Sociedade

Só com esforços conjugados de todos será possível eliminar o crescente índice de gravidez na adolescência.

bebe.jpgA pobreza como fenómeno socio-económico afecta em todas as suas dimensões todos os extractos sociais em particular os adolescentes e jovens. A falta de informação e de educação em matéria da saúde sexual e reprodutiva e vida familiar, com responsabilidades partilhadas entre a família e as instituições vincam a situação hoje vivida pela boa maioria dos adolescentes e jovens em STP.

Depois de dois dias de trabalho intenso sobre a problemática da gravidez na adolescência chegou-se a conclusão que é necessário o reforço da implementação da integração da sexualidade e saúde reprodutiva nos planos de ensino à todos os níveis; mais incentivo à criação de associações comunitárias vocacionadas para a promoção da saúde dos adolescentes centradas nuclearmente na informação e na educação em matéria especifica e nos estilos de vida saudáveis e incentivo à criação de programas comunitários atractivos e vinculadores do desenvolvimento.

A problemática da gravidez precoce está tem preocupado muito as autoridades nacionais, as  ONG e os parceiros de S.T.P. « é necessário que o ministério dos negócios estrangeiros e comunidades reforcem o seu compromisso em monitorar e implementar a convenção sobre os direitos da criança(…)o problema de gravidez na adolescência tem atingido proporções elevadas, por isso o governo deve encarar isso como um problema nacional e neste sentido querer uma resposta colectiva através da liderança colectiva, porque sem a liderança ao mais alto nível nesta questão continuara a haver  raparigas a quem não se dará valor, elas não serão vistas de forma digna»,sublinhou Batiloy Warritay.

O governo segundo a ministra de trabalho Maria Tomé a quando da sua explanação na conferencia realizada sobre a gravidez precoce garantiu que o governo tem envidado esforços para combater este flagelo« através de implementação e monitorização de medidas e politicas concretas como campanhas de informação e sensibilização, alargamento de planeamento familiar ao nível familiar objectivando a dinamização e impulsionamento de medidas que conduzem ao combate deste flagelo no país. Temos recebido apoios de alguns parceiros de desenvolvimento»  A ministra do trabalho sublinhou ainda que é preciso  fazer mais e para isso necessário se torna o  esforço de todos. «é necessário reforçar os mecanismos de educação sexual ao nível das escolas, monitorização de sistemas de acompanhamento e responsabilização familiar para criação de uma politica social concertada e apoiada nos melhores valores da sociedade»

Apesar da preocupação de se seguir de perto esta situação os dados existentes sobre o índice da gravidez precoce neste país é preocupante. Quase setecentas adolescentes encontraram-se grávidas no ano transacto sendo que mais de metade delas sem a nova classe, isso sem tomar em conta os casos desconhecidos«os laços de coesão e solidariedade familiar deixaram de existir pelos próprios pais e seus adolescentes ;temos feito muito mas mesmo assim os números são elevados imaginem se não tivéssemos feito nada. Vamos continuar a trabalhar juntos para a redução deste fenómeno no paísdisse Fradique de Menezes.

Para a resolução eficaz dos problemas de Saúde que afectam adolescentes e jovens seria importante dar respostas as suas necessidades fundamentais através de uma informação saudável e apropriada aos seus problemas específicos de saúde e de atitudes para tomar as decisões apropriadas; De serviços de saúde adaptados as suas necessidades; de um  ambiente propício para a prevenção e apropriação dos seus problemas de saúde e de  oportunidade para contribuir e participar na resolução dos seus problemas.

Foi constado que em STP, não existem leis discriminatórias contra adolescentes e jovens em relação ao acesso aos serviços, mas verifica-se a ausência de disposições legais ou regulamentos que protejam adolescentes e jovens contra as anomalias do uso de substâncias nocivas, acidentes de viação. Não existe também nenhuma disposição a nível de protecção dos adolescentes e jovens grávidas nas instituições de ensino.

Certo é que nenhum programa que promova o desenvolvimento dos adolescentes e jovens será sustentável na ausência do desenvolvimento. Os adolescentes e jovens necessitam crescer e desenvolver com base na satisfação das suas necessidades condição que só será possível num meio desprovido de pobreza.

Ectylsa Bastos

Recentemente

Topo