Sociedade

Associação Cívica – Movimento de Libertação

 O movimento que nasceu na zona do Riboque em 1974, desempenhou papel importante no processo de libertação do país. Filinto Costa Alegre, um dos jovens são-tomenses que liderou o movimento de massas, garante que foi a Associação Cívica quem pôs em causa o regime colonial no país, ao contrário da Frente Popular Livre que defendia uma federação com Portugal.  

Os jovens estudantes que regressaram de Portugal, deram corpo a Associação Cívica. Um movimento criado pelo Movimento de Libertação de São Tomé e Príncipe, MLSTP/PSD em parceria com os nacionalistas que estavam no interior do país e em Portugal. A Associação Cíviva travou uma luta feroz contra a presença colonial no território são-tomense. A mobilização dos trabalhadores agrícolas e de outros sectores económicos, ajudou a fragilizar o poder colonial, até a proclamação da independência a 12 de julho de 1975.  

Filinto Costa Alegre um dos líderes da Associação Cívica, conta toda história, no espaço Entrevista.  

Abel Veiga

    10 comentários

10 comentários

  1. Chinha

    13 de Julho de 2010 as 4:28

    Sao tome e Principe, esta mesmo a precisar, do outro movimento da libertacao pos 35 anos independencia.

    Homens e mulher , de todo o canto do pais ter a mesma garra e e energia quando foi para sacar de Portugal o territorio das ilhas.

    NEM QUE MUE LANTA

  2. Vicente Pereira

    13 de Julho de 2010 as 11:34

    De facto devemos estar “agradecidos” à Associação Cívica pela desgraça da independência. vendo os factos objectivamente e os “belos” resultados alcançados pleos 35 anos de independência, deviamos ter optado po um estatuto federado com Portugal, numa situação semelhante aos Açores e à MAdeira. Vejam o caso das Comores e da iLha de Mayotte.

  3. RS

    13 de Julho de 2010 as 22:13

    De facto a federação com Portugal traria muitas vantagens:
    1º- Salário minimo de 500 euros.
    2º- Passaporte da União Europeia
    3º- Como região ultra-periférica da União Europeia, STP gozaria de um estatuto especial que daria acesso a muitos fundos da União Europeia.
    4º- Hospitais, escolas, estradas, aeroportos de nivel europeu.
    5º- Livres dos politicos actuais que governam STP.

    Talvez seja melhor assim, o povo come banana, peixe, fruta-pão e matabala, enquanto alguns privilegiados se enchem das melhores carnes e vinhos importados (não pela Trading) à custa do dinheiro que os doadores internacionais enviam para STP.

  4. Edgar Faustino

    14 de Julho de 2010 as 20:53

    Não estava em S.Tomé na altura.Fui tendo conhecimento do que se passava através de familiares que estavam lá.Qualquer situação revolucionária vivida pelos povos
    aquando da sua emancipação desencadeia inevitavelmente procedimentos extremos desnecessários levados a cabo pela falta de preparação política,pela falta de informação e formação dos participantes e muitas vezes por agitação das massas com interesses pouco ou mal defenidos.
    A solução para S.Tomé, uma colonia pobre sem quaisquer industrias, com o sector primário virado para a monocultura do cacau e do café e uma produção de coconut inexpressível, dependente em tudo do poder económico do colonizador, não era a sua independência mas uma solução do tipo região autónoma ou uma espécie de federação, como as há e aqui referênciadas neste forum.

  5. luisó

    15 de Julho de 2010 as 11:06

    plenamente de acordo consigo sr. RS.
    vejam o caso das guianas francesas ou das holandesas, das mauricias, da polinésia francesa. à excepção das primeiras são todas ilhas que gozam do estatuto de estarem ao lado da frança.

  6. lolo dedo

    27 de Setembro de 2010 as 12:41

    se tivessem optado pela autonomia realmente estamos melhores realmente os açores sao 9 ilhas estao super madeira duas ilhas desenvolvidos e tudo bem cultivado sao 12horas se passarem pelas freguesias das ilhas vem homens calçados com botas de borrachas e sujos de trabalhar na agricultura na pesca e na pecuniaria e da contruçao civil mas se passarmos pelas freguesias da nossa terra essas horas so deparamos com homens sem fazer nada pergunto eu quando é que vamos mentalizar de que nao devemos ter vergonha em trabalhar no que é nosso porque desta maneira com criticas podem eleiger que seja que nunca chegamos a lado nenhum. Vejam tenho 65 anos quando obtemos a nossa independencia o pais ficou com tudo que necessitava mas nao tivemos quem nos horientase vejam as roças como estao as estradas como esta a saude etc etc porque a independencia podia ter sido obtido apos uns anos de autonomia para que os governantes integrassem bem dentro da governaçao o que nao aconteceu todos queriam mandar todos queriam inrequecer vamos as roças tinham cavalos porcos vacas onde estao quem é que orientou para a distriçao portanto para mim os nossos ditos libertadores tinham teoria mas pratica de governaçao nao tinham hoje estao todos bens e o povo e o pais na miséria olhem para caboverde como esta a desenvolver e nos sempre para traz infelizmente sabemos é criticar e o nosso bem estar e as coisas vao aruinando de dia para dia falam no senhor filinto para presidente pergunto quando ele esteve metido na dita libertaçao o que fez de bem para o povo ele e companhia limitado queremos jovens com novas mentalizaçoes nos mais velhos ja estamos ultrapassados vamos apostar em gente jovem e ajudalos para que saimos deste sofoco apostar nas nossas jovens força povo unidos vencermos esquecemos do passado vamos olhar para o futuro

  7. lolo dedo

    27 de Setembro de 2010 as 12:51

    chinha o que ganhaste com essa luta foi miseria e distruiçao podiamos hoje ser independentes concordo com a independencia mas nao foi da maneira que foi porque distruimos tudo nao sei se a senhora ja tinha nascido quando a independencia se ainda nao tinha nascido pergunte os mais velhos como é que os colonos deixaram o pais e ve como esta agora era autonomia e depois independencia com pessoal formado e profissionalizados para varios sectores sem que tivessemos necessidade de termos recorido aos sovieticos e aos cubanos e concordo de que aqueles portugueses que tinham qualidades humanas e que eram amigos nosso ficassem ca para colaborarem no pais mas foi feito tudo precipitado e com alguma ganancia de poder resumindo sacamos a independencia mas ficamos sempre pendentes dos outros em tudo so temos nome de termos um pais subrano do resto talvez agora com esse jovem primeiro ministro se o deixarem governar vamos levantar mas também é preciso que as mentalizaçoes mudem e ajudemos

  8. galvao

    30 de Setembro de 2010 as 12:17

    cada um tem aquilo que merece mas nem todos a pessoas muito boas e humildes ai mas alguns merecem bem o que esta a passar que deus ajude os que sao bons

  9. BARAO DE AGUA IZÉ

    15 de Abril de 2011 as 22:27

    Passados tantos anos é fácil apontar erros à Associação Civica.
    Mas seria bom que os sobreviventes da Associação Civica fizessem um balanço realista e assumissem erros que cometeram.
    Nomeadamente o ódio racista e o radicalismo politico que levou à destruição de equipamentos e estruturas das roças. O suor de milhares serviçais/trabalhadores foi atirado fora.
    Compare-se Cabo Verde com São Tomé e Principe. STP, uma independência que parece não valeu a pena, com 35 anos de pobreza e um Estado falido.

  10. Verónica

    14 de Junho de 2012 as 8:28

    Nesta camnhada pelomundo, só naõ erra quem não faz, ou seja, só não molha aquele que não anda a chuva.
    Sem a Associação Cívica, digam o qe quizerem, não haveria Independência. Só que alguns de nós foram muito oportunistas.
    Fui um dos militantes da Associação Cívica e commuita honra. Digam o que quizerem. Numa organização,nem todos nós temos o mesmo comportamento. Por isso temos que ver a parte boa e a má.
    O Pinto da Costa qdo veio de Libreville, para S.Tomé, veio para salvar o MLSTP e implementar o que Aurélio Martins disse no último Congresso do MLSTP.Veio para dar o golpe baixo e de misericórdia, o lema do MLSTP.Do MLSTP hoje,não o MLSTP/PSD quem existe? Apena Pinto da Costa e Carlos Graça, o banana. Será que o MLSTP é só do Pinto? Será que no MLSTP não tinha e tem gente com espírito racista e radical?
    Nós os Sãotomenses somos oportunistas e queremos só viver bem sem trabalhar e a custa do outro.
    Cada povo tem a sua mentalidade.
    Vamos é, mudar de mentalidade não só pensar na usurpação e poderes e quere pendurar e dizer que nós é que somos melhores.
    Ninguém gosta deassumir e pegar na mandar avançar.
    Viva a Associação Cívica.
    Espero que a iniciativa dos membros da ex-Associação possam ir em frente com a iniciativa ora tomada para mostrar ao povo algumas coisas que eles não sabem, sem qulaquer rancor e mágoa. De peito aberto.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo