00 239 - 9906263 contact@telanon.info

Get Adobe Flash player

OMM diz que temperatura global atingiu recorde em abril

PARCERIA – Téla Nón / Rádio ONU

Agência da ONU diz que níveis históricos foram registrados pelo 12º mês consecutivo; 13 dos 15 meses mais quentes até agora ocorreram todos desde fevereiro de 2015; pela primeira vez,  níveis de concentrações de CO2 na atmosfera equiparam-se nos Hemisférios Norte e Sul.

Temperatura global de abril. Imagem: Nasa/OMM

Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova York.

Os níveis da temperatura global registraram um novo recorde em abril pelo 12º mês consecutivo. A informação é da Administração Atmosférica Nacional Oceânica dos Estados Unidos.

Segundo a agência, 13 dos 15 meses mais quentes em 137 anos ocorreram desde fevereiro de 2015.

Efeitos

A média da temperatura combinada nas superfícies terrestre e oceânica em abril foi de 1.10º Celsius acima da média do século 20, registrada em 13.7ºC.

A informação vem de bancos de dados separados da Nasa e das autoridades de meteorologia no Japão.

Já o secretário-geral da Organização Meteorológica Mundial, OMM, lembrou que abril trouxe mais um recorde. Petteri Taalas afirmou que o calor extraordinário notificado no ano passado ficará muito aquém dos níveis de 2016.

Para Taalas, os níveis atuais da temperatura resultam dos efeitos de mudança climática e da passagem do fenômeno El Niño.

Emissões

O chefe da OMM explicou que o El Niño está perdendo força e que provavelmente abrirá caminho daqui a alguns meses para o La Niña.

A agência da ONU  afirma que qualquer efeito de resfriamento do la Niña será temporário e não ajudará a aplacar as consequências do aquecimento global provocado por emissões de dióxido de carbono.

Taalas concluiu lembrando que a implementação rápida do Acordo de Paris sobre Mudança Climática torna-se cada vez mais importante caso a meta ambiciosa de manter o aquecimento na faixa de 1.5 ou 2º Celsius seja alcançada.

Pela primeira vez, as concentrações de CO2 no Hemisfério Sul equipararam-se aos níveis do Hemisfério Norte, ultrapassando a marca de 400 partes por milhão (ppm).

 

Notícias relacionadas

Deixe um comentario

*