Destaques

FOMAC quer militares são-tomenses no cenário das operações

O comando da Força Multinacional da África Central (FOMAC), está reunido em São Tomé. Até quinta – feira, os oficiais superiores das forças armadas dos países da África Central, analisam e debatem em São Tomé, as alterações a serem feitas, ao catálogo da Força Multinacional de alerta da sub-região.

O Chefe de Estado Maior da FOMAC, o brigadeiro Daniel Savihemba de nacionalidade angolana, explicou, que a alteração do catálogo da FOMAC visa adaptar a força de alerta às novas ameaças a segurança na África Central.

O primeiro catálogo, foi criado no ano 2010. Dentre os vários aspectos definidos para a composição da FOMAC, destaca-se a fixação do seu efectivo em 4 mil e 800 soldados. «A nossa intervenção na República Centro Africana mostrou aquilo que são os desafios para a nossa força. Tendo em conta a evolução dos aspectos da segurança na sub-região nos levam a reformular o catálogo da força multinacional, para estar de acordo com as ameaças actuais e a reconfiguração daquilo que são os aspectos da segurança na nossa sub-região», declarou o Chefe de Estado Maior da FOMAC.

A intervenção da força de alerta da África Central na República Centro Africana, país dilacerado por uma guerra civil de cariz religioso, é um exemplo, que desafia o futuro da força multinacional.

São Tomé e Príncipe, é membro, mas segundo o brigadeiro Daniel Savihemba, até agora a participação nacional tem sido de carácter político e estratégico. País que alberga a importante reunião que vai definir o novo catálogo da força multinacional da África Central, São Tomé e Príncipe é convocado a participar directamente na estrutura militar com homens no terreno.  «Gostaríamos que desta vez com a actualização do catálogo se faça mais presente, justamente no Estado Maior Regional da Força Multinacional, onde São Tomé e Príncipe não está presente», afirmou o brigadeiro.

ministro da defesaQuestionado pela imprensa se esta participação deveria ser com homens, respondeu: “Efectivamente”.

A conferência da FOMAC foi aberta na segunda – feira, pelo ministro da defesa e administração interna, Arlindo Ramos.

As recomendações que sairão da reunião de São Tomé, deverão ser aprovadas pelos Chefes de Estados e de Governos da África Central.

Abel Veiga

    3 comentários

3 comentários

  1. Nom Molê

    13 de Setembro de 2017 as 18:12

    Eu saiiiiii

  2. luisó

    14 de Setembro de 2017 as 13:52

    A FOMAC fez o quê na RCA ?

  3. olivio cardoso

    3 de Outubro de 2017 as 9:08

    uma boa ideia formamos os nossos militares, mais lamento que esta formaçao poderia ser para os oficiais e militares no seu todo

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo