Mau tempo faz vida negra aos agricultores de Anselmo Andrade

Os ventos fortes que se fizeram sentir na última quinta-feira, em São Tomé, provocaram danos incalculáveis aos agricultores de Anselmo Andrade, comunidade agrícola localizada no interior de Água Izé.

Em apenas algumas horas, sete pequenos agricultores de Anselmo Andrade viram a violência dos ventos fortes varrer literalmente dezenas de hectares de terra cultivada, com árvores de frutos, bananeiras e cacaueiros.

O vendaval que antecedeu o período da colheita, deixou de mãos atadas os pequenos agricultores que consideram os prejuízos incalculáveis e de recuperação longa «eu sozinha não consigo, madeiras de grandes portes caíram sobre as plantações» frisou uma das agricultoras.

Ano e meio, é o período que os agricultores de Anselmo Andrade, acreditam que vão poder recuperar a produção perdida, para isso pedem a intervenção do governo. «Eu já não tem nada para colher, eu não sei até quando que vou recuperar, e eu acho que o governo deveria dar-nos uma mão» suplicou um dos agricultores.

Manuel Vicente Presidente de Federação Regional dos pequenos agricultores de Anselmo Andrade, Mato Cana, Olivares Marinho, Bernardo Faro e Claudino Faro disse que «são parcelas que produzem muito cacau, muita banana e portanto eu fico bastante triste, porque agricultura não é fácil, é necessário muita coragem» concluí.

Com a perda registada na última quinta-feira, 29 de Março, os agricultores de Anselmo Andrade, consideram que a situação de vida está mais complicada.

Carlos Tiny

  1. img
    Justino Manuel Abreu dos Ramos Responder

    É com muita insatisfação de ter tomado o conhecimento do que aconteceu na roça Anselmo Andrade. Espero que os nossos dirigentes tomará medidas aguada, evitando que as dificuldades tornará mais agravante.
    A referida destruição que aconteceu nessa dependência é motivada as grandes árvores que foram devastadas a momento de recebimento dos terrenos. Tudo isso, deveu-se a culpa dos governos que destruiu os terrenos, sem umas condições prévia de sustentabilização dos governos.
    Na altura em que esteve a distribuir essas empresas, havia um projecto que dizia luta contra pobreza, isso só serviu de enriquecer pequenos senhores que hoje está garantidos vivendo as suas vidas.
    Hoje essas pessoas que receberam essas pequenas empresas, estão totalmente mais pobres, devido a não apoio dos sucessivos governos.Se os governos tivesse criado uma cooperativa, donde que recebesse todas as produções dadas nas pequenas agrícolas e vendesse para outros mercados exteriores, hoje toda gente tivesse condições de resolver outras situações, ou por outra dificuldades que poderia surgir.Espero que seja tomada as medidas urgentes, afim de evitar outras situações difícil que possa advir.
    Temos no nosso País vários dirigentes, que só serve de viver as suas vidas, não preocupando com as situações da populações.Só estão a tratar das suas vidas e os seus familiares.

  2. img
    Conóbia cumé izê Responder

    Assim vai STP.Sem apoios nenhuns,sem seguro de calamidades naturais, sem protecção do estado, banco de fomento agricola, cada coitado continua a sua sorte. Isto revolta !!!…Ainda bem que cada um tem o seu dia! Aqui ningém fica !Os contados estão pagando muito carro pela vida em STP;A corrupcção instalada e institucionalizada/governo até se riem dos que sofrem,não se sintam santomenses; um dia hão-de pagar !…Fui

  3. img
    Madalena Responder

    É muito fácil deitar culpa aos governos!!
    As tempestades naturais, não se controla. Estados Unidos tem sofrido com desastres naturais, com perdas incalculaveis.
    Os agricultores organizados, a população em geral merecem apoios, mas o fenomeno de mudanças climáticas existe, e deve ser compreendido, por isso que falamos em adaptações às mudanças climáticas.

  4. img
    Engenheiro( LISBOA) Responder

    Será que existe no meu país um gabinete de Gestão de Calamindades? Será que o governo alguma vez inseriu no se programa alguma rúbrica com essa designação”GESTÃO DE CALAMIDADE” de forma a existir uma equipa e meios extras para eventuais desastres naturais?
    A ver vamos.

  5. img
    assis mata Responder

    o povo de s.tomé ja esta cansado de tudo isto.espero como povo da terra que o governo tente menimesar a situação caótica que a população de anselmo se encontra

  6. img
    Vanessa Responder

    Um país que não estima seu próprio povo dificilmente tem prosperidade. Favor avisar as autoridades para usarem seu cérebro, pois o homem é o único animal racional e deve usar isto para beneficiar os da própria espécie…enfim sem palavras!

  7. img
    Michell Responder

    Sinto muito pelos agricultores. Espero que o governo ajude.

  8. img
    Põe boca não tira Responder

    Lamento o sucedido mas é o papel do governo apoiar pequenos agricultores em caso de catastrife natural.Uma desgraça dessa, se não houver intervenção do governo dificilmente esses pequenos agricultores discapitalizados coseguirão recuerar e isso terá reflexo na economia do país. O problema que se poe é este: Será que este país tem governo que precupa com aqueles que realmente trabalham e contribuem para crescimento da nossa economia????????

Deixe um comentario

*