Sociedade

Tribunal da Primeira Instância acabou de ler o acordão do caso GGA

Diógenes Moniz, ex-Director do G1abinete de Gestão da Ajuda Externa, foi condenado a 9 anos de prisão efectiva e ao pagamento de uma multa de 900 milhões de dobras. Aurélio Aguiar na qualidade de antigo caixa do GGA foi condenado a 7 anos de prisão efectiva e pagamento de uma multa de 600 milhões de dobras. O Juiz Frederico da Glória que preside o colectivo anunciou a absolvição do terceiro réu, Filipe Bandeira, que desempenhava as funções de contabilista do GGA. Os condenados já foram conduzidos a cadeia central. No acordão o colectivo de Juizes mandou também levantar as certidões de várias individualidades políticas que participaram no julgamento como declarantes. Cabe agora ao Ministério Público instruir o processo individual dos ex-ministros e primeiros ministros, que alegadamente foram mandantes dos desvios de fundos do GGA. São mais de 3 milhões de dólares em falta. Um assunto que o Téla Nón vai detalhar ainda esta sexta-feira.

Recentemente

Topo