Economia

Presidente da República e o seu Gabinete de olhos atentos sobre o dossier petróleo

Presidente da República e o seu gabinete decidiram organizar um seminário sobre o dossier petróleo em São Tomé e Príncipe. Segundo Amaro Couto, Chefe da Casa Civil do Presidente da República, são medidas preventivas que visam aproximar o Chefe de Estado de tudo quanto se passa a volta dossier petróleo.

Na zona de exploração conjunta entre São Tomé e Príncipe e a Nigéria, a intervenção da companhia francesa Total no bloco 1, contribuiu para acelerar o processo de exploração. Estima-se que em 2015 o petróleo deverá jorrar no bloco 1 da zona conjunta.

Segundo a estrutura hierárquica da Autoridade que gere os recursos da zona conjunta, os Presidentes de São Tomé e Príncipe e da Nigéria são os únicos que têm a última palavra em todo o processo.

A Autoridade Conjunta, que funciona na Nigéria é composta por directores e técnicos dos dois países. Executa acções que depois são analisadas pelo Conselho Ministerial Conjunto, que envolve ministros de vários sectores dos dois países. A decisão final, é tomada pelos Presidentes da República dos dois países.

Daí a importância do seminário que o gabinete do Presidente da República organizou numa das salas do palácio do Povo, e que foi ministrada pela Agência Nacional de Petróleo. «Visa proporcionar ao PR e ao seu staff todas as informações actualizadas que têm a ver com actividade petrolífera em São Tomé e Príncipe. Os estudos, pesquisas, exploração para permitir que os dados e elementos técnicos, estejam assim mais ao alcance da Presidência da República», referiu Amaro Couto.

A nível nacional, ou seja, na zona económica exclusiva são-tomense, o governo já assinou acordo de partilha de produção do bloco 3 com a companhia nigeriana Oranto Petroleum. Nos próximos 8 anos, a empresa nigeriana deverá investir mais de 200 milhões de dólares, na prospecção de petróleo no bloco 3. «O gabinete da presidência é recente, era importante que a presidência tomasse as medidas e as precauções para se inteirar de maneira mais aproximada possível de tudo quanto se passa a volta do dossier petróleo», reforçou. Amaro Couto.

Dossier petróleo e o negócio que ele, gera antes mesmo da exploração propriamente dita do ouro negro, a merecer atenção do Presidente da República e do seu staff.

Abel Veiga

    12 comentários

12 comentários

  1. ECAS

    10 de Novembro de 2011 as 16:28

    Iniciativa de se louvar, e espero que se estenda a camada com menos informações sobre o assunto. Mas faço votos que todas estas informações e acções, possam ser devidamente organizadas e arquivadas de modo a se ter amanhã um histórico dos acontecimentos, de modo a evitar repetições e disperdícios de meios. Ñ temos cultura de arquivo e responsábilição por má conduta em STP, por isso, julgo ser uma das razões da dificuldade de haver continuidade do Estado.
    Bem Haja!

  2. Helves Santola

    10 de Novembro de 2011 as 17:57

    Com certeza, e que essas informações sejam postas à disposição do público tbem….

  3. Anca

    10 de Novembro de 2011 as 19:28

    Muito bem

    Mais transparência e comunicação á nação, nas acções, executivas, deliberativas, e finculativas, dos orgãos eleitos da nação.

    UNIDADE/DISCIPLINA/TRABALHO-TRANSPARÊNCIA GOVERNATIVA

    Pratiquemos o bem

    Pois o bem

    Fica-nos bem

    Deus abençoe São Tomé e Príncipe

  4. NINA

    10 de Novembro de 2011 as 20:56

    BOM SINAL

  5. Tomé

    10 de Novembro de 2011 as 23:37

    Alguem tem noticias do caso “Adelino Isidro”? Ainda esta na cadeia? que fique la por um bom tempo…

  6. Adilino

    11 de Novembro de 2011 as 2:08

    o Presidente vai fazer o seu papel de fiscalizar é isso mesmo o trovoada tem dinheiro como capim de olho nele M.P.C

  7. Eperanças Renovadas

    11 de Novembro de 2011 as 7:19

    Sem dúvida e há mais.A necessidade de se criar um mecânismos de verificação e controlo deste dossier.
    Ex:
    1.Criando um portal do cidadão;
    2.Instituir um “FUNDO DE RESERVAS SOBERANA”,destinado a gerações vindoras e sobretudo, permitir uma maior distribuição equitativa desses recursos.Cabe agora ao Governo de uma forma responsável e transparente equacionar estas formulas e acções concretas para.

  8. Eperanças Renovadas

    11 de Novembro de 2011 as 7:40

    Acrescento:Formulas e acções concretas para trazer ao público estas informações?E porque não a criação de um “SITE OFICIAL DO GOVERNO”,o que não obriga ao estado mobilizar grandes meios?Fácil e barato de obter.Façamos as coisas de forma diferente para merecermos elogios.Porque a transparência em STP, precisa-se e pensar em grande compensa!E.R.

  9. sulila miranda

    11 de Novembro de 2011 as 18:10

    É louvavel a tomada de posição do gabinete do PR, porque este dossier é tabu, há muitos anos.
    Governos já houve, em que seus membros desconheciam o dossier.
    Muitos já se enriqueceram a custa deste processo, enquanto o coitado do povo está como está, na total pobreza.
    Que os recursos do petróleo sejam utilizados para custearem a construcção de casas sociais em nº razoáveis para mudarmos a vida do nosso povo, dando-lhes a possibilidade de conhecerem condições melhores de vida, como por exemplo, ter uma casa por mais pequena que seja, com quarto, casa de banho e cozinha, num espaço que se possa chamar de bairro.
    CONTO CONSIGO PRESIDENTE!

  10. Digno de Respeito

    12 de Novembro de 2011 as 0:14

    É bom começo do Pessoal PR. Já eu pensei no assunto há imenso tempo. Que essas informações devam transpor as 4 paredes e vir ao público meno informado e iletrado. Assim é que se trabalha na polítca da transparencia social.

    Povo quer exigir mas não pode por desconhecer os seus direitos e deveres. quantos mais atrasados e desconhecimento tiverem melhor para os chamados “senhores”

    É preciso que a camada desfavorecida participe na política nacional e aprendam a reivindicar com o motivo de fazê-lo. Não basta buscar “ZÉ POVINHO” para formar numero nas campanhas eleitoras. É preciso, devolver-lhes o direito a expressão e de reflexão. Basta durmir acordado! Parabéns os senhores da PR.

    Aconselho-os sair de gabinetes e auscultar várias frentes. Só assim o PR pode ser o verdadeiro arbitro. Intervir com motivo e em última instancia com transparencia e coerência social, política e económica. Estudem bem a lição…. e apliquem-na.

  11. lino

    12 de Novembro de 2011 as 11:52

    é verdade!…adelilo isidro..o que é feito dele?
    alguém sabe responder?
    nunca mais se falou do caso.
    do resto, acho muito bem que a presidência acompanhe de perto e promova a justeza para o bem da nossa terrinha.

  12. Zé Mulato

    13 de Novembro de 2011 as 1:04

    Agora é vamos começar a nos entender.
    Respeito para com o povo Santomense!
    Eu preciso de ler o relatório final sobre o “Dossier Petróleo e os negócios em São Tomé e Príncipe. E também aguardo o resultado do inquérito sobre as dívidas do nosso país!

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo