O Escola + está a acabar o ano e entre a azáfama que esta época engloba importa realçar a mudança que ocorreu no KE MESE

Sendo os professores centrais na implementação das mudanças que acompanham a revisão curricular do sistema de ensino santomense e tendo em conta as suas fragilidades nos domínios científico e pedagógico, no acesso a materiais didácticos e às novas tecnologias, criou-se um Centro de Formação e Recursos (CFR).
O Centro de Formação e Recursos encontra-se no Liceu Nacional e tem o nome Ke Mese, que significa no crioulo forro de S. Tomé casa do mestre, com este espaço pretende-se facultar aos professores condições que permitam reforçar as suas competências. Desde a sua abertura ao público em Setembro de 2011 o Ke Mese tem à disposição dos professores secções de biblioteca, sala de informática, sala de formação e reprografia.
Na biblioteca os professores têm acesso à consulta manuais escolares, livros técnicos, livros de didáctica e pedagogia, bem como outros materiais didácticos. Neste espaço os professores têm ainda disponíveis livros para venda e para requisição domiciliária. Na sala de Informática há computadores, impressora e scanner disponíveis para os professores trabalharem. Podem ainda ter acesso à internet pagando um preço simbólico.
A sala de formação está disponível para formação e workshops, sendo neste espaço que decorre diariamente o acompanhamento feitos aos professores nacionais, das diversas disciplinas do ensino secundário, pelos professores cooperantes. A reprografia destina-se à reprodução de materiais pelos professores a preços mais acessíveis, tendo ainda os professores do Liceu Nacional a possibilidade de gratuitamente fotocopiar os testes a aplicar aos seus alunos.
Este ano lectivo centraram-se todos estes serviços no pavilhão cultural juntando assim a Ke Mese sede e a Ke Mese filial. Depois de 2 anos em funcionamento, o Ke Mese passou a fazer parte do dia-a-dia dos professores santomenses, sendo amplamente utilizado em todas as suas valências.

Projecto – Escola +

  1. img
    Vane Responder

    Pelo menos o mínimo de investimento na educação, continuem progredindo!

    Desperta STP!

  2. img
    Ploco mato Responder

    Entendo que devem escrever melhor a palavra “Mese”, pelo menos assim: “Mecè”

  3. img
    madalena Responder

    INVESTIR NA EDUCAÇÃO COM MEDO DAS EXIGENCIAS. Um cpovo com saber consegue materializar as politicas de melhgor forma, tambem pode ser uma arma,contra a corrupção e ditadura. Escolhe educar ou ficar como estmos,seja como for é melhor educar a naçÃO AGRADECE E BEM

Deixe um comentario

*