Ubua Cajú tem energia eléctrica estável e água potável está prestes a chegar

O Ministro das Obras Publicas, Recursos Naturais e Ambiente, Osvaldo Abreu, inaugurou a nova rede eléctrica de Ubuá Caju num ambiente de festa. Um projecto de electrificação que vai se estender a todo o país.

Orçado em 1 bilião e trezentos Milhões de Dobras, a nova rede eléctrica, deu estabilidade ao fornecimento de energia a localidade de Ubua Cajú mesmo nos arredores da cidade de São Tomé. O abastecimento de água para as casas será dentro de dias.

O bairro de Ubuá Caju que estava apagado pelo tempo, está encravado na fronteira entre a Boa Morte e Atrás do Cemitério do Alto São João.

A porta-voz do referido bairro, Limpinha Aragão, manifestou uma alegria populacional com voz suprema, esperada há mais de 30 anos e elegeram a Direção de EMAE como melhor Instituição do Ano 2013 para Ubuá caju. «Com alegria e satisfação já la foram os anos dificeis que preferíamos usar velas e os nossos filhos não podiam fazer leitura, como também os nossos electrodomésticos danificavam devido a falta de boa energia», declarou a representante da população.

O Presidente do Conselho da Administração da EMAE, José Maria Barros, defendeu que a sua empresa está apostada em levar a energia

e água a todas localidades, segundo a disponibilidade da empresa. «Nós implementamos uma Obra com um  posto novo de energia, com a capacidade de 160 KVA, 1300 metros de cabo e uma ligação domiciliária com cabos torçados numa cobertura de 98% nesta  zona com energia de boa qualidade e iliba a EMAE de perdas técnicas e o abuso ilícito de roubo de energia, portanto é uma satisfação para EMAE e esta população que vibra a sua alegria esperada a três décadas», disse o jovem Líder da EMAE, José Maria Barros.

O titular da Pasta das Obras Publicas, Osvaldo Abreu, afirmou que o Governo prometeu melhoria para a população de São Tomé e Príncipe e aos poucos está a dar resposta com a energia e a água e a estrada de acesso à Ubuá Caju será para depois. «Sabemos que as dificuldades são enormes e os recursos são poucos; mas com este pouco e qualidade estamos a remediar a favor dos necessitamos, de São Tomé e Príncipe tais como: Mato Cana, Cabeça Cal entre outras localidades»,  informou o Ministro das Obras Publicas, Recursos Naturais e Ambiente, Osvaldo Abreu.

Inter Mamata

  1. img
    Eterno Madiba Responder

    Os senhores estão cá para fazer coisas e bem feitas. É o lema dos aspirantes do poder! Servir o povo! E nada mais. E confesso que estou a ver muito pouco!

  2. img
    anonimo Responder

    Acho isto uma concorrência desleal do Ministro das Obras Públicas ao Presidente da Camara de Água Grande…. Há que balizar as coisas, não podemos ter Ministros de pastas tão importantes a irem inaugurar pequenas obras(apesar da importância que a mesma tem para essa comunidade), penso que isso é o trabalho para a Camara Distrital de Água Grande, por isso é que o País não avança, não se dá poderes as Camaras e os Ministros usurpam-se das competências destas quando deveriam sim preocupar com obras de maior vulto…….

    • img
      Agua Grande Responder

      Parece ser justamente o contrario. P C Agua Grande inverteu seu papel. Quer assumir lugar d Ministros d Emae de Inae mas seu próprio trablho esta na rua da amargura. A nossa cidade esta um caos. Lixo desordem imundices falta d estética falta d norte. Violação d normas urbanas.. coitado do Eng. d Lixo q tenta limpar a cidade sem êxito pq PR d Câmara esta nem ai. Quem realmente esta colocando agua e iluminação é emae com material q UE cedeu a camara. É só protagonismo eleitoralista e desonestidade. Cidade esta irreconhecível. Pelo menos Dedinha limpava cidade

      • img
        Fruta pão Responder

        Meu caro amigo Água Grande, de tanta vergonha que ministro começa a competir com a Câmara de Água Grande. Qualquer obra que a Câmara faz, vem o ministro a trás a querer fazer o mesmo, ou falar das obras como se do governo fosse. A centro da cidade está assim, porque o seu governo sem norte, não tem postura, nem sentido do estado para colocarem ordem na cidade. Com tanto medo da população, que acabaram tirando todos os policias nas ruas, deixando cidade a deus dará. A maior vergonha ainda, quando falam da Câmara que neste momento substitui propio governo, porque para mim, não existe governo em S.Tomé, mas sim, algo parecido com governo.

      • img
        Magalhães Responder

        Não me lembro de União Europeia ter financiado iluminação pública? Parece que andam todos perdidos e não sabem o que dizem.
        Dá Cezar o que é do Cesar, Câmara de Água Grande, faz diferença.

      • img
        Maracujá Responder

        Pouca vergonha a ver ministros e outros órgãos da soberania a competir com uma câmara pequena, com orçamento irrisório, quando sim deveriam preocupar com os verdadeiros problemas do pais e deixa coisas banal para poder local.
        Quanto ao senhor Água Grande, já notamos que o seu governo não tem competência nem poder para colocar ordem seja aonde quiser, quanto mais nas ruas da cidade capital, ordem publica para aquilo que sabemos, não é competência da câmara de água grande e todos.

    • img
      kwatela Responder

      o teu país é tao grande que queres ver ministro a inaugurar obras grandes!!!!
      atrasado mental!!!

  3. img
    Lupuye Responder

    Pouco a pouco temos que dar o bem estar a toda a populacao santomense. Hoje em dia essas comodidades ja nao sao um luxo, sao parte das necessidades de todos. Agua, eletricidade, teto, roupa, sapato, boa alimentacao, estradas…deveriam fazer parte do dia a dia de todos.

  4. img
    Bili Responder

    É uma boa iniciativa. Agora quando é que o Governo vai melhorar a qualidade de energia nas localidades de Cruzeiro, Pau Sabão e Lemos? Uma vela acesa ilumina mais que a energia que a EMAE fornece àquelas localidades.
    Outra questão é o abastecimento de água às localidades de Favorita e António Vaz. Fez-se um grande projecto de Vági Sum Pimbi que, na prática, apenas trouxe água durante alguns meses. Actualmente a água apenas corre nos chafarizes de Torres Dias ao passo que as pessoas de Favorita e António Vaz que têm contrato para o fornecimento de água às suas residências não vêem esse precioso líquido há várias semanas. É correcto???

Deixe um comentario

*