Política

Governo de Patrice Trovoada propõe 153 milhões de dólares para o OGE 2011

O Primeiro-ministro Patrice Trovoada que na segunda-feira entregou a Assembleia Nacional a proposta do Orçamento Geral do Estado (OGE) para 2011, garantiu tratara-se de um orçamento de contenção máxima de despesas.

O valor do OGE proposto pelo décimo quarto governo constitucional ao parlamento é igual ao Orçamento de 2010. 153 milhões de dólares em que segundo Patrice Trovoada 72% do valor será aplicado em investimento público. A contenção das despesas é a linha de força do projecto orçamental. «É um orçamento de cerca de 153 milhões de dólares, que terá que consagrar cerca de 72% ao investimento. Um orçamento que de modo geral reflecte alguma preocupação de contenção de despesas e de reorientação de algumas despesas», declarou Patrice Trovoada após encontro com o Presidente do Parlamento Evaristo de Carvalho.

Apesar da contenção de despesas, o OGE para 2011 inclui aumento da massa salarial. O Primeiro-ministro garante um aumento na ordem dos 10%. «Aí vamos ter que fazer uma distribuição que toma em conta as preocupações do governo. Por isso provavelmente os altos salários não vão conhecer aumentos, vamos ter que nos concentrar naquilo que é possível nos salários mais baixos», salientou.

O Governo reconheceu que cerca de 90% do OGE depende da ajuda financeira internacional. Para diminuir a dependência externa, o executivo pretende implementar uma política de investimentos no sector produtivo. «Cabe a nós sabermos conter algumas despesas e investir nalguns sectores que poderão nos ajudar a reduzir a nossa dependência externa. Quer dizer que temos que preparar São Tomé e Príncipe para a produção de riquezas o que tem a ver com a Agricultura, Turismo, Pesca assim como com o investimento e o clima de investimento», frisou.

O sector das obras públicas e infra-estruturas absorve maior fatia do bolo orçamental. Patrice Trovoada destacou algumas obras que deverão ser executadas em 2011, e outras que serão lançadas no próximo ano, com vista a execução em 2012. «Os sectores que absorvem a maior fatia, estão ligados as obras públicas, estradas e adopção de água. A nossa preocupação é darmos alguma atenção a água. E neste aspecto em 2011 começaremos estudos que permitirão o lançamento em 2012 de grandes projectos a nível da água e de gestão dos recursos hídricos. Estamos também a lançar o estudo para que possa ter uma infra-estrutura portuária no Príncipe adaptada a questão da pesca semi-industrial», explicou o Primeiro-ministro.

Para melhor execução do Orçamento Geral do Estado, previsto para o próximo ano, o Chefe do Governo, defende a elevação da competência nacional na atracção dos investimentos e fundos de ajuda ao desenvolvimento.

Abel Veiga

    36 comentários

36 comentários

  1. "Osama Bin Laden"

    17 de Novembro de 2010 as 10:59

    STP não tem força produtiva para geral receita fiscal no valor 6 mil milhões de dólares de unidade de conta, a capacidade contributiva do nosso povo é baixa.
    Basta olhar para os nossos OGE’s ao longo dos anos e dar uma vista de olhos na rubrica de contribuição e imposto para chegar a essa conclusão.
    OGE para 2011 está previsto em 153 milhões de dólar, neste caso o nosso Governo não precisaria solicitara juntos aos nossos parceiros o financiamento para OGE de 2011.
    Por favor expliquem isso melhor.

  2. Polvo Paul

    17 de Novembro de 2010 as 11:44

    Senhor 1º Ministro, há Verba no OGE para construção de novo aeroporto? Responda por favor!!!!

    • "Nós por cá e a nossa maneira"

      18 de Novembro de 2010 as 12:46

      Carissimo, deve estar a sonhar….se o que temos mal conseguimos dar conta do recado e anda em caus….. como é que se vai pensar em construir um novo e a onde, com que dinheiro!!!!!! se não conseguimos durante anos a fio fazer vedação do que temos, tinha que ser os americanos a virem a STP se oferecerem para o fazer, como é que o carissimo esta a sonhar com um novo!!!!!

      sonhar é bom e faz parte do ser humano..tomara que o PM te responda…

      • Celsio Junqueira

        18 de Novembro de 2010 as 16:22

        Partilho da sua opinião, e mais com o trafego aereo que temos o nosso aeroporto está subaproveitado.

        Vamos cuidar do que temos, po-lo como deve ser, arranjar mais companhias aereas e rentabiliza-lo o maximo possivel.

        Aumentar o fluxo de visitantes, centrar o país na rota do Golfo da Guiné a todos os niveis: Serviços, Turismo, Pesca, Petroleo, etc.

        E se este aeroporto não servir devido as suas limitações fisicas derivado de aumento de passageiro, ai sim, fazer outro. Até lá, aguentar, que pobre não pode ter vicios e nem desperdiçar dinheiro.

        Abraços,

        • Maria leva leva

          18 de Novembro de 2010 as 16:57

          Queres fazer tudo isso com aquela salinha de embarque, e aquele espaçozinho de chegada, só pode ser brincadeira, aquilo que temos não é aeroporto nem de perto nem de longe, e não é nada que se assemelha a um aeroporto.
          Ou nunca viajaste na tua, ou estais a brincar comigo.
          Meu amigo Aeroporto deve ser uma das infra-estruturas mais bem apresentada de um país que aspira desenvolvimento, dê uma saltada a cabo verde, eles têm 4 aeroportos, todos de nível internacional.

          São mesmo Internacional, não é só de nome.

          • Celsio Junqueira

            18 de Novembro de 2010 as 22:14

            Carissima Maria,

            Quer que fale com coração ou com a cabeça?

            Já viajei naquele aeroporto e também nos grandes da Europa, isso não está em causa e nem serve para o caso.

            Cada um faz Omeletes com os ovos que tem.

            Sabe quantos passageiros circularam nos aeroportos de CaboVerde anualmente +- 700 mil, e já agora quantos foram no nosso?

            Temos de investir a medida das nossas necessidades e não imitando os outros.

            O País também tem outras prioridades e urgentes como por exemplo um Hospital em condições e que deixe a população mais descansada.

            Abraço,

          • Celsio Junqueira

            18 de Novembro de 2010 as 22:31

          • Peter

            19 de Novembro de 2010 as 18:09

            Caro Celsio Junqueira,
            Concordo plenamente consigo quando diz que cada um faz omoletes com ovos que tem, mas, permita-me o desacordo, todos nós sabemos que são Tomé tem potencial para fazer muito mais, disso ninguém tem a menor dúvida. A intensidade do trafego aério depende muito das infra-estruturas existentes num determinado país. São Tomé pela sua localização estratégico pode sim senhor atrair muitos passageiros e muitos voos e sobretudo em trânsito o que traria um valor acrescentado para a nossa economia. Como é que podemos falar de aumento de fluxo turístico se a infra-estrutura que representa espelho de um país representa um perigo para a aviação. Convenhamos e deixemos de conformismo.
            Abraço

          • Celsio Junqueira

            20 de Novembro de 2010 as 21:32

            Caro Peter,

            Aceito a sua discordancia e é saudavel que assim seja.

            Num ponto estaremos de acordo aquele aeroporto não serve para as nossas ambições de desenvolvimento.

            O meu problema em fazer um novo aeroporto é a disponibilidade financeira que não temos.

            Se falasse com coração diria que STP deveria ter as melhores infraestruturas do Mundo.

            Mas temos de fazer contas a vida, o pouco que temos e decidir da melhor forma e de acordo com as prioridades premente dos Santomenses.

            Para concluir, manifesto uma divergência de fundo consigo. Acho que a necessidade obriga qualquer coisa a aparecer. Não acredito que se fizermos um novo aeroporto (daqueles de encher os olhos) que o trafego aumente per si.
            Uma pergunta, então porque existem infraestruturas “Elefantes Brancos”????

            Abraços,

        • Paulo Sergio

          22 de Novembro de 2010 as 16:50

          Senhor Celsio Junqueira tem algum estudo que funamenta a sua declaração?

  3. luís Carlos

    17 de Novembro de 2010 as 13:26

    isto tdo é mas uma das mentiras do governo…

  4. Peço mais respeito!

    17 de Novembro de 2010 as 14:05

    Essa terra é só palhaçada….

  5. mudança

    17 de Novembro de 2010 as 15:24

    Chêee, onde está mudança nesse orçamento? Nem valor, nem prioridades, é tudo igual?
    Cuêsa é mudança, ou não?
    Nançê cebêee…!!!

    • Ke kwa

      20 de Novembro de 2010 as 19:25

      A única mudança é que o valor vai passar de uns bolsos para outros.

  6. e

    17 de Novembro de 2010 as 15:25

    eh eh eh. credo

  7. victorino viana do Rosário

    17 de Novembro de 2010 as 16:20

    é verdade que temos uma luta dura,para melhorar este país.

  8. voz do povo

    17 de Novembro de 2010 as 18:35

    Espero que nao cai do mesmo erro como rafae branco inventou um orçamento de fantuxada mas nada foi feito por isso que hoje ele encontra na banca rota mas esta se disfarçando para justiça esqueçer dele porque ele ainda tem mt dinheiro que ele disviou se por isso tem ke lhe aplicar uma auditoria seria e rigida nos seus bens

  9. Ramos Neto

    18 de Novembro de 2010 as 11:19

    STP realmente não tem forças para produzir receita equivalente a 90% para OGE, mas é necessário lançarmos a semente na terra e tentarmos, para que isso aconteça é preciso que haja um governante sábio e inteligente para que leve STP a bom porto e um dos métodos a implementar é mesmo que já foi dito pelo nosso 1ºM «…Agricultura, Turismo e Pesca…», não podemos mais depender só da ajuda financeira internacional.

  10. Hugo Lima

    18 de Novembro de 2010 as 11:51

    o que vemos, ouvimos, lemos vaz com que o povo de STP ja não acredita em mais governos seja eles jovens ou adultos. É um lema só primeiro eu, segundo eu, terceiro eu, quarto eu, quito eu. sexto eu. Quando se aproxima o momento eleitoral vamos enganar esse povo dois meses para dar continuidade ao décimo eu.

    Uma Palhaçada de país.~~

  11. J.Cravid

    18 de Novembro de 2010 as 11:52

    Caro Abel Veiga.

    Para chamar-te a atençao para a palavra… ADOçAO de agua… no penultimo paragrafo deste artigo.
    ADOPçAO e ADUçAO sao palavras diferentes e com diferentes significados.Porém, muito poucas as pessoas que as distinguem.Uma; a ADOPçAO tem a ver com adoptar, com a perfilhaçao ou com a relaçao de paternidade e filiaçao.
    ADUçAO tem a ver com o acto ou efeito de aduzir, movimento que tende a aproximar um membro ou parte dele…ou acto ou efeito de levar….
    Se fores fonsultar um bom Dicionario de lingua portuguesa certamente que ficaras melhor esclarecido.

    E um muito obrigado pela tua brilhante iniciativa que…, e muita força e coragem também.

    Jorge Cravid
    Libreville,Gabao

    • Sei?

      19 de Novembro de 2010 as 6:59

      Corrigiste, mas cometeste: “fonsultar”?
      Consulsar!
      Com Humindade

      • Edson

        19 de Novembro de 2010 as 17:51

        Humildade, querias dizer!

  12. soba

    18 de Novembro de 2010 as 12:01

    o povo ja nao precisa de tioria mais sim a pratica, teoria ja fez com que o povo sofre a 35 anos, que nada foi feito em beneficio do povo,o povo só encontra dinheiro de petroleo nos momentos de campanha, só falam de infre-estrutura nos momentos de campanha, só falam de agricultura nos momentos de campanha, será que o povo nao tem direito nesse país? so apenas 30% de voces que vivem bem esquecento que STP significa que somos todos parentes,credo de credo.

    • Edson

      19 de Novembro de 2010 as 17:50

      Soba eles devem ser uns 10%, uma pequena elite que usam e abusam da coisa pùblica, enquanto a maior parte vive na miséria!

  13. J.Cravid

    18 de Novembro de 2010 as 12:31

    Por isso,frequente ouvir-se falar por exemplo de:Projecto de Aduçao de Agua à zona de Santo Amaro, à Praia Gamboa e etc, que quer dizer projecto para levar a agua as refeidas zonas.

  14. J.Cravid

    18 de Novembro de 2010 as 12:33

    Quero dizer: referidas zonas.

  15. Peter

    19 de Novembro de 2010 as 11:54

    Gostaria de ter acesso a este OGE para ver como está consagrado em diferentes rúbricas. Porque do acordo com a notícia este OGE é igual ao do ano de 2010, daí que suscita ulgumas questões. O que se tem feito com o OGE de 2010? A resposta é nada ou quase nada, tendo em conta que as coisas continuam na mesma ou com tendencia a poirar a não ser que este governo faça algo de melhor. Este OGE pode ser realista de ponto de vista da capacidade do País em criar riquezas e gerar recursos para sustentar esta economia.Mas, se levarmos em conta o nº como tal e as necessidades urgentes do país, constactamos imediatamente que este OGE fica muito, mais muito mesmo a quem de um OGE que se pretende ambicioso. O País precisa de dirigentes mais ousados, mais ambiciosos,inteligentes,sérios e comprometidos com o desenvolvimento de modo a mudar o rumo das coisas. Não tenho e nunca tive simpatia por partido político agum, faço somente comentários meramente técnico. Tanto este OGE quanto os outros, refletem o nivel de ambição e ousadia dos sucessivos governantes desta linda Terra. 153 000 000 USD, para orçamento de um País? Convenhamos. Vomos continuar a fazer piquenas obras sem ambição, mal feita e sempre iludindo a população. Há que mudar este espírito e pensar grande para bem deste País.
    Cumprimentos a todos.

    • Celsio Junqueira

      19 de Novembro de 2010 as 14:49

      Caro Peter,

      Ainda não tive tempo de comparar este OGE2011 com o de 2010.

      Mas aparentemente a quantia é a mesma mas os gastos serão diferentes.

      Segue o Link:

      http://min-financas.st/

      Ai estará uma fonte segura e com muitos recursos. Temos de felicitar os Governos que deram orientações ao Ministério das Finanças para divulgar “online” estes e outros documentos.

      Abraço,

  16. Edson

    19 de Novembro de 2010 as 17:48

    90% do OGE depende das ajudas internacionais? Quando é que vamos ser independentes senhor 1. ministro? Porque quando a esmola é de mais o pobre desconfia! E mais não digo!

    • Matos

      21 de Novembro de 2010 as 12:19

      “Nao existe almoco gratis”, esta frase e mto conhecida no mundo economico, pois,essas ajudas so sao ajudas em termos teoricos(tecnicamente falando), o pais tera que devolver a verba +os juros(ou qualquer tipo de devolucao acordado), portanto, so e rentavel qdo a aplicacao dessas “ajudas” e feita de forma rentavel, atravez de investimentos que gere lucros a curto/medio/ ou longo prazo ao pais, de outro modo so estaremos a nos endividar mais pra mais tarde estar-mos a mendigar o perdao da divida externa.

      • Edson

        21 de Novembro de 2010 as 19:09

        Falaste tudo Matos!

  17. Ernestino

    20 de Novembro de 2010 as 15:35

    Orçamento Geral do Estado de São Tomé e Principe não pode estar permanentemente a depender dos 90% da ajuda Externa, o Governo deve encontrar outros meios financeiros tais como: cobrança regorosa de impostos aduaneiros, comerciantes, contribuintes, receitas dos serviços públicos, receitas agrículas e pecuárias, provávelmente receitas de Petróleo sejam canalizados para OGE, o que permite construir infrastruturas para o desenvolvimento do país com base no controlo regoroso dessas receitas para objectivos definidos.

  18. Senhor da verdade

    20 de Novembro de 2010 as 23:49

    Meus caros amigos e colegas e patriotas essa terra esta uma palhaçada, como é que nossa terra terá o fundo suficiente para suportar um orçamento de estado sabendo que proprios os jovens que enraram agora no governo nas câmaras municiais já pensam em roubar e vender propriedades do estado para o seu bem estar ja têm mentes curuptos. isso eu tenho a certeza porque conheço um deles que tentou fazer essa negociação…são politicos que nem uma negociação sabem fazer…como que essa terra irá desenvolver se eles pedem apoio internacionais para construir uma escola e são dado esse dinheiro só que esse dinheiro pode construir duas ou mais esolas porque eles fazem um orçamento europeu se me fiz entender o k em santome fica miuto + muito mais barrato só que eles mandam esse dinheiro por vias tortas…

    falta mudar as mentalidades dos nossos governantes e de quem os escolhem…

  19. Osama bin Laden

    24 de Novembro de 2010 as 16:47

    Transferência prevista no OGE 2011 para agencia Nacional de petróleo:

    “0100 TESOURO 2400 Transferência para Agência Nacional do Petróleo Nacional 6.000.000.000,00 Dbs”, feito o cambio para euros vem a dar qualquer coisa como 245.000,00 mil Euros.

    Enquanto resto de população está a passar fome, lindo serviço que vocês prestam ao país.
    Fonte: Direcção de orçamento de STP.

    Independência tomada em 12/07/1975 só serviu para vocês, é preciso ter muita coragem. Isso não ficar assim, alguém tem que fazer algo.

  20. dasilvauk

    27 de Abril de 2011 as 21:34

    Por favor meus senhores antes de tudo, povo de santome precisao de mudar de mentalidade antes de faserem criticas pra seja la o ke for.Forca PM

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo