Cientistas russos descobrem uma maneira de tornar a Internet cem vezes mais rápida

Andrei Geim e Konstantin Novoselov, cientistas de origem russa, prémios Nobel da Física em 2010, sugeriram o uso de grafeno para construir redes ópticas.

  • Declarados três dias de luto na Região de Yaroslavl
  • Encontradas “caixas negras” do avião que se despenhou
  • Fórum político em Yaroslavl terminou os seus trabalhos
  • Medvedev destaca importância do diálogo sobre problema do multiculturalismo
  • Medvedev diz que o separatismo e o terrorismo na Rússia ainda não estão vencidos
  • Cientistas russos descobrem uma maneira de tornar a Internet cem vezes mais rápida

Declarados três dias de luto na Região de Yaroslavl

Yaroslavl, 9 de Setembro – RIA Novosti.

As autoridades declararam três dias de luto (a partir de hoje) na Região de Yaroslavl, onde quarta-feira se despenhou um avião Yak-42 com hoqueístas do clube local Lokomotiv.

O governador de Yaroslavl, Serguey Vakhrukov, assinou quinta-feira um decreto “Sobre a declaração de luto na sequência da catástrofe aérea”. No documento, as autoridades solicitam que os estabelecimentos públicos coloquem a meia-haste as bandeiras da Região de Yaroslavl em todo o território regional e que as emissoras de TV e rádio locais e estabelecimentos culturais suspendam os programas e actividades recreativos nos dias de luto.

O avião Yak-42 despenhou-se quarta-feira às 16.05 nas imediações de Yaroslavl, a 2,5 km do aeroporto de Tunochna. Segundo os dados do Ministério das Situações de Emergência da FR, a bordo encontravam-se 45 pessoas – 37 passageiros e oito membros da tripulação. Em resultado do desastre, 43 pessoas foram mortas e duas sobreviveram encontrando-se em estado grave.

Encontradas “caixas negras” do avião que se despenhou

Moscovo, 9 de Setembro – RIA Novosti.

As “caixas negras” encontradas no local da catástrofe do Yak-42 foram entregues para descodificação a uma comissão técnica do Comité de Aviação Interestatal (CAI).

“Os gravadores serão enviados a um laboratório do CAI, onde serão revistos, secos e abertos para analisar e descodificar as gravações com o fim de determinar as causas do surgimento e do desenvolvimento da situação crítica”, diz-se no site oficial do Comité de Aviação Interestatal.

Os gravadores foram encontrados por mergulhadores e entregues a criminalistas que os enviaram posteriormente ao CAI.

O avião Yak-42, que transportava jogadores de hóquei do clube Lokomotiv de Yaroslavl, despenhou-se quarta-feira à tarde nas imediações de Yaroslavl. A bordo encontravam-se 45 pessoas, 43 das quais morreram em resultado da catástrofe. Os dois sobreviventes – o hoqueista Aleksander Galimov e o engenheiro de bordo Aleksander Sizov – encontram-se em estado muito grave.

Como prioritárias, os criminalistas estudam as versões ligadas a falhas de equipamentos e a erros de pilotagem, anunciara anteriormente o porta-voz do Comité de Inquérito, Vladimir Markin.

Fórum político em Yaroslavl terminou os seus trabalhos

Moscovo, 9 de Setembro – RIA Novosti.

O Fórum Político Mundial em Yaroslavl, subordinado ao tema “O Estado actual na época da diversidade social”, em que participou o presidente da Rússia, Dmitry Medvedev, terminou quinta-feira os seus trabalhos.

O Fórum decorreu quarta e quinta-feira, durante os quais os peritos, politólogos e políticos discutiram os problemas da segurança global, os conflitos locais, o desenvolvimento das instituições democráticas em Estados multinacionais e o aperfeiçoamento da luta contra a desigualdade social.

No segundo dia dos trabalhos do Fórum foram introduzidas emendas devido à catástrofe aérea em que pereceram hoqueistas do clube Lokomotiv de Yaroslavl. Dmitry Medvedev alterou a agenda da sua participação no evento. Antes de intervir no Fórum, o chefe de Estado visitou o local da catástrofe e posteriormente efectuou uma reunião com os dirigentes dos respectivos departamentos.

