São Tomé e Príncipe e Marrocos reforçam cooperação bilateral

Marrocos abriu o seu consulado honorário na capital são-tomense, e já nesta quarta – feira, chega ao país o Director Geral da Agência Marroquina de Cooperação, para dinamizar e impulsionar a cooperação bilateral. Anúncio feito pela Ministra dos Negócios Estrangeiros e Cooperação Natália Umbelina na festa da abertura do consulado em São Tomé.

O consulado do Reino do Marrocos em São Tomé e Príncipe, que trabalha em estreita ligação com a embaixada baseada noGabão, abre novas oportunidades para a relação entre os dois países, garantiu a Ministra dos Negócios Estrangeiros e Cooperação, Natália Umbelina. «Abertura do consulado honorário do Reino do Marrocos com a embaixada situada em Libreville – Gabão, irá dinamizar e impulsionar a relação entre os dois países e contribuir para atrair investimentos marroquinos quer públicos quer privados a este recanto do globo», assegurou a ministra na cerimónia que assinalou a abertura do consulado honorário em São Tomé.

Ali Cherry, cidadão libanês naturalizado são-tomense, é o cônsul honorário do Reino do Marrocos em São Tomé e Príncipe. Um homem que segundo o embaixador de Marrocos, Ali Bojji, sempre despertou a sua confiança. «Ele tem o perfil para ocupar o cargo. Estou convencido que ele não poupará esforços para aprofundar as relações entre o reino do Marrocos e São Tomé e Príncipe», enfatizou o embaixador.

Ali Chery(na foto), nono cônsul honorário, promete não defraudar as expectativas. «O consulado honorário fará todos os esforços para sensibilizar e incentivar os empresários dos dois países para formar parcerias em nome dos benefícios e interesses entre os dois países», frisou o cônsul honorário.

Criação de uma associação de amizade Marrocos / São Tomé e Príncipe, é uma das prioridades do cônsul que pretende também dar vida a uma associação dos ex-estudantes são-tomenses em Marrocos.

Formação de quadros são-tomenses é a nota dominante na relação entre o Marrocos e São Tomé e Príncipe. 123 estudantes são-tomenses, dentre os quais 27, que vão seguir este ano para Marrocos, estão a descobrir o conhecimento em universidades e centros de formação profissional marroquinas.

O Governo realçou a excelente relação entre os dois países, que já permitiu ajuda financeira marroquina para aquisição de viaturas e outros equipamentos, nomeadamente lâmpadas solares para iluminação das cidades, assim como verba para preparação das eleições locais e legislativas de 2010. «Já nesta quarta-feira chega ao país o director geral da agência marroquina de cooperação para concretizar corporizar os diversos acordos assinados de cooperação», anunciou a ministra dos negócios estrangeiros e cooperação Natália Umbelina.

Note-se que em 1996, o Estado são-tomense decidiu alterar a sua política em relação ao Sahara Ocidental. Uma alteração de política que permitiu a retoma de relações bilaterais entre os dois países. São Tomé e Príncipe deixou de defender a independência da ex-República Árabe Saraui Democrática, que lutava pela sua independência e auto determinação, contra o Reino do Marrocos.

Passou a promover uma política de autonomia alargada para o território do Sahara, no quadro da integridade territorial do reino marroquino. Posição que mereceu agradecimentos do embaixador do Marrocos.

Os dois países estabeleceram relações diplomáticas desde 1978

Abel Veiga

  1. img
    paparazzi Responder

    Parabens ally e muitos sucessos

  2. img
    arroz podre Responder

    Parabens Ally, mas, por favor, não mistura diplomacia com comerciante desonesto.
    Fui.

  3. img
    Bingo Responder

    Quando a cooperação dá frutos, é sempre bem-vinda. Vamos em frente.

  4. img
    Observador Responder

    Deveria haver uma lei que determinasse a separação de funções. Por causa dessas e outras, tem havido muito atropelos em S.Tomé e Príncipe. DIPLOMACIA; NÂO DEVE CHOCAR COM O COMÈRCIO. Se se comerciante, faça o seu comercio. e se se é DIPLOMATA, faça apenas a DIPLOMACIA. Esse comerciante, que agora passa também a fazer Diplomacia, já possui toda a IMUNIDADE para fazer o que pretende, Meus Senhores, Caros Santomenses de verdade, abram os olhos. Não estou contra raça nehuma, mas veja só: 1º vem fazer negócio no País. 2º casa com uma Santomense. 3º faz filho. 4º DIPLOMATA. Esse tem portas abertas para tudo que ninguém lhe toca.

    • img
      Coblo Responder

      Um consul honorario normalmente nao eh um diplomata e nem tem imunidade diplomatica como afirma no seu comentario. Sao homens de negocio, nacionais ou nao, que os paises usam para cuidar de alguns assuntos de interesse, destacando-se a emissao de vistos e o apoio a representantes desse pais em missao no pais onde esta o consul hnprario

      • img
        António Menezes Responder

        Pois é, só faltava um advogado pra defender. Bom, não tenhamos dúvidas, pois se fosse outro governo, diríamos que é cambalacho…e essa eh….?

  5. img
    malebobo Responder

    já não percebe mais nada nesta ilha maravilhosa, Bau ê santo mé, tela ó

  6. img
    observador Responder

    Será que o senhor Ali vai conseguir manter o equilíbrio entre; diplomacia, comercio/negócio e os eventuais interesses/benefícios para S. Tomé Príncipe ????? Não será mais um desses cargos que mais servem os interesses particulares !

  7. img
    Barão de Água Izé Responder

    Sem colocar as boas intenções e idealismo de Ali Chery em causa, tirando as bolsas de estudo concedidas a jovens Sãotomenses, que tipo de interesses económicos tem Marrocos para STP e que tipo de interesses, também económicos, temos para com Marrocos?
    Esta cooperação vai ser mais importação por STP de mercadorias produzidas em Marrocos ou que por ela transitam?
    Se falamos de cooperação verdadeira, daquela em que as partes dão e recebem valores equivalentes, o que vai oferecer STP a Marrocos? A nossa Terra tem fazer o trabalho necessário na nossa Economia, para que a palavra cooperação no contexto Sãotomense deixe de representar o que ela não é.

  8. img
    controlo Responder

    so os estudantes aqui em marrocos sabe oque e Maroc AMCI essa gente fica na cooperacao deles nao sabe oque e estar no terreno

  9. img
    Pléto LúLúLú Responder

    Título da notícia:– “São Tomé e Príncipe e Marrocos, reforçam cooperação bilateral” ..Qual Cooperação Bilateral ??? Mas havia alguma Cooperação do País com Marrocos ?? Nestes 38 anos Pós Independência, nunca li ou ouvi que houvesse relações de facto com Marrocos. A não ser que tivessem sido relações secretas. Deixemo-nos de brincadeiras, com coisas sérias…não queiram continuar a enganar o Povo, com notícias para Inglês ler.

Deixe um comentario

*