NAVIO PRÍNCIPE, inicia viagem de socorro para a ilha do Príncipe, exactamente no dia em que se assinala o primeiro aniversário sobre o naufrágio da embarcação Tereze que matou cerca de 18 habitantes da região autónoma

Publicado em 16 Set 2009
Comentários; fechado

barco-principe.jpgO navio Tereze naufragou a exactamente 12 meses. Cerca de 18 pessoas, sobretudo crianças desapareceram no mar ao largo da ilha de São Tomé. Foi um dos naufrágios mais mortíferos na ligação marítima entre as ilhas de São Tomé e do Príncipe. A dor dos habitantes do Príncipe principais vítimas dos sucessos naufrágios, o inconformismo do governo regional, despertou o país e o mundo para a necessidade de garantir transporte marítimo seguro entre as ilhas. É assim que o governo central decidiu fazer tudo para adquirir uma nova embarcação para ligar as duas ilhas.

O novo Barco construído em Espanha, mais concretamente em Catalunha, zarpou de Arenys do Mar, uma vila próxima da cidade de Barcelona, em direcção a São Tomé e Príncipe.  Segundo o relato de um cidadão espanhol Xavier Munoz, que tem acompanhado o processo o novo barco cuja tripulação foi formada em Espanha nos últimos 2 meses, percorrer as 3850 milhas que separam Arenys do mar e o porto de São Tomé em apenas 15 dias.

O novo barco vai fazer duas escalas, uma em Gibraltar e a segunda e última no Senegal. O novo barco que tem capacidade para garantir a evacuação de doentes da ilha do Príncipe para São Tomé, fez-se ao mar no mesmo dia em que o país recorda o mergulho profundo que a embarcação Tereze fez ao largo da ilha de São Tomé no dia 16 de Setembro de 2008, quando transportava grande quantidade de carga, incluindo combustíveis, e dezenas de pessoas em direcção a ilha do Príncipe.

Toda carga foi para o fundo o mar, a embarcação foi engolida e junto com ela 18 vidas humanas, a maior parte crianças que regressavam a ilha do Príncipe para o recomeço das aulas após o período de férias. O mar entre as duas ilhas, já matou muita gente sobretudo habitantes do Príncipe, por causa da utilização de embarcações impróprias para o transporte de pessoas e mercadorias.

Desde a independência nacional a 12 de Julho de 1975, é a primeira vez que o estado são-tomense compra uma embarcação para ligar as duas ilhas. Espera-se que o navio Príncipe, chegue a tempo, e sirva de facto os interesses das populações de São Tomé e do Príncipe, que tantas lágrimas já verteram por causa de tantos naufrágios ocorridos na travessia entre as duas ilhas.

Abel Veiga

vai

v