Destaques

Mutualismo português mais próximo de São Tomé e Príncipe

A União das Mutualidades Portuguesas (UMP) vai ser recebida por vários membros do governo de São Tomé e Príncipe, durante a semana de 6 a 9 de dezembro, de forma a divulgar o seu projeto de internacionalização.

Depois da bem-sucedida visita a Cabo Verde, a UMP está agora em São Tomé e Príncipe para dar continuidade a um projeto que definirá novas estratégias de cooperação entre os vários países-membros da CPLP. O objetivo é que o movimento mutualista possa ser reconhecido como solução comum na proteção social e saúde.

O presidente do Conselho de Administração da UMP, Luís Alberto Silva, pretende reforçar a ligação entre a UMP e o governo de São Tomé e Príncipe, com vista à promoção e desenvolvimento de ações/atividades que alavanquem os domínios da Segurança Social, Saúde, Família, Educação, entre outros, em prol dos cidadãos são-tomenses e do desenvolvimento do país.

Assim, estão previstas audiências com o Primeiro-Ministro de São Tomé e Príncipe, os Ministérios do Emprego e Assuntos Sociais, da Saúde, da Juventude e Desporto, das Finanças, Comércio e Economia,  da Educação, Cultura, Ciência e Comunicação, ente outros.

Nestas audiências com os diferentes ministérios, Luís Alberto Silva aproveitará para apresentar propostas de intervenção a favor da proteção na saúde, segurança social e bem-estar e, nessa medida, procurará que sejam celebrados protocolos de cooperação.

“Esta é uma excelente oportunidade para a UMP poder alavancar o projeto de internacionalização do movimento mutualista português. Pretendemos que vejam a UMP como parceiro, pelo que o governo de São Tomé e Príncipe poderá contar connosco, com a nossa disponibilidade, conhecimento e experiência mutualistas, na procura de soluções para os problemas, no âmbito da proteção social e saúde do país. Importa, portanto, que os Estados olhem para este setor como parceiros, com uma nova visão e que privilegiem as políticas de proximidade e de parceria e que procurem assegurar as condições de sustentabilidade das instituições”, refere Luís Alberto Silva.

A UMP quer posicionar o Mutualismo como uma força de referência do Setor Social e Solidário, sendo-lhe confiada a missão de reforçar e desenvolver o movimento mutualista, em Portugal e além-fronteiras.

 

Planificação das audiências:[1]

6 de dezembro

08h00 – Ministro da Presidência do Conselho de Ministros e dos Assuntos Parlamentares (Afonso Varela)

10h00 – Ministro da Juventude e Desporto (Marcelino Sanches)

16h30 – Embaixada de Portugal – Adido para a Cooperação (António Machado)

Ministro dos Negócios Estrangeiros e Comunidades (Urbino Botelho)

 

7 de dezembro

8h30 – Ministra da Justiça, Administração Pública e Direitos Humanos (Ilza Vaz)

10h00 – Ministro do Emprego e Assuntos Sociais (Emílio Lima)

11h30 – Ministro das Finanças, Comércio e Economia Azul (Américo Ramos)

 

8 de dezembro

10h00 – Presidente da Câmara Distrital de Água Grande – São Tomé e Príncipe

15h30 – Ministra da Saúde (Maria de Jesus Trovoada dos Santos)

 

9 de dezembro

10h00 – Presidente da Assembleia Nacional

 

 

 

[1] Sujeito a alterações

    1 comentário

1 comentário

  1. Levar ou Trazer

    9 de Dezembro de 2016 as 10:52

    Mutualismo, eu diria,( Nova Colonização portuguêsa) mais próximo do que nunca em São Tomé e Príncipe. De perto não se vê so de longe!!!

Deixe um comentário

Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo