Associação dos Economistas insurge contra o negócio do bloco 3

A Associação dos Economistas de São Tomé e Príncipe tendo tomado conhecimento através da RFI (Rádio France Internacional), da adjudicação do bloco nº 3 da ZEE a Oranto Petroleum, numa sessão em que se impediu a presença da Comunicação Social, pelo valor insignificante de dois milhões de dólares Americanos, sem que seja constituída a Comissão de Fiscalização de Petróleo, cuja existência garante a legalidade de qualquer contrato petrolífero, vem por este meio, por um lado, condenar tal procedimento, que considera inadmissível ilegal, e lesivo aos interesses do Povo de São Tomé e Príncipe, que vive na sua maioria em extrema condições de pobreza, e, por outro, solicitar às autoridades competentes (Procuradoria Geral da República, Supremo Tribunal de Justiça e Tribunal de Contas) que procedam à anulação pura e simples deste Contrato, que dificilmente poderá trazer dias melhores a Povo de São Tomé e Príncipe.

  1. img
    paparazzi Responder

    ja começou a dar dor de cabeça a eese governo que nao trabalha com transparencia porque e que vetou a comunicaçao social’?agora aguentam as consequencias.quem foi que disse que negocio dos petroleos e secreto?vem a angola e pergunta a sonangol o que os americanos fazem quando isso acontece.leilao de petroelo e claro e divulgado para todos saberem senao ha makas como esta que associaçao dos economistas estao a exigir transparencia.povo nota se que ouviram atraves da radio frança internacional e la em sao tome nada.mais uma dor de cabeça para governo de patrice trovoada

  2. img
    zeme almeida Responder

    Senhor economistas dem ideias palpaveis para conduzir-mos este processo do dossier petroleo em prol do desenvolvimento de STP.So mandam anular quaisquer processo por factos de vos nao serem chamados?O economista Agostinho Rita que ocupou varios cargos no governo o nosso povo nunca conheceu melhorias?Dar liccao e muito bom mas teremos que dar provas,isto e que falta.Neste Pais economistas so sabem falar,quando nao sao chamados para usufruir de algum bem.Estar de fora traz um mal para muitos.

    • img
      Zé Cangolo Responder

      Acho que não bem assim. Um mal não branqueia o outro, o facto de Agostinho Rita não ter feito nada enquanto Ministro não o limita enquanto cidadão de dar as suas opiniões, nem tão pouco o Governo deve ser perdoado das suas falhas e ilegalidades grosseiras por estas serem denunciadas por alguém que enquanto dirigente ficou aquém do esperado. Alerto para o facto de o actual Governo estar a entrar pelos mesmos caminhos que criticou na campanha para as legislativas de 2010 e saiu victorioso. Nenhum País do mundo suporta experimentalismos e se este Governo que apostou muito alto como reformador falahar, os candongueiros assaltarão o poder novamente e com muita força.

      • img
        Fijaltao Responder

        Zé cangolo, esse indivíduo, é um dos membros do governo que participou na tal máfia!

      • img
        Fijaltao Responder

        O Ministro Vilanova é que devia dar cara nesta explicação pública-
        O Ministro Vilanova, devia se comportar como santomense e não santomista neste negócio e sempre saber dizer não, quando existe algo que prejudica o seu povo!
        Pôr os interresses do povo em primeiro lugar, nem que disso lhe custasse o cargo que ocupa actualmente!
        Ele como ministro da tutela, deve explicar a opinião pública santomense quais são os trâmites que os fizeram proceder desta maneira.
        E outra; porqu~e que esses membros do governo se vendem por qualquer dinheiro?

    • img
      Fijaltao Responder

      Esta é a resposta de um desses mafiosos!

  3. img
    Paracetamol 500mg Responder

    A ser verdade, cabe abrir um inquérito sobre o processo de adjudicação e processar criminalmente os responsáveis pelo mau negocio que em nada beneficia a sociedade santomense.

  4. img
    Almeida Paquito Responder

    Vocês não veem nada. Não foram s+o dois milhões. E a saber essa empres é de trading nunca explorou petroleio. Abram o olho.

  5. img
    Santomista Responder

    Que tipo de Associação de Economistas é essa? Dois indivíduos, sem credibilidade nenhuma, que aparecem somente para reclamar sobre questões que lhes interessam ao nível pessoal. São pessoas que já estiveram envolvidas em vários actos que prejudicaram o País em benefício próprio.
    Quando é que esses “donos” da dita “Associação dos Economistas” apresentaram estudos económicos que visam o crescimento económico do País? Quando é que esses indivíduos apresentaram uma analise da situação macroeconómica do Pais? Quando é que fizeram alguma analise da situação económica regional ou mundial que possa afectar o desempenho económico do País? Que tipo de economistas são esses? Será que existe economistas em São Tomé e Príncipe?
    Por favor, não confundam a Ciência Económica com politiquices viradas para o próprio umbigo!
    Já agora, quando é que esses indivíduos foram eleitos como representantes da dita associação? Quem são os membros da associação? Quantos economistas de formação e conhecidos fazem parte da associação? Onde está a legitimidade desses indivíduos para aparecerem cá a dizer coisas sem nexo?

    • img
      Bartolomeu Lêdesaua Responder

      Manifestou que defende negócio de petróleo a porta fechada!
      Para quê palavras, está mais do que identificado de que é um dos aliados (cúmplices).
      Só é pena e muito triste ter-se identificado Santomista. Só que nem todas as pessoas sabem que há diferença entre Santomista e Santomense.
      Pois, Santomense nunca foge o tema tão importante como é o de negócio de Petróleo com bla-bla-bla…
      Não se trata de Associação em si, nem está em causa a credibilidade, a legalidade, a idoneidade ou a legitimidade dos seus associados e/ou membros.
      O importa é que são santomenses, de maior idade, com a capacidade civil, intelectual, política e jurídica, que tomaram conhecimento através de comunicação social estrangeira, que foi celebrado contrato de venda de Petróleo de S. Tomé e Príncipe e não através dos organismos competentes do nosso País. Esses ilustres Santomenses manifestaram o descontentamento, em nome da classe a que pertencem, alertando as Entidades mais Altas do nosso País e pediu inquérito.
      Que nexo tem seu comentário?
      De que lado está ?…
      Está preocupado com a Associação de Economistas ou com o contrato de petróleo a porta fechada?
      Qual é o seu problema? Tem medo do inquérito? Quem não deve nada tem a temer.
      Santomenses, camarão que dorme a onda leva ?
      Viva povo de S. Tomé e Príncipe

  6. img
    Arte Responder

    Não questiono o Governo sobre a matéria, mas o que me surpreende é de, nos dias de hoje, haver negociações a portas cerradas. Isto é que é um absurdo! Enfim, em STP – um Estado- , existe a separação de poderes mas que se interligam para defesa dos direitos fundamentais… se os Tribunais existem é para fazer a justiça. Nada mais…

  7. img
    Filho de Padre Rocha Responder

    Velho Torres andou a falar mal de man Rafael Branco, falou critou até chorou na TV, pensando ele que Patrice era diferente, engano seu, velho Torres até dizem por aí na terra que eles são compradres, Patrice é padrinho de uns dos filhos de man Rafa.

    senhor Torres vive a sua vida não esteja a dar cabo da sua saude a preocupar com coisas dessa terra, não acompanha Agostinho Rita, o que Agostinho Rita quer sabemos nós, ele quer tacho, logo que conseguir um tacho no petroleo nunca mais falaré mais nada!

    Patrice arranja um tacho para Agostinho Rita sempre assim, o homem cala um bocado…

    • img
      m Responder

      Patrice nao arranja nenhum tacho para Agostinho Rita. Ele esta caduco e nem sequer conseguiu administrar o seu proprio banco , como e que ele ira meter nariz no dossier petroleo? So quer estar metido naquele dossier para barralhar mais este dossier ja por se tao cumplicado.

      • img
        Fijaltao Responder

        Estas são as verdadeiras linguagens de falta de responsabilidade e uso da democracia para gozar com todo povo santomense!
        Não me admiro muito que estas linguagens vêm de um membro do governo,
        Por isso cabe a esse povo um dia sair a rua como se fez na Líbia!

  8. img
    Filho das ilhas maravilhosas Responder

    O governo foi eleito para defender os interesses do povo e não para fazer negociatas a porta fechada. Este dossier já esta viciado desde o leilão em que se soube o nome das empresas seleccionadas e nunca foram divulgados os critérios utilizados para a selecção das empresas. Se existe uma lei de petróleo e procedimentos legais a cumprir. Qual é o problema do governo em fazer as coisas as “claras”? O governo se quer ter boa imagem deve fazer as coisas como deve ser. O petróleo é do povo e o povo deve ser informado sobre todo o processo negocial. As instituições como o parlamento, a procuradoria geral e o mesmo o presidente da republica podem e devem accionar os mecanismos legais necessários de forma a que o governo cumpra com leis. Meus senhores mudem de atitudes, deixem de arrogância e ganancia, trabalhem em prol do povo que todos ficamos a ganhar. Viva a transparência e não a corrupção.

  9. img
    Carlos Ceita Responder

    Sobre o petróleo que é e devia ser propriedade do povo de São Tomé e Principe já disse tudo. Tanto que até fui atacado por um interveniente que mais pareceu um membro do Governo. O negócio e os contratos são tão maus e complicados que só o cego e corrupto é que não vê. Mas se alguém tem dividas recomendaria vivamente a leitura ao artigo do Carlos Ferreira Madeira do jornal independente cujo título é (É o petróleo, estúpido!)
    Abraços

  10. img
    Lucastro Responder

    Acho que estamos nos preocupando com o menor dos problemas deixando para traz o maior e mais importante de muitos que temos

  11. img
    Santomista Responder

    Eu não punha em questão o facto de o Governo ter feito o negócio à porta fechada. Os negócios geralmente devem ser tornados públicos depois de estarem assinados os contractos.
    Quantos negócios que foram tornados públicos prematuramente em STP e que não deram para nada, devido interferências demasiadas dos abutres das nossas Ilhas.
    Cabe-nos agora estar atentos ao desenvolvimento desse negócio, se corre nos termos dos contractos assinados e esperar para ver os resultados.
    Não podemos ficar sempre a criticar todas as iniciativas que este ou outro Governo tem.

  12. img
    zeme almeida Responder

    Alguns comentarios ali passados nao têm razão de ser.Seja o governo do MLSTP/PSD,MDFL,PCD nunca fizeram nada transparente neste Paìs.Um exemplo do Ex primeiro ministro Rafael Branco do MLSTP pretendia fazer um grande negocio com um avultado montante com a ilha de Dubai que o negocio era as escondidas sem dar conhecimentos ao povo!Ainda se lembram?… meus compatriotas.As verdaddes têm que ser ditas.Conclusâo todos os politicos sâo iguais.Parvo somos nós.Viva o povo sofredor.

  13. img
    zeme almeida Responder

    Não sou contra aqueles que se desponibilizão em fazer uma fiscalizacão aos governos eleitos pelo povo!Muitos politicos deveriam é ter vergonha na cara.Os politicos só pensam no TACHO,depois de o terem boca calada.Se um destes senhores fossem chamado para fazer do dosssier petroleo,nada disto vinha a ribalta.Que o povo esteje atento a muitos camalhões que fengem ser o nossos amigos,antes de irem ao poder.Viva RDSTP

  14. img
    zeme almeida Responder

    Quero dizer(desponibilizam)

  15. img
    E.Santos Responder

    Como disse Pinto da Costa, preocupense-se com o que temos de palpável e viável: a terra, a agricultura. É nisso que temos de apostar e virar a cabeça.
    O miragem do Petroleo de STP, não vai se tornar realidade tão cedo. Para já, tal como tem sido desde o início é tudo especulações. As grandes empresas que ficaram com os primeiros blocos fizeram-no para salvaguardar a sua posição para o futuro e infelizmente sem se comprometerem com prazos. Enquanto houver petróleo em Angola, na Guiné Equatorial e na Nigéria nenuma delas vai investir em exploração dos nossos blocos. No último Leilão, só apareceram empresas a maior parte delas fantoches, algumas de Santomenses também a especularem porque não tinham nenhuma capacidade para coisa alguma. Apenas com o objectivo de vender direitos no futuro e facturar balúrdios a custa de um país de tangas.
    Por isso vão com calma. Preocupem-se com a Agricultura. O Nosso futuro é Baunilha, Pimenta, Cacau e Café. E se conseguirmos um abastecimento local condigno, já não estaremos mal.

  16. img
    Kadafi Responder

    Inén ké muê!
    História é história!
    Sempre é a mesma coisa. Estamos cansados.
    Sempre críticas porque fez ou porque não fez, que está mal feito, que não deveria fazer. A verdade não dizem ou não sabem, mas posso vos assegurar que maior problema que temos em São Tomé é que nenhum desses senhores de fato e gravata ainda não tentaram pelo menos fazer o estudo ou análise real do país. mAs a situação é mesmo em todos os termos. Tudo o que se faz em São Tomé é para experimentar. Por isso há sempre um grupo que está de fora do bolo a criticar. Eles nunca têm opinião antes, mas depois de algo feito, já sabem tudo. Desde criança aprendi “QUEM NÃO SABE PERGUNTA”. Se não entendem de petróleo, perguntam, se mesmo perguntando é difícil, contrata empresas que percebem e façam as coisas claras. Pára dessas palhaçadas toda altura que se fala em tomadas de posições. Somos muito poucos para haver tantas divergências.

    Faz parte da história.
    Ká bili uê!

  17. img
    Tluki Sun Deçu Responder

    Santomista eu não concordo contigo quaquer cidadão tem direito de reclamar quando as coisas correm mal ou parecem menos clara indipendenemente de ter sido dirigente ou não.

Deixe um comentario

*