Os Burros e o Milho

Lembram-se da estória dos burros? Sim, aquela mesma dos vinte e oito burros que o governo ou um empresário angolano ofertou ao governo Santomense.

Lembro-me, perfeitamente, da chacota que a oferenda em causa provocou e dos impropérios que foram dirigidos ao governo de Gabriel Costa, relacionados com a aceitação da mesma, sobretudo vindos da oposição governativa e de alguns meios opinativos.

Segundo me dizem, os burros gozam, momentaneamente, de boa saúde e a ideia de sua multiplicação e disseminação no país é uma hipótese concretizável no futuro e, até, existem relatos de projetos turísticos a implementar em que as referidas criaturas serão protagonistas indispensáveis.

Ao contrário de muita boa gente que opinou, de forma depreciativa sobre tal facto, na referida altura, eu entendia que o país não tinha nada a perder com a referida oferta porque S.Tomé e Príncipe, em nenhum momento da sua história foi um “produtor” de burros e, tendo em conta os benefícios que a espécie em causa poderia trazer no domínio agrícola, nalgumas comunidades, e até turístico ou mesmo pedagógico, tendo em conta que se tratava de uma espécie em vias de extinção no contexto nacional, a transformação de uma oferta desta natureza numa chacota configurava, ela mesma, uma autêntica imbecilidade.

Durante quarenta anos habituaram-nos com dinheiro. Muito dinheiro entrou no país e pouco ou quase nada se fez com este dinheiro. É natural que quando nos dão vinte e oito burros e nos obrigam a transformá-los, no futuro, em dinheiro, não somos capazes de fazer este milagre e isto causa algum desconforto comunitário.

Estamos, durante quarenta anos, programados para este fracasso coletivo e tudo que não seja dinheiro, muito dinheiro, para estimular os apetites insaciáveis de alguma elite política só provoca confusão, chacota, anarquia e outros problemas.

Basta ver os problemas que o arroz do Japão, nos tem provocado, nos últimos vinte ou trinta anos.

Tínhamos, pois, burros de Angola e agora resolvemos ir buscar milho de Cabo Verde, supostamente, para alimentar as referidas criaturas.

É neste contexto que, penso eu, o governo Santomense, na pessoa do atual ministro da agricultura, decidiu ir para Cabo-verde e fechar um contrato com o referido governo no sentido do nosso país começar a importar milho, deste país irmão, para alimentar os vinte e oito burros ofertados por Angola.

O que eu não percebo, definitivamente, é o facto de um país, onde a população passa a vida a rezar durante todo o ano, para que possa chover pelo menos uma vez e, com tal, minimizar os efeitos dramáticos sobre a sua agricultura, possa se transformar no principal exportador de milho para um país, como o nosso, com tradições agrícolas inquestionáveis. Isto explica, de certa forma, o milagre Cabo-verdiano de transformação da seca em fartura que, de facto, deveríamos aprender. Cabo Verde tem tanta coisa importante que deveríamos importar e, para mal dos nossos pecados, fomos escolher exatamente o milho.  Um dia destes estaremos, também, a importar água de Cabo Verde.

Daí a razão pela qual ficamos zangados quando nos oferecem burros em detrimento de muito dinheiro. Precisamos, pois, deste dinheiro para comprar milho para os nossos burros quando deveríamos, internamente, criar as condições para aumentar a produção do milho. Temos urgentemente de mudar de paradigma, ou seja, que nos ensinem a pescar em vez de nos darem o peixe. Por isso, eu continuo a preferir os burros em detrimento do dinheiro para comprar o milho.

Adelino Cardoso Cassandra

Notícias relacionadas

  1. img
    Lick Man Responder

    Este país está completamente perdido. Cabo Verde está a dar-nos boas lições de como se deve governar. qualquer dia eles transformam pedra em alimentos e nós vamos comprar estes alimentos deles. uma quantidade de burros a governar o país só pode dar nisso.

  2. img
    Burros Responder

    Só tristezas e humilhação. Estamos no caminho da construção do Dubai. Fui.

  3. img
    Trindadense Responder

    ou vai ou racha. Isto já é cúmulo de tudo de pior que existe no mundo. Nunca pensei que S.T.P chegava neste ponto. Um país que foi grande produtor de cacau, café e todo género de planta vai comprar milho em cabo verde é uma vergonha nacional. Não tenho nada contra cabo verde mas isto é demais. Só posso dar razão quando as pessoas dizem que este governo só tem incompetentes.

  4. img
    Vúgu-Vúgu Responder

    Isto é a barafunda total. Nem milho S.Tomé consegue produzir? Kekuá. Que raio de coisa é esta. Um país que chove tanto, tem bom solo vai comprar milho num país que só tem pedras e nem sequer chove. É por isso que cabo verde está a nossa frente. Eles são trabalhadores, colocam o interesse do seu povo em primeiro lugar. Nós estamos no paleio só, cada ministro passa a vida a colocar babuseiras no faceboock em vez de trabalhar, passam a vida a andar de carro para cima e para baixo com catorzinhas em vez de tomar decisões, andam a tirar pessoas capacitadas na administração pública para meterem gente sem qualquer valor só porque são do ADI. Agora é todo o povo de S.Tomé que está a passar esta vergonha e humilhação. Sinceramente que uma pessoa já não sente orgulho em ser de S.Tomé. Estamos no último lugar igual ou pior que a Guiné Bissau.

  5. img
    Liberdade para Todos Responder

    Este governo é uma desilusão completa. Nunca pensei que isto iria acontecer depois de tantas esperanças e promessas. É o ministro do trabalho que diz que o país tem uma taxa de desemprego de 76% e o mundo inteiro fica a olhar para nós com cara de espanto. É o ministro de agricultura que diz que vai comprar milho em Caboverde e o mundo inteiro fica a olhar para nós com espanto e admiração. É o próprio primeiro ministro que diz que vai transformar o país no Dubai e começa a inaugurar casas vanplegá e chafarizes todos os dias e o mundo fica espantado. É o ministro da Justiça que diz que a criminalidade no país diminui significativamente e o mundo fica a olhar para nós com cara de admiração. É a diretora de turismo que diz que não vai autorizar a publicitação de cacau do país numa feira internacional e o mundo fica a olhar para nós com cara de admiração. Nunca pensei que o país chegasse a este ponto num curto espaço de tempo.

  6. img
    Triste Responder

    Tens toda a razão meu carro. A verdade é que produzimos bastante milho, embora aja margem para aumentar a produção. Não entendo porque temos que comprar mais milho a cabo verde.
    Acho que podemos aprender com todos. Mas as condições climáticas de Cabo Verde são tão diferentes, que não sei que experiencia no âmbito de agricultura o ministro foi buscar lá.

  7. img
    Malagueta Responder

    Misericórdia, meu Deus. Ajuda este país e ilumina estes dirigentes. Nenhum país pode aguentar tantas dificuldades e problemas. Perdoem-me se eu disse alguma coisa de mal. Parece que os dirigentes estão todos malucos. Enfim.

  8. img
    Luizf Responder

    Este homem deve pensar que a alguém desse governo dá importância a sua opinião.
    O Adelino Cardoso Cassandra, é varios zero a esquerda, um insignificante.Este homem é um autêntico flasóóó.

  9. img
    Panquê Responder

    Eu sinceramente que até ri quando estava a ler este artigo. Se a coisa não fosse séria isto até dava para rir. Contando não se acredita. Até parece mentira de dia 1 de Abril. Concordo 100% com o seu artigo senhor Adelino Cardoso. Qualquer dia vamos comprar até água em Cabo Verde. É muito triste isto.

  10. img
    Caboverdiano Responder

    Pela primeira vez devo concordar com o Sr Adelino,porque o Artigo para mim nao ]e politico mas sim uma critica construtiva. isto e muita vergonha, Sr ministro da Agricultura tenha vergonha, dimita se, isto so pode ser muita incopetencia. pelo que sei existem varios programas para a producao do milho localmente, agora ir comprar milho a cabo verde, tenha paciencia, ja basta os ministros caboverdianos do Governo que passam a vida a convidar os seus patricios para se mostrarem, agora o Sr tambem, isto e muito para um so coracao.
    Ha que so posta no faice book noticias de Cabo Verde este nao trabalha esta todo momento no faice book ou a viajar para Cabo Verde, Eu nao sei porque e que este Sr esta a fazer no governo do meu Pais se ele se identifica mais com Cabo Verde do que com S.Tome, va pra sua terra. Rua Sr ministro do Trabalho que nao trabalha.

  11. img
    Adálio Responder

    Eu acho que não deveriam só importar milho. Deveriam também importar ministros do governo de Cabo verde, Primeiro-ministro, diretores e até funcionários públicos. Só assim este país poderia evoluir. Chega de vergonha. Fui.

    • img
      Paulo Responder

      Eu só posso dizer uma coisa: volta Gabriel Costa, estás perdoado. Andaram a dizer tanta coisa do senhor de gente e agora eu fico com a impressão que ele é 100 vezes melhor que toda esta gente que está neste governo. Eu não votei em nenhum partido e hoje só posso dizer que estou arrependido. Com a minha decisão permite que esta corja de incompetentes tomasse conta do país e está a estragar completamente o país. É uma vergonha total.

  12. img
    Feira Grande Responder

    Já não bastava o problema dos vistos agora aparecem com problema de importação de milho Caboverdiano. O que é que vem a seguir eu não sei. Agora ouvi que apanharam um estrangeiro com 1 kg de cocaina. Dizem que o sujeito vendia esta droga no país. Assim mesmo vamos abrir as nossas fronteiras para qualquer um entrar no país sem visto. Bonito serviço. Quem viver verá. Eu pagaria muito dinheiro para ver o final deste filme de terror que nos espera.
    Um país que chove suficiente, com bom solo para agricultura, com terras abandonadas vai correr com esperteza importar milho de Cabo Verde? Isto só pode ser uma praga que pediram para nós.

  13. img
    Brincadeira tem Hora Responder

    Eu estou parvo com toda esta história. Parece brincadeira.

  14. img
    Txe Responder

    Muita coragem, senhor Adelino. Só com uma Revolução e uma verdadeira mudança… Chegaremos lá!

  15. img
    Original Responder

    Eh! parece que nós é que somos burros e próprio animal é inteligente tendo em conta o papel que desempenhamos.

    • img
      Dawâ Responder

      Concordo consigo Original. Até parece que estes animais são mais inteligentes que os nossos políticos. Burros são os nossos políticos. É triste todas estas coisas que estão a acontecer no nosso país.

  16. img
    Vexado Responder

    O que esperar de um Governo que, quando o Ministro das Obras Públicas vai inaugurar um chavariz ou lançar a primeira pedra de uma obra, estão presentes, no mesmo local, outros 3 ou 4 ministros do Governo em plena 10 horas da manhã de um dia util da semana.
    Claro que não trabalham.
    Quando o ministro meio metro varela foi inaugurar uma obra ou foi a uma actividade recentemente em neves, estavam ali uns 5 minitros.

    Sem o Primeiro Ministro no país, ninguém trabalha neste governo, não tomam decisões nem decidem nada.

  17. img
    Furtado Responder

    Mil vezes melhor o António Dias, pois o actual Ministro, ex presidente da FNAPA, ao invés de estimular a produção do milho no País pelos nossos pequenos agricultores, numa terra tão fértil para este cereal, vai ao Cabo Verde comprar e enriquecer os agricultores de CV, em detrimento dos nossos.
    Ande estamos?

  18. img
    E.A Responder

    Senhor Adelino para além de me fazer rir só tenho de lhe dizer que gostei bastante do seu artigo. Eu também acredito que S.Tomé ainda vai começar a comprar água em caboverde. Com este ritmo que nós estamos a tomar não tenho muitas dúvidas com isto. Muito obrigado pelo seu excelente artigo.

  19. img
    Nira Alvim Responder

    Daria para rir-se com tal BURRICE -importar milho ?-se a noticia ñ fosse para chorar e ficar escandalizados .

  20. img
    Maria silva Responder

    Se não fosse tão cômico , seria trágico …..
    E viva a maioria absoluta!
    E é estas circunstâncias que eu fico confusa; ter vergonha dos nossos dirigentes ou ter vergonha mesmo de ser Santomense ( a nação o seu todo ) de certeza que o mundo está a rir se de NÓS principalmente os cabo-verdianos, também não é para menos!
    Senhor DEUS tenha piedade de nós , perdoe -nos dos nossos pecados.

  21. img
    Paulo Responder

    Credo Deus Pai Todo Poderoso… Assim que país ficou? É muito triste. Sai governo, entra governo e tudo continua pior que antigamente. Pelo menos se nós encontrassemos um pequeno desenvolvimento neste país cada vez que se mudava de governo. Em vez de melhorar as coisas estão a piorar de ano para ano.

  22. img
    Praia P.M Responder

    Faz-me alguma confusão quando dizem que estas pessoas que fazem parte deste governo são formadas. Admito que é verdade mas faz-me impressão. Ou fazem estas coisas de má-fé para prejudicar a imagem do país ou não sabem tomar decisões. Eu prefiro acreditar que não sabem tomar decisões para o benefício do povo. Senão seria muito trágico para o país que eles estivessem a fazer estas coisas de má-fé. Mas eu já vi tanta coisa que eu acredito em tudo.

  23. img
    Ponta Figo Responder

    Tudo isto é SÍNDROME DA PREGUIÇA. Ninguém quer trabalhar neste país. O povo pequeno quer boa vida e andar na cidade de um lado para outro. Os Diretores querem boa vida e se possível com catorzinhas em cada uma das suas casas. Os ministros querem bons carros e se possível catorzinhas nos gabinetes. O primeiro-ministro quer bons carros, boa casa, boa comida, bom gabinete e muitas viagens para o exterior. Não se pode esperar nada diferente meus amigos. Eu não sei quem paga tudo isto se ninguém quer trabalhar. Ainda por cima querem importar milho. Quem vai pagar este milho? Mais importação implica desequilibrios da balança de pagamentos num país que não exporta quase nada. O que nós deveríamos fazer é tentar importar menos ou só o essencial para exportar mais coisas. Agora se vamos importar até milho eu não sei onde vamos parar. Depois será matabala, depois safú, depois isaquente, depois banana e assim sucessivamente. Nós deviamos estar agora a pensar em transformar os produtos que produzimos para exportação mas estamos a querer importar aquilo que podemos produzir aqui no país. Eu não percebo nada disto.

  24. img
    DECO Responder

    Este país está sim se transformando em Dubai…
    É este o Dubai que o PT sonhou para este povo.
    Acho que o milho servirá para alimentar os 33 burros da bancada do ADI e mais outros infiltrados e distribuídos pela Função Pública.

  25. img
    FÉDÈ KÁ DOCHI Responder

    Parabéns Adelino pelo artigo! SE O MILHO DE CABO VERDE É PARA OS BURROS, OS PRIMEIROS QUE DEVERIAM COMÊ-LO SÃO O MINISTRO DE AGRICULTURA MAIS O 1º MINISTRO QUE O NOMEOU! NO CRIOLO SANTOMENSE DIZ-SE:” NÊ BUÊ NÊ PIÁDÔ, NÊ CÓDÒ CÚ MALÉ”! TAMBEM NAO SE PODE ESPERAR NADA DUM MINISTRO DE “AGRI SEM CULTURA” Q NEM 9ªCLASSE TEM!FUI É..!

  26. img
    Ralph Responder

    Este é mesmo uma história triste, mas não é incomum. Embora, sem dúvida, seja melhor ensinar um homem como pescar em preferência de lhe dar um peixe, esse é o rumo mais difícil seguir. É muito mais fácil aceitar as prendas de outros porque isto absolve, pelo menos temporariamente, a responsibilidade de reestruturar a economia de um país.

    Mas chega, no final, uma necessidade de empreender reestruturações porque fica óbvio a todos que os problemas são tão grandes e as mudanças não podem ser evitadas. Muitas vezes, só é então que uma situação assim comece a ser resolvida.

    Estou a testemunhar uma ocorrência semelhante na terra de cangarus, como o leitor que se chama Migbai se refere ao meu país. A nação apostou tudo no boom nos preços de ferro e carvão, deixando desvanecerem vários outros setores, como o da fabricação, porque era mais fácil vendermos minerais à China e à Índia. Agora o boom já acabou e não temos (ou logo não teremos) a capacidade de fabricar coisas porque todos pensavam que seria uma boa ideia vender rochas à China e casas de um para o outro. Não é menos loucura de que a situação com os burros. Demasiado frequentemente, governos são miópico demais no seu pensar e nas suas ações.

  27. img
    Tango Responder

    O Povo manda na urna.

  28. img
    João Rodrigues Serôdio Responder

    Isto sim,é o que diz o ditado:”Mais vale alimentar burros a Pão-de-Ló”.Só basta saber,de que burros estaremos a falar,ou como dizia a minha Avó:” A Ordem é rica,os Frades é que são Poucos”.

    • img
      Blá-blá-Blá Responder

      Isto é mais do que Pão-de-Ló. Isto é dar ouro aos burros. Nunca vi tanta incompetência e irresponsabilidade junta. Assim nunca mais sairemos deste ciclo de pobreza e miséria.

  29. img
    nilson sousa Responder

    vamos trabalhar por mao a terra niguem quer trabalhar so querem etc etcos ser candongueiro motoqueiro vida facil ninguer mais quer semear milho plantar mandioca tanta terra bandonada

  30. img
    Tona Responder

    Incrível, nem consigo acreditar, Sto pode produzir todo o milho necessário, e muitas mais coisas, por favor entreguem a produção agrícola a quem sabe, sejam estrangeiros sejam nacionais, é necessário massificar-se produções temos um golfo grande.
    Se calhar tem se que rever quem tem as terás (roças) e o que estão a produzir…. Neste momento nada… Só servem para passar fim de semana… Coragem tirem e atribuem a quem queira mesmo produzir, o problema é que as mesmas pertencem a quem decide!!!
    Cabo Verde tem uma estabilidade governamental instituída, sempre ligados à comunidade europeia, e agora estão como estão !!! Vendem milho a Stp. Incrível

  31. img
    FÉDÈ KÁ DOCHI Responder

    ahhh só para esclarecimento meus amigos: o milho que querem comprar de cabo verde não é produzido naquelas ilhas. é duma empresa ligada ao narcotráfico na Venezuela, Colômbia e Paraguai … o seu presidente é um chefe de gangue chamado Verissimo que já saiu da cadeia este ano para tomar conta do negoceo. este tipo foi preso pela Interpol no processo chamado lancha voadora onde foi apreendido mais de 1500 quilos de cocaina pura. se não fosse interpol, policia caboverdeana não apanhava nada. este tipo está ligado a alta liderança do paicv, partido no poder, por isso foi para cadeia, ficou com o bico calado e saiu agora cheio de monei.

  32. img
    João Gomes Responder

    ….muito bem, caro Adelno Cardoso…HISTÓRIA…HISTÓRIA, em criança gostava de ouvir os mais velhos e principalmente o meu pai, natural de Cabo Verde contar histórias a boca-da-noite ” É neste contexto que, penso eu, o governo Santomense, na pessoa do atual ministro da agricultura, decidiu ir para Cabo-verde e fechar um contrato com o referido governo no sentido do nosso país começar a importar milho, deste país irmão….”. Confesso, que teria comentado essa triste notícia com um dos nossos compatriotas, residente em Cabo Verde! Verdade,verdadeira, meu caro-golpe baixo…seria importar milho de Cabo Verde ou melhor: Cabo Verde vai reexportar milho produzido do Paraguai? O quarto poder que comce a investigação, pelo que sei, Cabo Verde não tem esse potencial (…)Um abraço de Cabo Verde!

    • img
      TonyConsequência Responder

      Caro sr Gomes
      Concordo inteiramente consigo, isto é incompetência e falta de visão para a realidade do País , é somente o resultado de visitas durante os festejos da independência , assim falando negócios.
      Para mim todo o negócio é legítimo, mas para produtos que podem ser produzidos em Stp , temos que antes potencial a nossa produção.
      Sabemos que existe graves problemas de produção porque não é organizada nem em regime de corporativa , enfim já perdemos a capacidade de produção em escala desde praticamente a independência, porque não sabemos é porque as terras estão entregues a quem toda a agente sabe.
      Daí que os pequenos produtores não têm qualquer apoio, toda a gente sabe.
      Agora Cabo Verde, com o devido respeito, ou a Noruega podem sim vender milho a Stp, claro!!
      O Sr Ministro da Agricultura, por favor trabalhe em prol da potencialidade de Stp, você tem um mercado gigantesco á sua frente, com falta de tudo, deixe lá os carros e as viagens e trabalhe com o nobre cargo que lhe foi atribuído , não custa muito e sai a brilhar, e ganha muito, vamos deixar de ser medíocres.
      Fui

  33. img
    Atento 100% Responder

    Eu, em princípio preferi dar o chefe do governo e seu elenco o benefício da dúvida aquando do seu empossamento relativamente às críticas das pessoas em volta do mesmo, mas na verdade, o que se tem constatado, infelizmente, é a incompetência acima de incompetência deste governo, o que me leva a presumir o fracasso do mesmo, que vai certamente culminar com descrença do povo no desenvolvimento deste país. Muitos ministros mostraram e continuam a mostrar incompetentes, designadamente Ministro de Juventude, de Agricultura, de Justiça e o Próprio primeiro ministro. Enfim.
    Vamos ver onde vai ficar essas incompetências.

  34. img
    Martelo da Justiça Responder

    Quem é este ILUSTRE DESCONHECIDO?? Gostaria de o conhecer um dia. Sou fã da leitura dos seus artigos, que reconheço ser de grande qualidade, sobretudo porque levanta questões que apelam a nossa consciência coletiva. Artigos desses precisa-se. para combater esta onda de mediocridade e impunidade que assola o nosso Pais. Parabéns, Senhor Adelino Cassandra!!!

  35. img
    Gilmar Costa Responder

    Ainda têm duvidas que a volta de Jesus Cristo está próxima e que o mundo está no fim ?!

    • img
      alexandrina Responder

      de Satanás também …

  36. img
    Eugenio Costa Responder

    Ine mano mue gina caco bombo
    Cume cola qua nance ca guada
    Nom dumue naie

Deixe um comentario

*