Política

No Gabão : Líder da oposição autoproclamou-se Presidente da República e é cusado de crime de alta traição

André Mba Obame(na foto), líder da oposição gabonesa decidiu esta semana se autoproclamar Presidente da República do Gabão, a luz dos resultados das eleições presidenciais de Agosto de 2009 em que obteve mais de 25% dos votos. Uma situação parecida com a que se vive na Costa do Marfim.

Alta tensão no vizinho Gabão. Numa comunicação à nação o Ministro do Interior e da Descentralização, Jean François Ndongou, anunciou uma série de sanções contra o partido União Nacional, principal força da oposição e liderada por André Mba Obame, que se auto proclamou Presidente da República, a luz dos resultados das eleições presidenciais do ano passado.

Na nota o governo acusa o líder da oposição e os seus apoiantes de crime de alta traição. «Tendo assumido a pesada responsabilidade, de se autoproclamar Presidente da República, e criado uma equipa governamental, o deputado André Mba Obame, assim como todos os que aceitam fazer parte da sua equipa governamental, violaram gravemente as mais importantes disposições constitucionais da república», diz a comunicação do ministério do interior do Gabão.

Dissolução do partido União Nacional do Gabão e o levantamento da imunidade parlamentar do deputado e líder da oposição, André Mba Obame, que deverá ser presente a justiça, são outras medidas imediatas anunciadas pelo governo de Ali Bongo, para tentar neutralizar o movimento liderado por André Mba Obame, que já está a provocar tumultos no país vizinho.

No entanto o comunicado governamental, assinado pelo ministro do interior, apela aos cidadãos nacionais e estrangeiros residentes no Gabão, a se concentrarem nas suas actividades diárias, ignorando por completo as acções do líder da oposição.

André Mba Obame , que está refugiado na sede do PNUD em Libreville, garantiu a imprensa que a Revolução Gabonesa está em marcha e que o Chefe de Estado Ali Bongo não conseguirá detê-la.

Note-se que nas eleições presidenciais de Agosto de 2009, cujos resultados foram divulgados em Setembro, o Gabão foi alvo de grande contestação política. A oposição não aceitou pacificamente os resultados das eleições, que deram a Ali Bongo, 41,7% dos votos. Os dois principais candidatos da oposição, sendo um deles André Mba Obame, ficaram cada um com 25% dos votos.

Juntos os dois candidatos da oposição representam mais de metade do eleitorado gabonês. Prova clara de que o país vizinho está política e socialmente profundamente dividido.

Téla Nón

    7 comentários

7 comentários

  1. N.C

    27 de Janeiro de 2011 as 20:22

    A Africa esta vivendo momentos de tensao.Costa de Marfim,problemas com aceitacao dos resultados da Urna.Tunisia revolta popular que destituio o Presidente.A Libia tambem querem exigir o afastamento do General Kadafi.Zimbabue com os problemas de sempre.Agora e a vez de Gabao que o lider da oposicao se proclama Presidente da Republica.Uns com direito a reclamacao e outros gananciosos e ciosos pelo poder.Esperemos que gestos desses nunca cheguem ao nosso pais que sempre foi pacifico.So esperemos que a ganacia pelo poder nao levam os pliticos santomenses por essa via.A via do dialogo e entedimento sempre sera a melhor solucao.Do geito que as coisas vao caminhado nesse nosso “Santo Tome”em que a justica nao funciona para os srs fulanos e tal,com o povo pequeno a ser torturado e massacrado,so mesmo o nosso “Santo”podera nos livrar dessa mare negra.Que isso sirva de chamada de atencao nao so para governo mas tambem para os fazedores da lei e justica bem como para os politicos em particualr

  2. Ovumabissu

    27 de Janeiro de 2011 as 20:56

    Eis um que tem também a mania que é (REI)Amador Vieira. Autoproclama-se.
    Querem ver que é um escravo revoltado contra a colonização do poder pela família Bongo?

    • no escuro

      28 de Janeiro de 2011 as 20:14

      a revolta do amador foi num contexto bem diferente, pelo que devias comparar este senhor com lideres africanos e mundiais pós independencia, como pinochet, mobutu sese seko, entre outros…

      foi um paralelismo infeliz da tua parte faze-lo com o rei amador.

  3. Domingas

    27 de Janeiro de 2011 as 21:38

    Deus livra a cabeça desse senhor, porque ele pode ficar sem ela. Kua lumadu.

    • Anjinho

      28 de Janeiro de 2011 as 15:10

      Pode ficar sem cabeça, sim senhor. Com o mau costume que há aí nuns vizinhos que agora estão nosso chá di cota feblé…Se for para cadeia, é sorte.

  4. SPC

    28 de Janeiro de 2011 as 8:43

    Caro N.C
    Concordo com o teu comentário. Costa de Marfim, Tunisia, Libia, Gabão e…(outros viram). Na verdade a ganancia desmidida pelo poder em África tira visão e ofusca a inteligencia (?) dos nossos Governantes. O que me preocupa neste momento é a situação da nossa Comunidade em Libreville que poderá, caso a situação agudizar-se, ser catastrofica. Se a coisa ficar féia por lá e muitos voltarem o que será deles? Não temos neste nosso STP nenhuma instituição assistencialista de verdade, o governo não consegui criar postos de emprego!!!
    Realmente é bom orarmos para que Santo Tomé e Santo Antonio de Príncipe com apoio de Sãn Zudón nos livre desta maré.
    Acho que nesta Momento os lideres africanos, e neste caso os daqui tb, já começaram a pensar sobre o futuro deste continente.
    Viva STP
    Que Deus abençoe nossa terra e nos livre de todo mal…amem

  5. tabia

    14 de Fevereiro de 2011 as 2:21

    interessante

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo