África do Sul lança bases para dinamização da cooperação com São Tomé e Príncipe

Brevemente o Governo sul africano vai ofertar medicamentos a São Tomé e Príncipe. Uma ajuda que visa estancar a crise que se assiste desde o ano passado no sistema nacional de saúde. África do Sul pretende agir noutros sectores. É o fruto da visita do Chefe de Estado são-tomense à África do Sul.

O reforço dos contactos entre Pinto da Costa e o seu homólogo da África do Sul a quando da cimeira entre África e América Latina na Guiné Equatorial, precipitou a visita da directora geral dos assuntos bilaterais e multilaterais da África do Sul a São Tome e Príncipe.

Gladys  Kudjoe, encontrou-se com o ministro de obras públicas, infraestruturas, recursos naturais e meio ambiente na quarta-feira, encontro que  serviu para as partes discutirem as áreas  que a África do Sul poderá cooperar com São Tome e Príncipe e também o reforço da cooperação já existente entre os dois países. « O objectivo desse encontro é de dar a sequencia a nossa cooperação bilateral é importante ainda desenvolvermos projetos em conjunto encontramos com o ministro das obras publicas infraestruturas recursos naturais e meio ambiente para vermos o que realmente podemos fazer estamos cientes que vamos fazer um grande projeto com esse ministério » avançou Gladys  Kudjoe directora geral dos assuntos bilaterais e multilaterais da Africa do Sul

Ainda no âmbito da cooperação devera chegar brevemente a São Tomé e Príncipe uma equipa técnica sul-africana para avaliar com as autoridades São-tomense os grandes eixos para o futuro acordo que deverá ser firmado entre os dois países. «Dentro de poucos dias teremos uma equipa técnica no domínio da agua e uma equipa de ministros para vermos o que podemos fazer, não queremos somente implementar projetos, mas também o reforço de capacidade aos ministros para estarem aptos e dar sequencia aos projetos mantendo-os e sustentando-os quando os mesmos terminarem» garantiu Gladys  Kudjoe directora  geral dos assuntos bilaterais e multilaterais da Africa do Sul

A directora dos recursos naturais e energia que também esteve presente no encontro apontou para as vantagens dessa cooperação para São Tomé e Príncipe no sector da água. « A questão da água podemos aqui fazer um levantamento da situação do sector  e ver qual é a possibilidade da Africa do Sul financiar projetos de infraestruturas nesse sector e ficou programado a vinda dos técnicos sul-africanos» disse  Lígia Barros  directora dos recursos naturais e energia.

No mesmo dia a delegação sul africana encontrou também com o Ministro da Saúde e Assuntos Sociais  Leonel Pontes onde abordaram assuntos relacionados com o futuro apoio que a Africa do Sul pretende dar a São Tomé e Príncipe no domínio da Saúde e meios técnicos.

Uma ajuda que devera chegar ao país brevemente segundo a directora geral dos assuntos bilaterais e multilaterais da África do Sul que também reuniu com o primeiro ministro e chefe do governo Gabriel Costa« Vamos fornecer medicamentos ao hospital de São Tomé e Príncipe e providenciar equipamentos a este centro de saúde já nos disseram que a situação hospitalar  aqui não é nada boa   e o nosso encontro com o primeiro ministro é de falar sobre a nossa missão e o que viemos fazer» garantiu a directora geral dos assuntos bilaterais e multilaterais da Africa do Sul.

Kudjoe avançou ainda que o seu país esta apostado em ajudar São Tomé e Príncipe no projeto de abastecimento de água potável a população « já encontramos com os ministros da Saúde e das infraestruturas e  falamos sobre os projetos de ajudas que temos para São Tomé e Príncipe, vamos apoiar o vosso país com projetos de abastecimento de agua e treinar quadros do ministério das infraestruturas  para que sejam capazes de garantir a sua continuidade» disse Gladys Kudjoe.

Gladys Kudjoe afirmou que são assuntos que fazem parte da preocupação das autoridades dos dois países. À enviada especial do presidente sul-africano a São Tomé e Príncipe encontrou-se esta quinta-feira com o presidente da república Manuel Pinto da Costa no palácio do Morro.

Sónia Lopes

  1. img
    Armindo Pinto Responder

    Ainda bem que os dois ministros falam fluentemente ingles.

  2. img
    Africano Responder

    Ó Sr. “Armindo Pinto” não seja pateta! O nosso ministro nem português fala como deve ser quanto mais Inguês.

    • img
      Aníbal Responder

      Concordo consigo! Um homem que nem em Português corrente se expressa bem imagina-se a expressar bem na língua Inglesa!? Este país está perdido. É só galanteio, gabarolices, muita parra e pouca uva. Toda a gente quer mostrar-se que é boa e que tem competências. Quando se espreme nada sai dai… Como é que o país pode desenvolver assim??? Em vez de trabalharem mais, serem mais humildes e perseverantes, querem mostrar que são melhores do que os outros.

  3. img
    Fede ká dóchi Responder

    Será que falar bem Inglês ou Português é que vai influenciar a cooperação?
    Isto é que vai fazer que São Tomé e Príncipe não beneficie de ajudas?
    Deixem que mesquinhices e de pequenês.
    Por isso é que S.Tomé e Príncipe está como está. O importante é entender o que se quer o resto logo se vê.
    Vamos dar as mãos e esquecer as querelas das comadres.
    Bem haja a todos.

Deixe um comentario

*