Cruzamento entre o ISB de Portugal e o ISP de São Tomé produziu primeiros mestres em 3 áreas

A parceria entre os institutos superiores politécnicos de São Tomé e Príncipe e de Bragança – Portugal, foi consolidada nos últimos anos, e pela primeira vez gerou no território são-tomense 16 novos mestres nas áreas de ensino de ciências, educação ambiental e qualidade e segurança alimentar.

O Instituto Superior Politécnico de Bragança, está a formar mais de 150 alunos do Instituto Superior Politécnico de São Tomé e Príncipe. Contabilidade e Finanças é a área mais recente que está a ser administrada no instituto são-tomense que pretende elevar-se a categoria de Universidade Pública.

Dos 150 alunos, envolvidos em cursos de mestrado, 16 defenderam esta semana a tese. Fim do curso. Um acontecimento singular na história do ensino superior em São Tomé e Príncipe. 7 são agora mestres em ensino das ciências, 6 no ramo da educação ambiental e 3 na área de qualidade e segurança alimentar. «Necessitamos que a educação seja libertadora. Precisamos viabilizar o desenvolvimento da criatividade e do pensamento autónomo, precisamos humanizar a educação», declarou Peregrino Costa, Presidente do Instituto Superior Politécnico de São Tomé e Príncipe.

O responsável máximo do Instituto público são-tomense, acrescentou que «somos capazes de produzir conhecimento que ajuda a sociedade a pensar e pensar-se».

Manuel Teles Neto, mestre em ensino de ciências, falou em nome dos colegas. Enalteceu o cruzamento entre os institutos são-tomense e português, que produziu novos frutos para a sociedade e para o progresso do país.

Com 7 mil alunos, o Instituto Superior Politécnico de Bragança, tem uma grande vocação internacional, assegurou o seu Presidente, Sobrinho Teixeira. Dos 7 mil alunos, mais de 1000 são alunos internacionais. Sobrinho, indicou Cabo Verde, Angola e Moçambique como países da CPLP, onde o seu instituto tem contribuído para a formação de quadros. «Devo vos dizer isso com toda sinceridade. Em nenhum país como em São Tomé, vi tanto empenhamento dos meus docentes para que este epílogo acontecesse. Em nenhum país como em São Tomé vi de facto uma tão grande vocação e lucidez, dos seus dirigentes para qualificar a população a nível de licenciaturas e mestrados», pontuou o Presidente do Instituto Superior de Bragança.

A nível ibero-americano, o Instituto Superior de Bragança goza de grande prestígio. Segundo Sobrinho Teixeira, o seu instituto está em primeiro lugar em dois índices de investigação, que avaliam a prestação das instituições do espaço ibero-americana.

Mas a cooperação bilateral entre São Tomé e Príncipe e Portugal no domínio da educação, tem novos horizontes. O reforço da qualidade dos ensinos básico e secundário é uma das prioridades. «A cooperação entre São Tomé e Príncipe e Portugal tem um desígnio que é a constituição de uma escola portuguesa de ensino básico e ensino secundário aqui em São Tomé que proporcione um ensino de excelência», anunciou a embaixadora de Portugal Paula Silva.

O Ministro da Educação e Cultura, Jorge Bom Jesus, que presidiu na quarta-feira a cerimónia inédita no anfiteatro do Instituto Superior Politécnico de São Tomé e Príncipe, garantiu que «é preocupação central do Governo a reforma do sistema de ensino, o desenvolvimento do ensino superior visando a modernização do país».

Abel Veiga

  1. img
    Barão de Ágia Izé Responder

    E a Agricultura? E Pescas? E Turismo?
    Cursos que qualificam futuros desempregados são necessários para STP?

Deixe um comentario

*