Sociedade

Unesco condena assassinato de jornalistas no México

Diretora-geral da agência emitiu nota após morte de Rubén Pat Cahuich e Luis Pérez García em ataques separados no país; Cahuich foi morto em Playa del Carmen; García, na Cidade do México.

A Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura, Unesco, condenou o assassinato de dois jornalistas no México.

Em nota, a diretora-geral da agência, Audrey Azoulay, afirmou que a violência a jornalistas é um ataque ao direito humano básico à liberdade de expressão.

Área turística

Rubén Pat Cahuich e Luis Pérez García foram mortos em ataques separados no México. Pat Cahuich foi assassinado em 24 de julho no estado de Quintana Roo, na área turística de Playa del Carmen.

Ele era diretor de uma revista online chamada Playa News Aqui e Agora. O repórter já estava recebendo ameaças de morte e por isso havia sido colocado no Mecanismo Federal de Proteção de Jornalistas e Defensores de Direitos Humanos.

Audrey Azoulay lembrou que o assassinato dele ocorreu menos de um mês após um outro jornalista e colega de Pat ter sido morto, José Guadalupe Chan Dzib.

Incêndio

Já o assassinato de Luis Pérez, na Cidade do México, ocorreu em 9 de julho. O profissional, de 80 anos, era locutor e também dirigia a revista Pesquisa do Dia. Ele foi morto em casa.

De acordo com a mídia local, os criminosos golpearam a vítima e depois atearam fogo ao corpo. Os vizinhos teriam sido alertados pelo incêndio e chamaram a polícia.

A chefe da Unesco instou as autoridades mexicanas a não pouparem esforços para levar os autores dos assassinatos à justiça.

 

UNESCO|JORNALISTAS|MÉXICO|RUBÉN PAT CAHUICH|LUIS PÉREZ GARCÍA

 

 

    Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo