Sociedade

Administração da EMAE avisa que a greve prevista para esta sexta – feira é ilegal

O Tenente-coronel Óscar Sousa, Director Geral da EMAE, desmentiu as afirmações do sindicato segundo as quais, a administração da empresa teria recusado a proposta de aumento salarial, tendo por isso fracassado as negociações. Óscar Sousa, garante que a direcção está aberta a negociação, e advertiu o sindicato para a ilegalidade da greve marcada para esta sexta-feira.

O sindicato diz que avançou para a greve, porque fracassaram as negociações com a administração da EMAE. Mas ainda porque a direcção recusou a proposta de aumento salarial. O Director Geral desmente. «Continuamos abertos para negociar com o sindicato. Não rejeitamos a reivindicação feita. Não fechamos esse ponto. Dissemos sim, é que não iríamos aceitar os valores propostos no caderno reivindicativo porque é impossível para as finanças da empresa», declarou para depois acrescentar que «para dar satisfação a essa reivindicação decidimos criar uma comissão para analisar as cifras e negociar uma alternativa», frisou Óscar Sousa.

O Director Geral considera de estranha a posição do sindicato, ainda mais quando o compromisso de continuar a negociar o ponto referente ao aumento salarial, está patente na acta da reunião entre as duas partes. Uma acta subscrita pelos representantes do sindicato e da administração da empresa no dia 31 de Maio último.

A Direcção da EMAE, diz também que o pré – aviso de greve emitido pelo sindicato no dia 24 de Maio, está ferido de ilegalidade. «A Assembleia dos Trabalhadores reunida no dia 23 de Abril, evocada na carta de 24 de Maio não pode conferir simultaneamente dois mandatos contraditórios aos órgãos do Sindicato. Não se pode obviamente conferir mandato para negociar e mandato para fazer greve. Ou é uma coisa, ou é outra», diz a administração da EMAE, tendo sublinhado ainda que o suposto pré-aviso de greve «surge quando a reunião de negociação já estava em curso».

Por tudo isso, a direcção da EMAE, considera que o pré-aviso de greve não se conforma com a lei da greve em vigor. «Queremos dizer ao Sindicato que a greve marcada para esta sexta-feira é ilegal», declarou Óscar Sousa.

Abel Veiga

    32 comentários

32 comentários

  1. Zovirax

    3 de Junho de 2010 as 21:38

    Era bom que o director colocasse na pele destes trabalhadores. Muitos vão para o trabalho com fome, porque o dinheiro não chega. Muitos quando estão doentes vão parar ao hospital sem água, sem medicamentos, sem seringas, etc. O senhor director vai para Lisboa de junta médica. É preciso ver outro lado da moeda, estes coitados estão reivindicar os seus direitos.

  2. Bili Uê

    4 de Junho de 2010 as 5:05

    Até onde sei, os altos dirigentes da EMAE sempre tiveram vida de LORDES nesta Terra. Chegada a hora de valorizar quem sempre contribuiu para manter essa vida principesca que os nossos Príncipes e Senhores levam dentro da obscuridade que é típica nesse país e principalmente da EMAE.

    Valorizar o trabalho realizado por esta classe dentro da EMAE é o mínimo que vcs podem fazer.

    Talvez propor uma auditoria dentro da EMAE, mostraria em que pé vão as coisas dentro da casa, afinal não podemos estar a falar sem ao menos ter provas.

    Que os trabalhadores não se deixem intimidar pela patente do nosso tenente coronel que ao meu ver deveria estár dentro da gestão e proteção do nosso território e não na administração de uma empresa de eletricidade.

    Lidar com gente, nunca foi fácil! Merece formação e preparação especial para o tal. Espero que as coisas possam ser resolvidas da melhor forma possível, pois toda a forma de trabalho humano deve ser valorizado para o bem estar de todos, para o decréscimo da desigualdade e para o desenvolvimento social.

    Saudações democráticas! Avante São Tomé e Príncipe

  3. A. Silva

    4 de Junho de 2010 as 8:11

    Entreguem EMAE a Sonangol se não há dinheiro para aqueles que trabalham(produzem).
    Nao se admite directores na Administração pública q nao produzem, a ganhar boa massa e com tantas regalias.

  4. fc0704

    4 de Junho de 2010 as 8:17

    ENQUANTO HOUVER UM MEDICO MINISTRO DOS NEGOCIOS EXTRANGEIROS, UM CONTABILISTA MINISTRO DE OBRAS PUBLICAS, UM SOCIOLOGO MINISTRO DE SAUDE E UM MILITAR DIRECTOR DA EMAE ISSO VAI CONTINUAR, PORQUE NEM SEQUER SABEM ONDE ESTAO PARADOS.

  5. Filho de Deus

    4 de Junho de 2010 as 9:07

    É ISSO QUE DÁ EM STP CADA UM TEM QUE TRABALHAR NA SUA AREA DE FORMAÇÃO POIS SE ALGUEM É FORMADO NUMA CERTA AREA TERÁ QUE TABALAR NESTA MESMA AREA, ENGENHEIRO CIVIL NA OBRA, ENGENHEIRO AGRICULA NA AGRICULTURA, MÉDICOS NOS CENTROS DE SAÚDE OU AREAS AFIM, TROPA NAS UNIDADE DE DEFESA E PROTEÇÃO,ÓÓÓÓÓÓ SÓ PARA XATER CADA UM CABEÇA VÇS NÃO VIRAM COMO J. COSTA TRISTE É FORMADO EM EDUCAÇÕES FÍSICAS( 2 DIPLOMAS ) E ELE TRABALHO NO C.OLIMPICO, ALGO LIGADO AO DESPOSTO… XATOS PA OLHA DIZ AO SOUSA OU SEJA O T. CORONELITO QUE DEVIA É REDUZIR O SALÁRIO DE 80.000.000. PRATAS ASSIM A COISA FICAVA MELHOR PARA TODO MUNDO

    • N'gumba

      5 de Junho de 2010 as 1:40

      O GRANDE PROBLEMA DO NOSSO PAIS é este, nao tem cada carrangueijo no seu buraco….
      Assim de certeza que nao iremos longe, mas, quem nao quer lamber o mel??!!

  6. Nadiezda

    4 de Junho de 2010 as 9:24

    Falar e criticar é muito fácil mas,se colocar no lugar dessas pessoas apenas um minuto, não é tão fácil assim como parece.Os trabalhadores da EMAE que saíram as ruas reivindicando os seus direitos sabem o que fazem e o quanto sofrem na pele o facto de serem explorados pelos próprios Santomenses.

  7. Nikilay

    4 de Junho de 2010 as 10:39

    Veja ele na foto,bem gordinho,redondinho,porq nao apanha castigo de sol nem chuva.È esse tipo de pessoa q tem bom ordenado.Os trabalhadores têm todo o direito de revendicar.Estamos num etado q se diz democratico.E espero q os policias nao intervam nos assuntos dos outros.Poq em sao tome acontece mtas coisas dessas, em que os policiais têm fitos intervençoes em assuntos desse genero.

  8. Sukumêzo: Abre Olho

    4 de Junho de 2010 as 10:39

    A situação é deveras preocupante em um País onde a República perdeu o seu R e o País perdeu o seu P . O que temos? Um Estado Nacão? Não, o que temos é “aís” e a “epública”.
    A Greve da Empresa EMAE é o resultado de uma Nação Morebunda, de un Estado que necesita de Reformas, de um Estado que necesita de recuperar a sua autoridade.

    A Greve da Empresa EMAE é o resultado de uma politica salarial desregularizada e buracrática.

    A Greve da Empresa EMAE é o resultado de uma sociedade civil abandonada,marginalizada e deixada a sua sorte.

    Pergunto. Quanto tempo mais vamos ter episódios como este? Será que temos que reconstruir o Estado e o Direito novamente como fizeram os Liberais Burgueses?

    Termino dizendo “uma acção provoca uma reacção”: quando tivermos uma sociedade civil organizada, então teremos um Governo estável, mas preocupado com os problemas do Povo.

