Política

Militares franceses apoiam São Tomé e Príncipe na elaboração da lei de programação militar

O General Bernard Commins, que comanda as forças armadas francesas estacionadas no Gabão, liderou a equipa de 5 oficiais superiores que veio analisar com as autoridades nacionais as condições para elaboração da lei de programação militar.

O anúncio do comando do destacamento militar francês no Gabão como principal parceiro das forças armadas são-tomenses na criação da lei de programação militar, foi feito pelo encarregado de negócios da França no país, Jacky Cuzzi. «Está missão pontual e visa ajudar o governo são-tomense a criar uma lei de programação militar», assegurou o diplomata francês.

Segundo Jacky Cuzzi o mais tardar até o princípio de 2011 a cooperação militar entre a França e São Tomé e Príncipe vai permitir a formação de militares são-tomenses e no território nacional, no domínio das técnicas militares modernas.

Abel Veiga

    8 comentários

8 comentários

  1. Matabala

    29 de Setembro de 2010 as 13:18

    Boa, acho que minha Ideia relativa a noticia de ontem ja esta a dar frutos…

  2. Manga safú

    29 de Setembro de 2010 as 13:22

    Óptimo, desejo-vos sucesso.

  3. côlé bi tendê contage

    29 de Setembro de 2010 as 13:45

    ISTO ESTA CHERANDO PETROLIO, CUIDADO COM IPOCRESIA Da FRANÇA, OLHA como esta o visinho Gabao. Tudo começa assim. A França nao tem petrolio no seu teritorio mas é o pais com mais rafinaria de petrolio na Europa, vê la se é possivel. Preferem criar impregos ca e como é que ficam os que estao por la?
    Bom voçês é que sabem.
    (Sou francês de origem santomense e uso um teclado francês por isso disculpa-me pelos eros.)
    Força Sao Tomé

    • José Victor

      2 de Outubro de 2010 as 0:58

      A minha situação é igual a sua mas podera fazer um esforço e escrever melhor … Concordo consigo pois nao conheço nenhum pais ” dominado” pela frança em que haja desenvolvimento humano. Tenham cuidado , homem avisado vale por dois .. força!

  4. Barrrackk Buushh

    29 de Setembro de 2010 as 14:59

    A elite corrupta de São Tomé não esta interessada em democracia. Os corruptos querem ditadura militar para protegerem o que roubaram do povo. Será infalível violência e mortes como aconteceu no pais irmão; Guiné Bissau. Na minha opinião para evitar conflicto, não é necessário haver ditatura em S.T.P. Apenas, igualdade na distribuição da riqueza de São Tomé e Príncipe para todos os Santomenses, e assim todos viveremos em paz, tranquilidade, e alegria.

    Os ricos ficam mais ricos e os pobres ficam mais pobres. Isto é injustice

    Obhamah Buushh

  5. Hillary Clintonian

    29 de Setembro de 2010 as 16:56

    “lei de programação militar”?????????

    COMPORTAM-SE!!!!!!

    Que tal sobre comida, trabalho, saúde, educação, etc etc????

    Help children and woman, first and foremost!!!! Stop this military nonsense, NOW!!!!!

  6. Carlos Ceita

    30 de Setembro de 2010 as 10:26

    Caro mister Barrrackk Buushh Julgo que todos estamos de acordo que ainda é cedo para julgar este novo governo de STP. Mas claro há que combater não somente os corruptos como os corruptores no âmbito nacional e internacional.
    Infelizmente o desejo íntimo de alguns oportunistas e manipuladores é que o país se deslize para uma espiral de violência. Que descanse os pessimistas o povo está desperto. O resultado das últimas eleições é a prova disso (POVO POE E POVO TIRA). Felizmente esta maturidade do povo estendeu-se a Guine Bissau onde o povo saiu a rua salvando a vida do Primeiro-ministro Carlos Gomes Júnior quando este iria ser sentenciado a morte por um chefe militar.
    Mas será a violência exclusiva do continente africano? Nada disso. O próprio EUA teve um presidente assassinado. O Obama deve ser o presidente mais vigiado da historia dos EUA e se atrever a mudar muito corre o risco de ter o destino do Kennedy. Mas voltemos a violência. O conflito interminável Israelo-palestino é ou não é uma violência? O que se passa no Afeganistão e no Iraque é ou não é uma violência? A expulsão dos ciganos da França não será uma forma de violência. Enfim o mundo está repleto de violência física verbal e psicológica e por conseguinte não está sedeado apenas na África.

  7. Manuel Penhor

    4 de Outubro de 2010 as 22:19

    FRANCA VAI PREPARANDO MILITARES E GOVERNO DE PATRICIO TROVOADA VAI PREPARA PARA COMPRAR ARMAMENTO FRANCES EM LIZING?SERA…

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo