo isto é por causa da ignorança das antigas roças. E para terminar gostaria de frizar que ” A ignorância leva ser humano a fosnesto”. Caso o pais continuar com este governo vamos morrer de cêgi!…

  3. ghadafi

    20 de Setembro de 2011 as 13:49

    A emae e a causadora do aumento da natalidade no pais. Falta d luz implica falta d ocupacao que por sua vez leva ao aumento de modalidades q nao nessitam de luz e q consequentemente faz aumentar numero d mulheres gravidas.

  4. MALÉ POÇON

    20 de Setembro de 2011 as 14:16

    Meus Senhores até quando continuaremos nesta situação?

    Cerca de cinquenta mil litros de gasoleo…a central consome diariamente?

    Será que um país pequeno e pobre como STP,poderá suportar um encargo desse?

    Não seria bom refletirmos seriamente e com consciência numa possível construção de uma barragem hidroelectrica?

    Será mesmo verdade que no nosso país não há condições para o efeito?

    Mucluclu fé xintxí matá sun dê, ê cá potó ni son plumelo…

    Tenhamos todos boa sorte…

  5. Afinal

    20 de Setembro de 2011 as 14:33

    Santo Deus! Mas os nossos governantes ainda, em pleno sec. XXI, nao perceberam que a Central Termica para o nosso paìs nao è rentàvel! ZENTXI èèèè, BILI Wè, Fà!!! FUTA FUTA DJELU PLOBI Pè GIBELA TAN!
    Com Humildade!

  6. Lupuye

    20 de Setembro de 2011 as 14:40

    No seculo em que estamos em que mesmo os paises ricos estao fugindo da utilizacao do oleo e seus derivados, porque e que Sao Tome ainda nao entendeu que isso nao e viavel? Hoje em dia energia renovavel e que esta na moda, e que da. Barragens, vento, sol, essas deveriam ser a nossa aposta.

  7. Pinto da costa

    20 de Setembro de 2011 as 14:45

    Aonde vai todo o dinheiro q a EMAE cobra de Fatura?

  8. Abdel Coelho

    20 de Setembro de 2011 as 15:17

    Meus caro(a)s leitores por quanto tempo mais teremos que mendigar. è uma vergonha em pleno séc. XXI e meio termos gastos incopátivel com o que o pais produz ou seja nada. Desses 20 milhões que Emae deve a Enco quantos foram desviados para proveito proprio. Sem dizer que os governantes quando precisam de combústivel vão a Enco encher seus depositos e das referidas amantes. Sera que o tribunal de conts não tem conhecimento deste facto? Não podemos esquecer que num passado recente o primeiro ministro exigio uma certa quantia de gasóleo para sua propriedade nas praias das conchas. Sera que os seus antecessores fizeram o contrario? Chegou altura de apostar-mos em energias renováveis e deixar de alimentar os abutres que continuam a enriquecer a custa de quem trabalha.

  9. xikito

    20 de Setembro de 2011 as 15:37

    Em que pais estamos?!! Ainda falta de elitricidade? Como atrair envistimento, turismo e mois nessas condicoes? Ja esta mais que provado que o sistema termico uasado nao nos seve, existem fontes renovaveis para ser explorado sem pensar em gasolio. o rio Contador poder ser ainda mais explorado fazeendo mais barregens. Paneis solares sabendo que o pais ha sempre muito sol. vento e mais.
    So se fala nessas coisa no periode de campnha. Sao mais profissionais no devio de fundo publico.

  10. INCOMODADO COM ISTO

    20 de Setembro de 2011 as 16:25

    Estava bom dimais para ser verdade… NÓN BILÁ MÔ DÓLA PLUMÊ!!!!!!!!
    QUIDALÊÔÔÔÔ

  11. Anca

    20 de Setembro de 2011 as 19:09

    Basta passar uma vista de olhos no mapa “Visão noturna do planeta Terra que possibilita uma comparação entre o nível de consumo de energia elétrica entre os países”
    para perceber o quão distante estamos do desenvolvimento sustentável, e das zonas de de luz ou de desenvolvimento, isto traz e tem consequências incríveis na erradicação da miséria e pobreza e nas políticas de e para o desenvolvimento sustentável.

  12. Anca

    20 de Setembro de 2011 as 19:42

    Façamos um esforço de compreender o conceito básico de energia eléctrica;

    “Energia eléctrica”

    “Energia elétrica (AO 1945: Energia eléctrica) é uma forma de energia baseada na geração de diferenças de potencial elétrico entre dois pontos, que permitem estabelecer uma corrente elétrica entre ambos.” “Mediante a transformação adequada é possível obter que tal energia mostre-se em outras formas finais de uso direto, em forma de luz, movimento ou calor, segundo os elementos da conservação da energia.”

    “É uma das formas de energia que o homem mais utiliza na atualidade, graças a sua facilidade de transporte, baixo índice de perda energética durante conversões.”

    “A energia elétrica é obtida principalmente através de termoelétricas, usinas hidroelétricas, usinas eólicas e usinas termo-nucleares.”

    “Geração de electricidade”

    A geração de energia elétrica se leva a cabo mediante diferentes tecnologias. As principais aproveitam um movimento rotatório para gerar corrente alternada em um alternador. O movimento rotatório pode provir de uma fonte de energia mecânica direta, como a corrente de uma queda d’água ou o vento, ou de um ciclo termodinâmico.

    Em um ciclo termodinâmico se esquenta um fluido e se consegue com que realize um circuito no qual move um motor ou uma turbina. O calor deste processo se obtém mediante a queima de combustíveis fósseis, as reações nucleares ou outros processos, como o calor proveniente do interior da Terra ou o calor do Sol.

    “A geração de energia eléctrica é uma actividade humana básica já que está directamente relacionada com os requerimentos primários do homem.” “Todas as formas de utilização das fontes de energia, tanto as convencionais como as denominadas alternativas ou não convencionais, agridem em maior ou menor medida o nosso meio ambiente.”

    “Transporte de energia eléctrica”

    “É o segmento responsável pelo transporte de energia eléctrica desde as unidades de geração até os grandes centros de consumo.” “A actividade também pode ser dividida em operação e expansão.” “Exemplos: Cabos e outros condutores.” “Que formam as linhas de transmissão.”

    “Distribuição de energia eléctrica”

    “A rede de distribuição de energia eléctrica é um segmento do sistema eléctrico, composto pelas redes eléctricas primárias ( redes de distribuição de média tensão), e redes secundárias ( redes de distribuição de baixa tensão) , cuja construção, manutenção e operação é responsabilidade das companhias distribuidoras de electricidade.”

    “As redes de distribuição primárias, são circuitos eléctricos trifásicos a três fios ( três fases ), ligados nas subestações de distribuição, normalmente são construídas nas classes de tensão 15 KV, 23 KV, ou 34,5 KV.” “Nestas classes de tensão, as tensões nominais de operação poderão ser 11 KV, 12,6 KV, 13,2 KV, 13,8 KV , 21 KV, 23 KV, 33 KV, 34,5 KV . Os níveis de tensão 13.8 KV e 34.5 KV são padronizados pela legislação vigente, os demais níveis existem e continuam operando normalmente.”

    “Nas redes de distribuição primárias, estão instalados os transformadores de distribuição, fixados em postes, cuja função é rebaixar o nível de tensão primário para o nível de tensão secundário( por exemplo,para rebaixar de 13,8 KV para 220 volts )”

    “As redes de distribuição secundárias são circuitos eléctricos trifásicos a quatro fios ( três fases e neutro) normalmente operam nas tensões (fase-fase/fase-neutro) 230/115 volts, 220/127 volts, 380/220 volts. Nestas redes estão ligados os consumidores, que são residências,padarias, lojas, etc, e também as luminárias da iluminação pública.”

    “Estas redes atendem os grandes centros de consumo (população, grandes indústria, etc.)”

    “Os estabelecimentos grandes como prédios, lojas e mercados consomem mais electricidade, e necessitam de transformadores individuais de 75 kva, 112,5 kva, 150 kva. Em alguns casos,a tensão de fornecimento é 380/220 volts ou 440/254 volts.”

    “Todo o sistema de distribuição é protegido por um sistema composto por disjuntores automáticos nas subestações onde estão ligados as redes primárias, e com chave fusível nos transformadores de distribuição, que em caso de curto circuito desligam a rede eléctrica.”

    In Wikipédia

    • Anca

      20 de Setembro de 2011 as 19:59

      Quais os benefícios do uso da energia eléctrica numa sociedade?

      Que vantagens?

      A energia eléctrica(electricidade;luz),é fundamental na nossa vida enquanto cidadãos;estado;e país, aumentando a nossa produtividade, conforto, segurança, saúde e economia,ganhos de competitividade económica,criação de riqueza. Nós vivemos com os benefícios da energia elétrica todos os dias.

      Enquanto a maioria das pessoas;alguns governos, alguns países; dão pouca atenção e importância a produção e distribuição electricidade, existem muitas maneiras diferentes para gerar eletricidade – incluindo carvão, petróleo, gás, hidrelétrica, nuclear e solar. Cada opção tem vantagens que merecem consideração sempre que há uma necessidade de uma nova usina ou fonte.

      Pratique-mos o bem

      Pois o bem

      Fica-nos bem Santomenses

      Deus abençoe São Tome e Príncipe

      Bem haja a todos

      • Anca

        20 de Setembro de 2011 as 20:07

        É altura de nos como cidadãos; sociedade civil organizada, agirmos, começar-mos a pedir contas aos governos, que são eleitos pelos nossos votos.

        Acção

      • Anca

        20 de Setembro de 2011 as 20:18

        Onde andam os partidos ditos da oposição?

        Só questionam o governo quanto a matéria lhes trás vantagens?

        E o bem estar do povo, os problemas que afectam a sociedade e o país(pobreza extrema) e o povo, ninguém questiona, não há aberturas de inquéritos, ninguém apura as responsabilidade?

        Não se toma medidas?

        Pratique-mos o bem

        Pois o bem e a consciência

        Fica-nos bem Santomenses

        Ergue-mos povo o nosso país.

  13. lino

    20 de Setembro de 2011 as 22:25

    Senhores dirigentes:
    Como querem voçês atrair investimento estrangeiro nestas condições?!!
    Quem vai investir o seu dinheiro num país sem energia?Com infraestruturas debiltadas!?
    O que temos visto em S.Tomé e Principe é- cada um por si.
    Lamentávelmente estamos sempre a assistir a situações como esta.
    É básico :
    Sem energia, estradas e água (infraestruturas básicas)…o país estrá sempre sem rumo.
    Façam como Cabo Verde…..Tem bastante confiaça internacional, tem bastante investimento externo…está no bom caminho…
    Deixem de ser burros, senhores politicos.
    Nem imitar sabem!?!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  14. SN-FS

    21 de Setembro de 2011 as 8:48

    Está na altura de todos nós pôr uma basta nisto……não existe culpados porque temos todos que trabalhos para o objectivo comum “STP”………….Qual será o futuro da proxima geração?????? desde o meu nascimento que oiço que EMAE NÃO TEM PESSOAS COM CONDIÇÕES TECNICAS PARA APAZIGUAR PROBLEMA ELECTRICO EM STP……..AINDA NÃO ENCONTREI NINGUEM QUE QUEIRA RESOLVER ESTA SITUAÇÃO….PREFEREM DAR MAIS ENFASE A DESVIO DE GASOLEO……DESVIO DE VERBAS NA EMAE…..EMAE EM FALENCIA TECNICA………
    TODOS SABEMOS QUE A EMAE NUNCA IRÁ ENTRAR EM FALENCIA POR EXISTE INTERESSES ADJANCENTES PARA QUE A EMAE CONTINUE NESTAS CONDIÇÕES MINIMAS DE FUNCIONAMENTO….

  15. Joao Batepa

    21 de Setembro de 2011 as 9:48

    Não é um problema de este ou aquele governo porque são todos iguais.
    É um problema de bandidagem e corrupcao que entrou no sangue de todos os Santomenes. O tal do “business” faliu a empresa. Esse problema apenas vai ser resolvido se algumas pessoas ganharem muito dinheiro com a resolução.

  16. Nikilay Monteiro

    21 de Setembro de 2011 as 11:06

    É bem possivel que o consumo medio/dia seja de 50m3 de diesel, dependendo dos estados dos grupos e também da produção(em média 13,5MW).A melhor aposta que o governo deve fazer são energias renovaveis;caso contrário é arrajar condições para recuperação desses grupos que se encontram inoperantes.

  17. Quem e a verdade?

    21 de Setembro de 2011 as 11:15

    Nao consigo entender o nao fornecimento de energia por outras vias que nao seja central termica.
    Entenderia sim, acreditando no que diz o povo: “Com a central termica, os tem mais oportunidade para desvio de combustivel e para uso pessoal”.
    Tambem entenderia se acreditasse que os nossos responsaveis, incluindo o primeiro ministro e os que trabalham directamente nessa area, fossem homens e mulheres sem qualquer visao de gestao do bem publico. Os que por la passaram, nao ficariam esentos. Entretanto, os atuais ainda vao a tempo de inverter a situacao.
    Proponho ao Tela Non que solicite a quem de direito:
    – Qual motivo da aposta nas centrais termicas?
    – Porque nao investir noutras fontes de energia?
    – Que estudos foram feitos para procura dessas alternativas?
    – Foram esgotadas todas as alternativas?
    – Nao ficaria mais barata a curto prazo, comparando com o que se gasta diariamente com combustiveis e as constantes manutencao e reparaoes dos geradores?
    – Se os estudos foram feitos, poderao apresentar sem duvidas as diferencas na relacao quantidade de energia – custos e proveitos?
    Refiro-me a todas as fontes de energia possiveis que hoje se conhece pelo mundo fora.
    Obrigado e bem-haja a todos.

  18. clocótó

    21 de Setembro de 2011 as 15:22

    Eis a prometida mudança que nos garantiu o sr. Patrice Trovoada. Se repararem, não obstante a crise financeira internacional, com a entrada desse governo, o país que já tinha dificuldades no poder de compra agravou-se ainda mais, pois o sr. PT o que tem feito é resolver seu problema junto aos seus amigos (sócios) libaneses, e desta forma asfixiando os nacionais…
    Não sou apologista da queda de governo, mas não podemos deixar as coisas tomarem o curso q o sr. PT deseja, se pelo menos respondesse aos interesses de STP, ok, mas não é isso que se vê…
    Meu caro primeiro-ministro, não submeta o povo ao teste de governação, se não és capaz de dar resposta, ponha o cargo a disposição. Talvez a coisa seria outra se o papa Kadafhi estivesse no poder, mas ele não esta, e não tens mostrado alternativas…

  19. António Silva

    22 de Setembro de 2011 as 10:51

    Apraz-me dizer o seguinte:
    “Até quando o país deixa de ter problemas destes?
    Na altura das últimas crises com a falta de energia, o Sr. Óscar-Director da EMAE-veio a Portugal tratar, segundo dizem, do assunto.
    Qual o resultado dos contactos que fez?
    Ou será que não fez nenhum, mais sim só veio para aproveitar da verba que lhes são atribuídos (aos governantes) para poderem adquirir os seus bens pessoais?
    Sinceramente, este país assim não avança.

    Adquirem equipamentos em segunda mão e de certeza que dizem que são novos, etc, etc
    É demais!

  20. edy

    22 de Setembro de 2011 as 11:04

    Produziam mais de 12 Megawatts”para nao dizermos 13″ avariaram quase a maior parte e ainda continua a produzir 11 Megawatts , nada mal amigo.

  21. Ramos Dias

    23 de Setembro de 2011 as 7:43

    penso que ja esta na altura de o pais criar redes de energias alternativas, Com seguidores solares, os seus módulos estão durante todo o dia orientados para o sol, aumentando significativamente a produção diária e diminuindo o tempo de retorno do seu investimento.uma outra alternativa seria tambem centrais eolicas, mas é necessario que os governantes tenham menos olhos que a barriga,que deixem atrair investimentos neste sentido,ja assim a cidade ficaria menos poluuida e tambem o rio agua grande, que o pais tem recursos naturais para isso tem,agora resta ver

  22. Feijoada

    23 de Setembro de 2011 as 9:49

    Parece-me que ninguem mais preocupa com a população desfavorecida.

    Enquanto não credibilizarmos o tribunal de contas para exigirmos mais e melhor o tribunal nacional, o País não terá pernas para andar.
    Não existe responsabilidades.
    Haver vamos até abrirmos olhos e sairmos a rua exigir os nossos direitos.

    STP-Somos todos paler….

  23. Bernardino cientista politica

    25 de Setembro de 2011 as 9:41

    Os meus cumprimentos e abraços a todos
    Eu Bernardino pires monteiro levei um empresario
    A sao tome com intenção de investir na energia
    Renovável e mini hídrica em sete distrito de sao tome e príncipe com um contrato de 15 anos de gestão, mendigamos perante ministro da agricultura xavier mendes mendigamos para senhor ministro benjamim e por ultimo fomos mendigar ao senhor primeiro ministro rafael branco, nada resultou, esses nossos políticos sentem grande prazer em ter sao tome nessas situações

  24. Bernardino cientista politica

    25 de Setembro de 2011 as 10:08

    Senhor rafael branco, sr fradique de Menezes
    Sr antonio quintas sr Oscarito sr justino veiga sr delfim neves sr elsa pinto sr maria das neves
    E marido sr tome vera cruz sr Guilherme posser da costa sr furtunato pires sr xavier mendes sr ouvideo pequeno, estes sr nao merece confiança politica esses sr nao pode e nem deve fazer parte do futuro governo de estabilidade eles sao cúmplice da situação desastrosa de sao tome e principe, abrem olhos chega

  25. Bernardino cientista politica

    25 de Setembro de 2011 as 10:23

    Sem energia não ha industria,sem energia nao ha
    Combate a poluição, temos condições para produzir energia de onda do mar energia eólica energia hídrico, com um custo baixo e rentavel
    segundo o estudo feito por engenheiro cientista energético e derivados, eliminando os velhos geradores que produzem energia suja e produzir a energia limpa e rentavel de baixo custo, o que vocês estudaram so serviu para desviar dinheiro para europa, sao tome e príncipe e dos santomenses

  26. Josy Neto

    25 de Setembro de 2011 as 20:14

    Quando uma tal empresa SINERGIE quis construir a Central Hidroelectrica no Rio Yô Grande, alguns técnicos bandidos da EMAE, comandados por deputados da oposição na altura, mandaram anular o acordo.
    Onde estão estas gentes agora.
    Agora toma.
    A SONANGOL irá tomar a EMAE devido a divida impagável,com a ENCO e vamos todos lixar para o inferno, pois a SONANGOL quero tudo, mas não faz nada
    AGUENTEMMMMMMMM

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo