Governo e armador Taiwanês negoceiam plataforma flutuante de mercadorias

A enorme embarcação taiwanesa com capacidade de milhares de toneladas de mercadorias diversas, pretende instalar-se nas águas territoriais de São Tomé, para funcionar como porto flutuante de abastecimento de mercadorias ao mercado do Golfo da Guiné.

As negociações em curso e que segundo o Governo deverão produzir acordo dentro de 6 meses, visam a instalação de uma plataforma flutuante de transbordo de mercadorias diversas.

Segundo o Primeiro-ministro Patrice Trovoada, o projecto se enquadra na política de transformação do arquipélago são-tomense num centro de prestação de serviços no Golfo da Guiné.

O navio transporta cerca de 7 mil viaturas, e ao mesmo tempo tem capacidade para 100 mil toneladas de arroz, 100 mil toneladas de farinha de trigo, 100 mil toneladas de cimento etc. «Poderemos ter uma plataforma logística no mar de transbordo de mercadorias. Mercadorias que não são contentores nem produtos petrolíferos, estou convencido que encontrará mercado no Golfo Da Guiné», declarou o Primeiro-ministro Patrice Trovoada durante a visita este fim-de-semana ao navio taiwanês.

O navio Taiwanês designado “A Ladybug” poderá no futuro ancorar-se ao largo da ilha de São Tomé, mais concretamente nas proximidades do distrito de Cantagalo.  São Tomé vai ter plataforma flutuante de transbordo de mercadorias da Ásia para o mercado do Golfo da Guiné.

Abel Veiga

  1. img
    luisó Responder

    Tanta coisa que é anunciada, quase todos os dias, mas depois não se vê nada de concreto.
    Já chega….

    • img
      Calibre-12 Responder

      Esse anuncio precipitado de Patrice parece ser mais uma estratégia de raposa velha do que um facto a ser consumado.
      É que segundo consta, Pinto da Costa quer continuar a ser amigo dos chineses do continente, ou seja, da China Popular e o Patrice quer esticar a corda para os lados de Taipé, porque Taiwan continua a lhe garantir algum certamente.
      Na verdade esse projecto, esse anuncio não terá nunca penas para andar. É uma forma que Patrice encontrou para tentar “encuralar” diplomaticamente possiveis acções de Pinto da Costa já que a componente relações externas é partilhada pelo Governo e pelo Presidente da República.
      O Povo já pediu a Patrice Trovoada para deixar de anunciar aberrações precipitadamente e fazer governação credivel, pois não estamos em campanha e o que conta não são propagandas mas sim acções concretas e visíveis, o que infelizmente até agora ainda não aconteceu.

  2. img
    Joao Batepa Responder

    promessas. digo a este menino que a campanha ainda n começou.

    • img
      Conóbia cumé izê Responder

      Santo Tomé dizia;quero ver para crer. Há muitos raios de trovões; pode ser mais uma bricadeira de TROVOADA! Haver vamos!… Fui

  3. img
    Engenheiro Responder

    no comment

  4. img
    TRISTEZA Responder

    SENHOR PM BASTA CHEGA,BOCA CALADA NÃO ENTRA MOSCA.

  5. img
    bili ue Responder

    patrice no coment

    siga em frente os frutos virao

  6. img
    Rio do Ouro Responder

    Seria um gesto de cortesia para com Taiwan, já que nunca se ouviu um agradecimento público de qualquer dirigente nacional de tantas benesses recebidas de Taiwan.

  7. img
    Loçô ni fundu d'omali Responder

    Meus senhores o nosso problema não é só ter cá a carga a flutuar, é favor que pensem um pouco! O nosso maior problema é a colocação das mercadorias aqui na terra! Ou seja, como colocar as mercadorias aqui no porto? Vejam só o caso da Região Aut. do Príncipe foi preciso muito peditório para depois chegar lá uma grua! De um barco aqui a flutuar, nada nos servirá, como também de nada nos serve ter um carregamento de arroz afundado mesmo a alguns metros das alfândegas.

    • img
      Tiberio Responder

      Transbordo – Significa vinda de grandes navios da Asia, fazer o transbordo na plataforma flutuante, ou seja destribuir as mercadorias para embarcaçoes mais pequenas, que por sua vez as transportarao par os potos dos paises do golfo da guine.
      Duas principais vantagens: Operacoes feitas nas aguas santomenses, da direito aos pagamentos de taixas e impostos. Diminuira consideravelmente o custo de transporte de merdadorias para STP e de STP e consequentemente reducao de preços de mercadoria no mercado (atençao que qd se fala de mercado nao é merdado de Cocococ e nem a feira grande)

  8. img
    Voz da Razão Responder

    O PM de polo e óculos escuros foi dar um passeio de fim de semana num navio, ele mais os seus próximos e aproveitou pra falar demoradamente em promessas mais uma vez para sua TVS.Enquanto o povo espera, espera, espera e desespera.

  9. img
    sara Responder

    Santomenses malandros! por favor deixe o homem trabalhar
    o patrice sabe o que o povo quer
    o povo quer é sair da miseria , por isso dixa o homem trabalhar
    avante sr Patrice.
    e se quizer conselho peça ao seu pai!

  10. img
    Pinto Responder

    Sr. PT creio que a melhor forma é ser discreto, nao anunciar nada antes de estar garantido.Prefiro que por exemplo chegue a TV e diga- Povo de STP o governo fez um acordo tal e ja temos o barco ancorado em Cantagalo- seria mais sensasato e mudaria a sua credibilidade.

    • img
      Tiberio Responder

      Concordo plenamente. Mas, somente que se ele nao anuanciar desta forma, certos jornais começam a reclamar que o PM assina acordos sem convidar a imprensa! Onde ja vi este filme!!???

  11. img
    agua viva Responder

    agora sim!!
    arroz não vai acabar no mercado, cimento baixará o preço, e a farinha do trigo também …., HUMM penso que o pão vai aumentar o peso.
    quiquiquiquiqui

  12. img
    Lévé-Léngue Responder

    Os efeitos colaterais da crise obrigam-nos a buscar alternativas e a imaginação torna-se essencial. Mas toda essa imaginação tem os seus próprios limites, pois o excesso de ideias infundadas converte-nos em autênticos “idiotas”…
    Que sejam bem-vindos todos os projectos e programas que visem o progresso do País e melhoria das condições de vida dos santomenses e não só, mas sejamos prudentes no tratamento destas questões se efectivamente queremos ser credíveis. Por favor, não banalizem a nossa soberania!!!

  13. img
    Mimi Responder

    Se se reverter em recursos financeiros que realmente deem um folego a economia nacional que ebnvindo seja… Mas qual sera o verdadeiro e transparente retorno desta atracagem permanente nas nossas aguas?

  14. img
    Mimi Responder

    Agora so se fala em acordos privados…

    • img
      Mina Piquina Responder

      Isto já está pior do que a Guiné Bissau. Sempre a subir.
      Fui

  15. img
    cubano-largato verde Responder

    Penso que estas palavras ja foram dita por Rafael Branco,durante o seu mandato como 1 ministro cesante.”Segundo o Primeiro-ministro Patrice Trovoada, o projecto se enquadra na política de transformação do arquipélago são-tomense num centro de prestação de serviços no Golfo da Guiné.”

  16. img
    C e C Responder

    Patrice chega de conversas e promessas falsas. Cuidado com aquilo que esta a acontecer em Bissau…….

Deixe um comentario

*