A crise de energia eléctrica é cíclica e cá está de volta

O fornecimento de energia pela EMAE, conhece alguns meses de estabilidade e logo depois, vem a crise. Uma situação que tem 38 anos de idade. Desta vez, o anúncio da crise de energia foi feito pelo Primeiro-ministro Gabriel Costa após visita esta quinta – feira às instalações da EMAE.

Nos últimos dias, os cortes de energia eléctrica tornaram-se mais contantes, após alguns meses de estabilidade. O Primeiro Ministro Gabriel Costa foi visitar a EMAE, e anunciou que os grupos de geradores instalados há mais de 20 anos na central térmica da cidade de São Tomé, estão avariados.

Um grupo de gerador de fabrico alemão, deixou de funcionar, o país não tem competências técnicas para lidar com a avaria. «Ele deverá ser assistido por uma equipa técnica internacional que foi contratada para o efeito», explicou Gabriel Costa.

Um técnico alemão deverá chegar ao país neste fim-de-semana acompanhado de peças, para dar vida ao grupo de geradores com mais de 20 anos de actividade.

Outro grupo de geradores de marca caterpílar, também tem problemas, anunciou o Primeiro-ministro.

A demanda a nível nacional é de 16 mega watts, e a produção actual da EMAE, baixou para cerca de 14 mega watts por causa da avaria dos grupos de geradores da central térmica de São Tomé.

A crónica crise de energia, não tem solução a curto prazo. Para já o Governo diz que vai agir no sentido de repor os grupos já velhos de geradores em actividade.

A produção de energias renováveis, está em estudo. Gabriel Costa disse que o Estado são-tomense já tem entendimento com uma empresa privada estrangeira, competente na produção de energias renováveis, para produzir cerca de 15 mega watts. Um projecto a médio prazo.

Abel Veiga

  1. img
    Barão de Água Izé Responder

    A Energia eléctrica, com potência(s) estáveis, acesso fácil por e para indústrias e custo justo, é fundamental para um País poder ter Economia produtiva. É inacreditável como STP ainda não ultrapassou este grave problema!
    Passam-se os anos, rodam os políticos, as excelências têm geradores e a vida lhes
    corre supimpa, ao contrário da
    esmagadora maioria do povo.
    E acaba-se a achar normal a má e deficiente energia, como já se acha normal a pobreza visível aos nossos dias tantos anos após a independência.

  2. img
    augusto dos santos Responder

    Eu sinceramente, gostaria que alguém me explicasse, que tipo de manutenção é feita a noite. Principalmente por se tratar de geradores.
    Porque a desculpa que a EMAE, tem vindo a apresentar, é que devido a manutenção que deverá ocorrer num dos geradores, haverá cortes da energia eléctrica, das 17h30 a 21h30.
    Gostaria por favor, que alguém me tirasse essa dúvida.
    Muito Obrigado

    • img
      Eterno Madiba Responder

      A explicação é que a noite os técnicos ganham como horas extraordinárias ao contrario do horário normal de trabalho.

  3. img
    Manuel Vicente Sousa Responder

    Eu não acredito que umas maquinas que já levam 20 anos a operar em STP,não haver nenhum nativo que saiba repará-la!!!
    Será que existe algum acordo secreto, entre STP e o Representante da marca? Eu sou santomense e sei que quando queremos, o nosso “QI” é acima da média. Essa história tem contornos dúbios, e prefiro parar por aqui.

  4. img
    Maria Ricardo Responder

    Nossos dirigentes não têm vergonha… Estamos independentes há 38 anos. Ainda não se consegue garantir energia de forma condigna à população. Ainda têm moral de pedir à população que vote em vocês? Guadá kwá scá bi!… O povo há-de me dar razão. Cartão vermelho ao MLSTP, PCD, ADI e MDFM. Todos estiveram no governo nesses 38 anos. Que fizeram?!… Foram desviando dinheiro das ajudas que eram postos à disposição do governo. E agora quem está a pagar é o povo. Todos vocês têm geradores na vossa residência. O zé povinho não tem. Isso um dia há-de acabar. Hão-de pagar caro por isso. Porque esse povo não merece tanto castigo.

  5. img
    Faminto Responder

    Uma grande vergonha para os “nossos” engenheiros que ganham uma fortuna. Anos e anos de Universidade não serviram para NADA. Agora virá um bate-chapa de Alemanha resolver os nossos problemas!

  6. img
    STP Responder

    Entendo que o país enfrenta um problema estrutural, mais acredito que mesmo com pouco é possível fazer-se alguma coisa quando há vontade de o fazer com base na humildade. Na minha humilde opinião, se a EMAE deixa de comprar durante um ano ou mais um carro para cada Director e se preocupasse mais com os problemas da empresa como é o caso dos geradores, muita coisa seria diferente e haveria menos crise energética no país. A crise energética tem aumentado numero de assaltos e criminalidade.

  7. img
    Vicente Andrade Responder

    Meus caros. Não há possibilidades de se arranjar uma outra cassete para EMAE? É que estamos fartos de ouvir sempre a mesma música.
    EMAE possui um gerador alemão a 20 anos, possui uma vintena de engenheiros a mais de 30 anos, ganham balurde, e não têm capacidade para lidar com as máquinas. Cada vez que aparece um problema, terá que vir europeus para resolver. No entanto, os sucessivos diretores que passam por EMAE até têm vergonha de dizer ao público qual é o seu salário, como aconteceu recentemente no programa carta na mesa, mas não são capazes de enviar um grupo de técnicos para especializa ainda que seja 3 anos de especialização para ver se os mesmos possam resolver o problema das máquinas que lhes dão direito ao salário que têm. Aliás, como é que é possível os engenheiros da EMAE repararem as maquinas quando todos vão ao trabalho de camisa branca manga punha e gravatas para tratarem de produção de eletricidade.
    Outro aspeto, é que não tendo a EMAE a produção para satisfazer os clientes que tê actualmente, a empresa e o Governo andam numa politica de distribuir a torta e a direita desta mesma energia não investindo nada na produção. Isto chama-se politiquice.
    Por isso, penso que com 38 anos e com tanta abundancia de rios que o país tem e muitas quedas de água, o governo não deve esperar pelas empresas privadas para vir construir centrais. O próprio governo deveria ter uma politica de construção de centrais hidroelectrica com empréstimo ou outros meios, pois é o governo o dono da empresa que fornece energia e cobra ao coitado do povo um balurde para pagar uma energia que não existe.
    Não se esqueça, que sem energia, não há desenvolvimento. Sem energia, ainda que a CNN faça mil propagandas para o país, não haverá o turismo.
    Basta de palavriadas e ponham mão às obras
    Que Deus proteja o povo santomense nas garras destes dirigentes
    Bem Haja
    Vicente

  8. img
    B-13 Responder

    Ate quando seremos obrigados a viver com estes problemas basicos por falta da vontade de Homens para a sua resolucao?
    38 anaos de Independencia Nacional, 15 Governos Partidarios incapazes de ilumiar em condicoes um territorio humilde 1001 quilometros quadrados e uma populacao de 170 mil habitantes.

  9. img
    manuel soares Responder

    Meus caros boa noite, meu caro primeiro ministro o sr já sabe o que é governar? isto é que é, arranjar combustível, energia eléctrica, água potável, comida, emprego, educação, saúde, e mais e mais, foste chamado e pensaste que isto é fácil, só tens falado, flá sÓOOOOOOOOOOOO, acabou arranja solução! Já, agora, o que fizeste desde que Pinto da Costa te deu o poder? Olha é pena o MLSTP/PSD, PCD e MDFM é que vão pagar por esta aquando das eleições, vamos lá ver o que o povo decidirá.

  10. img
    manuel soares Responder

    Vem aí as eleições sr primeiro ministrro gabriel Costa, quem vai se responsabilizar pela sua inércia e que partido o sr vai defender

  11. img
    Verdadeverdadeira Responder

    eu pergunto onde esta a barragesm que o ministro disse que ia comecar a ser contruida? so aldrabice e mentira para enganar o povo. todos esses gatunos têm que sair de la senaoSão Tomé esta condenado para sempre.

  12. img
    luisó Responder

    (…Um grupo de gerador de fabrico alemão, deixou de funcionar, o país não tem competências técnicas para lidar com a avaria…)
    Ao fim de quase 40 anos de independência o País ainda não tem competências para reparar uns simples geradores?
    Ainda não houve tempo para arranjar/formar técnicos que saibam de olhos fechados reparar este tipo de material?
    Por amor de Deus…

  13. img
    Tentado a Ler Responder

    “A competência sem autoridade é tão importante como a autoridade sem competência”. Gustave Le Bon

    Infelizmente, este tipo de argumento (não hà competência nacional…) é peculiar em São Tomé.

    A percepção incorreta da engenharia e da manutençao resultam neste tipo de bicho de sete cabeças.

    Um engenheiro, só o é, se dispuser de ferramentas que o facultam na recolha, avaliação de dados e modelagem de uma realidade.

    O sucesso da engenharia e do engenheiro dependem dos requisitos(tudo menos carros e gravatas) para o exercicio da profissão exercicio.

    Na ausencia de meios o engenheiro, dificilmente conseguirá recolher, avaliar e processar dados que o façam concluir que A+B=C e que daqui a dez dias B=-A, pelo que naquela data sera C=0. Disso dependeria a tomada de decisão antecipada que evitaria dispendio de somas avultadas.

    Enquanto não fizermos o que devemos, o problema ha de continuar, mesmo que o alemão va para viver, pois ele a semelhança de outros seres humanos, nao faz milagres.

  14. img
    incrédulo Responder

    O actual estado da EMAE que nunca foi novidade pra ninguém serve pra fortuna de muita gente. A EMAE é económica e financeiramente deficitária, mas rentável pra muitos. E assim vamos!

  15. img
    Dias Responder

    È triste tudo isso e, não podemos conformar com essa triste situação. A EMAE não pode estar a subcarregar e a superfacturar os seus consumidores com uma péssima qualidade de fornecimento dos seus serviços.
    A EMAE com graves problemas financeiros não pode dar ao luxo estar a pagar custos elevados com os salários que são praticados aos seus gestores.
    Será que o governo não vê todas essas anomalias.
    Empresa não tem rendimento, não faz investimentos cobra taxas avultadas ao seus consumidores mais de metade dos salários dos trabalhadores.
    Onde está o governo para fazer estudo real daquilo que deve-se pagar e deixa
    seu povo que diz sempre defender a mercer dessas atrocidades todas?
    Porquê que a EMAE aos seus consumidores para manter salários dos seus gestores quando a empresa não tem rendimentos para fazer investimentos.
    Pais tem tanto economistas mais…. .

  16. img
    Os revoltosos Responder

    Será que os São-tomenses formados na área de energia renováveis não estão capacitado para a montagem e produção de energias renováveis , para produzir cerca de 15 mega watts?

    Será que é necessário contratar uma empresa privada estrangeira, competente na produção de energias renováveis?

    Os São-tomenses formados nesta área não são competente, mas vocês os governos são competentes, desviando dinheiro das ajudas que eram postos a vossa disposição .

    coitado do povo

    kwá scá bi!

  17. img
    Saudoso Francisca Responder

    A EMAE tem é que gastar menos do que aquilo que tem, a EMAE fábrica despesas avultadas superioress ao seu rendimento, nínguem consegue viver acima das suas verdadeiras possibilidades. Não se admite que a EMAE sustenta uma serie de pessoas com salarios avultadissimos. O Zé povinho não deve a EMAE e é o primeiro a pagar as consequências das malandrices que passam lá dentro.

  18. img
    Início Responder

    Que vergonha; o colono levou 500 anos a organizar o país e nós destruímos em menos de 40. Esta é a verdade que muitas pessoas não querem aceitar. Mesmo em termos de cabeça o país só formou…não quero ofender ninguém mas as pessoas que estão a frente do país, deviam parar, pensar, meditar e sobretudo serem mais humildes deixarem de ser tímidos porque um governo que não tem capacidade para resolver o problema de energia num terra tão pequena como S.Tomé e Príncipe, não tem condições para governar

  19. img
    Dias Responder

    Quero eu dizer” Porquè ….superfactura aos consumidores….”

  20. img
    Eterno Madiba Responder

    É este mesmo 1ºMinistro que disse há meses que o problema da energia estava resolvido e que a culpa na altura era do anterior governo que antepadamente não fez a devida manutenção dos geradores. É uma verdadeira tristeza ver permanentemente um governo santomense a culpabilizar o outro pelas penúrias do país. E o pior é que terminam os seus mandatos e tudo continua na mesma. Eu tenho dito isto muitas vezes, o senhor Gabriel Costa não vende ilusões, mas vende mentiras, incompetências e fanfarão. Onde pára o orçamento que vinha resolver todos os males dos santomenses(2014)? O senhor Gabriel Costa é de facto muito incompetente. Fradique Menezes tinha razão! Este senhor é a pior peste que apareceu na vida dos santomenses!Mas Deus irá livrar santomenses e S. Tomé e Príncipe desta praga! Eu sou cidadão independente, não sou militante de ADI!

  21. img
    H20 - anedota de Bocage Responder

    Copiem Cabo Verde – a crise energética nas sociedades modernas vence-se com «« apostas nas energias Renováveis »».
    1- Energia Solar : Temos sol e muito calor nos 365 dias do ano.
    2- Energia maremotriz: Temos muita agua salgada, o território marítimos é “N” vezes maior que a superfície terrestre.
    3- Energia Eólica: Temos muito vento à norte,sul,este,oeste.
    Falta-nos gerir bem o custo de oportunidade e alavancar o País. Até quando STP…

  22. img
    incrédulo Responder

    Felizmente agora já não são os morcegos…tb esqueci que essa era a teoria do outro(boys)….

  23. img
    Militar Responder

    Pior noticias que podemos receber do nosso governo, é essa. Meus Senhores vamos construir um STP melhor,já é altura de termos outro fonte de energia em São Tomé. Deixas essas latas de máquina com mais de vinte Anos no lixo e abri um museu de Eletricidade que povo agradeçe, será que SENHORES Ministros tem uma viatura de vinte Anos em vosso Gabinete?
    É momentos de sonhamos grande pq o mundo exige renovações. Um obrigado

  24. img
    rapaz de chacará Responder

    Graças a Deus já não há sabotagem na EMAE… O antigo Ministro Osvaldo Abreu, teve até que se socorrer das antigas e a quem defenda “seguras” técnicas do KGB, para descobrir, apanhar e denunciar os sabotadores da EMAE…..só que passado 12 meses e depois de o mesmo ter “jazido “, nas aguas turvas da política santomense , nada se sabe acerca desses sabotadores…
    Um bem-haja pra ti, meu inestimável amigo, ex-ministro e a sua camaradagem, que tarde ou cedo saberás como é o nosso querido STP.

  25. img
    Sum Blúcu Responder

    Eu grito

    Grito pela vida!

    Oh e eu?!
    Eu grito pela saúde!

    Oh e eu?!
    Eu grito pela educação!

    Oh e eu?!
    Eu grito pela formação!

    Oh, e eu?!
    Eu grito pelo emprego!

    Oh e eu?!
    Eu grito pelo salário!

    Oh e Eu?!
    Eu grito pela energia!

    Oh e Eu?!
    Eu grito pela água!

    Oh e Eu?!
    Eu grito pelo lucro!

    Oh e eu?!
    Eu grito pelo poder!

    Oh e eu?!
    Eu grito pela Fama!

    Oh e eu?!
    Eu???
    Eu grito pela… pela… pela… pelo… pelo … pelo…

    Pelo quê pá?

    • img
      Euclides Smith Responder

      Eu julgo ser o grito pela consciência!!!

  26. img
    Cangolo Responder

    Tanta lábia que este Gabriel Costa tem… Só dá para falar a toa! O maior mentiroso e vendedor de ilusões e incompetente que este país até a data conheceu! Temos que ter eleições o mais depressa possível para escorraçar este senhor de lá e livrarmos duma vez por todas desta praga! Dantes o outro ministro apelidado de morcego, referia que os morcegos estavam a criar circuitos e mais e mais… Depois disse que ele estava cheio de energia. Veio depois o Gabriel Costa dizer que STP estava de parabéns, que o problema de energia estava resolvido. Raios pa!!!

  27. img
    arelitex Responder

    senhor primeiro ministro Gabriel Costa .eu nem queria começar por si .mas a incompetência ,o relaxe ,a falta de capacidade ,a falta de conhecimentos têm limites . após ter tido conhecimento da realidade dos geradores .a primeira coisa que o senhor deveria fazer era pôr imediatamente o director da EMAIE no outro lado do passeio ( porque a culpa é das chefias e nâo dos empregados que nâo capacidade para desempenhar essa função ) . a realidade Alemâ ,é um país em que a economia acenta na industria .qualquer máquina ou aparelho feito na Alemanha ,nem que tenha 100 anos de idade ,há peças e técnicos altamente especializados . qualquer marca alemã ,envia técnicos ,nem que seja uma vez por ano , seja em qualquer país do mundo onde existam máquinas feitas na Alemanha . para darem formações ,e formarem técnicos . nâo cabe na cabeça de ninguém a EMAE , nâo ter técnicos com formação especializada nesses geradores .

  28. img
    Manuel Fernandes Responder

    Para criticar somos campeões. Digam as vossas soluções.
    Sei que as coisas não vão bem, mas não implica insultar outros e por outro lado utilizar palavra incompetência e por vezes o utilizador dela é o primeiro da fila. Convenhamos amigos.

    • img
      arelitex Responder

      senhor Manuel fernandes , eu nâo sei qual é a sua experiência profissional a nível mundial . se você tinha duvidas , eu começo por lhe dizer que sou sâotomense nasci na capital . a questão nâo é de criticar ou de insultar . um dos problemas graves de s tomé , é directores e chefias altas ,que nâo têm formação para tal . nem conhecem o significado das palavras liderar e trabalhar . como exemplo posso lhe dizer ,sabe que em Portugal neste momento qualquer empregado que demonstre incompetência além de ser despedido é agredido verbalmente . sabia que na Alemanha , país em que eu sâotomense desempenhei cargos de chefia ,o que á partida nâo é normal um estrangeiro ser aceite como chefe . eu tinha minuto a minuto a porta da rua á espera de qualquer incompetência da minha parte . agora diga-me sinceramente se acha normal o que se passa na EMAE . e diga-me quem é ou quem foram os maiores culpados ( do péssimo serviço que prestam ainda hoje á população ). nâo me venha dizer que sâo os empregados . ( os maiores culpados foram e sâo os próprios directores ) . que nâo sabem vigiar e acompanhar de perto todos os serviços , e perguntar e pedir explicações , porquê que nâo estão as coisas em ordem . e saberem exigir . se têm duvidas das minhas palavras , experimente como exercício trabalhar em qualquer país evoluído . então vai compreender o significado de cada uma das minhas palavras .

  29. img
    joão Kibonda Responder

    Soluções são os nossos dirigentes deixarem de egocentrismo, serem mais patrióticos e sentirem orgulho de trabalhar de modo a desenvolver o país. Não é, cada um ter o seu gerador pessoal e esquecer que o país pertence a todos. Cabo Verde já tem três
    barragens. Já deveríamos ter pelo menos uma. O que se passa, é que com termoeléctrica, gerador mais gerador, há mais facilidade de meter dinheiro nos bolsos. Há décadas que se ouve falar na construção de uma barragem no rio Iô Grande e o projeto não sai do papel. Querem me convencer que com esse espírito de malvadez e egocentrismo em excesso, sairemos da embrulhada que aqueles a quem nos confiamos nos puseram? Podemos tirar o cavalinho da chuva. A minha “consolação” é que, ainda bem que este mundo é uma passagem.

Deixe um comentario

*