Federação de Futebol faz balanço positivo de 3 anos de mandato do Comandante Pachire

O coronel do exército que há 3 anos lidera a Federação São-tomense de Futebol, conseguiu depois de longos anos, recolocar o nome de São Tomé e Príncipe, no palco do futebol africano. A selecção Nacional voltou a competir. O “Caos” também deixou de ameaçar as contas da Federação de Futebol.

O comando do coronel Idalécio Pachire na Federação São-tomense de Futebol, avança para o quarto e último ano de mandato. No balanço dos 3 primeiros anos de mandato, destacam-se grandes acções que permitiram a redinamização do futebol nacional.

Depois de vários anos a selecção nacional de futebol voltou a competir a nível do continente africano, e com êxito, tendo contribuído para elevar o espírito de nação.

No ano 2012 o país de divergências políticas, rancor, etc, encontrou um ponto que unia tudo e todos, a boa prestação da selecção nacional de futebol nas eliminatórias para o Campeonato de África das Nações e para o Mundial do Brasil.

Dentre várias acções realizadas que melhoraram a imagem do futebol nacional, Idalécio Pachire realçou a introdução de mais uma divisão no futebol nacional, a divisão de honra chamada terceira divisão. «Alargando assim o número de praticantes do futebol», frisou.

Árbitros, árbitras, dirigentes dos clubes e treinadores foram formados. A FIFA deu nota positiva e de credibilidade a Federação de Futebol na Gestão dos Fundos. «Nota positiva recebida da FIFA sobre a gestão financeira após uma auditoria feita as contas da Federação, fruto de uma denúncia feita à FIFA pela anterior direcção da Federação», detalhou o Presidente da Federação de Futebol.

Prova maior da credibilidade conquistada junto a FIFA, é o financiamento da construção de um centro de estágio de raiz na região autónoma do Príncipe. «Um projecto que já estava arquivado devido a má prestação da anterior liderança da federação», sublinhou Idalécio Pachire.

Nada é perfeito na vida. A ausência da equipa da ilha do Príncipe vencedora do campeonato e da taça de São Tomé e Príncipe na temporada 2012, nos jogos da competição africana, beliscou a imagem da nova federação de Futebol. Situação idêntica volta a acontecer no fecho da temporada 2013. Praia Cruz, vencedor do campeonato nacional conseguiu ser repescado a última hora, mas o vencedor da Taça de São Tomé e Príncipe, a UDRA, ficou mesmo de fora.

Idalécio Pachire atribuiu toda culpa e responsabilidade à Confederação Africana de Futebol, pela não inscrição atempada dos clubes nacionais na competição africana.

Abel Veiga

  1. img
    lider Responder

    parabens senhor comandante. continua assim, que o futebol agradece. pena que entraste tarde para me. mais mesmo assim obrigado e parabens

  2. img
    Fókótó Responder

    Estas perfomances em apenas 3 anos tem de merecer a confiança dos amantes e dirigentes de futebol.
    Nós que ja vinhamos habituados com campeonatos de 3 em 3 anos , e mal acabados, isto é obra sr presidente pachire.

  3. img
    Alfredo Gentil Responder

    Parabéns comandante Pachire. Estás rodeado de uma equipa invejável. Lamento que pessoas que deviam ter algum bom senso vão aos tribunais para dirimir conflitos do Futebol, sem observar as leis da FIFA. O Varela em vez de aconselhar o seu constituinte, coloca óculos escuros para mamar esse boló que vem da rosema. Força rapazes continuem a fazer bom trabalho ao nível do desporto rei.

    • img
      José piter Responder

      Alfredo Gentil, de facto, és mesmo um desmemoriado como dizem os brasileiros. Uma federação que em quase 4 anos não realiza um campeonato nacional de futebol feminino, e até agora, não apresenta obras. E como aproxima – se assembleia geral, tem medo das contas e que os Clubes lhes pede o resultado da auditoria da PIC sobre o assalto fabricado, quando, pensavam que iriam cair. Provavelmente, para assembleia este ano, não haverá mais assalto, porque Celestino Andrade já não estará lá para falar para defender Idalécio Pachire. Ele quer ter voz propria. E é por isso que ele vai saltar do barco. Desta equipa toda, o mais inteligente foi EUGENIO TEN JUA.O homem apercebeu – se muito cedo das asneiras, trapalhadas e incompetencias, e agora, tentam branquer a coisa para fazem passar na assembleia de clubes.É bom , preparar, e bem….aquilo vai incendiar … chega de enganar e humilhar as pessoas, sobretudo, nós na Ilha do Príncipe.

  4. img
    osvaldo pereira Responder

    a assembleia dirá se o balanço é ou não positivo, quando será mesmo a assembleia geral da FSF, o Tela-Non esqueceu de perguntar isso!!!…

Deixe um comentario

*