Sociedade

Hospital Ayres de Menezes registou mais de 425 casos de gastroenterite aguda no mês de Agosto

criancas-internadas.jpgO surto diarreico que se manifesta também com vómitos, começou no início de Agosto e já afectou mais de 425 pessoas, com destaque para crianças menores de 5 anos. José Luís, Director Geral do principal hospital do país, esclareceu que se trata de um surto sazonal, e que não tem nada a ver com a cólera, nem tão pouco com a qualidade dos produtos importados do Brasil. Há muito tempo que as enfermarias do hospital Ayres de Menezes, sobretudo as pediatrias, não registavam tantos internamentos. O surto diarreico acompanhado de vómitos, mudou o cenário do hospital, que só no dia 31 de Agosto registou 200 internamentos dos quais 150 por causa do surto diarreico.

director-hospital.jpgA Direcção do hospital Ayres de Menezes(na foto), garante que até o momento não se registou qualquer óbito. «Todos os anos nesta época na transição da gravana (estação seca) para a época das chuvas, surgem diarreias e vómitos em geral nas crianças menores de 5 anos. Hidratando-se dentro de poucos dias cessa. É necessários que as populações saibam que é necessária hidratar-se, consumindo líquidos, e também a prática da higiene. Isto para que não seja atingida pela virose», explicou o director José Luís.

O balanço do mês de Agosto apresentado ao Téla Nón pela Direcção do Hospital, indica que 425 crianças deram entrada no hospital com diarreia e vómito. Hoje 2 de Setembro, mais 85 crianças foram atendidas, 40 tiveram que ser internadas. «Este ano a quantidade de casos notificados superou o ano passado. Os distritos mais atingidos são Água Grande, seguindo-se Mé- Zochi e Cantagalo», sublinhou o director gera do hospital.

José Luís, fez questão de esclarecer que o surto diarreico sazonal, não tem nada a ver com a cólera. «Para que se fale de cólera é preciso que o laboratório encontre o vibrião colérico, ou seja, a bactéria que provoca a cólera. Não é este caso. Isto não tem nada a ver com a cólera. É uma gastroenterite normal neste período do ano», pontuou.

A direcção do hospital, desmentiu também os rumores postos a circular, segundo os quais, a diarreia que se regista no país, está relacionada com os produtos importados do Brasil. «Não devemos misturar as águas. Isto tem a ver com a mudança de estação climática, não tem nada a ver com os produtos importados», concluiu.

Surto diarreico sazonal, está a congestionar as enfermarias do hospital Ayres de Menezes.

Abel Veiga  

Recentemente

Topo