São Tomé e Príncipe defendeu na ONU a admissão de Taiwan nos organismos das Nações Unidas

Garantia do Ministro dos Negócios Estrangeiros e Comunidades, Salvador dos Ramos(na foto), que representou o país na Assembleia Geral das Nações Unidas. Segundo Salvador Ramos, São Tomé e Príncipe acredita que Taiwan poderá contribuir de forma positiva para o desenvolvimento das acções dos diversos organismos das Nações Unidas.

Nas celebrações do centésimo aniversário da fundação da República da China-Taiwan, o Ministro dos Negócios Estrangeiros, realçou a acção diplomática de São Tomé e Príncipe junto as Nações Unidas para que Taiwan seja admitido no seio dos organismos da organização mundial.

Apesar de ter sido convidado nos últimos 3 anos para participar na Assembleia da Organização Mundial da Saúde(OMS), Taiwan ainda não foi reconhecido como país independente no seio da OMS, e muito menos no concerto da Organização das Nações Unidas. «São Tomé e Príncipe acaba de participar no debate geral das nações unidas, onde expôs o seu ponto de vista sobre algumas internacionais, e defendeu a admissão de Taiwan no seio dos organismos das Nações Unidas. Taiwan está em condições de contribuir de forma positiva para a modernização e desenvolvimento dos mecanismos operacionais e funcionais desses organismos das nações unidas», referiu o Ministro dos Negócios Estrangeiros.

Em nome do Governo são-tomense, Salvador Ramos, felicitou o povo de Taiwan admissão da Ministro – Gostaria em nome das altas autoridades do Estado são-tomense e em particular o senhor Primeiro Ministro e Chefe do Governo, pelo convite formulado e sinceras e calorosas felicitações pela pelos 100 anos da constituição da República da China.

No que concerne a cooperação bilateral, Salvador Ramos, considera que há ainda um longo caminho a percorrer, apesar dos sucessos alcançados nos últimos 14 anos. «Acreditamos nas capacidades de Taiwan e pensamos que ao fazermos o balanço destes 15 anos de cooperação devemos encarar o futuro com maior optimismo», frisou.

O Ministro dos Negócios Estrangeiros, diz que o balanço da cooperação com Taiwan é positivo, «mas o governo entende que podemos fazer mais esforços para realizarmos mais acções e com resultados positivos e reciprocamente vantajosas», acrescentou. .

Pela abrangência do investimento de Taiwan nos sectores, económicos, sociais e culturais, o ministro concluiu que «a República da China figura assim e com justa razão entre os principais parceiros de desenvolvimento de STP», assegurou.

Abel Veiga

  1. img
    Salvador Responder

    Eu penso que a Republica da China Popular sendo a segunda maior economia mundial teria muito mais a oferecer ao “Povo” de STP. Por outro lado Taiwan só esta interessado na garantia do voto dos nossos dirigentes nas Nações Unidas. Por essa razão a ajuda de Taiwan além de fomentar a corrupção, beneficia mais a nossa classe dirigente do que o próprio Zé povinho. Por isso penso que o nosso País deveria repensar a nossa estratégia diplomática, nesse contexto de crise económica. Só como exemplo do caso mais recente (2008) que é do Malawi que mantinha um programa de cooperação com Taiwan no valor de $400 milhões até, ver-se confrontado com a mesma oferta por parte da Republica Popular da China no valor de $6 mil milhões.

  2. img
    Anca Responder

    Devemos aproveitar a cooperação, para o crescimento e desenvolvimento homogéneo, económico e social do país, seu território e população como todo,fazendo parte do mesmo conjunto de território e população.São Tomé e Príncipe

    Bem haja

    Pratiquemos o bem

    Pois o bem

    Fica-nos bem

    Deus abençoe São Tomé e Príncipe.

  3. img
    Esperanças Renovadas Responder

    Só Visto!Tanto no texto como no conteúdo.Mais, precebe-se porque a matéria em si é complexa e carece de muita ponderação do ponto de vista político e as contradições que o reconhecimento da China Taiwan como País independente provocou na história recente de STP .Quem não se lembra?
    Seja como fôr, caro amigo Abel Viega é de aplaudir e do-lhe os meus parabens porque tentaste fazer o seu melhor. Nestas coisas de jornalismo há especialidades para tudo e a Diplomácia é uma dela. Dirijo-me agora à sua Excia, o srº. Ministro dos Negócios Estrangeiros e das Comunidades enquanto protagonista deste episódio, meu velho e veterano colega de tardes desportivas aos fins-de-semanas na antena da RNSTP, e em vários combates em STP,pessoa a quem nutro uma grande admiração e respeito.Não pode conter as minhas curiosidade,uma vez que dei conta de que não aprofundou as questões, o que dá a ideia que tentou esconder alguma coisa! Quero aqui indagar o Srº.Ministro, Salvador dos Ramos: Já agora:Ém que pé está as nossas relações com a China MAE,há novos desenvolvimentos nos bastedores políticos dos 2(Dois) Países?
    Sabe-se no entanto que,a República Popular da China ao longo da história comprovou isso mesmo e se olharmos para as vantagens que a cooperação deste País trouxe para Países, como:Angola,Moçambique,Cabo Verde? Uma coisa não anula outra e hoje em dia para venvermos o atrazo e efrentar os novos desafios e sem excluir ninguem, a diplomacia deve saber aproveitar as oportunidades e mais do que isso ser rápida,ágil,humilde,tolerante e ter um papel inclusivo no conceito da Nações.Ter sobretudo atitude de elegancia,impondo a sua postura própria com algum relevo, tentando transmitir um espírito de maior abrangência que vise conquistar confiança dos parceiros estratégicos e geo – estratégicos com vista a captar e angaria recursos para o Páis, quer ao nível do estado como no sector privado. Sendo assim,atrevo-me em dirigir a partir deste lado as seguintes questões:
    1- Quais as perspectivas da tutela,face a esta questão?
    2-O que é que se nos oferece dizer e como é que o Governo interpreta este dossier e consequentemente,em que medida as nossas relações com os Países e Povos do mundo Arabe,nomeadamente a Guerra na Libia, o reconhecimento do CNT(Conselho de Transição da Libia e as Autoridades Palestianiana,um tema de actualidade que não podemos ignorar?
    3- As prioridades do Governo que V.Excia faz parte vai estabeler protocolos de amizade e de cooperação com a Chima Popular, SIM ou Não?
    4- Enquanto Ministro de Estado – “SUPER MINISTRO” deste Governo, o que podemos esperar de srº em termos de valores acrescentados por forma a colocar bem alta a diplomácia de S.Tomé e Principe?
    5- Nos tempos que correm,todos sabemos que o Mundo está depremido e vivemos num período de grandes incertezas do ponto de vista social, económico e outros:
    6- Pretende V.Excia e dentro das suas competências deixar uma imagem de marca no seu desempenho e junto da Presidncia da Repúca, Chefe do Governo e outras estruturas do estado, execer uma diplomácia agreciva (no bom sentido) ou passiva,tendo em conta que o Senhor é o titular desta pasta no nosso no nosso País?
    7-São estas e entre outras questões que eu enquanto cidadão e não tenciono ensinar nada e nem sobrepôr-me a ninguem.
    8-Estas são entre outras notas que tomo a liberdade para colocar a V. Excelência com o objectivo de revivar a memória colectiva de todos os Sao-Tomenses,esperando espectamente vê-las respondidas.A Nação precisa saber toda verdade.Com os melhores cumprimentos!E.R.

  4. img
    Esperanças Renovadas Responder

    Correção: Por imperativo e a rapidez do tempo.Repetí sem querer as palavras “no” e “nosso” no paragráfo 6º.M’obrigado!E.R.

  5. img
    Biboss Responder

    Caros Compatriotas,é só para reelembrar que na política Internacional dos Estados, não existe amizade,mais sim, jogos de interesses para aproveitar as possíveis vantagens comparativas.

    Nesta momento, acho que uma cooperação com a China, traria mais vantagens para STP,actualmente a China é considerada ao nível Internacional como a maior economia do mundo e em especial, a China tem o plano estratégico de parceria e cooperação e investimento nos Paises do continente Africano.OS GOVERNANTES QUE ABRAM OS OLHOS. Tenho dito.

  6. img
    Esperanças Renovadas Responder

    pc desculpas e volto a corrigir-me e acrecentar o seguinte:
    1-Por lapso enganei-me na palavra República e acrecento: relações
    institucionais e quero-me referir aos conflictos no Norte de Àfrica,no mundo Arabe e no Médio Oriente e arrisco-me perguntar:Qual é a posição do Governo que V.Excelência faz parte nesta matéria?
    É tudo por hoje.E.R.

  7. img
    paparazzi Responder

    biboss tem razao e so mesmo o ministro dos negocios estrangeiros de sao tome ver com os olhos quando ele vem a angola em visita o que estao os chineses a fazer e so isso penso que deve propor o seu chefe a dar uma maior atençao as relaçoes com china popular

  8. img
    Fijalatao Responder

    S.Tomé e príncipe só tem a perder com decisões precipitadas de alguns políticos do nosso país em relação ao caso taiwan!

    Após o reconhecimento precipitado desta nação, que é o que eles querem, os benefícios diminuem e os prejuizos aumentam para o nosso coitado pais e o povo.

    Tenho dito.

  9. img
    Oprimido, sempre fechado. Responder

    Eu considero despropositas e mesmo inutil as decisoes no sentido, de pedir algo junto as nacoes unidas para TAIPE.
    Temos que ter atitudes concertadas, junto aos paises amigos, Angola, Cv, etc. A nossa diplomacia nunca foi de se tirar o chapeu, sempre com accoes mesquinhas e redutoras a semelhanca do nosso territorio. A boca calaca tem 25 respostas, aprendam com Cabo Verde. Estudam mais politica internacional, deixem de agir apenas para os vossos botoes, sejam mais ousados. Por exemplo, entregam o nosso territorio as forcas americanas, teriamos a vida facilitada toda a vida mais 6 meses. Deixem de hipotecar o futuro, devido migalias.
    Estados unidos podem estabecer as suas bases em 2012. Assumam de uma vez por todas o compromisso.
    Sem referendo, sem nada.

  10. img
    Monamgamba Responder

    A gente nasce pobre e fica sempre pobre e miseravel.
    Eu apoio a estrategia de apoio a uma base americana em STP. Todos jovens podiam ter bolsas de estudos , onde quer que estejam a estudar. As casas teriam casas de banho e nao latrinas, a vida seria mais linda. mais agua, amis electricidade e mais dinheiro no bolso. Para que ser dono da terra e do pais e viver numa miseria extrema, convenhamos,

  11. img
    manuela de mamade Responder

    todos dirigentes de STP, devem ser alvos de um teste psiquico. temos que analisar o comportamento deles. mais tarde ou mais cedo, serao objecto de estudo das camadas mais jovens. temos um pais que chama toda a gente branca de cooperante, outros dizem que sao agentes da cia, e coisa parecida, Qualquer turista branco é apelidado de mansé, agente secreto.

Deixe um comentario

*