Centro de Aconselhamento contra violência doméstica já tem unidade para protecção das vítimas

Publicado em 23 Fev 2009
Comentários; fechado

45 mil euros disponibilizados pelopolicia.jpg governo canadiano através da UNICEF, permitiram a abertura de uma unidade de protecção das vítimas da violência doméstica. Durante 48 horas as vítimas da violência no lar, podem encontrar alimentação, cama e apoio psicológico no centro de aconselhamento. Para além desta unidade devidamente apetrechada, através do financiamento internacional várias instituições ligadas parceiras do centro de aconselhamento receberam equipamentos para operacionalizar os seus serviços na luta contra a violência doméstica.Com dezenas de fotografias nas paredes que retratam o fenómeno da violência doméstica em São Tomé e Príncipe o centro de aconselhamento, recebeu dezenas de pessoas representado várias instituições do estado e ONGS, que colaboram na prevenção contra a violência no lar.

Após a aprovação da lei que protege bastante as mulheres, principais vítimas da violência doméstica, e que obriga o julgamento sumário dos casos de violência, o centro de aconselhamento que dá apoio material e psicológico as vítimas, foi apetrechado com novos meios para socorrer os homens e mulheres que são violentados.

Uma unidade temporária de protecção das vítimas, devidamente apetrechada, vai resguardar as pessoas violentadas pelo menos durante 48 horas. Tudo está garantido, desde alimentação passando pela cama, e apoio psicológico dos técnicos do sector.

O governo através do Ministro da Justiça, alertou que o objectivo de combate a violência doméstica deve ser atingido, apesar de se verificar que quanto mais se intensificam as acções de luta mais o fenómeno cresce.

O UNICEF, que patrocinou o projecto através de um fundo de 45 mil euros disponibilizado pelo governo canadiano, disse através do seu representante em São Tomé Batiloy Warritay, esperar que no futuro o governo são-tomense injecte mais fundos para manutenção do apoio as vítimas da violência doméstica.

As polícias de ordem pública e de investigação criminal, bem como os tribunais, também receberam vários equipamentos para fortalecer a parceria das instituições na luta contra a violência nos lares.

Abel Veiga