Festejo do 38º aniversário de Angola marcado por compromissos de reforço da relação com São Tomé e Príncipe

O executivo de Angola considera prioritária a cooperação com São Tomé e Príncipe numa aposta de vantagens mutua, nos vários domínios.  Garantia do embaixador Alfredo Mingas na cerimónia festiva do dia nacional de Angola, que aconteceu na segunda – feira no espaço Cacau.

Angola celebrou o seu aniversário de independência, sob o lema “Promovendo o Desenvolvimento e Justiça Social”. Em São Tomé e Príncipe a festa aconteceu no espaço Cacau. O Embaixador de Angola, Alfredo Eduardo Manuel Mingas, realçou o nível de cooperação entre o seu país e São Tomé e Príncipe. «Somos testemunhas da difícil realidade social e económica de São Tomé e Príncipe. As autoridades deste País contam com o nosso apoio e solidariedade, para a ajuda ao crescimento e ao desenvolvimento, associado aos esforços da comunidade internacional», declarou o embaixador.

O diplomata angolano, sublinhou o trabalho em curso entre os dois países com vista a actualização do Acordo Geral de Cooperação Bilateral, «e outros instrumentos importantes», acrescentou.

As relações de amizade entre os dois países vem desde a era colonial, estendem-se desta-feita ao campo social ao favor das duas nações, o que é mais uma prova verídica da profundidade e genuinidade desta aproximação de amizade e fraternidade no seio de Angola e o Arquipélago santomense. «Por isso, constitui dever e obrigação de todo o cidadão de ambas as nações contribuir para essa ingente e nobre tarefa da preservação e o reforço dessas relações, arquitectar um modelo de intercâmbio cultural que aproxime ainda mais os povos de tal forma que se reencontrem nas suas diferenças e semelhanças históricas, linguísticas e culturais; sem perder de vista o estrito respeito pelas leis do país acolhedor», reforçou o diplomata angolano.

Angola é um dos países do mundo que mais cresce a nível económico. Para este ano o seu PIB deve subir 5,1%. Tem uma das maiores reservas externas do continente africano, e analistas internacionais admitem a possibilidade de Angola vir a suplantar a África do Sul como a mior potência económica da África Austral. O país que viveu dilacerrdo por uma longa guerra civil, já conseguiu combater a fome, e avança com projectos estruturantes a nível da saúde, educação, habitação, infra-estruturas, energia, água e transportes.

Angola prevê que em 2014 a sua economia cresça 8.8 por cento, com o pendor para o sector não petrolífero.

Recentemente Angola organizou o Mundial de Hóquei em Patins, que mereceu uma particular atenção do Embaixador de Angola, Alfredo Eduardo Manuel Mingas, nos domínios do desporto e da cultura, Angola continua e é um país com créditos firmados a nível do continente africano.

O Primeiro-ministro, Gabriel costa, respondeu a intervenção do diplomata angolana enaltecendo a nova dinâmica introduzida na cooperação bilateral. Angola será pela primeira vez em 2014, o maior financiador do Orçamento Geral do Estado são-tomense.

Inter Mamata

  1. img
    atento ao dossier Responder

    “”Somos testemunhas da difícil realidade social e económica de S.Tomé e Principe”…
    Até parece que o Povo Angolano 95% dele,não
    passa pelas mesmas dificuldades.
    É fácil falar quando se tem a barriga cheia.
    A frase certa seria:
    “Somos testemunhas da difícil realidade social e económica dos nossos dois povos,
    e estamos dispostos a colocar ao serviço das populações todos os nossos imensos
    recursos””
    Isto sim é que era bonito.

  2. img
    Paulo Russo Responder

    Não vejo problema na sentença do embaixador angolano. Ele não negou dificuldades ou problemas sociais em Angola. Ele destacou a situação em STP – que é mais grave – que aguarda por apoios. Na verdade, o embaixador respondeu às expectativas de muitos são tomenses, dizendo que Angola sabe da situação; que não está alheia.
    Espero ter ajudado.

  3. img
    luisó Responder

    ele não negou mas também não falou…

Deixe um comentario

*