Política

Camaradas da primeira linha estão preocupados com a situação no Movimento de Libertação

Algumas figuras notáveis do MLSTP/PSD, reuniram-se a porta fechada no Palácio dos Congressos, para analisar o momento político no seio do maior partido da oposição.

As figuras de proa, cuja maioria foi afastada dos órgãos de decisão do partido, em consequência da política de renovação encetada pela Nova Direcção de Aurélio Martins, reuniram-se para reflectir sobre a actual situação do partido.

Situação marcada por confrontação entre os militantes, amigos e camaradas, desde a organização do Congresso Extraordinário de 15 de Janeiro, e que acabou por atingir o ponto culminante na escolha do candidato do partido às eleições presidenciais.

Aurélio Martins foi a escolha do Conselho Nacional, mas sobre fortes protestos de Maria das Neves e Elsa Pinto, duas militantes que nos últimos anos granjearam fama e poder no seio do partido.

Os camaradas da primeira linha, ou seja, aqueles que participaram na fundação do MLSTP/PSD, decidiram organizar para estudar uma solução. «Eu e mais um grupo de camaradas preocupados com a situação que vive actualmente o nosso partido, resolvemos ter esta pequena reunião para reflectirmos sobre a actual situação do partido, e tentarmos em conjunto encontrar algumas soluções que possam ser vantajosas e benéficas para o partido, no sentido de garantir uma maior unidade dinâmica e credibilidade do partido», declarou Guilherme Posser, antigo Presidente do MLSTP/PSD.

Guilherme Posser, não revelou quais as soluções vantajosas que a reunião terá gerado. «Eu fui Presidente do MLSTP, e estiveram presentes nesta reunião, altas figuras do partido pessoas que foram também dirigentes do partido desde o início da formação do partido. Tivemos uma conversa entre camaradas para vermos qual é a melhor maneira de podermos ajudar a solucionar alguns problemas que o partido tem neste momento», acrescentou Posser da Costa.

Divergências e divisões acesas no MLSTP/PSD. Pai de um lado da barricada, filha do outro lado, primo de um lado prima do outro. Nem os laços familiares conseguem gerar convergência entre os militantes de proa do barco social-democrata.

O partido que desde 2001 começou a evidenciar uma grave crise de identidade com o eleitorado, com derrotas consecutivas nas eleições legislativas, viu as suas estruturas de direcção renovadas a fundo após o Congresso de 15 de Janeiro último.

Segundo fonte do partido, foi uma renovação brusca que terá deixado os chamados “GENERAIS” do partido sem possibilidades de mando. O mais complicado ainda para alguns militantes de proa, apurou o Téla Nón, é o facto de alguns nomes que pertenciam à outros partidos, terem conquistado espaço nos órgãos de decisão política do MLSTP/PSD, deixando de fora alguns Camaradas que já ostentavam as patente de Capitão ou Major na estrutura hierárquica social-democrata.

“OS GENERAIS” estavam chateados, e o aborrecimento agudizou-se nos últimos dias com o caso da eleição do candidato do partido para as presidenciais previstas para Julho.

O aparente descalabro que ameaça o MLSTP/PSD, tem raízes no passado. Guerras intestinas de grande intensidade, com rasteiras e contra rasteiras, marcaram a vida do partido nos últimos anos. Derrotas, atrás de derrotas foram somadas nas eleições. Figuras que poderiam ter hipóteses de singrar no xadrez político nacional, acabaram por ficar carbonizadas no combate interno sem tréguas, e noutros casos, algumas tombaram ou ficaram manchadas, por causa das cascas de banana, que foram atiradas para o tapete político, por jogadores extra – MLSTP/PSD.

Muitas escorregadelas comprometeram algumas figuras de proa do partido. Uns atrás de outro foram caindo, por causa das cascas de banana lançadas por outros actores políticos, ou pela troca de fogo no seio da família política. Militantes de base descrentes também por falta de renovação interna, começaram a debandar-se para outros partidos políticos. Os resultados das eleições legislativas de 2006 e 2010 falam por si. O MLSTP/PSD diluiu-se nos círculos eleitorais, que no passado eram seus feudos. A região do Príncipe é um exemplo palpável.

Quando 2011 chegou só encontrou Aurélio Martins e Jorge Amado com coragem de subir a Arena do MLSTP/PSD. A grande parte das figuras de proa, já não tinha força para subir a arena. Aliás o próprio público militante concentrado no Palácio dos Congressos em Janeiro passado, a quando do Congresso Extraordinário, poderia pedir a retirada de tais figuras, caso ousassem entrar na arena em busca da liderança.

A renovação das estruturas de direcção, terá provocado fissuras profundas no seio do partido. O confronto intensificou-se e agora é como se diz no Téla Nón-Nossa Terra, Kua ê dá ê dá(tudo pode acontecer).

Abel Veiga

.

    82 comentários

82 comentários

  1. ovumabissu

    12 de Abril de 2011 as 10:40

    Avolumam-se os indícios do típico quadro para o MLSTP/PSD voltar a pedir o auxílio do sempre presente Pinto da Costa.

    Seja como for o partido está a perder cada vez mais margem de manobra para sair-se bem desse imbróglio.

    Posso estar enganado, mas vai ficando claro que nenhum dos 3 pré-candidatos (Maria das Neves, Aurélio Martins ou Elsa Pinto) irá a votos pelo MLSTP/PSD nestas presidenciais.

    Quem é “frontado” acaba assim.

    • Luis

      12 de Abril de 2011 as 16:56

      Acredito que é exactamente isto que vai acontecer.

    • Sonia

      14 de Abril de 2011 as 1:06

      MLSTP: preparem-se pra chegada de Humbah Aguiar…

      Humbah Aguiar Presidente já!!!!!!!!!!!!!

  2. Sulila Miranda

    12 de Abril de 2011 as 10:41

    Que o MLSTP tenha problemas, não é novidade e que partido político santomense não os tem? Mas pergunto, o novo Presidente do Partido MLSTP que foi eleito há dias, que provas já deu para merecer ser Presidente da República? Isso é uma brincadeira! As pessoas perderam o bom senso! Convenhamos isso já não é país, vamos começar a pensar seriamente no destino a dar a estas ilhas, porque não é um ” coitado” que se diz “RICO” que da banho durante uns meses que vai resolver a situação de todo um país e povo num clique. Além do mais ja temos prova disso. O “Outro” dizia que não precisava porque tinha muito, ou seja que era rico e o que vimos? Vamos é pensar friamente no dia de amanhã.

    • salmo 91

      12 de Abril de 2011 as 18:05

      no seu entender aurélio martins não seria o a solucao para stp ,e que prova deu até então certo? diga uma coisa quem neste momento tem uma imagem limpa neste momento para presidente? como já pudeste constatar todos temem aurelio martins pq porque sabem que aurelio martins tem grandes possibilidades de ser eleito vai por mim…é único canidato que tira sono aos seus dito rivais ,,,ele nao tem imagem suja nunca trabalho no governo de stp…um bem haja …

      • Tela

        12 de Abril de 2011 as 19:24

        Nao trabalhou e ja quer sair do nada e ir para a Presidência, começa-se de baixo ou tu pensas que STP é gibela e FAMA ou até mesmo MLSTP actual

        • Paterson

          13 de Abril de 2011 as 11:23

          Tens razao Tela.
          Este pais ja nao pode ser governado como o Fradique governou. diziam que ele seria ideal presidente porque e rico e que nao precisava. Foi uma disilusao total. Vai-se correr o risco outra vez com o aventureiro Aurelio? Pensem bem caros compatriotas. Muitos que estao a defender o Aurelio Martins nao conhecem o pais real ou so estao interesados com o banho de momento. Imaginem voces o Aurelio como Presidente da Republica. Se como presidente do partido MLSTP ele nao esta conseguindo gerir o partido quanto mais o PAIS. Portanto tenhamos cautela e nao deixemos levar por emocao e banho de momento.

        • Critica

          13 de Abril de 2011 as 14:06

          O problema dos militantes de stp é inveja voces nao aceitam que o que o senhor Aurelio seje candidato as presidencias porque sabem que ele tem grandes posibleidades de ganhar, caros amigo de stp o senhor Aurelio ja fez muito para ese país mesmo nao sendo presidente e os otros, que fiseram nada stomense é buroo por iso o país nao vai para frente povo pensa poco.

          • H. Lima

            13 de Abril de 2011 as 19:07

            Escreves pessimamente mal.

          • chocolate preta

            14 de Abril de 2011 as 11:38

            senhor Critica.

            é por ele teres apoiantes ignorantes e que nem sabem escrever como tu, e só esperam o seu banho monetário que se teme que ele seja ainda mais desastrado e incompetente, do que já transparece ser.

          • chocolate preta

            14 de Abril de 2011 as 11:40

            é por ele ter, dizia eu. ao senhor CRITICA

      • lingapô

        14 de Abril de 2011 as 10:44

        Já esqueceste os alunos abandonados em Portugal?As dívidas á praça pública?

  3. MASCARADO

    12 de Abril de 2011 as 10:42

    “”Pai de um lado da barricada, filha do outro lado, primo de um lado prima do outro. Nem os laços familiares conseguem gerar convergência entre os militantes””

    Este paragrafo é a prova evidente da forma como se tem gerido o MLSTP ao longo destes últimos tempo. “Nos com nos só”. Pai, filho, irmão primo tio tia etc. O problema é que agora todos querem ser rei ou seja chefe.
    A palavra passe para obter um lugar de destaque no partido é família, pato fora. Não é em vão que são as mesmas caras que sempre aparecem. Consequência de tudo isto, o partido esta pouco a pouco se afundando.

  4. cesario verde

    12 de Abril de 2011 as 10:43

    guilherme, a ver vamos o que poderás fazer….quase te creio tambem…

  5. kwatela

    12 de Abril de 2011 as 12:38

    o M L S T P/P S D sempre foi e creio que sempre sera um partido com pessoas pensantes. numa organizacao onde ha pessoas pensantes tem que haver divergencias. as divergencias devem servir como troca de ideias e como mola impulsionadora para aglutinacao de ideiais que nortearam a criacao do partido.desde o tempo em que militei na opstp e depois jota ate chegar a direcao do partido sempre foi apanagio do partido em que a minoria deve submeter a sua vontade a maioria desde que a razao da maioria seje fundamentada em logica. o mlstp o povo era sempre o primeiro,mas nos ultimos dias o povo deixou de ser o primeiro. em tempos conversei com alguem da direcao atual do partido e fiquei estarrecido com a falta de convicao politica. qdo o confrontei com a escolha dos pre-candidatos dentro do partido a respodta foi:'”agora é tempo de pensar nos bolsos e a convicao vem depois” uma clara alusao ao candidato partidario. por tudo isso acho que os verdadeiros militantes do partido, aqueles que choram com desaires do partido de caue a pague teem que dizer um basta neste estado de coisas. vamos discutir o partido e ideias sem tabus,vamos atacar os problemas e nao as pessoas. todos somos poucos para reerguer o nosso GLORIOSO MLSTP/PSD. AO senhor AM, por favor o MLSTP/PSD sobreviveu nos finais do ano 90 a custa de fieis militantes por favor nao destrua aquilo que nos custou suor e lagrimas e noites mal durmidas enquanto o senhor esteve refastelado em ANGOLA. NAO é admssivel que o senhor assuma a direcao do partido numa altura tao sensivel e meses depois o queira abandonar isso revela que o senhor so queria o partido como rampa de lancamento para seu projecto pessoal.bem haja a todos

  6. Paulo Alves Lisboa

    12 de Abril de 2011 as 12:43

    Meus Amigos, é sempre assim. As viúvas do atraso não aceitam a perda do falo perdido. Mesmo que este estivesse murcho e cabisbaixo.Ora, que moral tem esse tal de Posser para reunir figuras desbotadas do partido para tratar de assuntos quaisquer. Porque não não fez o tempo em que teve a frente do movimento. Ao contrário, é um desse timoneiro do naufrágio. Um legador de herança maldita. Submeteu o partido a derrota após derrota. O seu tempo passou , não essa de querer ser peça de juvenília de museu. Aceite com humildade o jazigo tardio que o espera. Vá assombrar outros terrenos, e deixe o MLSTP em paz. Nínguém vai deter a deter o tsumani da força e da juventude de Aurélio Martins. Chega dessas peças figurativas de museu. O povo quer força, quer mudança, quer coragem, quer ser feliz. O que não vai acontecer com esses políticos caricatos que acostumarm-se a viver de doações.

    • salmo 91

      12 de Abril de 2011 as 18:10

      O passado agora só no museu maltrapilos….viva aurelio martins queremos tempo novo uma nova mundaca ele vai conseguir forca camarada…

  7. Tela

    12 de Abril de 2011 as 12:49

    Põe Ordem na casa, muito abuso tem ocorrido nesse Partido,quem chegou ontem ta si achando salvador da Patria, MLSTP não é o mesmo sem as suas figuras notórias, pelo que conclui que o MLSTP de Aurelio deve ter outro nome, porque aquilo não é MLSTP é uma Palhaçada, Comissão Politica com gente dele, fala sério, e vem mi falar em união e Humildade, ele de certeza não deve saber o verdadeiro significado da palavra a que se respeitar os fundadores do partido

    • delete

      12 de Abril de 2011 as 18:22

      Se sao notórios assim como dizem pq nao deixa homem fazer seu trabalho, sao notórios pq na altura em eram autores da politica no seu do seu partido nada fizeram agora já si acham mestre na maneira de o fazer..agora esses que os passados sao solucao entao voces que estao a formar nunca irao mostra realmente o que aprenderam pq sao os mais velhos que irao fazer tudo…de apoio ao sr.aurelio que voz dara prova.o sr foi eleito pelo partido democraticamente pq nao lhe deixa bullir ja estao a chegar querer atrapalhar tudo …..

    • H. Lima

      13 de Abril de 2011 as 19:20

      As figuras do MLSTP/PSD, esta a colher o que plantou, se tivessem semeado boas sementes estariam a colher bons frutos, tinham toda a possibilidade para isso mas o que fizeram começaram a promover os menos habilitados, digamos assim os que iriam ficar de baixo das suas asas para sempre como é o caso os Irmãos Monteiro. Mas o Aurelio Martins é esperto e não é Bobo, usaram ele para alguma coisa pensansdo que ia ficar por isso mesmo. Arranjaram coceira, agora cocem. quem dá tem que receber. O Diabo que o carregue o MLSTP/PSD para oa Quintos dos infernos junto com as suas comitivas, Menos o Pinto da Costa.

  8. Paulo Alves Lisboa

    12 de Abril de 2011 as 13:04

    Irmão como tem coragem em falar em Pinto da Costa. Um homem que precisa de ajuda, está na hora de receber as honras pelo seu passado. Se ele se aventurar nas estradas do amanhã vai perder até o pouco do respeito que uns poucos ainda lhes tem.

    • obrigatorio

      12 de Abril de 2011 as 18:29

      uma figura muito gasta a do pinto, ele só sabe ser presidente e mais nada? desde que saio do poder ninguem o ve . sai da sena e quando chega época das eleicoes entra em sena com teatro muito gasto que um jovem autor lhe tira a gloria porque porque tem que tar na plateia e nao no palco pensem nisso amados de stp…

  9. Adriano Jose

    12 de Abril de 2011 as 13:37

    Mudança sempre encontramos resistências que vem por partes de pessoas egoísta e com falta de profissionalismo em adaptar-se aos novos ideais ou métodos de trabalho com mas evolução, em tão utilizão meios de sabotar e desmotivando as pessoas que tem vontade de trabalha em pro da organização. Mas também encontramos outras pessoas que encontrão-se a abertas para o crescimento da sua organização em primeiro e são com essas pessoas que te apoiamos de pé e cabeça a nova direção do partido que esta em busca de tira o partido do abismo onde se encontra e colocar no topo, Camarada Aurélio tens o apoio de pessoas que te-hem amor verdadeiro e sincero pelo partido. FORÇA A VITÓRIA É CERTA.

  10. 50 cent

    12 de Abril de 2011 as 14:03

    Muito bem tem k haver uma união no partido e apoiar uma unica figura, k é o atual presidente do partido. Aurelio Martins

    • obrigatorio

      12 de Abril de 2011 as 18:33

      se os ditos mais velhos do partido querem devisao, forca que sr. aurelio vitoria é certa, segue em frente camarada

  11. Miss Janes

    12 de Abril de 2011 as 14:10

    Essa divergençia no seio de partido, não leva partido a lado nenhum, o ideal é dar voto de confiança ao atual presidente do partido, Aurelio Martins é um jovem batalhador, sei k ele conseguirá vitoria nas presidençias com apoio dos militantes

  12. S.T.P no coração

    12 de Abril de 2011 as 15:32

    M.L.S.T.P/PSD, povo Santomense não esta acustumado com mundança, muitos falam em mundança, mas não estão preparado para, mudança, acho k tem k haver um treinamento no seio da população depois introduzir mudança no partido e no país. Aurelio Martins veio com mudança, ” UM TEMPO NOVO”, rasão de toda essa critica é mudança, povo não quer mudança, esta acustumudado com currupção, Pai, filho, sobrinho, irmão comadando país, partido, achando k País e partido é propriedade privada dos Senhores k disem ser todo de terra. Posse enquanto tava liderando o partido nada vez pra melhorar o partido, deixou partido em queda livre agora quero apareçer como salvador da patria bricandeira. Deixa juventude Governa, era posser, era pinto,,, idem

  13. S.T.P no coração

    12 de Abril de 2011 as 15:34

    M.L.S.T.P/PSD, povo Santomense não esta acustumado com mundança, muitos falam em mundança, mas não estão preparado para, mudança, acho k tem k haver um treinamento no seio da população depois introduzir mudança no partido e no país. Aurelio Martins veio com mudança, ” UM TEMPO NOVO”, eis a rasão de toda essa critica. Viva Aurelio Martins, ” UM TEMPO NOVO”

  14. Principe

    12 de Abril de 2011 as 15:37

    Senhores Posser. pinto, e muito mas são a causa do descalabro do M.L.S.T.P/PSD e Santomé e Prinçipe, agora estão surgindo como salvador da patria. Enquanto la estiveram nada fiseram, agora ker banca em bomzinho brincadeira. Deixe jovens Governar, vosso tempo já passou,,, Estamos em novo tempo,,, tempo não para,,, viva Aurelio Martins

  15. ti ti ti

    12 de Abril de 2011 as 16:59

    camarada da primeira linha estao preocupados com a situacao do Movimento de Libertacao, isto porque eles nao estao abtuados com a mudança,e nem quero que aja, quanto nao os proprios viteranos poderiam apoiar a tal mudança , mas nao querem, o que pretendem é bandalha,mas eu espero que no final tudo dé sertinho.
    eu desejo muita força ao nosso presidente Aurelio Martins
    Deus esta te protegendo
    Faça força força

    • Lévé-Léngue

      13 de Abril de 2011 as 11:40

      Afinal que estatuto é esse de “Camaradas de Primeira Linha”, sabendo q muitos deles já não são titulares e outros jamais saíram da bancada? Combina mais o estatuto de “Generais na Reserva”, pois já nem se ker têm fôlego suficiente para uma forte disputa.
      Parece doloroso ser subornidado de alguém menos maduro, mx é esta a escolha que os “delegados” do partido fizeram. Se esses “generais” ainda não se conformaram, por favor, assumam a dianteira pelas urnas e deixem de tirar autoridade ao eleito presidente do mlstp/psd. Quem comanda esse exército agora é o cidadão Aurélio Martins e tem nas mãos a faca e o queixo. A velha guarda já era…

  16. ambrosio silva

    12 de Abril de 2011 as 17:08

    Concordo que o tempo desses senhores já passou, … mais… Aurélio Martins é um desastre igualmente para o partido.
    Sem experiência, sem massa cinzenta, sem espírito de união, sem humildade, engana os estudantes e ainda por cima declara que quer instabilidade no país querendo fazer cair o ADI é demais para uma pessoa só.
    Assim, eu aconselho-o a ver se consegue unir primeiro o partido que é só o maior e histórico do país. Agora se nem isso conseguir quanto mais ajudar a salvar o país.
    Isso é mesmo de brincadeira

    • obrigatorio

      12 de Abril de 2011 as 18:45

      Omaior lider é aquele que reconhece sua pequenez, extrai força da sua humildade e experençia da sua fragilidade …e isso o homem tem que mais querem? ele ainda fará melhor politica de sempre em stp…

  17. sao-tomense

    12 de Abril de 2011 as 20:12

    camaradas, vamos apoiar o Gulherme Posser para Presidente da República.
    fui

    • obrigatorio

      12 de Abril de 2011 as 21:35

      tais com problema na cabeça não, para tirar posser no seu cazulo nao ,já temos alguem capas de ser pr, de stp dr.aurelio martins um jovem capais …posser apenas fica na plateia na ver os autor da politica stp….o messias da politica stp…

      • Tela

        13 de Abril de 2011 as 10:02

        Aié o Aurelio agora é Doutor, fez Doutoramento aonde em Angola, junto com a sua Licenciatura, sejamos serio minha gente

        • Paterson

          13 de Abril de 2011 as 11:37

          O Aurelio Martins deveria dar conta que estao a gozar com ele em toda essa palhacada. Sinceramente, Aurelio Martins ja e Doutor? Francamente…….
          E uma brincadeira

        • Orgulho ferido

          13 de Abril de 2011 as 15:56

          Quando não tem nada para falar não fala,mais o que isso vem ao caso saiba Aurelio Martins tem a universidade feita em relações Publicas se informa de depois fala…

      • José Silva

        13 de Abril de 2011 as 14:35

        Coitado.
        O sr “obrigatório” não sabe escrever.Ele deve ser o proprio Aurélio Martins.
        Que coisa triste para o MLSTP-PSD.
        Abraços

    • Lévé-Léngue

      13 de Abril de 2011 as 11:42

      Na certa, será bem diferente o seu comportamento para com os membros da Procuradoria…

  18. PÓ FÉDÉ

    12 de Abril de 2011 as 21:30

    Reparem bem nas palavras do Posser:o poderá ser vantagioso para o partido.
    Ninguem desse partido fala em o k poderá ser vantagioso para o PAÍS.Só para o partido. Provavelmente essa encontro é para encontrar uma forma para k o partido possa “inhonó” como esse Posser falou em pleno comicio.
    Meus senhores mudem de mentalidade por fovar. Antê kê dja êê?
    Acredito k esse partido tem pessoas honesta e k merecem credito, mas o Aurelio Martins de certeza k ñ porque a GIBELA está furada a muito e agora é a FAMA que ker ter patrimonio(bens)
    Gostava de ver o meu país a crescer mas nem por isso vou ver.
    Enfim

  19. Alberto Nascimento

    12 de Abril de 2011 as 22:14

    o Santomese quer é dinheiro.
    nao importa como.

  20. ti ti ti

    13 de Abril de 2011 as 3:40

    Este tal cidadao ambrosio silva, esta sem assunto, quando uma pessoa nao tem nada para falar é melhor ficar calado, todos nos sabemos que neste mundo nao se consegue agradar a todo mundo, O AURELIO MARTINS fez muito para este partido e muita gente sabe disso, voce fica sabendo que n`gue cu ca fla ne só cu ca te vida longo.
    jesus cristo esta com AURELIO MARTINS,quem tem jesus com ele tem tudo,
    Sao tome e principe esta com AURELIO MARTINS

    • Paterson

      13 de Abril de 2011 as 11:42

      E melhor ires tarbalhar e deixar de contar com esmolas de Aurelio. O Aurelio esta em queda livre. Vai perder tudo. Nem como presidente do partido, nem como presidente do pais.

    • José Silva

      13 de Abril de 2011 as 14:36

      ti ti ti é outro ignaorante.
      Fui

  21. kwatela

    13 de Abril de 2011 as 9:23

    Havana. 5 de Abril, de 2011

    As razões de Cuba
    Na procura de rostos novos
    • Certos de que na Ilha não há dissidência verdadeira, os serviços de inteligência dos Estados Unidos colocam os intelectuais e artistas na mira. Por tal motivo, a CIA confiou em Raúl Capote, mas ele não traiu seus princípios e se tornou no agente “Daniel” para a segurança cubana

    Marina Menéndez Quintero, Deysi Francis Mexidor e Jean-Guy Allard

    • QUANDO leram a obra El Adversario pensaram que ele poderia ser um dos homens úteis. Com esse livro, Raúl Capote, simplesmente, queria homenagear a resistência dos havanenses nos anos 90. Mas os outros quiseram apresentá-lo como um texto “contestatário” e o lançaram ….

    Um dos equipamentos entregues a
    Capote foi o B-gan, que lhe permitiu
    comunicar-se de forma segura,
    sem utilizar as redes locais nem
    ser detectado.

    Na própria casa do escritor,
    o oficial-CIA Rene Greenwald concretizou
    seu “recrutamento”.

    Com diferentes emissários, a CIA
    enviou modernos meios de
    comunicação, além de máquinas
    fotográficas, impressoras e outros
    implementos.

    A obra teve boa promoção, embora houvesse uma diferença entre sua visão crítica de uma Ilha furada pelos dardos do “período especial”, e os planos agressivos que funcionários de alto nível da Repartição Consular dos EUA previam para nosso país. Reconheceram esse propósito no primeiro dia em que tiveram o autor frente a frente: queriam que o povo se revoltasse e exigisse uma intervenção para justificar — como se fossem os idos do Maine — a entrada dos fuzileiros.

    Agora, talvez, Capote não tivesse escrito o El Adversario da mesma forma. “Escrever sobre a realidade cubana dos anos 90 sempre é muito complexo”, entende agora, depois de estar num mundo que lhe revelou as sujas argúcias, ilegalidades e hipocrisias em que se sustenta a hostilidade da política ianque contra Cuba. Sente que sem ter mudado — porque “sempre fui revolucionário” — já não é a mesma pessoa. “Tenho uma visão muito diferente acerca de muitas coisas”.

    O contrarrevolucionário Dagoberto Valdés foi quem o identificou como “candidato” e o pôs em contato com a Repartição Consular dos EUA em Havana.

    Dessa forma, Capote chegou àquela sorte de ceia-tertúlia, no lar de Francisco Sáenz, encarregado da área político-econômica na legação estadunidense. Participaram, ainda, Louis John Nigro, na época segundo-chefe da Repartição, bem como Kelly Keiderling, secretária de Imprensa e Cultura, que lhe deu um tratamento especial, que se prolongaria depois, quando começou a visitar o lar de Capote, acompanhada de seus filhos.

    Durante a sobremesa em casa de Sáenz, naquele 14 de maio, Capote se manteve em silêncio. O escritor escutou critérios que lhe provocariam certa comoção.

    “Disseram que era necessário tomar medidas enérgicas contra Cuba; que essa era a única forma de fazer render o povo. Que as necessidades fariam com que as pessoas se revoltassem”. Todos tinham estado em países da Europa do Leste e tinham muita experiência. “Cuba, com certeza, não seria a exceção”.

    Não teve outro remédio que opinar. “E que culpa tem o povo cubano? Por que acirrar o bloqueio?”, expressou com essa imagem de homem forte, inconformado, porém, racional que, aos poucos, alentaria as expectativas dos outros. Contudo, Kelly Keiderling foi conseqüente com o tradicional pragmatismo que caracteriza a política norte-americana: “O fim justifica os meios”, respondeu a mulher. E continuou “escutando-o”.

    Esse foi o início de uma imensa etapa na vida de Raúl Capote, que demonstra o papel ativo de subversão da Repartição Consular dos EUA em Cuba, e de oficiais da CIA que utilizaram nosso próprio solo para recrutar pessoas “como ele”.

    MATERIAL DESCARTÁVEL

    Com boné, camiseta e uma calça de ganga azul, como é costume nele, Capote lembra nomes e fatos recentes…

    Rapidamente virou pessoa assídua na Repartição, mas tiveram muito cuidado de que ele não contatasse com pessoas que, ante a opinião pública internacional, são apresentadas como “a dissidência”.

    “Tinham um conceito bastante pobre acerca dessas pessoas. Participei de uma atividade com os ‘jornalistas independentes’ embora eu estivesse do lado do grupo dos norte-americanos; havia uma espécie de vidraça que não permitia a eles ver-nos. Era uma vídeo-conferência, faziam-lhes perguntas e eles não sabiam responder. De nosso lado, os norte-americanos gozavam e se divertiam vendo como tentavam ensiná-los”.

    “Eu sentia vergonha porque eram cubanos, e me incomodava ver os diplomatas estadunidenses rindo deles”.

    Também foi testemunha de como filmavam os atos, quando seus “convidados” recolhiam a comida em bolsas de náilon. E até filmavam as brigas pelos pequenos rádios que a Repartição entregava!

    Nos anos anteriores, a Repartição entregava, fundamentalmente, aos grupelhos literatura subversiva, a qual continha “explicações” de como seria a “transição” para o capitalismo, e o papel que “a sociedade civil”desempenharia nesse processo.

    Depois, começaram a utilizar as denominadas bibliotecas independentes, que se estendiam por todo o país, com o estímulo que significava a entrega por parte da Repartição de móveis, equipamentos eletrônicos e coleções de literatura variada, que dissimulavam a verdadeira prioridade de cada envio: os textos sobre a subversão. Contudo, Capote não foi recrutado para algo tão elementar. Para ele tinham um tratamento especial, convidavam-no a atividades de alto perfil, onde participavam norte-americanos ou diplomatas de outros países.

    A explicação poderia ser a que lhe deu um dia o funcionário que substituiu Keiderling na secretaria de Imprensa e Cultura da Repartição, em 2005: Drew Blakeney, um homem de formação militar que depositou nele muita confiança. Confessou-lhe que “necessitamos estas pessoas para provocar alvoroço, enquanto pessoas como eu — supostamente — podíamos fazer o trabalho que eles queriam para derrubar a Revolução”.

    “Drew queria convencer-me de que a solução para Cuba era a intervenção norte-americana. Seu objetivo era criar um governo provisório que solicitasse a ajuda militar dos Estados Unidos, então esse seria o momento”.

    “E necessitava uma pessoa capaz de assumir esse papel, caso a Revolução se derrubasse, porque não confiavam nessas personagens; para eles eram ‘material descartável’”.

    BRINDE PELA CIA

    Embora esteja utilizando fundações-fantasma, como a Agência para o Desenvolvimento Internacional dos EUA (Usaid) e o Fundo Nacional para a Democracia (NED), com o objetivo de dar uma imagem legal a suas ações, a CIA não abre mão da possibilidade de envolver diretamente seus oficiais no terreno.

    Existem muitas experiências desse trabalho sujo, e novos detalhes vêm à baila, cada vez que alguém investiga nalgum movimento desestabilizador que tenha feito colapsar algum governo incômodo, ou que tenha banido algum processo de emancipação.

    Sua presença esteve nas denominadas revoluções de veludo, que fizeram ruir o chamado bloco socialista europeu, e agora mesmo está sendo revelada sua participação dissimulada na Líbia.

    A América Latina, considerada pelos ianques, seu quintal, tem sido uma das regiões que melhor pode testemunhar sua intervenção criminosa, encoberta ou descoberta. Foi promotora do tenebroso Plano Condor, e do Irãogate, que apoiou a ‘contra’ nicaraguense, na década de 80.

    Cuba constitui para a CIA uma obsessão desde 1959. Nem a agressão direta nem as ações terroristas deram certo. Daí o papel que sucessivos governos estadunidenses têm dado à subversão interna.

    Um elemento central de sua estratégia para a Ilha está na certeza de que não existe uma oposição que tenha um reconhecimento social, nem líderes capazes. Sabem que necessitam rostos novos.

    Isso fazia parte do pensamento do oficial da CIA Rene Greenwald, antes de 2006, quando apareceu na casa de Raúl Capote. Ele foi um de seus principais contatos estrangeiros, responsável por entregar-lhe os pedidos ou “as ideias” que devia pôr em prática.

    O oficial, com muita experiência na América Latina, ligado aos regimes repressivos das décadas 1970-80, também seria quem o “recrutaria”.

    Isso aconteceu naquele mesmo dia, na casa do escritor, quando seriamente lhe confessou: “Eu trabalho para o governo dos EUA. O senhor está disposto a trabalhar para nós?”, disse. E depois mencionou “a organização”. Mas como já se sabia do que estava falando, abriu duas cervejas, o abraçou e fez um brinde. “Bem-vindo à CIA, Capote”. A partir desse momento, para eles seria ‘Pablo’.

    CONSTRUINDO CIDADÃOS “DEMOCRATAS”

    Durante quase dois anos, Raúl teve livre acesso à Repartição, sem avisar suas visitas, numa época durante a qual se realizaram ali sessões de vídeo-conferências enquanto, do outro lado do ciberespaço, personagens de universidades estadunidenses continuavam doutrinando os representantes dessa sociedade civil que, um dia, se “revoltaria” contra o regime.

    Blakeney lhe tinha ordenado uma tarefa importante: criar uma agência literária para que “todos” os escritores pudessem publicar suas obras, mas realmente só pretendia manipular o tempo de espera dos autores cujas obras, pela falta de papel, esperavam ser publicadas em Cuba.

    “É claro que não pretendiam publicar as obras de todos; a intenção era que todos se aproximassem. Eles não estão interessados na cultura cubana e muito menos num movimento cultural da Ilha. O seu objetivo era preparar o pessoal para, futuramente, serem capazes de apoiar o projeto que estavam preparando: um país com líderes capazes de solicitar a presença dos norte-americanos”.

    Depois, surgiu a idéia de fundar um Pen Clube de escritores, semelhante ao de Miami. Mas também não se concretizou. E depois, veio a idéia da fundação Gênese: no início, uma pretendida organização não-governamental (ONG).

    “Enviaram especialistas para me treinarem, e me ensinaram, por exemplo, como criar um projeto, métodos contáveis, como podia funcionar uma ONG… O seu objetivo era construir ‘cidadãos democratas’, lembra Capote.

    “Trabalhamos muito nesses anos na preparação do projeto Gênese. Mas o projeto se deteve quando eles quiseram por todos os meios legalizá-lo. Sempre sonharam com a idéia de que fosse uma operação legal, para poder manobrar. O projeto tinha dois objetivos principais: cumprir com sua fachada de ONG e que, sob essa cobertura, eu pudesse organizar um grupo de trabalho para cumprir esse objetivo futuro, quando se dessem as que eles consideravam ‘condições objetivas’”.

    Ainda, algum tempo depois, um dos mais interessados no projeto foi Marc Machtenheim, colaborador da CIA, e o homem que até 2010 foi o diretor do Programa Cuba na Fundação Pan-Americana para o Desenvolvimento (Fupad), uma ONG fundada por ordens da OEA, uma das principais receptoras de verbas da Usaid.

    Wachtenheim pensava no projeto em nível maior. Seu propósito era que Gênese fosse uma fundação para a qual Capote devia recrutar, entre outros, intelectuais descontentes. “Gênese deveria ser uma sorte de ‘gênese’ do pensamento de direita no país. Eles não estavam falando do pensamento de direita de Miami nem da ‘direita’ tradicional cubana. Pensavam numa nova maneira de projetar o pensamento de direita, e qual o movimento político que podiam opor ao Partido Comunista em Cuba. Essa é a que eles chamam de sociedade civil? Eles sabem que essa variante não existe, por tal motivo, chegaram à conclusão de que a única maneira de enfrentar a Revolução e dar cabo dela era criando uma oposição real”.

    Esse era um dos objetivos, por exemplo, do programa de bolsas, anunciado pelos Estados Unidos para os jovens cubanos, em 2008. Um plano gratuito mediante o qual eles escolheriam os candidatos, com o único requisito de que deviam retornar ao país. Tratava-se de fabricar lá líderes opositores que depois nos seriam importados. Na mira, não só estão as novas gerações e os intelectuais, mas também os negros, as mulheres, personalidades do âmbito religioso e de denominações fraternais, como parte dum plano que tenta reproduzir em Cuba fenômenos próprios da sociedade estadunidense, com o objetivo de fomentar a divisão e potencializar o surgimento de líderes.

    QUAL O PAPEL DA REPARTIÇÃO?

    Um dia, chegou a seguinte contraordem a Raúl Capote: não visitar mais a Repartição, de maneira que olhos indiscretos não pudessem comprometê-lo. Eles necessitam Capote para fazer seu trabalho de subversão entre os jovens; aproveitariam que era professor de uma faculdade da Universidade das Ciências Pedagógicas, e seus contatos como ex-dirigente, em Cienfuegos, da Associação “Hermanos Saíz”. Estavam convictos de que a cultura era a via para “entrar”. Junto ao oficial da CIA Greenwald, também seria atendido, a partir desse momento, por Wachtenheim. Robert Balkin, um estadunidense que vivia no México e trabalhava para uma filial da Universidade de Nova Iorque, também seria um elo próximo.

    Entregaram-lhe equipamentos modernos, máquinas fotográficas, impressoras e outros meios, além de medicamentos. Os contatos enviados nem sempre eram os mesmos. Balkin lhe disse que pedisse todo o que fosse necessário. “Somente tem que enviar-nos um e-mail”, insistiu.

    Claro que Capote não enviaria as mensagens pelo método normal em que o fazem os demais cubanos. Capote utilizaria o B-gan, um equipamento de conexão por satélite para aceder à Internet sem utilizar as redes locais nem ser descoberto.

    “É uma via de comunicação rápida que me permitia acesar a qualquer lugar do mundo e comunicar-me com eles. Sempre exigiam que eu encriptasse as mensagens. Ensinaram-me, inclusive, a colocar informação no pixel de uma fotografia, para que ninguém pudesse detectar a mensagem. Ou em uma nota musical dentro de um arquivo de som. E me explicaram que eu era um privilegiado porque esse equipamento era secreto; um equipamento que no seu início era previsto para uso militar”.

    Em abril de 2008, James Benson levou-lhe o equipamento a sua casa, nesse momento ele era o primeiro-secretário político-econômico da Repartição. “Olha, eu venho entregar-lhe o que o senhor está esperando”, disse.

    Pediam-lhe muita informação. Marc Wachtenheim, por exemplo, esteve muito interessado em saber a forma em que as pessoas em Cuba conseguiam as antenas parabólicas, quantas pessoas as utilizavam e a maneira de que a maioria das pessoas pudesse tê-las.

    Depois, começaram a solicitar-lhe critérios sobre a forma em que pensavam os intelectuais. “Anda, queriam saber o que opinavam os novos empresários, se eles pensavam que Cuba devia mudar, e que ideia tinham do país”.

    Num momento determinado, orientaram-lhe retornar à Universidade, onde já não dava aulas “porque compreenderam que era onde eu podia fazer um trabalho efetivo”.

    “A idéia não era unicamente que eu fosse professor, mas sim que ocupasse cargos. Estavam interessados em que eu trabalhasse em tudo o que tivesse a ver com as universidades, e prometeram apoiar-me com recursos para competições esportivas e todo o que fosse necessário no setor cultural”.

    O B-gan foi, com certeza, um meio de comunicação seguro até que, em dezembro passado, em uma breve conversação pela Internet, através do chat, Wachtenheim enviou a Capote um aviso urgente: fazer sumir o aparelho. “Não o utilize mais (…) Se o encontrarem, as coisas ficariam mais complicadas para você, para nós, e para alguém mais que está preso”, advertiu-lhe, em evidente alusão ao denominado “empreiteiro” estadunidense Alan Gross, poucas semanas antes de começar seu julgamento em Havana.

    SULLIVAN NA ESCURIDÃO

    Nesse momento, novos oficiais da Agência Central de Inteligência o contataram. Em outubro de 2008, Anthony Boadle, nesse momento correspondente-chefe da agência Reuters em Cuba, o convidou para uma recepção na embaixada da Alemanha. Alguém importante da Repartição o contataria; contudo, Capote esperou inutilmente.

    Ninguém se aproximou dele até que o próprio jornalista que o convidou saiu da festa. De repente, apareceu a figura misteriosa que lhe fora anunciada… subiu com eles ao carro e, entre outros temas, perguntou ao escritor se seus livros tinham sido publicados, sobre uma possível “transição”, bem como “o papel que Raúl Castro poderia desempenhar nessa mudança em Cuba”. Também queria saber o papel que os intelectuais desempenhariam nesse momento. Capote sempre teve a sensação de que o sujeito devia dar-lhe alguma mensagem ou ordenar-lhe alguma missão, mas não se decidiu. Antes de sair do carro, o desconhecido deixou-lhe um cartão com um nome mais eloqüente do que a escassa conversação travada: Mark Sullivan.

    A expulsão de Mark sullivan do Equador, pouco tempo depois, em fevereiro de 2009, explicaria a Capote seu encontro em Havana.

    A denúncia do presidente Rafael Correa sobre a intervenção deste funcionário estadunidense nos assuntos internos da nação, empregando seu cargo como primeiro-secretário da embaixada dos EUA, foi suficiente: Sullivan era o chefe da Estação-CIA naquele país.

    A OPORTUNIDADE DE SERVIR

    A essas alturas, a CIA experimentara outro de seus grandes desencantamentos em Cuba. Pouco depois de 31 de julho de 2006, quando a Proclama do comandante-em-chefe ao povo de Cuba tornou pública sua doença e o trespasse temporário de suas funções, Drew Blakeney ligou urgentemente para Raúl Capote.

    As expectativas daqueles que em Miami e Washington apostaram pela desestabilização, fracassaram.

    Faltavam poucos dias para 13 de agosto, a data do 80º aniversário natalício de Fidel, quando o diplomata ianque lhe informou que o contrarrevolucionário Darsi Ferrer “se imolaria”, lançando um comunicado para, supostamente, provocar um levante dos moradores do bairro Centro Habana, e convocar uma “greve geral”.

    Por tal motivo, orientou Capote redigir um texto que chamasse à “unidade, a uma conciliação de partidos pela democracia”.

    Mas nada disso aconteceu. O “levante” só era possível nas mentes dos agentes da CIA, da direita de Miami e na Casa Branca, que ficaram esperando um pretexto que propiciasse uma intervenção em Cuba.

    “Sei que quando se fala de John Quincy Adams, os jovens pensam que isso é algo que data do ano 1700. Muitas pessoas pensam que a idéia da anexação passou. Contudo, eu posso assegurar que essa idéia é atual”, afirma Capote.

    Sete anos depois de converter-se no agente Daniel da segurança, considera que não fez nada sobrenatural. “Nem todas as pessoas têm a oportunidade de servir a seu povo, à Pátria, desta maneira”, considera. “Nós lutamos por isto para meus filhos e para os filhos de todos os cubanos”.

    Agora, quando retorna à sala de aula sem ter que fingir, sente o compromisso de continuar lutando. “É muito importante a batalha ideológica: essa é a luta que hoje devemos travar. Tentarei utilizar a experiência destes anos para transmiti-la a meus alunos e ensinar-lhes a história de Cuba. Esta é uma grande responsabilidade e quero consagrar minha vida a isso: aos jovens”. •

    • Kundu muala vé

      13 de Abril de 2011 as 10:35

      Que coisa é esta?

      Tela Non, toma posição!

    • Pasmado

      13 de Abril de 2011 as 10:44

      Que parvoíce é esta? Porque é que o Tela Non meteu isto aqui? Alguém consegue explicar? Foi distracção?

  22. NANDO VAZ (ROÇA AGOSTINHO NETO)

    13 de Abril de 2011 as 10:34

    “«Eu e mais um grupo de camaradas preocupados com a situação que vive actualmente o nosso partido, resolvemos ter esta pequena reunião para reflectirmos sobre a actual situação do partido, e tentarmos em conjunto encontrar algumas soluções que possam ser vantajosas e benéficas para o partido, no sentido de garantir uma maior unidade dinâmica e credibilidade do partido», declarou Guilherme Posser, antigo Presidente do MLSTP/PSD.” POSSER A COMPANHIA, POR FAVOR DEIXEM O MLSTP E AURÉLIO EM PAZ, O VOSSO TEMPO JÁ PASSO. A POLÍTICA SE LIGA AO MEIO E NÃO SOB UM FIM.

  23. Sulila Miranda

    13 de Abril de 2011 as 13:13

    Concordo com o Salmo 91 quando diz que Aurelio Martins tem a ficha limpa, nunca roubou o estado santomense só que os angolanos já não diriam o mesmo, bom, deixemos essa pendenga para os nossos manos, porque vem aí chuva de pedra!. Dizem que a situação é bem cabeluda mas só eles devem ter provas.( péna d’aua uê!).
    Mas a minha preocupação nem é essa, é o vazio que o actual Presidente do MLSTP vai deixar em tão pouco tempo de assumir o cargo. Mas felizmente já está tudo mais claro.

    • Kundu muala vé

      13 de Abril de 2011 as 14:57

      Ah bom, se roubou/rouba fora do país já não conta?

      “plôcô manjoca, a pô pê quá ni lixi…”

  24. S.T.P

    13 de Abril de 2011 as 14:17

    Meus carissimos estao ak a criticar Aurelio Martins, pork muitos sabem k Aurelio Martins sá budo cú té peso liba de omále. Muitos sabem k concorrer contra Aurelio Martins é uma derrota atencipada entao querem degrinir a sua imangem , falando algo sem nexos… For´ca meu camarada Aurelio Martis, estao com tigo

  25. suite

    13 de Abril de 2011 as 14:20

    Meus senhores, se nome de Aurelio Martins fosse roupa, poderia destraguar a tanto tempo…. Por amor de Deus deixa nome de Aurelio Martins e, paz. O que eles fez aos Satnomenses k estao a lhe criticar. S.T.P é como barriga, pode cumer mas barriga nunca esta cheia. Aurelio Martins estamos com tigo

    • Virtual

      14 de Abril de 2011 as 9:26

      Poxas!! És o campeão em assassinar o Português!

      • chocolate preta

        14 de Abril de 2011 as 12:23

        concordo contigo!

  26. sara

    13 de Abril de 2011 as 15:28

    tem ficha limpa sim, nunca roubou mas só passa vida a enganar as pessoas, não paga dividas nem,não é homen serio, só tem ambição sem limites e não mede as consequencias.
    Aurelio vai perder tudo pk quem tudo quer tudo peder, estamos aqui em S.Tomé vamos ter oportunidade de preciar o seu fim politico.

  27. Lucileide Lima ( GIBELA)

    13 de Abril de 2011 as 17:16

    Boa. O MLSTP tem de dar a volta por cima. Mandem o Aurélio pra casa. O Homem só sabe dizer disparates. Ninguém merece um Presidente da República dessa dimensão.( Mente pequena, atrapalhado, e oportunista)
    Como vamos obrigar os nossos filhos a estudar? Se em São Tomé, basta ter um caro, contrair empréstimose não pagar, burlar os outros, dar banhos, receber obras e não realizar, fazer promessas falças a toda gente não pagar trabalhadores. temos de lutar ontra isso

    • Ovumabissu

      13 de Abril de 2011 as 18:27

      Xê, essa piquena caiu n’pau. Fala dela von-von só, coêsa sem graça. ora diz que quer AM, ora já nan quer…. praga!!!

  28. Paracetamol 500mg

    13 de Abril de 2011 as 20:03

    MLSTP mais uma vez, no fundo do poço. Partido sujo, corrupto, gente pretensioso, e cheios de vícios. Como salvar MLSTP? já vimos que mudar de figura não dá. Porque não mudar de nome, emblema partidário, a sigla, e tudo mais?
    O que pretendo dizer, é que este partido, deveria ser extinto e a muito tempo, devia estar no museu, fazer parte da historia como o seu centenário líder, Pinto da Costa.
    MLSTP/psd para museu já!

  29. ti ti ti

    13 de Abril de 2011 as 20:37

    eu sou santomense sim, mas sinceramente sinto nojo destes nossos politicos.
    muitos deles nao fazem nada e nem deixem os outros fazer, isto mal,
    nossa senhora
    deus, tenha pena deste povo.

  30. jaca doxi

    14 de Abril de 2011 as 9:42

    O sr Aurelio Martins tem licenciatura feita em que Universidade e em que ano?

    Para dizer que, um empresario nao tem tempo para estar na universidade durante 5 anos, acatando as instrucoes e as ordens dos professores afim de conseguir o diploma.
    Uma vez,o Tela Non atravez do seu artigo informativo, informou que o sr Aurelio Martins e Licenciado em Relacoes Internacionais pela Universidade Privada de Angola. Universidade que foi estabelecida a pouco tempo apos o fim da guerra civil em Angola.

    Sengundo a agencia estatal de notica Angola” Angop” atravez do seu artigo informativo, informou tambem que o sr Aurelio Martins e Licenciado em Relacoes Intenacionais pela Universidade Agostinho Neto de Angola.
    Afinal, qual dessas fontes e a mais credivel?

    • chocolate preta

      14 de Abril de 2011 as 12:30

      a fonte credivel é a da mentira. por certo que ele nao passou por nenhuma.

      e há jovens em cuba, ele disse que nao era formado, pessoalmente e em alta voz, apenas disse que fora jornalista em Angola e depois empresário.

      • chocolate preta

        14 de Abril de 2011 as 12:31

        e aos jovens em cuba: quis dizer.

  31. Triste

    14 de Abril de 2011 as 10:54

    Tanta critica mais ainda não vejo nexo,o que o homem vos fez deixa o homem em paz toda em empresa para funcionar depende dos trabalhadores e tem de haver motivação porque que muitos dos trabalhadores mesmos sem lhes pagarem os salarios não abandonam o barco…
    eu explico um chefe que acima de tudo respeita os trabalhadores deferente de muitos chefes, isso é que inmporta o respeito isso garanto que ele tem, o que adiante ser muito intelegente e não ter valores não ser respeitado por niguem ser arrugante…
    respeita para ser respeitado, o que vosses fazem aqui é desrrespeita o homem mesmo que não votem nele ao menos tenham o minimo de respeito isso parte de casa…

  32. antonio

    14 de Abril de 2011 as 11:40

    Aurelio Martins, pensou muito tarde dos pobres encheu bolsos dos grandes e hoje é julgado por eles mesmos, manda chuva dos angolanos, Bela e o Higino carneiro, mina quía de José Eduardo dos Santos cheio de pressa deveria ir mais devagar, não conhece bem o país, tem fama de não pagar os seus funcionários, no passado recente desempregou muitos funcionários por capricho dos seus vícios, enviou muitos estudantes a Portugal para sofrimento. Devia pensar na reorganização do MLSTP e não envergonhar grande parte dos seus militantes com o guloso de ser Presidente da Republica. Patriço Trovoada bili uêôooo, bô lemblá cúa cu pasa cû pé bô cû Fladique olá cû ê ba prigidente.

  33. sara

    15 de Abril de 2011 as 9:07

    estou adorando os comentários pk o aurelio esta a tomar o chicote que pediu, é nisso que dá quando se tem ambição sem limite.

  34. Ené

    15 de Abril de 2011 as 12:36

    Tenho o condão de não comentar os comentários.Questões de principios.Preocupa-me contudo, o facto de muitos compatriotas se calhar muito deles ainda jovens de usarem este espaço de todos nós para de forma vil e sem pudor descaracterizar e desacreditar todo e qualquer indício de boas maneiras que os nossos avós nos terá transmitidos ao longo de anos. Debitem ideias com ombridade e moderação. Façam comentários que tenham algum grau de seriedade… e isto não é nada científico…

  35. Ené

    15 de Abril de 2011 as 12:40

    quero dizer…” os nossos avós nos terão transmitidos ao …cientifico”

  36. ti ti ti

    15 de Abril de 2011 as 13:23

    Eu entro ai mas para calmar o senhor Aurelio Martins, visto algumas pessoas fazendo criticas, do outro lado dando bem do senhor,neste mundo nao se consegue agradar a todos.
    Fica trankuilo, porque o que senhor quero vas conseguir, aproveito ainda para agradecer ao senhor por todo apoio que o senhor nos deu aqui em portugal no nosso curso proficional.
    Graças ao senhor Aurelio Martins nos estamos hoje a estudar de modo a garantir o nosso futuro, mas eu nao vi nenhum politico que nos ajudou, a unica pessoa foi o senhor.
    Aquele abraço em nome de todos nós do ensino proficional.

  37. Principe

    15 de Abril de 2011 as 14:20

    Minha camara Sara, es parva ou se faz de parva,,, fica já a saber k ambição não tem limite,,, po pessoas pesarem k nem voçe, eis a rasão de Santomé esta 36 anos atrasado,,, Es daquela pessoa k coloca limite nus objetivos,,, tua mente vai continuando limitado fasendo comentarios sem nexos… passar bem

  38. Pacifico

    15 de Abril de 2011 as 14:24

    Jaca doxi… kero te diser k empresarios tenhem tempo para estudar sim… como voçe é um preguisoço,,, nao goxta de trabalhar,,, entao limitas em criticar… Viva Aurelio Martins

  39. Principe

    15 de Abril de 2011 as 14:27

    Camara Sara, kero te diser k ambinção,,, sonhos nao tem limite,,, como existe pessoas como voçe k coloca limite nus sonhos,, nos objetivos eis a rasão k Santomé esta 36 anos paralisado… mude de pesamento,,, e deixe de criticar,,, Aurelio Martins estamos com tigo

  40. Principe

    15 de Abril de 2011 as 14:29

    Sara vc tem fixa limpa,,, olhe pra dentro de vc depois critica os outros,,, estuda,,, trabalha e ganhe vida deixa de criticar

  41. shines

    15 de Abril de 2011 as 14:41

    Santomenses, estao com dor de cutuvelo, pork tenhem medo de um tempo novo,,, mas Deus esta com Aurelio Martins kem será com ele… Aurelio esses criticos te fortalese,,, te amadureçe,,, Viva Aurelio Martins

  42. parvo

    15 de Abril de 2011 as 14:44

    Muitos k estao cáa criticar sao parasitas,,, kerem sangue pra subrivvier,,, estao frustados e se limitam a criticar,,, desempregados,,, entao se limitam a criticar como passa-tempo…

    Aurelio futuro presidente de São Tomé e Pincipe

  43. Miss Jane

    15 de Abril de 2011 as 14:50

    Gostaria saber qual politico em Santomé que não tem ficha suja… estao cá criticando Aurelio Martins,,, país esta atrasado a 36 anos com mesma governação,,, povo passando mal, criticam os responsavel desse descalabro, apenas limitam em criticar Aurelio… Meus irmaos Santomenses estão almadeçoado,,, pork sao invejosos,,, fofoqueiros,,, preguiçosos, quando santomenses muderem de pesamento país irá crescer,,, Viva Aurelio Martins, estamos com vc

  44. Tranquilo

    15 de Abril de 2011 as 14:55

    Aurelio Martins, se resume em :
    Senhor, fazei-me instrumento de vossa paz.
    Onde houver ódio, que eu leve o amor;
    Onde houver ofensa, que eu leve o perdão;
    Onde houver discórdia, que eu leve a união;
    Onde houver dúvida, que eu leve a fé;
    Onde houver erro, que eu leve a verdade;
    Onde houver desespero, que eu leve a esperança;
    Onde houver tristeza, que eu leve a alegria;
    Onde houver trevas, que eu leve a luz.
    Ó Mestre, Fazei que eu procure mais
    Consolar, que ser consolado;
    compreender, que ser compreendido;
    amar, que ser amado.
    Pois, é dando que se recebe,
    é perdoando que se é perdoado,
    e é morrendo que se vive para a vida eterna.
    Muitos não intendem isso pork sao capetas, apenas kerem criticar. Aurelio Martins, Deus esta iluminando teu caminho, Santomé precisa de voçe, nao se limita como muitos estão limitado,,, guerreiro até fim…

  45. Tranquilo

    15 de Abril de 2011 as 14:58

    Aurelio Martins é paz
    Glorificado és Tu, ó Senhor, meu Deus! Todo homem de compreen-são admite Tua soberania e Teu domínio, e todos os olhos que discernem percebem a grandeza da Tua majestade e a força predo-minante do Teu poder. Os ventos das provações não podem impedir que aqueles favorecidos com Tua proximidade volvam a face para o horizonte da Tua glória; as tempestades das vicissitudes -debalde tentarão afastar de Tua Corte aqueles devotados inteiramente à Tua Vontade.
    Parece-me que a lâmpada do Teu amor incandesce em seus corações, e a luz da Tua ternura está acesa no íntimo de suas almas. Adversidades não os alienam de Tua Causa; os reveses da fortuna jamais os farão desviarem-se de Teu agrado.
    Imploro-Te, ó meu Deus, por eles e pelos suspiros emitidos de seus corações em seu afastamento de Ti, protege-os da má -influência de Teus adversários e nutre suas almas com aquilo que destinaste a Teus bem-amados, aos quais nenhum receio atingirá nem tristeza haverá de alcançar.
    Bahá’ulláh
    Força meu camarada, vitoria é certa

  46. Tranquilo

    15 de Abril de 2011 as 15:01

    Para todos aqueles que invejam, criticam Aurelio Martins:
    Glória a Ti, ó meu Deus! Não fossem as tribulações que eles suportam em Teu caminho, como haveriam de se distinguir aqueles que verdadeiramente Te amam? E sem as provações enfrentadas por amor a Ti, de que modo seria revelada a posição dos que por Ti anseiam? Tua grandeza dá-me testemunho. Todos que Te adoram têm por companheiros as suas lágrimas, e aqueles que a Ti se volvem têm o consolo de seus próprios gemidos; o alimento dos que se apressam a encontrar-Te são os fragmentos de seus corações despedaçados.
    Quanto é doce, ao meu paladar, a amargura da morte sofrida em Teu caminho, e preciosos, em minha estimação, os dardos de Teus inimigos quando me atingem porque enalteço Tua Palavra! Possa eu sorver em Tua Causa, ó meu Deus, o que Tu desejas, e ver descer sobre mim, em Teu amor, tudo o que ordenaste. Por Tua glória! Quero só o que Tu queres; estimo o que Tu estimas. Em Ti depus, em todos os tempos, minha inteira confiança.
    Faze erguerem-se como auxiliares para esta Revelação os que sejam julgados dignos de Teu Nome e de Tua soberania, para que se lembrem de mim entre Tuas criaturas e icem as insígnias da vitória em Teu país – eu Te imploro, ó meu Deus!
    Poderoso és para fazer o que Te apraz. Não há outro Deus salvo Tu, o Amparo no Perigo, Aquele que Subsiste por Si Próprio.
    Esta na hora de colocar amor em luguar de odio,,, paz no lugar de guerra, Aurelio Martins, futuro presidente de São Tomé e Prinçipe. viva meu camarada

  47. Tranquilo

    15 de Abril de 2011 as 15:06

    Aurelio Martins, se resume em :
    Senhor, fazei-me instrumento de vossa paz.
    Onde houver ódio, que eu leve o amor;
    Onde houver ofensa, que eu leve o perdão;
    Onde houver discórdia, que eu leve a união;
    Onde houver dúvida, que eu leve a fé;
    Onde houver erro, que eu leve a verdade;
    Onde houver desespero, que eu leve a esperança;
    Onde houver tristeza, que eu leve a alegria;
    Onde houver trevas, que eu leve a luz.
    Ó Mestre, Fazei que eu procure mais
    Consolar, que ser consolado;
    compreender, que ser compreendido;
    amar, que ser amado.
    Pois, é dando que se recebe,
    é perdoando que se é perdoado,
    e é morrendo que se vive para a vida eterna.
    Muitos não intendem isso pork sao capetas, apenas kerem criticar. Aurelio Martins, Deus esta iluminando teu caminho, Santomé precisa de voçe, nao se limita como muitos estão limitado,,, guerreiro até fim…

    • vugu-vugu

      16 de Abril de 2011 as 23:16

      Para quem se diz “Tranquilo” você está um tanto ou quanto… intranquilo.

      Para quê tantas mensagens para dizer mais do mesmo?

      Não sei quem é pior, se AM se os seus apoiantes.

  48. ti ti ti

    15 de Abril de 2011 as 16:51

    Esta nossa boca que come o sal com malaqueita é complicado, mas nao se preocupa, porque deus esta com tigo, ele vai te endicar o caminho a amor e paz, deus que pega todas esta pessoas de boca suja e mande para o enferno.
    Este pais é mesmo assim, quando uma pessoa vem para ajudar, nunguem vai queres, entao onde é que vamos parar com isto afinal, que povo complicado,
    Veja só, um pais que esta cheio de prequiçouso, ainda continuam a criticar a pessoa de boa vontade que nos poder dar uma mao, eu nao sei onde vamos parar com isto.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo