Turismo são-tomense em promoção na capital angolana-Luanda

Publicado em 24 Jun 2009
Comentários; fechado

Uma iniciporto-alegre.jpgativa do Grupo Pestana em São Tomé e Príncipe. Desde segunda-feira, que São Tomé e Príncipe está a ser promovido em Angola como país de referência nas potencialidades turísticas e oásis de férias para os países do golfo da Guiné. 

O workshop, que o Grupo Pestana está a promover em Luanda para vender São Tomé e Príncipe como principal destino turístico do golfo da Guiné, termina no dia 28 de Junho. Durante 6 dias, imagens das ilhas verdes, pacotes de viagens, e outros produtos atractivos, vão dar sequências as reuniões e debates entre o grupo pestana São Tomé e os operadores turísticos e agências de viagens de Angola.

Segundo uma nota do grupo pestana enviada ao Téla Nón, «o ponto máximo desta acção de vendas será no dia 25 de Junho com a realização de um Workshop que já conta com a participação de cerca de 200 pessoas de várias áreas.  A apresentação será feita no Restaurante/Bar/Discoteca Chill Out, um dos grandes pontos de referência da animação na cidade de Luanda».

São Tomé e Príncipe, é apresentado aos operadores angolanos, como um destino de referência nas potencialidades turísticas e oásis de férias para os países do Golfo da Guiné. A proximidade das ilhas em relação aos países da sub-região, é uma vantagem que o principal operador turístico são-tomense quer explorar ao máximo. Mas não só, o facto de alguns países da sub-região como Angola, Nigéria e Guiné Equatorial, demonstrarem grande poder financeiro, desperta a atenção da empresa hoteleira em atrair para os seus hotéis em São Tomé, os turistas dos respectivos países.

O grupo Pestana posiciona-se como maior investidor na área do turismo em São Tomé e Príncipe. Tem nas mãos os três principais hotéis do país, nomeadamente Pestana São Tomé, Pestana Equador e Hotel Miramar by Pestana.

Segundo a nota que o Téla Nón teve acesso, nesta operação promocional em Angola, o grupo Pestana que também tem participação na Euroatlantic, empresa que gere a companhia aérea de bandeira nacional, STP- Airways, pretende promover o nome da companhia nacional. A STP-Airways, faz ligações semanais entre São Tomé e Lisboa, projecta voar para o Brasil, mas ainda não cumpriu a sua missão de garantir a ligação aérea entre as ilhas de São Tomé e do Príncipe.

Abel Veiga