Ao intervir no Fórum, Dmitry Medvedev declarou que o país deve concentrar os esforços para ultrapassar a pobreza maciça, devendo para isso a Rússia transformar a sua economia, actualmente assente nas matérias-primas. O chefe de Estado assinalou ainda que a garantia da ordem e da legitimidade não pode servir de argumento para a discriminação étnica e declarou a inadmissibilidade de limitar os direitos das pessoas e as críticas.

No quadro do Fórum, Dmitry Medvedev discutiu com o colega turco, Abdullah Gul, o tema da interacção bilateral e os problemas internacionais, assim como efectuou um encontro com a directora-geral da UNESCO, Irina Bokova.

Em 2011, no Fórum participaram mais de 600 pessoas, num terço mais que no ano passado.

No evento participaram o presidente da Turquia, Abdullah Gul, o primeiro-ministro da Tunísia, Béji Caid Essebsi, o ex-presidente da Indonésia (1998-1999), Bacharuddin Jusuf Habibie, o antigo presidente da Polónia (1995-2005), Aleksander Kwasniewski, e outras personalidades públicas destacadas, representantes do empresariado, cientistas e peritos.

As discussões foram traduzidas para 11 línguas estrangeiras.

A RIA Novosti foi parceiro informativo oficial do Fórum.

Medvedev destaca importância do diálogo sobre problema do multiculturalismo

Moscovo, 9 de Setembro – RIA Novosti.

O multiculturalismo foi um dos temas principais do Fórum Político Mundial em Yaroslavl, porque o problema das relações interétnicas é actual tanto para a Rússia, como para qualquer país europeu, declarou o presidente da FR, Dmitry Medvedev, em entrevista ao canal televisivo Euronews.

“Os problemas das relações entre diferentes etnias, entre aqueles que chegam aos países europeus à procura do emprego e a população autóctone agravaram-se praticamente em todos os  países europeus. Estes problemas existem também na Federação Russa. É por isso que decidi levantar esta questão na comunidade de peritos e na comunidade de políticos práticos”, disse Medvedev.

Nas suas palavras, “foi dito e escrito muito” sobre este tema nos últimos meses. “A maioria de políticos europeus começaram a falar sobre a crise do multiculturalismo, apontando que os valores do multiculturalismo não resistiram à prova do tempo e devem ser revistos”, assinalou o chefe de Estado.

O presidente adiantou que, possivelmente, na Rússia, a atitude para com este problema é ainda mais complexa.

“A Rússia é um Estado étnico muito complexo com grande número de povos e confissões. Para nós, o problema da coexistência de diferentes povos não é um problema dos imigrantes que de qualquer modo aparecem em qualquer país e na Rússia também. Este é um problema da harmonia interna que se tem formado no decorrer de séculos.

Devemos de facto formar uma sociedade de harmonia interna em que as pessoas sejam tolerantes reciprocamente e, ao mesmo tempo, respeitem as tradições que constituem o núcleo de uma ou outra etnia. Não importa de que zona se trata – a Rússia central, o Cáucaso, o Extremo Oriente – em toda a parte vivem cidadãos da Rússia, que dispõem dos mesmos direitos e deveres, que têm que comportar-se adequadamente na sociedade. É por isso que este tema é importante para nós”, ressaltou Medvedev.

“Mas na Europa também há muitos problemas, como já disse. E por isso, a meu ver, hoje é importante trocar tanto ideias teóricas para com a solução deste problema, como receitas práticas”, declarou o presidente da Federação Russa.

Medvedev diz que o separatismo e o terrorismo na Rússia ainda não estão vencidos

Moscovo, 9 de Setembro – RIA Novosti.

O presidente da Rússia, Dmitry Medvedev, disse que a Rússia ainda não venceu completamente o separatismo e o terrorismo.

“Há muitos anos que combatemos o separatismo e o terrorismo. E ainda que o inimigo esteja debilitado, ainda não foi vencido”, afirmou Medvedev ao intervir no Fórum em Yaroslavl.

O presidente russo constatou que “a geografia da tensão interétnica, lamentavelmente, vai-se ampliando”. A crescente presença de naturais do Cáucaso em zonas povoadas tradicionalmente por russos e a gradual desaparição destes das repúblicas caucasianas conduz, segundo ele, ao “hermetismo etnocultural numas regiões e a fricções interétnicas noutras”.

A situação agrava-se também pela “excessiva estratificação no que respeita ao nível de vida”. Os rendimentos de 10% dos cidadãos mais ricos da Rússia superam 15 vezes os dos mais pobres, recordou o chefe de Estado. Estes 10% possuem actualmente um terço do rendimento global no país, ao passo que os pobres só possuem 2%.

Ao mesmo tempo, Medvedev destacou que a Rússia “é um caso único de diversidade social, cultural e política”. Povoada por mais de 180 povos, a Rússia desenvolveu-se historicamente como um Estado multiconfessional, disse.

A economia do século XXI, segundo ele, conduz, entre outras coisas, a uma maior intensidade dos fluxos migratórios. A liberdade de escolha, que Medvedev qualificou de “valor fundamental da nossa época”dá a cada indivíduo “o direito de viver à margem de estereótipos, ser diferente dos demais”, não se limitar a acatar as tradições do respectivo país ou local onde vive.

Rossiiskaya Gazeta / RBC

Cientistas russos descobrem uma maneira de tornar a Internet cem vezes mais rápida

Andrei Geim e Konstantin Novoselov, cientistas de origem russa, prémios Nobel da Física em 2010, sugeriram o uso de grafeno para construir redes ópticas.

Professores da Universidade de Manchester, Andrei Geim e Konstantin Novoselov, que ganharam o Prémio Nobel pelo seu trabalho sobre as propriedades do grafeno, publicaram um artigo na revista Nature Communications no qual descrevem um método para criar um novo material com base em nanoestruturas metálicas e de grafeno. Como resultado, eles desenvolveram a mais nova geração de fotodetectores, que podem converter luz em energia eléctrica 20 vezes mais do que qualquer material conhecido anteriormente. Além disso, esses fotodetectores podem aumentar significativamente a quantidade de luz transmitida por dispositivos de comunicação óptica. Desse modo, o uso do grafeno para criar redes ópticas pode aumentar a velocidade da internet centenas de vezes em comparação com o alcance obtido em redes de hoje.

Até agora, os obstáculos ao uso do grafeno giravam em torno de que esse material teria uma capacidade extremamente baixa para absorver a luz, mas cientistas refutam essa visão. “Muitas das empresas eléctricas líderes estão considerando a possibilidade de utilizar o grafeno para construir a próxima geração de dispositivos”, afirmou o cientista Konstantin Novoselov. Esse trabalho aumenta ainda mais as chances do grafeno”.

De acordo com Novoselov, as tecnologias de produção do grafeno desenvolvem-se a cada dia. A líder de tecnologia IBM anunciou este ano a construção do primeiro circuito integrado com base nesse material. No futuro, seu uso irá melhorar a funcionalidade de dispositivos sem fio e permitirá a produção de displays mais baratos. Além disso, o grafeno ainda ajuda a prolongar a vida útil das baterias. A companhia Vorbeck está actualmente a trabalhar com um dos laboratórios do Departamento de Energia dos Estados Unidos para incluir o grafeno na fabricação de baterias, que poderão ter mais capacidade e carregamento mais rápido, relata a Telecom Daily.

O grafeno foi obtido pela primeira vez em 2004. O material ainda não foi muito estudado, mas tem atraído grande interesse. Ele tem alta resistência, é condutor eléctrico e ultrapassa todos os materiais conhecidos em termos de condutividade térmica. O grafeno é transparente à luz, mas diante dela é denso o suficiente para não perder sequer uma molécula de hélio – a menor das moléculas conhecidas.

As perspectivas de uso do material concentram-se na construção de telas sensíveis ao toque, painéis de luz, e, possivelmente, baterias solares. Uma das dificuldades para um uso mais difundido do grafeno é que, até agora, o principal método para sua obtenção é um procedimento manual. O material é produzido pela remoção mecânica ou pela esfoliação das camadas de grafite. Outro procedimento é o método de decomposição térmica do substrato de carbono de sicílio, que está muito mais próximo da produção comercial, mas ainda é pouco usado.

Deixe um comentario

*