Política

Piratas atacam navio no golfo da Guiné

bakassi.jpgO ataque de piratas contra uma embarcação nas águas territoriais dos Camarões, mais concretamente na península de Bakassi ocorreu na noite de 10 para 11 de Outubro. Segundo a imprensa dos Camarões um comunicado do ministério da defesa, difundido pela rádio e televisão locais, deu conta que 9 piratas armados abriram fogo sobre uma embarcação na península de Bakassi. Segundo o Ministério da Defesa dos Camarões, o ataque foi repelido imediatamente pelo batalhão de intervenção rápida do exército que abateu 4 piratas. Quatro ficaram feridos e 1 é dado como desaparecido. São Tomé e Príncipe está localizado no coração do golfo da Guiné , onde nos últimos tempos tem acontecido incursões de homens armados não identificados contra alguns países vizinhos.

Ainda neste ano, a vizinha Guiné Equatorial foi atacada de repente por homens armados, que apareceram no mar. Alguns dias depois o gabão esteve em estado de alerta máximo, porque havia indícios de que o alegado grupo armado que executa ataques anfíbios teria o país vizinho como alvo.

Os 8 países do golfo da Guiné, criaram uma organização regional que tem dentre outras missões, garantir a segurança na zona, a chamada comissão do golfo, de que São Tomé e Príncipe ocupa o cargo de Secretário Executivo na pessoa do antigo Presidente da República Miguel Trovoada.

Rico em petróleo, destacando-se os três maiores produtores de ouro negro do continente, nomeadamente Nigéria, Angola, e a Guiné Equatorial, o golfo da Guiné está no centro das atenções das grandes potências internacionais. Mas não só por isso, também é rico em pescado.

forcas-camaronesas.jpgComo é o caso da península de Bakassi, pertença dos Camarões, mas durante muitos anos foco de tensão e confronto com a Nigéria. Foi exactamente nas águas territoriais da península camaronesa que na última semana um grupo de 9 piratas atacou uma embarcação. Segundo a imprensa dos Camarões, a intervenção do batalhão de intervenção rápida das forças armadas, aniquilou os piratas. 4 mortos, 4 feridos e 1 pirata ainda dado como desaparecido.

A imprensa dos Camarões adianta que no passado, os confrontos na península de Bakassi de 1000 quilómetros quadrados, estavam relacionados com a disputa fronteiriça com a Nigéria.  Em 2007,  20 soldados Camaroneses morreram em confronto na fronteira com a Nigéria. Também em Junho do ano passado 7 polícias morreram nas mesmas condições.

No entanto nos últimos, garante a imprensa camaronesa, os ataques em Bakassi são atribuídos a grupos armados não identificados, considerados como Rebeldes.

Com o cenário periódico de homens armados a surgir no horizonte do Golfo da Guiné, para atacar países e agora também embarcações, São Tomé e Príncipe, localizado no centro da zona, e que ainda está a construir a sua guarda costeira, não deverá ficar alheio aos episódios que estão a marcar a actualidade na vizinhança. Advinha-se muito trabalho para a comissão do golfo que tem a missão de remir conflitos e promover a paz e a segurança no rico golfo africano.

Abel Veiga

Recentemente

Topo