Aldemar Barros guarda redes do Desportivo de Portugal – Em entrevista

A Tela Non esta semana foi conversar com Aldemar Barros guarda redes do Desportivo de Portugal da 2ª divisão de juniores. Um jovem de 17 anos, nascido em Portugal e descendente de pais São Tomenses, residentes na margem sul do Rio Tejo. Curiosa a resposta sobre se estava disponível de jogar por São Tomé e Príncipe, realçando que nunca houve uma aproximação entre a selecção de São Tome e Príncipe e o jogador.

Gostaria de fazer o futebol a minha vida

Vasco Antão

Fala-me do teu percurso desportivo desde que começaste até agora?

Desde que jogo futebol, ainda só estive no GDR Portugal, mas quando era mais novo joguei futsal. Em futsal estive federado na AMA Zona Sul.
Nunca joguei em São Tomé e Príncipe.

Estás a representar o Desportivo de Portugal. Quais objectivos do clube na 2ª divisão de juniores?

Bem depois de uma subida de divisão no ano passado sempre queremos ir mais acima na classificação. Nós queremos acumular o máximo de pontos possíveis. Quem sabe se conseguirmos chegar à fase de subida, onde entram os três primeiros classificados.

O teu clube subiu do Distrital de Setúbal. A mudança para a 2ª divisão nacional de Juniores é mais exigente?

Sim, sem margem para dúvidas. Qualquer erro cometido tem a sua consequência e paga se caro nos desafios de futebol.

Como te sentes na baliza. A posição de guarda redes é um lugar ingrato?

Sinto-me bem, apesar de não ser a minha posição de origem. Sim, concordo que a posição de guarda-redes seja uma posição ingrata, atendendo se sofrer um golo em que estive mal pode manchar uma grande exibição. E não só, pois para um guarda redes as oportunidades são difíceis de aparecer.

Sempre jogaste a guarda redes ou tem gosto por outras posições ?

Em miúdo jogava a defesa central. Não digo que não tenho gosto noutras posições, como ponta-de-lança. Mas sinto-me muito bem na posição de guarda-redes.

Aonde pretendes chegar no futebol?

Eu gostaria de fazer do futebol a minha vida. De um dia mais tarde me tornar num jogador de futebol profissional.
Sentes-te uma das grandes esperanças dos futebolistas de São Tomé e Príncipe?
Sim, eu sei o valor das minhas capacidades, mas só isso não chega. Para alcançar qualquer coisa na via temos de trabalhar no duro e ser muito humildes.

Acompanhas te os campeonatos de São Tome e Príncipe que regressaram depois de paragem?

Não acompanho.

Em teu entender existe evolução dos jogadores de São Tome e Príncipe?

Sim. Cada vez mais ouve-se falar dos jogadores naturais de São Tomé e Príncipe.

O que falta para termos mais atletas de São Tome Príncipe nos campeonatos portugueses?

Eu considero que falta mais visibilidade nas ligas mais baixas de futebol inferiores à Primeira Liga de Portugal.

Alguém da Federação de Futebol de São Tome e Príncipe já te contactou para poderes representar o teu pais?
Não.

Estavas disponível para representar a selecção de São Tomé e Principe ou a Portuguesa?

Sim, gostava de um dia poder representar a Selecção Portuguesa, no entanto não posso falar sobre a possibilidade de jogar por São Tomé e Príncipe. Nunca falaram comigo, nunca houve uma aproximação e poderia vir a ponderar essa situação, depois de saber dos objectivos da equipa e da sua organização.

Tens acompanhado o que se passa em São Tomé e Príncipe?

Muito raramente.

Já visitas te São Tome e Príncipe?

Sim, mas já se passaram 10 anos desde a última visita que fiz a São Tomé e Principe.

Os teus pais nasceram aonde em São Tomé e Príncipe?
A minha mãe nasceu em Conceição, São Tomé e o meu pai em Trindade, São Tomé.

DADOS DO ATLETA

NOME COMPLETO- Aldemar Vilhete Barros

DATA NASCIMENTO-  30-09-1993 (17 anos)

NATURALIDADE- Portuguesa

ALTURA– 183cm

PESO- 66 kg

CLUBES ONDE JOGOU:  -AMA ZONA SUL (FUTSAL)

-GDR PORTUGAL (FUTEBOL)

  1. img
    sssssssssss Responder

    Entrevista muito mal conduzida, dá ideia de um trabalho de primária.

    Saber ouvir é fundamental. Tornar a interessante também.

Deixe um comentario

*