00 239 - 9906263 contact@telanon.info

Get Adobe Flash player

OMS confirma que zika em Cabo Verde foi “importado” das Américas

PARCERIA – Téla Nón / Rádio ONU

Agência da ONU diz que é muito provável que vírus chegou ao país africano após sair do Brasil; esta é a primeira vez que zika está ligado a casos de microcefalia e desordens neurológicas em África.

Pelo menos três casos de microcefalia foram reportados em Cabo Verde. Foto: Irin/Kate Mayberry

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova Iorque.

A Organização Mundial da Saúde, OMS, confirmou esta sexta-feira que o vírus zika a circular em Cabo Verde é o tipo asiático, o mesmo encontrado nas Américas. Por isso, a agência acredita que o zika chegou ao país africano “importado” do Brasil.

Até o dia 8 de maio, havia mais de 7,5 mil suspeitas de zika em Cabo Verde. Pelo menos três casos de microcefalia foram reportados no país, enquanto não houve nenhum paciente com a síndrome de Guillain-Barré.

Preocupação

Esta é a primeira vez que o vírus está ligado a casos de microcefalia e desordens neurológicas detectados em África. O director regional da OMS para o continente afirma que a notícia é motivo de preocupação, por ser uma “prova de que o surto está a se espalhar para além da América do Sul e está na porta de África”.

Matshidiso Moeti explica que a informação ajudará nações africanas a reavaliarem o nível de risco em relação ao zika e aumentar as medidas de controlo e de combate.

Prevenção

O primeiro passo para os países do continente é informar as grávidas sobre as complicações associadas ao zika e promover medidas de proteção para evitar a picada do mosquito ou a transmissão durante relações sexuais.

A OMS pede à África para aumentar a vigilância em relação ao zika e acompanhar casos de má formação congénita em bebés, como a microcefalia, e também casos da síndrome de Guillain-Barré.

A agência da ONU está a ajudar os países africanos na resposta, deteção precoce e manejo de potenciais complicações associadas ao vírus zika. A resposta está apoiada em investimentos feitos na África Ocidental durante a emergência do ébola.

Leia e Oiça:

OMS fala em risco moderado do zika se espalhar pela Europa no verão

OMS alerta que zika vírus “preocupa mais do que nunca”

Divulgadas recomendações para atletas combaterem o zika nas Olimpíadas

 

Notícias relacionadas

Deixe um comentario

*