Sociedade

Inaugurada “Quinta Palma de Maiorca” no interior de Água Izé …vivêê ki tá lá….

Numa altura em que está na boca do povo e do país, o calão “ vivêê ki tá lá” para designar bem-estar, alegria, ou felicidade, Quim Orbe(na foto) campeão europeu e mundial de Taekondo, construiu e inaugurou nas terras da Roça Castelo, uma quinta que dá sentido ao vivêê….

15 quilómetros depois de deixar a capital São Tomé, em direcção a antiga empresa agrícola Água Izé, a berma da estrada pública número 2, há um letreiro que anuncia o nascimento da “Quinta Palma de Maiorca”. A pista rural que dá acesso a Quinta estende-se por cerca de 1500 metros. São terras da roça Castelo, antiga dependência de Água Izé.

No meio da floresta tropical, preenchida por cacaueiros, bananeiras e outras árvores de fruto, Quim Orbe, o mestre de Taekondo, que foi campeão do mundo em 1975, e duas vezes campeão Europeu pela Espanha nesta modalidade, realizou o sonho que trouxe de Espanha. A construção de uma quinta que com o nome do lugar, onde foi muito feliz como atleta e segurança pessoal, Palma de Maiorca.

A residência principal da quinta tem arquitectura singular em São Tomé e Príncipe. Foram mais de 5 anos de trabalho. Leve-leve, a quinta foi ganhando forma. A determinação conquistada em Espanha de ganhar o pão de cada dia através do uso dos punhos, terá reforçado a coragem do campeão do mundo em Taekondo, na difícil empreitada. Não é fácil transportar materiais de construção da capital até Castelo.

Jardins bem trabalhados, contornam a quinta, que conserva árvores de frutos tropicais. Uma esplanada funciona como um tapete coberto diante da casa grande, para laser e festa. A gravana ainda não chegou a Castelo. A chuva continua a irrigar a quinta. A esplanada deu abrigo aos convidados para a inauguração.

Os convidados tinham os pulmões cheios de ar fresco e puro. A floresta densa que envolve a quinta é a principal, fonte de oxigénio para vida saudável. vivêê….. Um espaço de sossego e paz, em que se ouve a música ritmada das várias espécies de pássaros que ali habitam.

Para melhor contemplação da natureza exuberante do interior de Castelo, Quim Orbe ergueu um miradouro na parte sul da quinta. A extensa zona verde faz a paisagem singular, da quinta Palma de Maiorca. Há também pistas que conduzem os visitantes para o rio que atravessa a quinta, o ruido da queda de água, junta-se ao coro dos pássaros, numa melodia que retempera o espírito do homem, trata do seu psíquico, mata o stress, reaviva a alma.

Mas na inauguração da Quinta, a melodia da natureza foi interrompida pela música dos homens. Quim Orbe e a esposa abriram a sala, gesto que foi seguido pelas dezenas de convidados. Depois do longo almoço na esplanada, as senhoras foram as primeiras a serem tocadas pelas músicas da actualidade, o “vivêê”, começou então a atingir o climax.

Alegria invadiu a Quinta, ao que tudo indica os pássaros tinham suspendido o seu canto, para do cimo das árvores, contemplarem a música e a dança dos homens. Quim Orbe, o homem do Taekondo, que ganhou fama em Espanha e regressou a São Tomé, onde criou uma empresa de segurança, tinha realizado o seu sonho. Um espaço de laser, que permite aos seus amigos provar e sentir o poder da natureza na recuperação física e psíquica do homem.

O seu nome é Eugénio Quaresma Quaresma. Quim Orbe, é o seu nome vulgar. Tem 56 anos, mas a prática do exercício, lhe confere uma boa forma física. É o melhor homem das artes marciais que São Tomé e Príncipe e a Espanha já conheceram. Agora é senhor da Quinta localizada nas terras altas do interior de Água Izé, CASTELO.

Abel Veiga

    21 comentários

21 comentários

  1. Anca

    24 de Julho de 2012 as 13:26

    Bem haja

    Existe somente uma publicidade nesta notícia, festa de inauguração da “Quinta Palma de Maiorca”, as pessoas á comerem, beberem e a dançarem, nada mais de conteúdo “sine qua nóm”.

    Se isso se pode considerar de Jornalismo de informação, há quem acredite que sim, mas deixa a desejar, pois há um longo caminho a percorrer, em termos jornalísticos e de imformação na cultura de produção investigação da informação no País(Território, Mar, População).

    Numa em que há crise económica e financeira interncional, em que o País neste momento, é o mais pobre do mundo, onde reina a fome, a miséria, e a pobreza extrema, em que mais de metade da população vive, abaixo do limiar da pobreza, é pena que somente reina na boca do povo e do País, o calão“ vivêê ki tá lá”, o contrario do que séria esperado “Tlabá só cá dá Tê”, para um país pobre e miserável.

    País, Pobre de espírito da alma, bem como de referências espirituas, comportamentais, de pensamento, bem como de pobreza alimentar e material.

    Pois para que o calão na boca do povo e do País, “ vivêê ki tá lá” como sinónimo para o tornar da realidade de bem-estar, alegria, ou felicidade, a mudanças em “ser, estar e pensar”,(Unidade, Disciplina, muito empenho no Trabalho árduo) em nós os SãoTomenses, tem que se efecuar do modo a que no futuro possamos todos , jamais somente saber “ser, estar, pensar, saber e saber fazer”, mas também o designado “Ter” o calão“ vivêê ki tá lá”, bem-estar, alegria, ou felicidade, bem estar social, cultural, desportivo, político, ambiental, económico, financeiro, e muito particularmente, o bem estar social, cultural, Psicológico, Económico e Financeiro.

    Pratiquemos o bem

    Pois o bem

    Fica-nos bem

    Deus abençoe São Tomé e Príncipe

    • Anca

      24 de Julho de 2012 as 13:31

      Quis dizer, “Numa altura, em que há crise económica e financeira”

      Desculpem, pelas faltas, erros e omissões.

      Bem haja á todos

  2. sulila miranda

    24 de Julho de 2012 as 14:14

    Parabens, amigo!
    Vi o início do teu projecto e do trabalho que desenvolveste para edifica-lo. Ficou grandioso e belo! Deus te dê vida e saúde para usufruires do teu suor! Parabens do coração!

  3. lyetet mendes

    24 de Julho de 2012 as 14:36

    boa sorte ai,sao tome precisa de pessoas assim, que contribuem para desenvolvimento da nossa linda terra.em dezembro vou ai conhecer o nosso palma de maiorca de s.tome…

  4. Védé Mé

    24 de Julho de 2012 as 15:43

    é pra isto que agora servem as antigas roças produtoras de produtos para exportação, roças geradoras de emprego em massa, que permitiam melhor gestão ambiental e de floresta.
    “cada um” recebeu/comprou na mão do estado para transformar em Quintas de “vivê”. este país não tem remédio.
    Fui

  5. Baga Tela

    24 de Julho de 2012 as 16:02

    Quim Orbe, que tal transpormar isso numa pousada? O ambiente neste local é pripício ao turismo ecológico, é um local ideal para as pessoas sintirem-se em comunhão com a natureza.
    Tem aí uma boa fonte de negócio.

  6. Baga Tela

    24 de Julho de 2012 as 16:03

    transformar e não transpormar

  7. Santosku

    24 de Julho de 2012 as 16:11

    Iniciativas como estas são bem vindas, desejo ao Quim Orbe muita saúde e sucessos. Um abração

  8. Lévé-Léngue

    24 de Julho de 2012 as 16:11

    As minhas sinceras felicitações pela iniciativa que se apresenta como um notório contributo para a promoção do eco-turismo… Oxalá que as autoridades sejam capazes de garantir condições básicas de protecção ao empresariado nacional para que o investimento mantenha (estrada, água, energia, incentivos fiscais, etc.)

  9. leucadio

    24 de Julho de 2012 as 16:45

    Gosto de ver os Homens a materializarem os seus sonhos, sobretudo quando são realizados a custo de muito trabalho, como acredito deve ser o caso do Quim Orbi. Por isso dou os Meus Parabens ao Quim ORBI. Por ter tido a sorte de ser beneficiado com aquelas terras e sobretudo por estar a cultiva-las. É importante que os que receberam terras do Estado entenda que o espírito que norteou a entrega de parcelas do terreno de cultivo foi o dos benefeciarios incrementarem a produção agrícola e não para se limitarem a construirem quintas ou casa de campo para os fins de semana. No caso de Quim Orbi, sei que ele não se contentou em construir o espaço que o telanon hoje publicita, mas como também tem trabalhado pois ja vi em casa de amigos umas invejaveis pinhas de banana pão.
    Mas, não consigo desfarçar o meu desapontamento em ver a inauguração de uma casa particular relatada aqui como se de uma notícia tratasse!!! Desde quando é que realizações pessoais e privadas devem ser noticiadas num jornal??? Ao menos se tratasse de uma pousada ou algo que será aberto ao público, tudo bem.
    Se isto continuar serei capaz de convidar o telanon para aqui publicitar a realização de um sonho que tenho e que esta prestes a concretizar: sou apaixonado pelos pratos confeccionados com buzio de mato; não querendo estar sempre a comprar buzios que não sei por onde vieram, decidi construir um criadouro de buzios para consumo da minha família. Francamente!!!!!!

  10. H.Vaz

    24 de Julho de 2012 as 17:42

    se me permitam eu estou de acordo com estas iniciativas se é que outros podem seguir exemplos de género.
    Saudações.

  11. josé castelo branco

    24 de Julho de 2012 as 17:49

    honestamente caros jornalistas e amigos: acham que isso é conteúdo para uma noticia jornalistica nacional?

    felicito ao individuo pelo seu emprendimento, mas agora parece que jornais noticiam coisas curriqueiras e inoportunas, tal qual os nossos governantes se empoleiram tanto de fato e gabarito para inaugurar um tanque de agua ou uma lampada numa localidade.

    tenha a santa paciencia e a qualidade laboral informativa, Abel Veiga e associados.

  12. EX. PRIMEIRO MINISTRO

    24 de Julho de 2012 as 21:26

    ok.

  13. malebobo

    25 de Julho de 2012 as 7:39

    francamente o jornal tela non, so mesmo em stp, para me deixou de ser um jornal onde as noticias veiculadas, podem ter maior impacto aos leitores e não essas palhadas de apresentar individuos a comer a beber, obrigado fui

  14. BANANA PA0

    25 de Julho de 2012 as 9:57

    Apenas…………..pra. Quem cria emprego? Aquele que conserva a Agricultura e a floresta, ou aquele que a destroi para construir quintas com o objectivo claro de promover: o consumo abusivo de alccol e incentivar a populacao a destruir a floresta para viver o fenomemo “BoA VIDA”…..

  15. Felicidade

    25 de Julho de 2012 as 11:44

    Felicito aqueles que parabenizaram o Quim Orbe. Mas alguns só fizeram comentários de inveja- “OLHO CHEIO”. Naquela rosa há de tudo. bananas , ambiente para caça, vista turisticas o qual penso que tela nom ao publicar isso está a contribuir para divulgar Turismo. Porque as Quintas são também infraestruturas basicas para o Turismo, organização de inventos mesmo alguem que queira fazer umas férias diferentes , em vez de ir logo correr para Europa ou terra de outrem pode recorrer a essa quinta e fazer suas férias e seria umas férias bem melhor que viajar, sobretudo que existe possibilidades de caça , Miradouro etc. Antes de fazerem comentários maldosos dos Santomenses convem experimentar e ver com os seus próprios olhos. Essa má bocas é que faz a terra não desenvolver. Ainda bem que o Quim Orbe não trabalhou na Instituição do Estado senão iriam dizer que é com o dinheiro de roubo é que ele construiu essa Quinta. Como não podem lhe cusar de ladrão então surge comentários negativos de que as Roças não foram privatizadas para isso.Seria melhor para voçes que a Roça ficasse deserta como muitas . Cada um tem a sua iniciativa e deve fazer da sua vida como quer . Coragem Quim e força Tela Nom porque assim o nosso jornal está a transferir experiência para aqueles que tomaram a Roça do Estado e não soube ou não pode transformar-lo num emprendimento em prol do desenvolvimento do país e do Recurso humano. Espero que muitos servem do exemplo. Aplaudo o jornal e a iniciativa. Que os Santomenses possam quando em vez se reunirem nesses ambientes onde se convive e se sente em familias esquecendo um poucode pensar das dificuldades da vida. Alias em que País onde não há Problemas? Sejamos felizes como diz o nosso João Carlos.

    • leucadio

      25 de Julho de 2012 as 15:24

      Caro(a) Felicidade.
      Concordo consigo quando diz que os sãotomenses são propensos à inveja. Mas não vejo nada de OLHO CHEIO nos comentários que criticaram a publicidade desta inauguração no Telanon. Você diz que com este empreendimento o Quim Orbi esta a promover o Turismo!!! Como??? Em que parte do texto você leu que se trata de um espaço aberto ao público??Como é que um espaço privado e restrito pode promover o turismo?? Qual turista que poderá la ir? Só la irão os amigos e conhecidos do proprietario, o que é muito normal.
      Sejamos coerentes e ajudemos o Telanon, com críticas constructivas, para que de facto seja um orgão de informação de interesse público.
      Fui

  16. Felicidade

    25 de Julho de 2012 as 11:49

    desculpa por alguns erros cometidos

  17. o degredo

    25 de Julho de 2012 as 11:53

    São Tomé e Principe não têm noticiario a sua grandesa?

    Acções destas são boas, mas Enaltecê-las num jornal desse carris, sou obrigado a pedir aos senhores responsaveis que tenham respeito pela minha leitura assídua desse jornal.

    (“nao pretendia comentar, nao suportei contudo”)

    Espero que seja primeiro e último caso.

  18. Cidadão

    26 de Julho de 2012 as 8:56

    Será que ele foi campeão do mundo e europeo mesmo ou nós santomenses é gostamos de acreditar em tudo.

  19. anilza da graça

    27 de Maio de 2013 as 11:35

    Para aqueles que não gostaram da quinta palma de Maiorca, infelizmente tenho que dizer-vos que vocês são invejosos. Não fazem e não deixam os outros fazerem.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo