Sem categoria

PMA apoia combate à fome com US$ 167 milhões em Moçambique  

PARCERIA – Téla Nón / Rádio ONU

Novo plano de apoio ao país vai decorrer até 2021; objetivo é garantir acesso a alimentos nutritivos aumentar resiliência aos choques climáticos.

Para Karin Manente parcerias estratégicas são importantes para um trabalho multissetorial de combate à fome em Moçambique. Foto: Ouri Pota.

Ouri Pota da ONU News em Maputo.

O Programa Mundial de Alimentação, PMA, lançou esta quarta-feira o Plano Estratégico do País, PEP.

Em cinco anos, a iniciativa pretende garantir que as pessoas beneficiárias tenham acesso a alimentos nutritivos e ajudar que se tornem mais resilientes aos choques climáticos a que Moçambique é cada vez mais propenso.

Desafios

Em conversa com ONU News, em Maputo, a diretora nacional do PMA em Moçambique, Karin Manente, disse que o plano teve como base os desafios globais. O destaque é a Agenda 2030 de Desenvolvimento Sustentável.

 

Chefe do PMA em Moçambique revelou que plano para o país teve como base os desafios globais. Foto: Ouri Pota.

“O nosso trabalho se orienta para ajudar o país a atingir os ODS 2 que é contra a fome e a desnutrição, que é nosso objetivo, é o que nos guia. Segundo a ODS 17 que é em parcerias. Sabemos que a fome e a desnutrição é uma questão multissetorial que não é só PMA, é um trabalho de muitos que é necessário, então também parcerias estratégicas, alianças para juntos poder fazer um trabalho multissetorial é importante.”

A diretora da agência salientou ainda que o atual plano estratégico é um marco importante para o país.  A nova iniciativa do PMA concentra-se no apoio a esforços de fortalecimento da resiliência a longo prazo.

A outra meta é reforçar parcerias, sistemas e instituições nacionais necessários para atingir os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, em particular o ODS 2, que prevê atingir a fome zero nos próximos 13 anos.

O Plano Estratégico para Moçambique, orçado em US$ 167 milhões, foi aprovado e entrou em vigor em julho passado.

Notícias relacionadas:

ONU analisa casos de desaparecimento forçado desde esta segunda

ONU apoia novo projeto sobre resiliência em áreas da costa em Moçambique

OMS reitera apoio ao combate à resistência antimicrobiana em África 

 

    Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo