Destaques

Eleições Legislativas: UDD de Gabriel Costa está a criar um grande movimento

O partido do actual Primeiro-ministro Gabriel Costa, a União para o Desenvolvimento Cidadania e Democracia (UDD), decidiu desafiar as outras forças políticas são-tomenses no sentido de criarem um grande movimento, para concorrer as eleições legislativas de 12 de Outubro.

O anúncio oi feito pelo Secretário-geral da UDD, Manuel Diogo. Segundo Manuel Diogo, o repto lançado teve resposta positiva do PEPS de Rafael Branco e a Plataforma Nacional de António Quintas Aguiar, os dois mais recentes partidos políticos são-tomenses. «Lançamos a ideia de podermos criar um grande movimento para essas eleições. Ao lançarmos esse repto da necessidade de união das forças, as forças que responderam a esse desafio, que aceitaram o repto são o PEPS e a Plataforma», confirmou Manuel Diogo.

Neste momento as três forças políticas estão a alinhavar a estrutura da coligação que vai concorrer as eleições legislativas. «E neste momento estamos a alinhavar esse relacionamento no sentido de podermos ser alternativa a governação do país», precisou.

Informações não confirmadas, recolhidas pelo Téla Nón indicam que a UMPP de José Cassandra na ilha do Príncipe também deverá unir-se aos outros 3 partidos na luta pela conquista da governação do país.

O Téla Nón sabe também, que a coligação em forja, dá resposta a um projecto inicial que tinha como objectivo, o surgimento de uma e única plataforma, que congregasse gentes de várias tendências e a sociedade civil, para concorrer as eleições de 12 de Outubro.

O Project inicial fracassou, os mentores do mesmo, acabaram por formar seus partidos, nomeadamente o PEPS e a PND, apurou o Téla Nón.

Abel Veiga

    21 comentários

21 comentários

  1. Fuba Cu Bicho

    1 de Setembro de 2014 as 15:23

    Será que esta iniciativa vale comentários? Não seria perder o tempo!? Aliás como próprio siglan diz UDD (união dôdô) está a criar toda a tentativa de bloquear a boa governação neste “Petit Pais Lá”, como lhe chamou Bongô! Sinceramente montou uma quadrilha coadjuvado por alguém na sombra só com um novo delúvio irá dar volta a isto.

  2. Eterno Madiba

    1 de Setembro de 2014 as 16:42

    Mas que grande chatice. Partidos sem qualquer representação na sociedade! Seja como for é uma boa forma de comer dinheiro de Angola!

  3. Pastor

    1 de Setembro de 2014 as 18:22

    Atitude inteligente dos dirigentes desses pequenos partidos. Provavelmente terão 1 ou 2 deputados.

  4. arelitex

    1 de Setembro de 2014 as 19:39

    vamos ver uma coisa .todas estas más governaçôes ,deram cabo deste país , conseguiram destruir o país ,o país está todo debaixo de água .está quase a ficar sem oxigénio para sobreviver .se a ideia do senhor Gabriel Costa for a que eu penso . que para bem do nosso STP só pode ser uma ideia . que é haver uma coligação de todos os partidos ou quase todos . para com esta ideia serem escolhidas as pessoas certas , sérias e trabalhadoras e dêm cartas , para comandar cada ministério . só assim eu concordo e tenho a certeza que conseguimos arrancar . qualquer outro tipo de ideias só podem ser palhaçadas de mau gosto .

  5. Onda da vitoria

    1 de Setembro de 2014 as 20:20

    Espero que realmente S.tome e Príncipe encontre um rumo ao desenvolvimento.e que ponham vossos interesses pessoais de lado e ponham stp em primeiro lugar porque, nem ADI nem MLSTP,nem PCD,nem MDFM estão a conseguir arrancar este pais.Mais uma coisa é certa queremos ver se forem governo,apenas caras novas e sem vícios nem nódoas de corrupção.

  6. Barão de Água Izé

    1 de Setembro de 2014 as 22:26

    Coitado São Tomé e Príncipe! Os partidos têm que se coligar! Muitos políticos ainda não aprenderam que coligações normalmente representam fraqueza de ideias e projectos. Encostam-se uns aos outros para não caírem nas urnas e terem a sua “parte” no Estado. Afinal o Diálogo Nacional resultou.
    Esvaziou a capacidade politica, parece, dos políticos e partidos considerados importantes.
    Quem ganha com estas “associações”, para o bem e para o mal, goste-se ou não dele, é a ADI.

  7. Trindadense

    1 de Setembro de 2014 as 23:14

    Gabriel Costa tem condições políticas para mudar o rumo dos acontecimentos neste país. Em primeiro lugar tem uma sólida base de formação jurídica e experiência profissional, não sendo por isso um voluntarioso ou político a tempo inteiro desde que nasceu. Conhecer leis e ter princípios que permitem a edificação de um verdadeiro Estado de Direito Democrático é essencial nesta fase da nossa vida coletiva depois de tantos atropelos anteriores.
    Em segundo lugar tem vasta experiência política que pode ser útil para o estabelecimento de consensos que se advinham depois do ato eleitoral de Outibro que será complicado. O país pode estar a dar passos gigantes para a promoção de muita instabilidade nos próximos tempos.
    Em terceiro lugar Gabriel Costa já tem alguma experiência internacional e dispõe de contactos, ao nível interno e externo, que podem facilitar ou promover tais consensos e simultaneamente reforçar o quadro de iniciativas que o país tanto necessita de forma a atrair investimentos estrangeiros para se modernizar.
    Em quarto lugar, o Gabriel Costa é um corajoso ao contrário de muitos políticos indecisos que perante algum desconforto abandonam o barco ou deixam de levar por diante reformas necessárias que o país tanto precisa.
    Em quinto lugar, o Gabriel Costa é íntegro e pode se converter num exemplo para a juventude e cidadaõs em geral ao contrário de muitos que debitam sermões mas são exemplos de mediocridade.
    Esta proposta parece-me, por isso mesmo, acertada e dá sinais positivos para o futuro.
    Qual é o outro líder que tem estes predicados? Sinceramente que não vejo no atual panorama político. Ou estou enganado?

  8. bintoudjalo

    2 de Setembro de 2014 as 1:20

    Será uma boa ocasião para mudar-se a situação em STP…de qualquer jeito , nada poderá ser pior do que se tem vivido no país há já 39 anos e 3 presidentes …os mesmos cafanhotos : Pinto da Costa, Miguel Trovoada, Fradique de Menezes, Pinto – Bis ! O menos mau é, sem dúvida, o Pinto da Costa. Creio que vale a pena de ousar outra política, dar apoio aos que querem fazer mudar , pelo menos, de tentar mudar…apoiar todos as boas energias, iniciativas…arrancar para algo de novo. Quero crêr que o Gabriel da Costa, tem os ombros sólidos para enfrentar esta aventura. Precisa de TODOS, devemos pensar STP, antes de tudo. É importantíssimo…quem quer o BEM de STP , deve participar, colaborar para esta MUDANÇA. Força e Coragem, Gabriel, estámos contigo e nao abrimos, se e para um STP MELHOR !

  9. MEVEGAI

    2 de Setembro de 2014 as 8:00

    Em cima lê-se “Informações não confirmadas indicam que a UMPP de José Cassandra da Ilha do Príncipe, também deverá unir-se aos outros 3 partidos na luta pela conquista da Governação do País”
    Meus caros, pelo que eu saiba o âmbito da UMPP, circunscreve a Ilha Autónoma de Santo António, portanto o pensamento do TELENON é falso e não tem pernas para andar.
    Vai-se registando toda uma tentativa de inflamar o Príncipe com os males da politica que vão ocorrendo em S.Tomé.
    A ideia do povo do Príncipe em não aceitar ser governado por Partidos políticos é uma ideia acertada porque sempre foi assim no passado e o Príncipe ficou como ficou.
    Os Governantes do Príncipe não devem ser subserviente ou não devem estar ancorados em partidos políticos nenhum, se o Tozé estive ao mando de qualquer partido politico, aposto que o Príncipe….

  10. Original

    2 de Setembro de 2014 as 8:04

    O Problema é que estes Partidotes são farrapos de outros maiores Partidos.Dá graça vir dizer que são sérios mais do que outros sabendo que quando se cria um partido leva-se todas as manhas
    e pouco tempo depois está tudo na mesma ou pior.Gostaria conhecer os currículos dos ditos Srs. que representam estes novos Pardidos para poder compará-los com aqueles a quem chamam de incompetentes.Solução para este País, seria criar condições para responsabilizar todo cidadão para responder perante a justiça quando houvesse crime.Corruptos,bandidos,ladrões,vigariatas etc.
    Aí sim o Pais entraria na linha sem ser necessário criar outros Partidos.

  11. ATENCIOSO NA DIASPORA

    2 de Setembro de 2014 as 8:46

    isto é uma brincadeira

  12. António Menezes

    2 de Setembro de 2014 as 9:37

    Francamente, só quem não vê, nem tem STP como seu Pais, pensa que o actual 1º Ministro é a salvação de STP.

  13. FIADO SÒ FÉ BÔ

    2 de Setembro de 2014 as 10:52

    UDD????? Francamente! Mas este partido que nem militantes tem, não tem qualquer ideologia, apenas um grupinho de larápios quer também governar??!Pois é, a culpa não é deste partido! O culpado deste atrevimento é o PR que colocou o forasteiro como primeiro ministro, função que vem exercendo desde Dezembro de 2012 que colocou o país na desgraça. Só com cristo! Oh oh oh, quer dizer, até Choné quer governar o páis!! Quer dizer, mãe Joana! Estão a banalizar tanto o país, que não sabemos onde vamos parar com toda essa palhaçada!!

  14. Joao Pinto

    2 de Setembro de 2014 as 11:36

    Mas se o que existe atualmente no país já é uma plataforma
    Já estão no poder quatro forças politicas, isto é UDD, MLSTP, PCD, MADFM. Porque é que não arrancam com o desenvolvimento deste país.
    Deixaram cair o Governo do Patricio, porque aquele não tinha projetos estruturantes. Esta plataforma ou troika como lhe chamam, está no poder a dois anos. Onde está projeto estruturante. Onde está a criação de postos de emprego, sobretudo para esta camada jovem formada que regressou e vai regressar ao país. Se são neste momento quatro partidos a fazer a troika/plataforma e não conseguem gatinhar, então estes três praticamente desconhecidos, nem vão saber sentar, pois o gatinhar será impossível
    A ver vamos
    Bem Haja STP
    João Pinto

  15. José Luís

    2 de Setembro de 2014 as 16:00

    Um apelo a que todos os corruptos, usurpadores da coisa pública que coliguem…

    Em Itális, chamavam-se Mafia !!!

  16. malebobo

    2 de Setembro de 2014 as 16:09

    stp, é um pais, que de facto como tem muitas bananeiras, podia considerar republica das bananas, que toda gente so quer é estar no poder e mais nada, esqueceram das formações para estarem aqui a fazer politiquice

  17. Zé Povo

    3 de Setembro de 2014 as 10:36

    UDD? O que é isto?
    Será um covil de grupo de oportunistas que só aparece em tempos de campanha, esperando que Pinto da Costa vá buscar dinheiro para eles em Angola?
    Neste periodo de campeonato, cada um está a arajnar formas de encher seu pé de meia. Senão pergunta-se que projectos de governação têm esses partidecos?
    Gabriel Costa da UDD não se está a revelar como primeiro ministro porque não sabe governar, só sabe é falar…falar…e falar…. Rafael Branco do PEPS só sabe é encher o sotão com dinheiro que vem de Luanda. Coitado dos contribuintes angolanos, Quintas Aguiar da Plataforma, que é uma autentica sombra do Pinto da Costa nem sabe sequer gerir uma casa comercial ao ponto de leva-la à falência e agora só passa a vida em Santa MNucamba comendo sei lá o quê e bebendo sei lá o quê em pleno horario laboral!
    Francamente meus senhores…
    Viva o PCD.

  18. pedro neto

    3 de Setembro de 2014 as 10:49

    Meus senhores a desgraça deste nosso país não é, ou não são os partidos politicos, são os politicos que nós temos. Cria-se partidos mas os PILANTRAS são sempre os mesmos. Os dirigentes do UDD já estiveram noutros partidos, o ADI, MDFM, PND e PEPS idem. E o mais engraçado é que todos tiveram origem no MLSTP (Maiores Ladroes de Sâo Tomé e Príncipe). Agora UDD que não tem onde cair morto vem propor uma PLATAFORMA de doido, só pode ser. Ganhem juizo, meus senhores. Há uma boa maneira de contribuir pra o país… o campo. Vão é trabalhar, plantar banana e saber quanto custa a vida.

  19. EX

    4 de Setembro de 2014 as 10:51

    Ora bem haja a essa ideia. Mas se forem Governo? Não será que cada um vai começar a retirar as brasas para serem os primeiros a assarem as suas sardinhas?

    Gostei dessa ideia, ADI que se cuide formou Governo na sombra dos outros e se esqueceram que o sol muda de posição todo o momento. Agora ADI como? Sem o Nelson de Carvalho e será que vão conseguir assegurar os outros o P. Câmara de Água Grande só quer repetir o seu mandato mas será que para Governo poderão contar com apoio dele?
    Porque nessas novas forças tem gente que joga pesado e limpo. A sorte do ADI é que as duas eleições serão no mesmo dia e vai ajudar um pouco em Água Grande.
    Espero que os eleitores saberão distinguir as coisas.

  20. Idalecio Stock

    5 de Setembro de 2014 as 6:45

    Com todo respeito , mas basta ter a presence do Bandido RAFAEL pra nao ter pernas para andar RB e lacaio bandido gatuno .Pensem noutra coisa melhor para o POVO,meus senhores,

  21. MUITO PREOCUPADO

    5 de Setembro de 2014 as 17:19

    Diga o que disserem, Para o Bem deste PAÍS, O Dr. Gabriel Costa, deveria continuar como Primeiro Ministro e CHEFE DO GOVERNO de S. Tomé e Principe. Mas que lhe dessem a oportunidade poder escolher elementos que viessem fazer parte do seu Governo. Porque o grande problema de S.Tomé, não são os PARTIDOS. Mas sim HOMENS. O mesmo teria a liberdade em ir buscar pessoas de partido A ou partido B, mas pessoas que realmente quizessem trabalhar, para o Bem desta terra. A Assembleia controlava e o Presidente Pinto da Costa, seria um bom árbitro para essa governação.
    S.Tomé e Príncipe de um Primeiro-ministro forte e corajoso. E o Dr. Gabriel Costa, tem esse perfil. Para isso, UDD, MLSTP, MDFM, PEPS, etc etc. nunca deveria figurar ou ser posto em evidencia. Pois, homens que querem realmente que o País S.Tomé e Príncipe, avance. Se o País, conseguisse isso, todos os S.Tomenses, ficariam é a ganhar.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo