Cultura

Centro Cultural Português contribui para a divulgação do Auto de Floripes

O Centro sao-lourenco.jpgCultural Português acolheu esta segunda-feira uma exposição sobre o Auto de Floripes. O evento visava, não só a divulgação desta cultura da Região Autónoma do Príncipe aos mais novos, como também aos que ainda não tiveram a oportunidade de assistir a uma apresentação deste grupo cultural.

Nesta exposição a história é contada por intermédio de vinte e duas fotografias. Embora não bastassem para contar a história completa do Auto de Floripes, ajudam a entender o fundamental sobre esta cultura. Para a sua apresentação ao público é necessário mais de quarenta elementos, entre Mouros, Cristãos e Bobos. “As fotos que cá estão contam a história, se bem que são poucas fotos para contar a história, mas espelham um pouco aquilo que tem sido uma das culturas do Príncipe em que conta a história entre os Mouros e os Cristãos. É uma história bastante longa em que é caracterizada por inúmeras batalhas entre os cristãos e os mouros e que culmina com a vitória dos cristãos”, explicou Cristiano Dondo.

Francisco Costa Alegre considera tratar-se de uma boa iniciativa, já que é um contributo para a divulgação da cultura nacional. “Olha, embora não seja especialista em fotografia, eu sou um apaixonado pela cultura nacional. Eu acho que é uma boa iniciativa do Centro Cultural Português porque promove a cultura santomense. O CCP ao investir num santomense que vai fazer fotografias de uma manifestação cultural, como é esta da ilha do Príncipe, que começou agora a ser divulgada, eu acho que é uma iniciativa de louvar e por sinal, como disse o representante da embaixada de Portugal, tratou-se da renovação da indumentária dos figurantes e ficou um registo desta actividade”, sublinhou o escritor.

Por outro lado, Manuel Salomé, natural e representante da cultura regional, também felicitou a organização por esta iniciativa que vai contribuir para o relançamento da cultura na ilha. “É uma exposição com muito valor, particularmente para o lançamento da cultura da ilha do Príncipe. Passaram tantos anos e nunca tivemos o Auto de Floripes visto como alguma coisa. Então esta iniciativa é bem-vinda porque é uma forma para relançar a ilha do Príncipe perante o mundo em termos culturais”, salientou.

As fotografias foram feitas no ano passado, mas Cristiano Dondo levou três meses para prontificar os trabalhos ora expostos. Para a realização deste trabalho o fotógrafo contou com o apoio do Centro Cultural Português. Para Agosto próximo espera levar esta exposição a Região Autónoma do Príncipe.

Fernando Ramos

Recentemente

Topo