  9. Amor a patria

    4 de Junho de 2010 as 11:58

    DEVE SER MUITO PERTINENTE A IDEIA DA GREVE NESSE MOMENTO, VISTO QUE JA SUSTERAM COM ISSO FAZ TEMPO. NUNCA É TARDE PARA RECLAMAR E APELAR A JUSTIÇA, A VIDA HUMANA TEM CUSTOS E É UMA DADIVA DIVINA, SÓ QUEM NÃO SOFREU É QUE QUER VER OS OUTROS MAL. O NOSSO PAÍS É NOSSO, NÃO É VOSSO. TUDO E TODOS QUE ESTÃO NELE DEVEMREGOZIJAR DOS MESMOS DIREITO. |(1+1)=2;(1+2)=3;(1+3)=4|; ISTO QUER DIZER QUE; SE ESTAMOS TODOS DENTRO DO MESMO BARCO NÃO IMPORTA O NOSSO VALOR, TODOS INFLUENCIAMOS NO RESULTADO FINAL ENTÃO O PEIXE DEVE SER DIVIDO POR TODOS.
    PENSE NISSO!

  10. Mina Tlindaje

    4 de Junho de 2010 as 12:29

    O “Filho de Deus”disse e disse muito bem. Cada um deve trabalhar na sua área.
    Eu pergunto: O que é que um major está fazendo numa empresa de Água e electricidade? Será que em STP não existem quadros novos, com sangue novo, com ideias novas, cidadão globalizado, que o governo deveria por a frente desta empresa? O Major Óscar, com todo o respeito, pede a sua reforma e deixa a ambição do poder porque o que deu já deu. Quase 4 década após a independência o país continua num colapso político e económico que não vemos o dia de se libertar. A começar pelo presidente da república e Parimeiro Ministro, todos têm contribuido para o marasmo de STP
    FUI!!!

  11. Negão

    4 de Junho de 2010 as 16:55

    Epa voc~es todos que andaram a falar o que nada sabem são um bando de ignorantes, na verdadeira acepção da palavra. Se não vejamos, a atribuição para cargos de chefia e liderança em organizações prendem-se não só com a capacidade técnica que o postulçante da cargo possui, como também outros conjuntos de atributos a serem exigidos, que contemporrâneamente chamamos de visão holística.
    Segundo ponto, a EMAE faz parte do segundo escalão do governo, em se tratando de STP ser um sistema semi-presidencialista, compete ao governo ou a quem de direito indicar os seus ocupantes, vejamos meus caros ignorantes, isso é assim em qualquer estado de direito democrático. Posto essa narrativa perguntar-vos-ia o que é que tem haver um militar de carreira dirigir a EMAE?
    Não quero com isso dizer que a reivindicação dos colaboradores não seja justa, mas não adianta tapar o sol com a peneira, a empresa tem realmente condições financeiras para atender tais intentos? Acontece que me STP tudo funciona como cant0o da sereia, cada um fala o quer sem realmente conhecer a fundo o problema.

    • jaka doxi

      4 de Junho de 2010 as 18:04

      Apesar do teu reparo considero que para este caso particular o responsável deveria perceber o minimo do trabalho que tem pela frente.
      E por este andar não parece que o Oscarito perceba qualquer coisa deste assunto.Ele deveria estar no exercito a dirigir as tropas porque é o que do melhor sabe fazer.O problema é que os politicos de são Tomé e príncipe conhecendo bem o senhor Oscarito e como tenhem muito medo dele prefiriram aposentar o homem e
      dar-lhe um tacho para que o pior não aconteça.
      É assim o País em que vivemos.
      Tenho dito.

    • Adriano Lamartine

      5 de Junho de 2010 as 10:35

      Negão! Eu sou formado em Engenharia Electrica e Informatica Industrial com especializaçao em Electronica, Electrotecnia e Automatica. Tu por acaso conheces as dificuldades inerentes a este dominio? para vir afirmar que não ha mal nenhum um militar de carreira ser director geral de uma empresa de Electricidade? Nao haveria mal nenhum se o tal militar possuisse uma formação adequada nessa area. Podes afirmar com a mesma convicçao que o tenente coronel Oscar de Sousa é formado nesse dominio? Em que pais? e em que curso? O que acontece é o tal tenente ter de ter a sua volta uns quantos assessores que também devem ganham um balurdio, e o tal tenente coronel, ainda ganha acima desse balurdio sem ter que trabalhar. Esse dinheiro poderia ser poupado e investido noutras areas em que a empresa tem necessidade. Como por exemplo contribuir para melhoria de vida dos seus trabalhadores que devem ganhar 50 Euros por mês.
      Antes de tu chamares ignorantes a todos, fazendo-te de sabio para tirar o argueiro nos olhos dos outros deverias primeiro tirar a trave nos teus olhos.

    • Zovirax

      5 de Junho de 2010 as 20:57

      O Negão pertence a elite de corruptos de STP? Pelo comentario que faz, parece que sim!!!!

    • llólo ´dédo

      5 de Junho de 2010 as 21:53

      Xi mósca na cudji da flida fá que cua ê ca cumé?

    • Antocha(candja zêtê)

      5 de Junho de 2010 as 22:02

      Muçanda ê bô na tê clupa fá, nguê cu sá clupado sa péma cu da bô cunfiança,bila da bô camiá pa bô pô subli.Aproveita enquanto o braga é contabilista.

  12. cesario verde segundo

    4 de Junho de 2010 as 17:37

    o unico que nao é ilegal é a desigualdade social imperante como s vossos salarios de mais de 2000 euros estando em africa enquanto que os funcionarios de terreno ganhan entre 40 à 60 euros… isso sim nao é ilegal senhor amedrontador da sociedade civil pelo titulo de brigadeiro ou algo do género.

  13. Eliel T.

    4 de Junho de 2010 as 17:51

    aumento de 60%, 30%… ñ vou nessa tendo em conta os outros sectores.. concordaria é se fosse a diminuição para 60% ou mais dos “RATOS” e os FDP’s da empresa. Esses néngues só sabem chupar e xplorar..

  14. Fala verdade

    4 de Junho de 2010 as 18:03

    Negão eu sei quem é Voçê.
    Es o Filho do Tenentinho coronel, isso toda gente sabe. Tambem uzufruis desse dinheiro por nem sequer deverias meter nisso.

  15. Bili Uê

    5 de Junho de 2010 as 7:02

    É sua “Excelência”Sr Negão! Como vc é tão inteligente e patético. Pelos vistos vc concorda com esses abusos e absurdos que reinam o nosso território nacional.

    Concordo com o “fala verdade”, vc deve mesmo ser uma dessas patricinhas da nossa terra! Vc não acha que o problema de stp é justamente a indicação indevida de pessoas para ocuparem cargos públicos?

    Neste percurso vc está trilhando um bom caminho de encontro à corrupção e talvez com muita sorte, eu seja nomeado à cargo de juiz por indicação desses que vc tanto defende. Que tal, maravilha não é?

    Se quiser provocar alguém, porque não provoca a quem tem roubado a dignidade do seu país por décadas? Tem que se posicionar meu caro, de que lado vc está?

    Saudações.

  16. jose raposo

    5 de Junho de 2010 as 9:10

    o direito a greve e suberano num estado de direito democratico,penso que a ilegalidade esta em entimidar os trabalhadores…eles sim sao a real forca produtiva e devem ser valorizados

  17. didinha

    5 de Junho de 2010 as 9:14

    Um militar é preciso para pôr ordem e disciplina numa empresa estratêgica para o país

    • pinto

      10 de Junho de 2010 as 20:06

      com todo respeito pelo seu comentario, gostaria de a fazer uma pergunta.do seu ponto de vista, da sua forma de analisar acha que sao tome precisaria de mais militares para estarem a frente de outras instituicoes?

  18. JOVEN DE DEUS

    5 de Junho de 2010 as 10:21

    O nosso STP a cada dia que passa esta caminhando para tràs;A empresa EMAE é considerada como fonte de vida e fonte do desenvolvimento do pais;A àgua e a energia é tudo para nos;Por isso senhor CORONEL tente resolver o problema mas rapido possivel,a EMAE tem a economia soficiente para resolucionar o problema.

  19. disiludido

    5 de Junho de 2010 as 23:05

    Meu Deus que situação esse País está a deriva cada dia que passa. Eu não sabia que a EMAE agora virou quartel militar onde os tenentes podem reinar.Meu povo não espantem com isso, porque em STP tudo é possivel.

  20. ctiny

    6 de Junho de 2010 as 10:27

    olha, não sabes nada de EMAE, nem sequer das forças armadas, porque sempre viveste no poder, sai e deixa um engenheiro da área, ser director da EMAE…..este é o 1º passo para por fim a esse estado de coisa.

  21. Pessoa

    6 de Junho de 2010 as 22:18

    Infelizmente esse é o País que temos,não é preciso ser Engº para gerir EMAE,não significa que não possam,e também não concordo que seja um militar.Um bom gestor com visão para o futuro,com ideias novas,um líder(não é preciso ser militar),porque acredito que EMAE tem capacidade para mais,somos um País com potências hídricos e continuamos a comprar geradores velhos para alguns tirarem dividendos.É preciso que esses senhores que sempre andam no poder no ciclo infinito deixam para os outros,já que passaram tantos anos e o País esta cada vez pior.

  22. Helves Santola

    7 de Junho de 2010 as 1:46

    Quer dizer que uma greve só é legal qdo tiver o consentimento da directoria?

  23. pinto

    7 de Junho de 2010 as 12:08

    devemos chamar as coisas pelos respetivos nomes. este senhor da foto creio que deve perceber e de armas, ja que sempre seguiu o ramo militar. na empresa de electricidade deve estar a frente alguem que perceba de electricidade e de numeros tambem.para este posto creio que este individuo e um leigo que nao capta nada.brincamos muito com os trabalhadores e sobretudo com coisas muito serias , cada macaco no seu galho

  24. anonimo

    7 de Junho de 2010 as 15:33

    Tristeza!!!!! até parece k estes senhores k se dizem ser Governantes em nome do povo, não podem ser reformados, até quando vai se verificar uma troca de favores ou padriagem na cozinha como se diz por ai, ” foi ministro de defesa e comportava como zé pequeno pra n dizer gurgulho, agora como não pode ficar uns tempos em casa deram-lhe um entretimento pra se calar e ser derector da EMAE, uma vez k esses mesmo senhores sabem o podre uns dos outroS e sendo assim nunca ficam fora do sistema governativo do nosso país. É NISTO K DÁ, voltamos aos tempos de escuridão…..

  25. Vugu-vugu "seven"

    7 de Junho de 2010 as 16:28

    Caros leitores!

    Tenho lido amiudadas vezes os comentários
    feitos através do “Téla-Non”. Relativamente aos últimos acontecimentos e STP, e mui particularmente à Greve dos Trabalhadores da EMAE, quero neste caso subscrever o teor do comentário elaborado pelo pseudónimo Adriano
    Lamartine que não só soube explicar como se deve tratar da condução da coisa pública como também demonstra um espírito que busca admoestar aqueles que ainda teimam em perpetuar de uma forma ou de outra, o nepotismo e a incompetência para amordaçar esta nossa ditosa Pátria e deixá-la entregue à sorte dos desmandos daqueles que um dia se estabeleceram no poder, somente pelo “poder”.
    Por outro lado, gostaria de fazer um pedido a alguns “comentaristas On-line” do jornal “Téla-non”, menos atentos à elaboração dos seus textos, que envidem esforços para eliminarem êrros, nomeadamente de ortografia e de construção gramatical, de modo a elevar o nível das nossas intervenções porque cada comentário torna-se um documento público e veicula a opinião de cada um, informando a vasta opinião pública quer nacional ou internacional.
    Quero ainda com o meu comentário felicitar a Direcçã do Jornal on-line Téla-Non, pelo seu novo formato que em muito vem dignificar a difusão de informação sobre STP além fronteira.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo